Malu Mulher

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Malu Mulher
Informação geral
Formato Série
Duração 45 Minutos
Criador(es) Daniel Filho
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Elenco Regina Duarte
Dênis Carvalho
Narjara Turetta e grande elenco
Tema de abertura "Começar de Novo", Simone
Transmissão original 24 de Maio de 197922 de Dezembro de 1980

Malu Mulher foi uma série de televisão brasileira apresentada pela Rede Globo de 24 de maio de 1979 a 22 de dezembro de 1980, criada e dirigida por Daniel Filho.[1]

O primeiro episódio foi reapresentado no Festival 20 Anos, em junho de 1985. No Festival 30 Anos, alguns episódios foram reprisados durante uma semana, em março de 1995. Em 2006, Malu Mulher teve alguns episódios lançados em DVD, e a Som Livre relançou a trilha sonora em CD, dentro da coleção Masters Trilhas. [2] E a partir de 04 de maio de 2013, será reprisada pelo Canal Viva, canal de TV por assinatura pertencente à Rede Globo.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O episódio de estréia aborda o processo de separação de Malu e Pedro Henrique, as brigas, com agressões físicas e verbais, a insegurança e o medo da filha adolescente do casal, Elisa, e a evidente desarmonia no lar.

O primeiro ano do seriado mostra a saída de Malu de casa, e as dificuldades de Malu na tentativa de conseguir se sustentar, conseguir manter a casa nova, e também manter a filha.

No segundo ano, Malu está mais amadurecida e consegue um trabalho fixo num instituto de pesquisa. Tem incío então uma nova fase, onde ela está pronta para recomeçar a vida amorosa.

Censura[editar | editar código-fonte]

Antes que os episódios fossem finalizados, houve uma apresentação das Séries Brasileiras para a imprensa, na qual Regina Duarte falou sobre sua personagem e sobre a emancipação feminina na sociedade brasileira. Uma entrevista arriscada, já que não se sabia se, até o final da apresentação, a Censura Federal iria liberar Malu Mulher, Carga Pesada e Plantão de Polícia. Os seriados, de qualquer forma, acabaram recebendo os certificados para exibição. O autor Walther Negrão conta que chegou a escrever um episódio que foi vetado pela Censura Federal. Em Malu, a Rainha da Boca do Lixo, a socióloga era contratada por um instituto para fazer uma pesquisa sobre prostituição em São Paulo. Ela, então, disfarçava-se de prostituta e ia para a Rua do Triunfo, onde acabava sendo presa. O delegado, no entanto, percebia que se tratava de uma mulher instruída e temia que ela fosse jornalista. Na época, um dos casos mais comentados nos jornais era o de um delegado que espancava prostitutas. O episódio sofreu ação da Censura Federal: inicialmente vetado, chegou a ser liberado, mas não a tempo de ser exibido na última temporada de Malu Mulher.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Repercussão e Premiações[editar | editar código-fonte]

  • Malu Mulher foi vendido para cerca de 50 canais de televisão de vários países.
  • Em 1979, ganhou o Prêmio Ondas, da Sociedade Espanhola de Radiodifusão e da Rádio Barcelona.
  • Em 1980, recebeu o Prêmio Íris para melhor produção estrangeira exibida pela televisão nos Estados Unidos.
  • No mesmo ano, foi exibido em horário nobre na Suécia e superou em audiência vários programas da BBC, na Inglaterra.
  • Em 1982, foi considerado o melhor programa de televisão do ano em Portugal e na Grécia.
  • O seriado continuou a ser exportado mesmo depois do seu término no Brasil.
  • Na América Latina, enfrentou problemas com a censura de alguns países.
  • Em 1983, foi ao ar em Cuba. Na época, as exportações brasileiras para aquele país ainda estavam proibidas.
  • Em 1988, foi exibido pela TV francesa Antenne 2, com o título Maria Lúcia.
  • Regina Duarte ganhou um prêmio na antiga Tchecoslováquia graças ao episódio Parada Obrigatória.
  • Na Holanda, mais de um milhão de telespectadores assistiram ao primeiro episódio e cerca de três milhões acompanharam o seriado durante seis semanas. [3]

Referências