Philippe Noiret

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Philippe Noiret
Philippe Noiret na Normandia em Outubro de 2003.
Nascimento 1 de Outubro de 1930
Lille,  França
Morte 23 de Novembro de 2006 (76 anos)
Paris
Prêmios 1990 - BAFTA - Cinema Paradiso (melhor ator)

Philippe Noiret (Lille, 1 de Outubro de 1930Paris, 23 de Novembro de 2006) foi um actor francês. Recebeu dois prémios César e é sobretudo reconhecido pela sua participação nos filmes Cinema Paradiso, de Giuseppe Tornatore, e Amici miei (Meus Caros Amigos), de Mario Monicelli.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Depois de uma vida acadêmica bastante pífia-mau aluno, foi reprovado tres vezes no concurso para bacharel, mas apaixonou-se pela literatura, pelos cavalos e pela vida na campanha- Noiret começou como ator de teatro e comediante de cabaré nos anos 1950. Em 1956 foi convidado pela diretora Agnès Varda para atuar em um papel cinematográfico no filme La pointe courte, ao qual se seguiram muitos filmes, entre os quais Zazie dans le métro de Louis Malle, em 1960, seu segundo filme.

Do teatro ao cinema[editar | editar código-fonte]

Philippe Noiret no festival de Cannes , em 2003.


A partir de 1966, ele passou a se dedicar exclusivamente ao cinema, tornando-se um ator muito respeitado pela corporação[1] .

Noiret foi um dos atores mais requisitados do cinema italiano e francês. Atuou em mais de 150 filmes ao longo de cinco décadas, ganhando maior notoriedade após os sessenta anos de idade onde além de Cinema Paradiso, do diretor Giuseppe Tornatore (1991), fez também Il postino, de Michael Radford (1994), onde interpretou o poeta Pablo Neruda.

Noiret foi contemplado com dois prêmios César de melhor ator, em 1976 por Le vieux fusil (O Velho Fuzil), de Robert Enrico, e em 1990 por La vie et rien d'autre (A Vida e Nada Mais), de Bertrand Tavernier, um de seus parceiros mais freqüentes.

Entre os diretores célebres com quem trabalhou incluem-se Alfred Hitchcock em Topaz (Topázio), Marco Ferreri em La grande bouffe (A Comilança), Philippe de Broca em Le bossu (O Corcunda), Francesco Rosi em Dimenticare Palermo (Esquecer Palermo) e Tre fratelli (Três Irmãos), Mario Monicelli em Amici miei (Meus Caros Amigos) e Amici miei atto II (O Quinteto Irreverente), Louis Malle em Zazie dans le métro (Zazie no Metrô) e Valerio Zurlini em Il deserto dei tartari (Deserto dos Tártaros).Morreu em Paris, aos 76 anos, de câncer no dia 23 de novembro de 2006[2] .

Cerimônia fúnebre reuniu o mundo cinematográfico[editar | editar código-fonte]

Ele morreu na tarde de 23 de novembro de 2006, no seu domicílio parisiense, aos 76 anos, consequência de um câncer generalizado. Seu amigo Jean Rochefort declarou a propósito de Noiret: « Um grande senhor nos deixou » e o Presidente da República, Jacques Chirac : « Com ele, é um gigante que nos deixa, ele restará um dos nossos maiores artistas. » Noiret foi sepultado em 27 de novembr de 2006, no Cemitério de Montparnasse em Paris, em frente da tomba do ator e cineasta Jean Poiret. A cerimônia fúnebre foi celebrada na Basílica Sainte-Clotilde, em Paris e contou com a presença do Primeiro ministro, Dominique de Villepin, e de inúmeros cineastas e atores, muitos havendo trabalhado com Noiret.Entre os cineastas: Claude Zidi, Bertrand Tavernier, Claude Berri, Patrice Leconte, Claude Pinoteau, Bertrand Blier, Jean-Paul Rappeneau, Jean-Marie Poiré e Christopher Thompson; entre os artistas, Anouk Aimée, Fanny Ardant, Sabine Azéma, Jean-Paul Belmondo, François Berléand, Charles Berling, Michel Boujenah, Jean-Claude Brialy, Patrick Bruel, Catherine Deneuve, Gérard Depardieu, Julie Depardieu, Marie Dubois, Andréa Ferréol, Isabelle Huppert, Gérard Jugnot, Thierry Lhermitte, Vincent Lindon, Eddy Mitchell, Bulle Ogier, Charlotte Rampling, Claude Rich e Catherine Rich...[3] . Muito abatidos, seus amigos Jean-Pierre Marielle e Jean Rochefort preferiram não asistir à cerimônia.

Autobiografia[editar | editar código-fonte]

Nos seus últimos meses de vida, Philippe Noiret escreveu sua autobiografia em parceria com Antoine de Meaux. O texto foi publicado em março de 2007 pelas edições Robert Laffont com o título Mémoire cavalière[4] .

Carreira[editar | editar código-fonte]

Ano Título Título em português Papel Diretor
1949 Gigi Não-creditado Jacqueline Audry
1950 Olivia
1952 Agence matrimoniale Não-creditado Jean-Paul Le Chanois
1956 La Pointe courte Lui Agnès Varda
1960 Zazie dans le Métro Tio Gabriel Louis Malle
1961 Le Capitaine Fracasse Hérode Pierre Gaspard-Huit
1962 Comme un poisson dans l'eau Lucien Barlemont André Michel
Le Crime ne paie pas Clovis Hugues Gérard Oury
Thérèse Desqueyroux Bernard Desqueyroux Georges Franju
1964 Les Copains Bénin Yves Robert
1965 La Vie de château Jérôme Jean-Paul Rappeneau
1966 Tendre voyou Bibi Dumonceaux Jean Becker
1967 Alexandre le bienheureux Alexandre Yves Robert
Night of the Generals Inspetor Morand Anatole Litvak
1969 Topaz br/pt: Topázio Henri Jarré Alfred Hitchcock
Clérambard Hector de Clérambard Yves Robert
Mr. Freedom Participação especial William Klein
Justine Justine Pombal George Cukor
1971 Murphy's War Louis Brezon Peter Yates
La Mandarine Georges Édouard Molinaro
1972 La vieille fille Gabriel Marcassus Jean-Pierre Blanc
1973 La grande bouffe Philippe Marco Ferreri
1974 Touche pas à la femme blanche! General Terry Marco Ferreri
L'Horloger de Saint-Paul Michel Descombes Bertrand Tavernier
1975 Amici miei br: Meus Caros Amigos Giorgio Perozzi Mario Monicelli
Le vieux fusil br: O Velho Fuzil Julien Dandieu Robert Enrico
Que la fête commence Filipe II, Duque de Orléans Bertrand Tavernier
1976 Une femme à sa fenêtre Raoul Malfosse Pierre Granier-Deferre
Le Juge et l'assassin Juiz Rousseau Bertrand Tavernier
1977 Un taxi mauve Philippe Marcal Yves Boisset
Tendre Poulet Antoine Lemercier Philippe de Broca
1978 Who Is Killing the Great Chefs of Europe? Moulineau Ted Kotcheff
Le Témoin Robert Maurisson Jean-Pierre Mocky
1980 Pile ou face Louis Baroni Robert Enrico
On a volé la cuisse de Jupiter Antoine Lemercier Philippe de Broca
1981 Tre fratelli (aka Three Brothers) Raffaele Giuranna Francesco Rosi
Coup de Torchon Lucien Cordier Bertrand Tavernier
1982 L'étoile du nord Edouard Binet Pierre Granier-Deferre
Tutti amici miei atto II Giorgio Perozzi Mario Monicelli
1984 Les Ripoux René Boisrond Claude Zidi
1985 L'Eté prochain Edouard Nadine Trintignant
1986 Speriamo che sia femmina Conde Leonardo Mario Monicelli
1987 Masques Christian Legagneur Claude Chabrol
1989 The Return of the Musketeers Cardeal Mazarin Richard Lester
Ripoux contre ripoux René Boisrond Claude Zidi
Nuovo Cinema Paradiso br: Cinema Paradiso Alfredo Giuseppe Tornatore
La Vie et rien d'autre Comandante Dellaplane Bertrand Tavernier
1991 J'embrasse pas Romain André Téchiné
Uranus Watrin Claude Berri
1992 Tango François d'Amour Patrice Leconte
1994 Il Postino br: O Carteiro e o Poeta Pablo Neruda Michael Radford
La Fille de d'Artagnan d'Artagnan Bertrand Tavernier
Grosse Fatigue Ele próprio Michel Blanc
1997 Soleil Joseph Lévy Roger Hanin
Les Palmes de M. Schutz Sr. Schutz Claude Pinoteau
Le bossu Filipe de Orléans Philippe de Broca
2002 Les Côtelettes Léonce Grison Bertrand Blier
Père et fils Léo Michel Boujenah
2003 Ripoux 3 René Boisrond / Jean Morzini Claude Zidi
2007 Trois amis Serano Michel Boujenah

Prémios e indicações[editar | editar código-fonte]

  • BAFTA de melhor ator em papel principal
    • 1990 - Nuovo Cinema Paradiso
  • César de melhor ator
    • 1976 - Le Vieux Fusil
    • 1990 - La Vie et rien d'autre

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.