Robertinho de Recife

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Robertinho do Recife)
Ir para: navegação, pesquisa

Robertinho de Recife, por vezes chamado de Robertinho do Recife, nome artístitico de Roberto Cavalcanti Albuquerque[1] [2] (Recife, 1965), é um guitarrista, compositor, produtor musical, instrumentista e arranjador musical brasileiro.

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

Considerado por muitos como um dos grandes guitarristas do Brasil, sua trajetória no universo da música popular consagra-o como profissional de múltiplos talentos e iniciativas.

Começou a tocar ainda menino, sendo logo apontado como guitarrista prodígio. Aos 12 anos, já considerado virtuose, apresentava-se tocando até com os pés. Ainda como aluno de seminário, estudou música sacra.[3]

No final dos anos 1960, acompanhou alguns ídolos da Jovem Guarda, como Rosemary e Jerry Adriani. Tocou em bandas pop nos Estados Unidos e também em transatlânticos em cruzeiros pela costa brasileira, sendo solicitado em modalidades como o blues, o jazz e o country.

No período em que foi músico de estúdio, tocava estilos radicalmente diversos ao acompanhar artistas como Jane Duboc, Cauby Peixoto, The Fevers e Hermeto Pascoal. Outras modalidades que também tocou incluem o heavy metal e a música infantil. Na ocasião do lançamento de seu disco "Rapsódia Rock", em 1990, apresentava-se vestido de Mozart.[3]

Em 26 de abril de 1985, Robertinho, juntamente com sua banda, o MetalMania, abriu um show para a banda norte-americana Quiet Riot em São Paulo. O mesmo ocorreu no Rio de Janeiro e em Porto Alegre.

Em 1988, Robertinho fundou o grupo musical Yahoo,[4] porém deixou a banda um ano e meio após sua fundação, em 1989.[5] A banda ficou bastante conhecida por fazer versões de grandes sucessos internacionais com letras em português.

Robertinho de Recife teve o auge de sua carreira nos anos 70 e 80 e depois se dedicou a acompanhar artistas como Xuxa, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho e Raimundo Fagner.[6] [7] [8]

Havia optado uma vez por deixar a carreira musical de lado, negando um convite para integrar o grupo americano Chicago, mas foi resgatado do ostracismo pelo cantor Fagner na década de 1980. Agora, é mais conhecido pelo trabalho de produtor. Robertinho, por enquanto, só toca em suas próprias produções, e tem produzido álbuns de muitos artistas que não têm recebido apoio de gravadoras e selos, e informa que só voltará "às luzes para glorificar a Deus por tudo que tem feito" por ele; porém, diz que existe alguma possibilidade de o vermos de volta em um trabalho próprio.[7]

Na atualidade, trabalha também como produtor musical em seu estúdio, o Special Discos, no Rio de Janeiro (um dos trabalhos mais recentes é o álbum "Flor da Paraíba", da cantora brasileira Elba Ramalho, lançado em 1998).[9]

Como guitarrista, Robertinho de Recife já participou em shows ou gravou com vários artistas internacionais, tais como: George Martin, Watchpocket, Stanley Clarke, Peter Tosh, Andy Summers (The Police), Deep Purple (quando este esteve no Brasil), Stewart Copeland (The Police), Quiet Riot (quando este esteve no Brasil), Steve Cropper, Miami Sound Machine, Phil Collen (Def Leppard), John Lee Hooker, Simon Kirke (Free), Bonnie Ratt, Arto Lindsay, Taj Mahal, Gilles Martin, Dr. John and the Night Tripper e Candy Shoes String.[10]

Dentre os artistas nacionais com quem gravou destacam-se: Yahoo (no qual foi integrante-fundador), Xuxa, Geraldo Azevedo, Zé Ramalho, Raimundo Fagner, Hermeto Pascoal, Sivuca, Elba Ramalho, Amelinha, Lenine, Luis Melodia, Dominguinhos, Zeca Baleiro, Luís Caldas, Frank Solari, Moraes Moreira, Orlando Morais, Lulu Santos, Martinho da Vila, Marisa Monte, Gal Costa, Tânia Alves, Pepeu Gomes, Wagner Tiso, José Augusto, Agnaldo Timóteo, Elimar Santos, Rosanna, entre outros.[11]

Além do episódio do convite da banda Chicago para tocar com eles, foi chamado para tocar em várias bandas de destaque internacional como Watch Pocket e Quiet Riot.[7]

Algumas músicas: Metal Mania (1985), Seja o meu Céu (1981), O Elefante (1981), Papo de Guitarrista (1982), Noturno Nº 10 (1990), Transcendental (1992), Tutan-kamon (1993), Poliposition (1992), Mordida de Amor (1988, com Yahoo), Deslizes (1987, com Raimundo Fagner).

Discografia solo[editar | editar código-fonte]

  • Rapsódia Rock (1990)
  • Metalmania (1985)
  • Robertinho do Mundo (1983)
  • Robertinho de Recife e Emilinha (1982)
  • Satisfação (1981)
  • Loucos Swings Tropicais (1979)
  • Robertinho no Passo (1978)
  • Jardim da Infância (1977)

NOTA: Em 1988, Robertinho de Recife gravou um disco com a banda Yahoo, da qual era o guitarrista. Sucessos como "Mordida de Amor" (cover da canção Love Bites, da banda britânica Def Leppard), levaram sua marca na guitarra.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

É pai do ex-ator mirim Eduardo Caldas (Eduardo Caldas Cavalcanti de Albuquerque), que fez muito sucesso nos anos 1990 e hoje é roteirista e diretor, usando o nome Eduardo Albuquerque.

Foi genro de Emília Barreto Correia Lima, a Emília Lima, que foi eleita Miss Brasil 1955, representando o estado do Ceará, e foi uma das semifinalistas do Miss Universo desse mesmo ano.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]