Triose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Dezembro de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Uma triose é um monossacarídeo contendo três átomos de carbono. Existem apenas duas trioses, uma aldotriose (gliceraldeído) e uma cetotriose (diidroxiacetona). As trioses são importantes na respiração. Nomeadamente, os ácidos láctico e pirúvico são derivados da aldotriose e cetotriose, respectivamente.

A nomenclatura de trioses, tetroses, pentoses e hexoses foi desenvolvida por Emil Fischer, a partir dos seus estudos de carboidratos iniciados em 1880. Fischer também endossou os termos aldose e cetose, propostos por Amstrong[quem?][1] .

A D-aldotriose é o D-Gliceraldeído

D-glyceraldehyde-2D-skeletal.png

A cetotriose é diidroxiacetona:

Dihydroxyacetone.png

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

  • Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Triose», especificamente desta versão.
Ícone de esboço Este artigo sobre Bioquímica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.