Antônio Carlos Costa Gonçalves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Tonhão
Informações pessoais
Nome completo Antônio Carlos da Costa Gonçalves
Data de nasc. 23 de fevereiro de 1969 (51 anos)
Local de nasc. São Paulo, SP, Brasil
Altura 1,86 m
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Zagueiro
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1988–1996
1989
1990–1991
1996
1996
1997
1997
1998
1999
1999
2000
2001–2002
2003
Palmeiras
Araxá (emp.)
Nacional-SP (emp.)
Atlético Paranaense (emp.)
Internacional (emp.)
Inter de Limeira
Goiás
Arsenal Tula
América-SP
Cerezo Osaka
Sãocarlense
Nacional-SP
Guaratinguetá
0160 0000(4)






0016 0000(0)




Antônio Carlos da Costa Gonçalves, conhecido como Tonhão (São Paulo, 23 de fevereiro de 1969), é um ex-jogador do Palmeiras das temporadas de 1993 e 1994. Ficou conhecido pela sua garra e determinação em campo, muitas vezes chamado de "caneleiro" por seu jogo duro, o ex-zagueiro disputava cada bola com toda força possível.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Tonhão demonstrava as novas virtudes do chamado "futebol moderno", pois força e garra eram suas marcas. Sua deficiência técnica era suprida pela determinação de quem pratica o futebol com entrega e amor. Assim ele conquistou a torcida do Palmeiras.

Era o único jogador, de um elenco cheio de estrelas como Evair, Edmundo, Zinho, Edílson e Roberto Carlos, que tinha o nome gritado pela torcida, mesmo no banco e mesmo sendo zagueiro.

Ficou também conhecido como um dos participantes da briga junto com Edmundo e os jogadores do São Paulo no "jogo da paz" em 1994. Edmundo deu um soco na cara do lateral André e generalizou uma briga entre os dois times. Tonhão na verdade foi tirar Edmundo "do bolo" após o mesmo dar um tapa no rosto do Juninho, André Luiz por sua vez, partiu para cima de Edmundo tentando-o acertar com um chute e acaba acertando o Tonhão, com isso pelo lado Alvi-verde, Edmundo e Tonhão foram expulsos, no lado Tricolor Juninho e André Luiz, também foram expulsos. Nesse jogo, a entrada dos times em campo começa com um grande abraço entre Vanderlei Luxemburgo e Telê Santana e acaba com pancadaria entre os jogadores.

No dia 15 de abril de 1995, após uma vitória do Palmeiras por 3 a 0 sobre a Portuguesa no Estádio Palestra Itália, em partida válida pelo segundo turno do Campeonato Paulista daquele ano, o zagueiro Tonhão pegou uma camisa da Portuguesa e, diante da torcida, limpou as chuteiras com ela, jogou-a ao chão, pisou e cuspiu em cima. O assunto acabou gerando grande repercussão na mídia, e o atleta justificou que seu gesto de provocação foi uma resposta à torcida da Lusa, que, segundo ele, apedrejou seu carro no estacionamento do Estádio do Canindé no jogo do primeiro turno.

Hoje, com vários quilos a mais e cabelos grisalhos, ainda defende a Sociedade Esportiva Palmeiras em jogos amistosos no time de veteranos.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Palmeiras

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.