Armínio Fraga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Armínio Fraga

Arminio Fraga Neto (Rio de Janeiro, 20 de julho de 1957) é um economista brasileiro. Foi presidente do Banco Central do Brasil de 1 de março de 1999 a 17 de janeiro de 2002 durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.

Anteriormente, ocupou durante seis anos o cargo de diretor-gerente da Soros Fund Management LLC em Nova Iorque. Durante 1991-92, Fraga ocupou o cargo de membro da Junta de Diretores e diretor do Departamento de Assuntos Internacionais do Banco Central do Brasil. Fraga também trabalhou na Salomon Brothers em Nova Iorque e no Banco de Investimentos Garantia, no Brasil.

Lecionou na Escola de Assuntos Internacionais da Universidade de Colúmbia, na Escola Wharton e na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, além da Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro. É Doutor em Economia pela Universidade de Princeton. Obteve seu Mestrado em Economia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em 1981, onde também se graduou.

Durante o seu mandato como presidente do Banco Central do Brasil as taxas anuais de inflação alcançadas foram de 8,94% em 1999, 5,97% em 2000, 7,67% em 2001, e 12,53% em 2002, resultando em uma taxa de inflação média de 8,78% para todo o período[1] .

Atualmente, Fraga é o principal acionista de um grupo de investimentos chamado Gávea Investimentos, além de ser membro do conselho de administração do Unibanco.

Também tem sido membro de prestigiosas organizações internacionais incluindo: O Grupo dos Trinta, o Conselho de Relações Internacionais, a Junta de Assessores ao Presidento do Foro de Estabilidade Financeira, a Junta Assessora de Pesquisas do Banco Mundial, o Diálogo InterAmericano e a Junta de Diretores de Pro-Natura (Estados Unidos). Foi considerado pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009[2] .

Indicação ao Banco Mundial[editar | editar código-fonte]

Em 7 de maio de 2007, o prêmio Nobel de Economia Joseph Stiglitz disse que a crise enfrentada atualmente pelo Banco Mundial poderia acabar com a repartição entre americanos e europeus das presidências da organização e do Fundo Monetário Internacional (FMI) e indicou Armínio Fraga como um nome que possui os critérios para presidir o BIRD.

Referências

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Armínio Fraga

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Gustavo Franco
Presidente do Banco Central do Brasil
19992003
Sucedido por
Henrique Meirelles