Armando Bógus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Outubro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Armando Bógus
Nascimento 19 de Abril de 1930
São Paulo, SP
Morte 2 de maio de 1993 (63 anos)
São Paulo, SP
IMDb: (inglês)

Armando Bogus (São Paulo, 19 de abril de 1930 — São Paulo, 2 de maio de 1993) foi um ator brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Armando Bógus estreou-se como ator em 1955, com a peça Moral em Concordata, que se transformou no seu primeiro filme em 1959. Na televisão começou na TV Excelsior e, no teatro, destaca-se a sua parceria com o diretor Ademar Guerra, participando em peças como Marat-Sade (1967) e na primeira montagem de Hair no Brasil, em 1969.

Na televisão, Armando Bógus viveu personagens marcantes da teledramaturgia brasileira e foi um dos atores da primeira versão de Vila Sésamo, primeiro na TV Cultura e depois na Rede Globo, em 1972, ao lado de Sonia Braga, Laerte Morrone e Aracy Balabanian.

Nas novelas, os seus personagens mais marcantes foram: o comerciante Nacib em Gabriela (1975); o austero Estêvão em O Casarão (1976); o médico Daniel em Ciranda de Pedra (1981); Licurgo Cambará na minissérie O Tempo e o Vento (1985); o avarento Zé das Medalhas em Roque Santeiro (1985); o esperto Modesto Pires em Tieta (1989) e o vilão Cândido Alegria em Pedra Sobre Pedra (1992), a sua última telenovela.

Foi casado duas vezes, a primeira com a atriz Irina Grecco, de quem teve um filho.

Armando Bógus estudou no Colégio Marista Arquidiocesano. Era primo do jornalista Luís Nassif.

Faleceu devido a uma leucemia, tendo ficado internado quase dois meses no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, submetendo-se a uma quimioterapia.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Cinemateca Brasileira Parafernália, o Dia da Caça [em linha]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.