Felipe Camargo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2009).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Felipe Camargo
Nome completo Luiz Felipe de Camargo e Almeida Neto
Nascimento 1 de agosto de 1960 (53 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação ator
IMDb: (inglês) (português)

Luiz Felipe de Camargo e Almeida Neto (Rio de Janeiro, 1 de agosto de 1960) é um ator brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Despontou para a fama ao protagonizar a clássica minissérie Anos dourados (1986), de Gilberto Braga, em que fez par romântico com Malu Mader. Em seguida, foi o protagonista da novela Mandala, de Dias Gomes e Marcílio Moraes quando conheceu e se apaixonou por Vera Fischer, sua companheira durante oito anos, em um casamento destacado por brigas e desentendimentos notórios.

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

A década de 1990 foi marcada por um período de ostracismo em sua carreira. Além do seu envolvimento com as drogas e o casamento conturbado com Vera, envolveu-se em um acidente no qual o jovem de então 21 anos, Agostinho Dias Carneiro Júnior, veio a falecer.[1] Embora na época a imprensa tivesse relatado que, logo após o acidente, Agostinho tivesse sido agredido por Felipe ao invés de ter recebido socorro, até o momento não há referências disponíveis sobre este ocorrido.

Separação[editar | editar código-fonte]

Com a separação da atriz Vera Fischer, iniciou-se uma árdua batalha judicial pela guarda do filho do casal. Felipe, recuperado da dependência química, conseguiu legalmente a tutela de Gabriel, que já morava com o pai desde os quatro anos de idade, a partir de 1997.

Papéis de menor destaque[editar | editar código-fonte]

Inevitavelmente sua vida pessoal destacou-se mais sob sua vida profissional. Com isso, deixou de ser chamado para papéis de grande destaque na TV. Insistentemente o ator relutou e tentou impulsionar o quanto pôde a carreira. Porém as oportunidades que apareceram foram apenas personagens secundários. Participou de Andando nas Nuvens, de Euclydes Marinho, Um Anjo Caiu do Céu, de Antonio Calmon, Senhora do Destino, de Aguinaldo Silva, A Padroeira e Alma Gêmea, ambas de Walcyr Carrasco e Cobras e Lagartos, de João Emanuel Carneiro.

Em 2006, chegou a protagonizar Paixões Proibidas, telenovela de época da Rede Bandeirantes, porém sem muita repercussão, onde interpretou o pirata Alberto.

Retomada[editar | editar código-fonte]

Após um ano sem trabalhos, já desistindo da carreira de ator no Brasil, o carioca preparava-se para viajar aos Estados Unidos. Felipe acredita que, se for pra fazer pequenos papéis, que sejam ao menos no exterior, onde ganha-se em dólar.

Nesse momento de grande angústia e uma incrível vontade de trabalhar, recebeu uma ligação do cineasta Fernando Meirelles, por quem foi convidado a protagonizar a minissérie Som & Fúria, uma parceria da Globo com a O2 Filmes. A atração é vista como a grande retomada de sua carreira. Da mesma maneira que estreou na TV, com um protagonista na Globo, Felipe ressurge a mídia, com destaque e em grande estilo.

Foi um dos co-protagonistas da nova novela das sete da Globo, Tempos Modernos, de Bosco Brasil, e em 2011 esteve no sucesso Cordel Encantado ganhando destaque como o misterioso Duque Petrus.

Em 2012 interpretou o cético médico Gabriel, na novela das seis Amor Eterno Amor e atualmente interpreta na trama das sete Sangue Bom, o frustrado artista plástico Péracio, par romântico da garçonete Rosemere (Malu Mader), revivendo a antiga parceira com a atriz iniciada na minissérie Anos Dourados.[2]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • É adepto do Espiritismo (razão pela qual foi escolhido para ser o médico espiritual Dr. Julian Enck em Alma Gêmea) e primo do também ator Jorge Pontual.
  • Em 1993 tentou a carreira de cantor gravando duas músicas e se apresentando em alguns programas, mas depois desistiu voltando à sua antiga profissão.
  • É irmão do ex ator Eduardo Camargo.
  • Tem como hobbie a fotografia. 'Tenho muito mais prazer em fotografar do que ser fotografado' declarou o ator em 2010.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Especiais

Cinema[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]