Cromatóforo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dendrobates pumilio, um sapo venenoso. Algumas espécies possuem características cromatóficas.

Os cromatócitos ou cromatóforos são células tegumentares especializadas, com muitas projeções citoplasmáticas, que lhe conferem aspecto dendrítico e são responsáveis por sintetizar e armazenar pigmentos. Atualmente sugeriu-se a utilização do termo cromatócitos ao invés de cromatóforos, uma vez que o sufixo cito remete-se à célula. Nos vertebrados originam-se da crista neural durante o desenvolvimento do embrião e migram para a pele, distribuindo-se pela epiderme e/ou derme.

Nos invertebrados (crustáceos e cefalópodes) e nos vertebrados ectotérmicos (peixes, anfíbios e répteis), animais que podem mudar de cor rapidamente em resposta à luz, temperatura ou a estímulos neuro-hormonais, há vários tipos de cromatócitos, classificados conforme a cor conferida pelo pigmento que armazenam. Os melanóforos, de cor preta ou marrom, possuem omocromos ou melanina em grânulos; os eritróforos, vermelhos e xantóforos, amarelos, possuem grânulos de pteridina e vesículas de carotenóides em proporções variáveis; os leucóforos, brancos, portam grânulos de purinas; os iridóforos, de cores metálicas, não possuem purinas depositadas em cristais refletores. Já em aves e mamíferos, essa diversidade de cromatócitos foi perdida, e o único tipo de célula pigmentar presente é o melanócito, célula que sintetiza e armazena melanina em grânulos.

A concentração ou dispersão dos grânulos de pigmento presentes no cromatócitos determinam a intensidade das cores, esta dispersão ocorre por ação de vários hormônios e neurotransmissores que agem em estruturas específicas na superfície das células.

Referências[editar | editar código-fonte]

ALIBARDI, L.; THOMPSON, M. B. Scale morphogenesis and ultrastructure of dermis during embryonic development in the alligator (Alligator mississippiensis, Crocodilia, Reptilia). Acta Zoologica, n. 81, p. 325-338, 2000.

OLIVEIRA, Classius de.; ZIERI, Rodrigo. Pigmentação testicular em Physalaemus nattereri (Steindachner) (Amphibia, Anura) com observações anatômicas sobre o sistema pigmentar extracutâneo. Revista Brasileira de Zoologia, v.22, n.2, p.454-460, 2005.

WALLIN, M. Nature’s palette: How animals, incluind humans, produce colours. Bioscience explained, v.1, n.2, 2002.