Meu Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Meu Amor
Logótipo de abertura
Informação geral
Formato Telenovela
Duração ± 60 min.
Criador(es) António Barreira
País de origem  Portugal
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) António Moura Mattos
Nuno Franco
Paulo Brito
Produtor(es) José Retré
Elenco Margarida Marinho
Alexandra Lencastre
Rita Pereira
Paulo Pires
Rodrigo Menezes
Marco D'Almeida
Lídia Franco
Tema de abertura Mais Um Dia, por José Cid
Tema de
encerramento
Mais Um Dia, por José Cid
Exibição
Emissora de
televisão original
Portugal TVI
Formato de exibição SD
Transmissão original 19 de outubro de 2009 - 23 de outubro de 2010
Nº de episódios 319
Cronologia
Último
Último
Flor do Mar
Sedução
Próximo
Próximo

Meu Amor foi uma telenovela portuguesa, da autoria de António Barreira, exibida pela TVI entre 19 de outubro de 2009 e 23 de outubro de 2010, resultando num total de 319 episódios.[1] As protagonistas são Margarida Marinho (Helena Vargas Mota), Alexandra Lencastre (Patrícia Correia) e Rita Pereira (Mel Fontes/Vargas Mota), três mulheres que têm em comum relações amorosas conturbadas. A antagonista principal é Lídia Franco (Estela de Aguiar Vargas Mota), uma mulher má e extremamente perversa que tem uma inveja doentia por sua filha, Helena, sendo esta também alvo de inveja pela sua cunhada, Patrícia. A maior parte da acção decorre na cidade de Lisboa, sendo que nos primeiros episódios a acção se desenrolou nas planícies alentejanas.[2]

Foi a primeira telenovela portuguesa nomeada e vencedora dos Prémios Emmy Internacional, na categoria de Melhor Telenovela.[3] [4]

Estreou na TVI Ficção no dia 15 de Outubro de 2012, e acabou a 24 de Julho de 2013, com 203 episódios.

Produção[editar | editar código-fonte]

Esta telenovela teve como título provisório Fruto Proibido, nome que mais tarde veio a ser alterado para Meu Amor.[5] Estreou a 19 de outubro de 2009, substituindo a telenovela Flor do Mar.

Esta terá sido a produção mais cara de sempre da TVI, a nível de elenco, tendo reunido algumas das principais estrelas da estação.

Escolha do elenco[editar | editar código-fonte]

Devido a algumas mudanças na história, Elisa Lisboa acaba por ficar com o papel que seria de Eunice Muñoz, tal como em Ilha dos Amores.

Lídia Franco entrou na história como um "furacão" e foi o maior destaque com a grande vilã Estela de Aguiar Vargas Mota numa interpretação antológica da veterana actriz.

Pedro Barroso recebeu o papel de Jorge de Aguiar Vargas Mota depois de interpretar o dampiro Miguel em Destino Imortal, no espécie de presente para o actor.

Alexandra Lencastre e Ana Catarina Afonso tiveram as maiores mudanças de visual para interpretarem Patrícia Machado de Castro Vargas Mota e Judite Maria.

Pedro Barroso e Sofia Ribeiro transitaram directamente para a substituta Sedução, onde voltam a fazer par romântico.

Margarida Marinho e Paulo Pires representaram o casal Helena e Quim que apaixonou os portugueses, após terem contracenado também enquanto casal, na peça "Pequenos Crimes Conjugais", em 2007.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Cquote1.svg Esta é uma novela realista e do quotidiano, sem os típicos heróis e bandidos Cquote2.svg
António Barreira, autor da telenovela[6]

As extensas e floridas planícies de próteas e o mar do litoral alentejano testemunham a história de amor clandestina de Mel Fontes (Rita Pereira) e Bernardo Machado de Castro (Marco D'Almeida). O rapaz é filho do dono da herdade, onde Mel, filha do caseiro, vive e trabalha como camponesa. Sem coragem para enfrentar a oposição do pai àquele romance, Bernardo planeia fugir com Mel, no dia em que os pais de ambos embarcarão para a Holanda para tratar de um negócio de exportação de flores. Mas o casal é descoberto e Bernardo é obrigado pelo pai a seguir viagem com ele para a Holanda, ao passo que Mel e a sua irmã, Clara Fontes (Sofia Ribeiro), são escorraçadas da herdade. O caseiro ainda tenta despedir-se por causa das filhas, mas o patrão arranja maneira de obrigá-lo a seguir viagem com ele. Os três partem para Lisboa, ao encontro do filho de Caetano Vargas Mota (Nicolau Breyner), um milionário, dono de uma holding de importação e exportação e também ele sócio do negócio das flores. Para garantir que as raparigas abandonam mesmo a herdade, fica no local Patrícia Machado de Castro Vargas Mota (Alexandra Lencastre), a irmã de Bernardo e nora de Caetano. Ainda que viva um casamento sem amor, Patrícia sabe o que é amar alguém de condição inferior. E, apesar da sua natural soberba, apieda-se das raparigas e dá-lhes algum dinheiro para se aguentarem durante uns tempos. Mel e Clara vêem-se forçadas a aceitar e partem com a trouxa até à vila mais próxima, tendo como destino a casa de um tio em Lisboa. Enquanto isso, o caseiro - pai das duas - aproveita um momento de distracção do patrão e coloca, nos correios do aeroporto de Lisboa, uma carta que rabiscou no caminho.

O voo para Amesterdão é fatal, já que o avião se despenha a poucos quilómetros do seu destino, vitimando o cunhado e o caseiro, já Bernardo desaparece. O acidente marca a vida de várias pessoas: Mel perde o pai e o homem que amava, Patrícia perde o pai, o irmão e o marido, e Caetano perde o filho para quem construiu tudo, já que está de relações cortadas há mais de vinte anos com a filha, Helena de Aguiar Vargas Mota (Margarida Marinho). A misteriosa carta que o caseiro colocou no correio é destinada a Caetano e, nela, o milionário fica a saber o que aconteceu a Mel e Clara na herdade, sendo surpreendido com uma revelação que mudará a sua vida: uma das duas raparigas é filha ilegítima dele, fruto de uma relação com uma camponesa alentejana. Caetano, que acabou de perder o filho, ganha novo alento e tudo fará para localizar a filha ilegítima, que pretende tornar sua única herdeira. Como forma de retaliação pelo que aconteceu no Alentejo às duas raparigas e como o pai de Patrícia lhe devia muito dinheiro, Caetano exige à nora a herdade e o negócio das flores como forma de pagamento. Esta atitude do sogro despoletará uma sede de vingança em Patrícia. Para isso, ela servir-se-á de Alberto Fonseca (José Wallenstein), o braço direito de Caetano nos negócios, que a ama desde os tempos da faculdade e por quem ela também foi apaixonada, embora não tenha tido coragem de enfrentar o pai para ficar com o agora bem sucedido advogado. A rejeição de Patrícia no passado transformou Alberto num homem determinado a vencer. Casou-se com Fernanda Lopes Fonseca (Cristina Homem de Mello) sem a amar e encontrou nela a mulher disposta a abdicar da sua carreira para se dedicar por inteiro à família, permitindo assim a sua ascensão na carreira. Todavia a proximidade com Patrícia nunca permitiu que ele a esquecesse e Patrícia usá-lo-á para se vingar do sogro. No entanto, ela já não sente por Alberto o que sentia na juventude. O seu coração ficará preso a Quim Correia (Paulo Pires), um rude e machista taxista, justamente o homem que desperta pela primeira vez em vinte anos o amor em Helena, a cunhada de Patrícia.

Depois de cortar relações com o pai, Helena lutou para singrar na vida e transforma-se numa conceituada estilista de renome internacional, que se dedica por inteiro ao trabalho. Mas nem uma mulher assim está imune ao amor, sendo que este sentimento é descoberto quando conhece Quim. Apesar de serem de mundo opostos, Helena e Quim vão perceber que o amor não se compadece com esse tipo de coisas. E, pela primeira vez em muitos anos, depois de um trauma profundo, Helena é obrigada a lidar com um sentimento do qual tem medo, tendo que lutar pelo homem que ama, disputando-o, numa guerra sem tréguas, com a sua cunhada, Patrícia.

Quim e Helena têm mais coisas a ligá-los do que julgam. O braço direito de Helena é Leonardo Correia (António Pedro Cerdeira), o psicótico irmão de Quim, que se afastou da família por vergonha e que está determinado em destruir a estilista. Também a irmã de Quim, Camila Correia (Núria Madruga), uma conceituada top model, é a imagem de marca do ateliê de Helena Vargas. Uma imagem que será destruída uma vez que Camila, tendo sobrevivido ao voo que se despenhou em Amesterdão, fica com o rosto desfigurado. Quim e a sua mãe, a batalhadora Lurdes Correia (Maria Emília Correia), tudo farão para ajudá-la a recuperar, enquanto Leonardo tenta encontrar um rosto que substitua imediatamente a irmã. Esse rosto é Clara, a irmã de Mel, já que as duas vão parar à praceta onde reside a família de Leonardo. É aí, nesse local, que mora o tio que Mel e Clara procuram: Horácio Barqueta (Manuel Cavaco), conhecido pela sua extrema avareza e vivendo nos limites da mediocridade, quando esconde uma enorme fortuna no sótão de sua casa. O único que sabe da sua real condição financeira é o seu inclino e desajeitado contabilista, Cláudio Rodrigues (Rodrigo Menezes), que trabalha também para Helena. É através do rapaz que Mel arranjará emprego como costureira no ateliê e que Clara conhece Leonardo, o executivo que a seduz e que a transforma numa super-modelo.

Pelo atelier de Helena circulam também Valentim Mendes (Francisco Côrte-Real) e Maria Lopes Gouveia (Joana Duarte). Ele é um manequim no auge da carreira; ela veio da província para tentar a sorte no mundo da moda. Valentim vive maritalmente com Elisa Lopes (Dina Félix da Costa), a tia de Maria, uma assistente social, mais velha do que ele e insegura no amor, que dedica bastante tempo às crianças do orfanato onde trabalha. Maria tenta seduzir Valentim, que está carente pelas ausências da mulher que se encontra concentrada no seu trabalho, até ao dia em que está consegue o seu objetivo e a tia descobre. Mais tarde Valentim tenta reconciliar-se com Elisa e Maria faz de tudo para atrapalhar a relação destes.

Cláudio apaixona-se à primeira vista por Mel. Todavia ela ainda não conseguiu esquecer Bernardo e o regresso deste tornará mais difícil o possível relacionamento de Mel com Cláudio. A relação entre ambos parece impossível quando Bernardo pede Mel em casamento. Contudo, a descoberta de que Bernardo havia abandonado Camila no local do acidente, mesmo com o pedido de auxílio desta, fará com que Bernardo volte mais uma vez a fugir do seu passado e desaparece no dia do seu casamento com Mel. Cláudio aproveita a oportunidade e aproxima-se de Mel até que lhe pede em casamento. No dia do casamento esta hesita, pois duvida se ainda ama Bernardo.

Quim casa-se com Patrícia e descobre que tem uma filha que não sabia ter. Quim ainda ama Helena e Patrícia sabe-o, tendo por isso ciúmes incontroláveis. Para esquecer de tudo isso, Patrícia embebeda-se cada vez mais, até que um dia cai da varanda e sofre um aborto. Este acontecimento faz com que fique estéril para sempre, o que deteriora ainda mais a possibilidade de prender Quim.

Clara, com a sua ambição de subir na vida, forja os exames de ADN para ficar como filha de Caetano, usando para isso cabelos de Helena em vez dos seus.

A mãe de Helena, Estela de Aguiar Vargas Mota (Lídia Franco), que há muito se julgava morta, aparece e toma o ateliê de Helena, algo que havia planeado detalhadamente no seu exílio como forma de vingança a Helena, por esta ter descoberto o seu amante e tentado contar o pai. Contudo Caetano pensa que a sua mulher se foi embora por causa das injúrias da filha e estes deixam de se falar. Quando descobre a verdade, Caetano pede desculpas à filha. Entretanto Helena consegue recuperar o ateliê e convida Mel para ser sua sócia.

Final: Patrícia sabendo que havia perdido Quim, dá-lhe um tiro e de seguida suicida-se. Cláudio fica com Mel. Jorge fica com Clara. Fernanda perdoa e reconcilia-se com Alberto. Helena e Quim ficam juntos, mas em segredo, para que a imprensa não ponha em risco a relação de ambos.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Elenco Principal[editar | editar código-fonte]

Atrizes Convidadas[editar | editar código-fonte]

Participação Especial[editar | editar código-fonte]

Elenco Infantil[editar | editar código-fonte]

Elenco Adicional[editar | editar código-fonte]

Banda Sonora[editar | editar código-fonte]

Meu Amor
As três protagonistas de «Meu Amor»
Banda sonora de Vários artistas
Idioma(s) Português
Inglês
Formato(s) 2 CDs

CD1[editar | editar código-fonte]

# Título Música Personagem Duração
1. "Mais Um Dia"   José Cid Genérico  
2. "Better In Time"   Leona Lewis Mel  
3. "Quem és Tu Miúda"   Os Azeitonas Dolores  
4. "Mamma Do"   Pixie Lott Camila  
5. "Acabou"   Boss AC & TT    
6. "Tento Chegar a Ti"   TT    
7. "Cara ou Coroa"   Adriana Clara  
8. "Ponteiro da Solidão"   FF Maria  
9. "Sou Assim"   Berg Mel e Bernardo  
10. "Acredito em Ti"   Axel    
11. "Apenas Diferente"   Filipa Azevedo Clara e Jorge  
12. "Porque Será Que Amo"   António Manuel Ribeiro    
13. "Noites Quentes"   Jorge Vadio    
14. "Donna"   João Tiago Silva Helena e Quim  
15. "Jamais (Mesmo Lugar)"   Filipe Delgado Caetano  
16. "Deixa-me Ouvir Teu Coração"   Ana Duarte Fernanda e Alberto  
17. "Um Copo de Sol"   Pedro Moutinho    
18. "Estrada da Montanha"   Madredeus e A Banda Cósmica    

CD2[editar | editar código-fonte]

# Título Música Personagem Duração
1. "Porque é Que Vens"   Tony Carreira Patrícia e Quim  
2. "We Can Do Anything"   Gabriel Files & Mikkel Solnado Cláudio  
3. "Sou Feliz"   Virgem Suta Barqueta  
4. "Luz Fraca"   Ricardo Azevedo    
5. "Perdoei"   Alex Smith    
6. "Take Me As I Am"   Nesi    
7. "E Tu"   Berg    
8. "Muda"   Paula Teixeira    
9. "Tentei"   DR1VE Valentim e Elisa  
10. "Tu És"   Boycote    
11. "Sou e Peço Mais"   Diana Dinis Helena  
12. "Acredito em Ti (És Capaz de Me Conquistar)"   Axel    
13. "Em Volta do Amor"   Jorge Courela    
14. "Sei Lá"   José Carlos Pereira Camila e Bernardo  
15. "Esse Teu Olhar Sabe Bem"   Oscar Romero    
16. "Cantigas de Amor"   Os Azeitonas Judite  
17. "Cha Cha Cha P'ra Namorar"   Nuno da Câmara Pereira Inácia  
18. "O Melhor Tempo da Minha Vida"   José Cid    

Audiência[editar | editar código-fonte]

Na sua estreia alcançou 16.5% de audiência média e 40.3% de share. Ao todo, os 319 episódios que compõem a telenovela, registaram 13.2% de audiência média e 39% de share. O derradeiro episódio, exibido a 23 de outubro de 2010, obteve 18.8% de audiência média e 55.1% de share.[1]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Ano Prémio Categoria Resultado
2010 Prémios Emmy Internacional Melhor Telenovela Venceu

Reacção[editar | editar código-fonte]

Pela primeira vez a televisão portuguesa foi nomeada aos Prémios Emmy Internacional, que anualmente distinguem os melhores programas televisivos fora dos Estados Unidos. A nomeação incidiu na categoria de Melhor Telenovela, em competição estavam as telenovelas Ciega a Citas, da Argentina, Dahil May Isang Ikaw, das Filipinas e Meu Amor, de Portugal. O vencedor foi anunciado, no dia 22 de novembro de 2010, na 38ª edição dos Prémios Emmy Internacional, em Nova Iorque, tendo este sido a telenovela portuguesa Meu Amor.[4] [7]

Cquote1.svg A minha primeira reacção foi de incredulidade, porque nunca tinha acontecido e os Emmys são normalmente uma realidade tão distante para nós, portugueses. Mas depois fui ao site e confirmei Cquote2.svg
Reacção de António Barreira, autor da telenovela[3]
Cquote1.svg Inicialmente, achei que era mentira, mas é mesmo verdade. A novela está nomeada e, mesmo que não ganhe, vou poder por isso no meu currículo... Sou protagonista de uma novela que foi nomeada para os Emmy Cquote2.svg
Reacção de Rita Pereira, protagonista[8]
Cquote1.svg É o reconhecimento de um trabalho e de um percurso desenvolvido ao longo de todos estes anos, pelos que acreditaram no valor da ficção em Portugal, nos seus actores, argumentistas, técnicos e demais profissionais Cquote2.svg
Reacção da TVI[6]

Referências

  1. a b Marktest. Meu Amor chega ao fim (em português). Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  2. Correio da Manhã. Apoio a novelas chama turistas (em português). Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  3. a b Diário de Notícias. Novela portuguesa nomeada aos Emmy (em português). Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  4. a b Jornal de Notícias. Novela "Meu Amor" vence Emmy em Nova Iorque (em português). Página visitada em 23 de novembro de 2010.
  5. TV Universo. "Fruto Proibido" é "Meu Amor" (em português). Página visitada em 11 de novembro de 2010.
  6. a b Público. Televisão portuguesa vence um Emmy pela primeira vez com uma novela da TVI (em português). Página visitada em 24 de novembro de 2010.
  7. Prémios Emmy. 2010 International Emmy Award nominees (em inglês). Página visitada em 23 de novembro de 2010.
  8. Jornal de Notícias. Rita Pereira contente com nomeação de "Meu Amor" (em português). Página visitada em 11 de novembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre telenovelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.