Neoconfucionismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O neoconfucionismo (chinês tradicional: 宋明理學, chinês simplificado: 宋明理学, pinyin: Song-Ming Lǐxué por vezes abreviado 理學) é uma filosofia ética e metafísica chinesa influenciada por Confúcio, que foi primeiramente desenvolvida durante a Dinastia Song e Ming, mas que pode ser referenciada até Han Yu e Li Ao (772-841) na Dinastia Tang.

O neoconfucionismo foi uma tentativa para criar uma forma mais racionalista e secular de confucionismo, rejeitando elementos místicos e supersticiosos do budismo e taoismo, que influenciou o confucionismo durante e depois da Dinastia Han.1

Apesar de os neoconfucionistas serem críticos da taoismo e budismo,2 estes dois sistemas tiveram uma influência na sua filosofia, emprestando conceitos e termos. No entanto, ao contrário dos budismo e taoismo, que viam a metafísica como catalizador do desenvolvimento espiritual, esclarecimento religioso e imortalidade, o neoconfucionismo usavam a metafísica como guia para desenvolver uma filosofia ética racionalista.3

Referências

  1. Blocker, H. Gene; Starling, Christopher L.. Japanese Philosophy. [S.l.]: SUNY Press, 2001. p. 64.
  2. Huang 1999, p. 5
  3. Chan 2002, p. 460

Ligações externas[editar | editar código-fonte]