Anunnaki

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde abril de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Antigo selo Sumério retratando os Anunnaki

Os Anunnaki (também transcrito como: Anunna, Anunnaku, Ananaki e outras variações) são um grupo de divindades sumérias, acádias e babilônicas. O nome é alternativamente escrito "a-nuna", "a-nuna-ke-ne, ou "a-nun-na", ou seja, algo no sentido de "aqueles que vieram do céu" [1] ou "prole do príncipe"[2]. Sua relação com o grupo de deuses conhecido como Igigi não é clara - às vezes os nomes são usados como sinônimos, mas, no mito do dilúvio de Atrahasis, têm de trabalhar para os Anunnaki, rebelando-se após 40 dias e substituídos com a criação dos seres humanos[3].

Jeremy Black e Anthony Green oferecem uma perspectiva ligeiramente diferente sobre os Igigi e Anunnaki, escrevendo que "lgigu ou Igigi é um termo introduzido no período babilônico antigo como um nome para os (nove)"grandes deuses". Embora, por vezes, mantivesse esse sentido em períodos posteriores, desde o período Babilônio Médio é geralmente usado para se referir aos deuses do céu coletivamente, assim como o termo Anunnakku (Anúna) foi posteriormente usado para se referir aos deuses do submundo. No épico de criação, dizem que há 300 lgigu do céu."[4].

Os Anunnaki aparecem no mito da criação babilônico, Enuma Elish. Na versão final ampliada, Marduque, após a criação da humanidade, divide o Anunnaki e atribui-os aos seus postos apropriados, trezentos no céu, trezentos sobre a terra. Em agradecimento, os Anunnaki, os "Grandes Deuses", construíram Esagila, a esplêndida: "Eles ergueram a cabeça de Esagila igualando-a a Apsu. Tendo construído um palco torre tão elevado quanto Apsu, puseram em cima dele uma morada para Marduque, Enlil e Ea." Então, eles construíram seus próprios santuários.

De acordo com o posterior mito babilônico, os Anunnaki eram filhos de Anu e Ki, irmão e irmã deuses, eles mesmos filhos de Anshar e Kishar (Eixo-do-Céu e Eixo-da-Terra, os pólos Celestiais), que por sua vez, foram os filhos de Lahamu e Lahmu ("os enlameados"), nomes dados aos guardiões do templo de Eridu Abzu, onde segundo este mito a criação ocorrera. Finalmente, Lahamu e Lahmu foram os filhos de Tiamat(Deusa do Oceano) e Abzu (apsû) (Deus das águas).

= Relação com o planeta Terra e a criação do homem =[editar | editar código-fonte]

Segundo os relatos sumérios, os anunnakis sofreram no Nibiru(seu planeta natal) graves crises climáticas com comprometimento de sua atmosfera. A deficiência verificada na atmosfera poria em risco a sobrevivência dos anunnakis, haja vista que o Nibiru possui movimento de rotação em elipse, aproximando-se muito do sol no afélio e distanciando-se aos confins da nuvem de Oort no periélio. Com a deficiência atmosférica comprovada, os anunnakis sofreriam com o alto aquecimento global no afélio e temperaturas baixíssimas no periélio. Os cientistas anunnakis descobriram então que o ouro seria eficaz para curar o buraco formado em sua espessa atmosfera. Dentre os planetas telúricos disponíveis, o único com o metal nobre o suficiente para garantir a eficacia da intervenção na atmosfera era a TERRA. Os outros não teriam o metal em quantidade o suficiente ou não forneciam a segurança necessária para sua extração, como é o caso do infernal Vênus. Tendo vindo à terra, os anunnakis com o apoio dos igigi iniciaram a extração do metal. Ocorre que o arduo trabalho e o descontentamento dos igigi(primeiros grevistas da história da terra) fizeram com que os anunnakis que declaram os fados e podiam julgar(ENKI, ENLIL E NINHURSAG) começassem a traçar planos para aliviar o fardo. Contra a vontade de Enlil, Enki e sua irmã Ninhursag começaram a trabalhar com os chamados trabalhadores primitivos, utilizando a partir do Erectus passando pelo homem de neanderthal até chegarem ao homem moderno.

Os Sumérios creditavam todo seu conhecimento aos Anunnaki.

Referências

  1. Leick, Gwendolyn: A Dictionary of Ancient Near Eastern Mythology (NY: Routledge, 1998), p. 7
  2. Black, Jeremy and Green, Anthony: Gods, Demons and Symbols of Ancient Mesopotamia: An Illustrated Dictionary University of Texas Press (Aug 1992) ISBN 978-0292707948 p.34
  3. Leick, Gwendolyn: A Dictionary of Ancient Near Eastern Mythology (NY: Routledge, 1998), p. 85
  4. Black, Jeremy and Green, Anthony: Gods, Demons and Symbols of Ancient Mesopotamia: An Illustrated Dictionary University of Texas Press (Aug 1992) ISBN 978-0292707948 p.106