Projeto Blue Book

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Projeto Blue Book (Livro Azul) foi o terceiro estudo conduzido pela Força Aérea dos Estados Unidos - USAF, sediado na Base Aérea Wright-Patterson, a fim de investigar objetos voadores não identificados. Iniciado em 1952, foi totalmente encerrado em janeiro de 1970. Foi antecedido pelo Projeto Sign e pelo Projeto Grudge. O objetivo do projeto era determinar se os OVNIs eram uma ameaça potencial à segurança nacional dos Estados Unidos. Para isso, foram recolhidos, analisados e arquivados milhares de notícias sobre OVNIs. Este foi o último projeto da USAF relacionado a extraterrestres de forma pública até agora.[1]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Segundo o capitão Edward J. Ruppelt, até meados de 1951, vários generais de alto posto muito influentes da USAF estavam tão descontentes com o estado das investigações sobre OVNIs da Força Aérea, que desmantelaram o Projeto Grudge e o substituíram pelo Projeto Livro Azul no início do ano seguinte. Durante a sua existência - até o final, em 1970 -, foram recolhidos 12.618 indícios. Ao final, concluiu-se que a maioria deles eram interpretações equivocadas de fenômenos naturais (nuvens, estrelas, etc) ou aviões convencionais. Muitos foram considerados fraudes. Ao todo, 701 casos - aproximadamente 6% - foram classificados como inexplicáveis. As informações foram arquivadas e estão disponíveis sob a Lei de Liberdade de Informação, mas os nomes dos testemunhos e outras informações pessoais foram eliminados.

Referências

  1. Debbie Siegelbaum. «Documentos revelam duas décadas de buscas por óvnis nos EUA». BBC News. Consultado em 15 de janeiro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre ufologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.