Gigliola Cinquetti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gigliola Cinquetti
Informação geral
Também conhecido(a) como Ola
Nascimento 20 de dezembro de 1947 (69 anos)
Local de nascimento Verona, Vêneto
 Itália
Ocupação(ões) cantora, atriz, jornalista e apresentadora
Período em atividade desde 1963

Gigliola Cinquetti (Verona, 20 de dezembro de 1947) é uma cantora, atriz, jornalista e apresentadora italiana.

Biografia e carreira[editar | editar código-fonte]

Gigliola nasceu em uma família abastada de Verona. Formou-se no Liceu Artístico de Verona e começou a cantar ainda jovem.

Estreou aos 15 anos, em 1963, vencendo o Festival de Castrocaro com a canção "Le strade di notte", de Giorgio Gaber[1]. No ano seguinte, venceu o Festival de Sanremo de 1964 com a canção Non ho l'età (per amarti), de Nicola Salerno e letra de Mário Panzeri[1]. Dois meses depois, venceu, com a mesma canção, o Festival Eurovisão da Canção, em Copenhague. Das doze edições de Sanremo das quais participou, Gigliola arrematou duas. A segunda foi, em 1966, interpretando "Dio, come ti amo!", de Domenico Modugno, cujo sucesso levou à produção do filme homônimo, protagonizado pela própria Gigliola.

Em 1973, ganhou o concurso do programa Canzonissima com a canção "Alle porte del sole" — que, reeditada dois anos depois pelo cantor ítalo-americano Al Martino, chegou à 17ª posição no Billboard.

En 1974, obteve o segundo lugar no Festival Eurovisão para a canção "Sì" (perdendo para "Waterloo", do grupo sueco ABBA). A versão inglesa dessa canção chegou ao 7º lugar de vendas na Inglaterra. Essa música levou a RAI a adiar a transmissão da Eurovisão para depois de 12 de maio de 1974, dia do referendo que decidiria revogar (ou não) a Lei do Divórcio. Acreditava-se que a letra — que repetia várias vezes o refrão Sì, sì, sì ("sim") — poderia influenciar o voto dos italianos na opção "sim".

Depois disso, Gigliola se casou com o jornalista Luciano Teodori, ficando vários anos afastada da mídia para se dedicar à família. Voltou em 1981, dessa vez como jornalista, no programa Linea verde, de Frederick Fazzuoli, além de escrever uma coluna semanal para um jornal. Em 1982, apresentou, com Enzo Tortora, o programa Portobello, cantando e dançando o twist. Passou a colaborar com diversos jornais. Em 1996, apresentou um programa de verão em cinco episódios, intitulado Donne - Viaggio nella storia delle donne italiane, veiculado pela RAI International. Em 1991, conduziu um talk show na televisão de Montecarlo. No mesmo ano apresentou a edição do "Euro Festival".

Além da música, Gigliola sempre gostou de pintura e arte. Algumas capas de seus álbuns, como La Bohème e Mystery, foram elaboradas por ela. Em 1973, ilustrou o livro infantil O pescatelle, de Umbertino di Caprio; Em 1976, foi a vez de Inchistrino, do mesmo autor.

A última participação de Gigliola Festival de Sanremo foi em 1995. Três anos antes, lançou seu último álbum de estúdio — La Poèsie d'une Femme —, que a levou a apresentar-se na televisão francesa.

Desde os anos 1990, trabalha na televisão pública italiana RAI[1]. Em 2008, recebeu o Premio Giulietta alla Donna, em homenagem a sua carreira.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas
1964 Canzoni, bulli e pupe Angela
1965 Questi pazzi, pazzi italiani cantora
1966 Testa di rapa Angelina
Dio, come ti amo! Gigliola Di Francesco
1968 Addio giovinezza! filme para TV
Le mie prigioni Zanze mini-série de TV, Episódio 2
Il professor Matusa e i suoi hippies
1972 Il bivio Lalla mini-série de TV em 2 Episódios
1976 Rendezvous mit Caterina Valente mini-série de TV, Episódio 4
1999 Commesse Clara Massim série de TV, Episódios 1 e 2 da Primeira Temporada
2001 I cavalieri che fecero l'impresa Madre superiora

Discografia Selecionada[editar | editar código-fonte]

Álbuns Italianos[editar | editar código-fonte]

  • 1964 - Gigliola Cinquetti
  • 1967 - La rosa nera
  • 1967 - Gigliola per i più piccini
  • 1968 - Gigliola Cinquetti e il trio Los Panchos in Messico - (distribuição italiana do álbum "Gigliola Cinquetti y Los Panchos")
  • 1969 - Il treno dell'amore
  • 1971 - Cantando con gli amici
  • 1971 - ...e io le canto così - (impresso com diferentes capas e mesmo número de catálogo)
  • 1972 - Su e giù per le montagne
  • 1973 - Stasera ballo liscio
  • 1974 - Gigliola Cinquetti
  • 1975 - Gigliola e la banda
  • 1978 - Pensieri di donna
  • 1982 - Il Portoballo
  • 1991 - Tuttintorno - (impressa duas vezes com artes diferente e, em 1997, sob o título Prima del temporale, com a ordem de faixas e título diferente)
  • 1995 - Giovane vecchio cuore - (impresso três vezes com artes diferentes)
  • 2015 - 20.12

Álbuns Internacionais[editar | editar código-fonte]

  • 1968 - Dio, come ti amo - (publicado no Brasil)
  • 1968 - Gigliola Cinquetti Y Los Panchos - (publicado no México)
  • 1969 - Gigliola Cinquetti - (publicado na Romênia)
  • 1973 - Recital In Japan - (publicado no Japão)
  • 1974 - A Las Puertas Del Cielo - (publicado na Espanha)
  • 1974 - L'Orage - (publicado na França)
  • 1974 - Bonjour Paris - (publicado na Itália somente a fita cassete)
  • 1974 - Auf Der Strasse Der Sonne - (publicado na Holanda)
  • 1974 - Go (Before You Break My Heart) - (publicado na Grã Bretanha e Holanda)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Portal A Wikipédia possui o
Portal da Música
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.