Festival Eurovisão da Canção 1969

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Festival Eurovisão da Canção 1969
 Espanha
Teatro Real (Madrid) 01.jpg
Logo do Festival Eurovisão da Canção 1969
Edição
14.ª edição
Datas
Final 29 de março de 1969
Anfitrião
Local Teatro Real
Blason de Madrid.svg Madrid
Apresentador(es) Espanha Laurita Valenzuela
Diretor Espanha Ramón Díez
Maestro Espanha Augusto Algueró
Supervisor executivo Reino Unido Clifford Brown
Estação anfitriã Logo de TVE (1960'-1991).svg TVE
Atuações
Atuações nos intervalos La España diferente, mini-filme sobre Espanha.
Participantes
Número de entradas 16 países
Países estreantes Nenhum
Países de regresso Nenhum
Países de saída  Áustria
Mapa dos países participantes
Portugal no Festival Eurovisão da CançãoEspanha no Festival Eurovisão da CançãoSan Marino no Festival Eurovisão da CançãoFrança no Festival Eurovisão da CançãoReino Unido no Festival Eurovisão da CançãoIrlanda no Festival Eurovisão da CançãoIslândia no Festival Eurovisão da CançãoBélgica no Festival Eurovisão da CançãoPaíses Baixos no Festival Eurovisão da CançãoSuíça no Festival Eurovisão da CançãoAlemanha no Festival Eurovisão da CançãoDinamarca no Festival Eurovisão da CançãoMalta no Festival Eurovisão da CançãoItália no Festival Eurovisão da CançãoNoruega no Festival Eurovisão da CançãoSuécia no Festival Eurovisão da CançãoFinlândia no Festival Eurovisão da CançãoEstónia no Festival Eurovisão da CançãoLetónia no Festival Eurovisão da CançãoLituânia no Festival Eurovisão da CançãoEslováquia no Festival Eurovisão da CançãoÁustria no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoHungria no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoAlbânia no Festival Eurovisão da CançãoJugoslávia no Festival Eurovisão da CançãoGrécia no Festival Eurovisão da CançãoBulgária no Festival Eurovisão da CançãoRoménia no Festival Eurovisão da CançãoMoldávia no Festival Eurovisão da CançãoUcrânia no Festival Eurovisão da CançãoBielorrússia no Festival Eurovisão da CançãoRússia no Festival Eurovisão da CançãoGeórgia no Festival Eurovisão da CançãoAzerbaijão no Festival Eurovisão da CançãoTurquia no Festival Eurovisão da CançãoChipre no Festival Eurovisão da CançãoIsrael no Festival Eurovisão da CançãoArménia no Festival Eurovisão da CançãoMarrocos no Festival Eurovisão da CançãoLiechtenstein no Festival Eurovisão da CançãoAndorra no Festival Eurovisão da CançãoMónaco no Festival Eurovisão da CançãoPolónia no Festival Eurovisão da CançãoRepública Checa no Festival Eurovisão da CançãoLuxemburgo no Festival Eurovisão da CançãoLíbano no Festival Eurovisão da CançãoTunísia no Festival Eurovisão da CançãoArgélia no Festival Eurovisão da CançãoUm mapa colorido dos países da Europa
Sobre esta imagem

     Países confirmados que já escolheram o seu artista e/ou canção     Países que não se classificaram para a final     Países que participaram no passado mas não em 1969

Votação
Sistema de
voto
A votação baseou-se em 10 júris por país que atribuíram 1 ponto cada à canção que mais lhes agradou.
Vencedor(a)  Países Baixos
Lenny Kuhr
"De troubadour"

 Reino Unido
Lulu (cantora)
"Boom Bang-a-Bang"
 França
Frida Boccara
"Un jour, un enfant"
 Estado espanhol
Salomé (cantora)
"Vivo Cantando"

Cronologia
Fleche-defaut-gauche-gris-32.png   1968     Wiki Eurovision Heart (Infobox).svg     1970   Fleche-defaut-droite-gris-32.png

O Festival Eurovisão da Canção 1969 (em inglês: Eurovision Song Contest 1969, em francês: Concours Eurovision de la chanson 1969 e em castelhano: Festival de la Canción de Eurovisión 1969) foi o 14º Festival Eurovisão da Canção e realizou-se em 29 de março de 1969 em Madrid. Laurita Valenzuela foi a apresentadora do evento. O Festival terminou com um empate entre quatro intérpretes: Salomé que representou a Espanha com a canção "Vivo Cantando", Lulu que representou o Reino Unido, com a canção "Boom Bang-a-Bang", Lenny Kuhr que representou os Países Baixos com a canção "De troubadour" e Frida Boccara que representou a França com a canção "Un jour, un enfant".

Portugal, representado por Simone de Oliveira, com a música "Desfolhada Portuguesa", poema de Ary dos Santos, foi considerada tantos pelos jornalistas como pelos seus pares, como uma candidata à vitória. Contudo, para além do penúltimo lugar conquistado, no dia anterior à edição, Simone e uma das coristas foram hospitalizadas por intoxicação alimentar.

Este foi o primeiro Festival Eurovisão da Canção em que ocorreu um empate no 1º lugar, com 4 países obtendo 18 pontos. O problema foi que na época não havia uma regra em caso de empate, e então os quatro países foram declarados vencedores,[1] provocando uma onde de contestação, com vários países a desistirem na edição seguinte.

A Áustria não participou neste Festival, porque não desejava enviar um cantor a um país que era governado por um ditador. Francisco Franco, que governava a Espanha na época. Salvador Dalí foi responsável pela publicidade deste festival.

O Liechtenstein desejou participar neste festival e escolheu mesmo uma canção "Un beau matin" (Uma bela manhã). Infelizmente o Liechtenstein não tinha uma televisão pública e ainda por cima não era membro da UER. Desta forma foi impedido de participar no evento. No entanto, tudo isso não passou de um rumor criado pelo animador e comediante francês, Jacques Martin. O País de Gales tinha intenção de participar, mas foi-lhe recusado, devido ao facto de fazer parte do Reino Unido.

Durante a edição, algumas delegações pediram ao governo espanhol a libertação de certos presos políticos.

Local[editar | editar código-fonte]

Mais sobre a cidade anfitriã: Madrid
Teatro Real, em Madrid, em Espanha.

O Festival Eurovisão da Canção 1969 ocorreu em Madrid, em Espanha. Madrid é a capital e a maior cidade em Espanha, tal como no município de Madrid e na Comunidade autónoma de Madrid. A cidade foi edificada nas margens do rio Manzanares, no centro do país. Devido à sua localização geográfica e histórica, é juntamente com Lisboa o centro financeiro e político da Península Ibérica. No seguimento da restauração da democracia, em 1975, e a adesão à CEE, em 1985, a cidade de Madrid tem vindo a desempenhar um papel importante na economia europeia, tornando-se num dos principais focos financeiros do Sul da Europa.

O festival em si realizou-se no Teatro Real, uma casa de ópera localizado em Madrid. O teatro foi reaberto em 1966 como um teatro de concertos e da principal sala de concertos da Orquestra Nacional espanhol e da Orquestra Sinfónica RTVE.

Formato[editar | editar código-fonte]

O artista surrealista Salvador Dalí foi o responsável pela acção publicitária que foi feita ao Festival Eurovisão de 1969, como também o desenho da escultura de metal usado no palco.[1]

Áustria optou por não participar pois não queria enviar nenhuma representação sua a um país que vivia sobre o domínio de um ditador (Franco).[1][2] O Liechtenstein tentou fazer a sua estreia, mas, como não tinha uma televisão de serviço público, nem era membro da UER, não pôde participar. A música escolhida seria "Un beau matin", interpretada por Vetty. Além disso, a música foi escrita em francês, enquanto a língua nacional do Liechtenstein é o alemão. Mais tarde, foi revelado de que tudo não passava de uma piada, montada pelo animador e comediante francês, Jacques Martin. O País de Gales também teve intenção de se estrear, através da BBC Cymru, fazendo inclusive uma final nacional, Cân i Gymru, mas foi impedida de participar por não ser um país soberano. Apenas a BBC tinha o direito exclusivo de representar o Reino Unido.

A produção e organização do concurso foi um desafio para a TVE, que transmitiu o festival a cores, ainda em fase de testes, para vários países. Como a TVE não tinha câmaras a cores, teve que alugá-los na televisão pública alemã. Finalmente, os espectadores espanhóis viram o concurso em preto e branco, pois a televisão espanhola ainda não se convertera à cor.[3] O evento foi seguido ao vivo nos países membros da UER e Intervisão, bem como por satélite no Chile, Porto Rico e, pela primeira vez, no Brasil.

Este foi o primeiro Festival Eurovisão da Canção em que ocorreu um empate no 1º lugar, com 4 países obtendo 18 pontos. O problema foi que na época não havia uma regra em caso de empate, e então os quatro países foram declarados vencedores.[1] Isto causou um problema com as medalhas entregues aos vencedores não serem suficientes para todos. Apenas as intérpretes receberam medalhas, com os compositores a receber após a edição. Muitos países ficaram irritados com o sistema de votação, levando à sua desistência no ano seguinte, acusando-o de favorecer os grandes países. No caso de Espanha, foi a primeira vez que um país ganhou dois anos consecutivos.

Madrid animou-se com a Eurovisão: foram várias as festas, jantares, cocktails, e até visitas a museus preparados para os artistas.

Visual[editar | editar código-fonte]

O vídeo introdutório começou com um close-up da escultura de metal no palco definitivo criado pelo artista surrealista espanhol, Salvador Dalí,[4] feita especialmente para a ocasião. O plano se expande para revelar o órgão que tocou o "Te Deum" de Marc-Antoine Charpentier. Depois, a orquestra começou a partitura de "La, la, la", a música vencedora do ano anterior.

A apresentadora da edição foi Laurita Valenzuela, que apresentou em castelhano, inglês e francês. Ela cumprimentou todos os países participantes nos seus idiomas e, em seguida, introduziu cada música. A competição foi produzida em cores para a transmissão internacional, enquanto que na televisão espanhola não foi sequer passada para a cor. Os espectadores espanhóis viram este concurso em preto e branco.

A orquestra, instalada num buraco ao pé do palco, foi dirigida por Augusto Algueró. O palco foi decorado com quatro camadas de flores rosa. No fundo, foram instalados um órgão e a escultura de Dali. Na parede esquerda, havia uma reprodução colorida da sigla Eurovisão e na parede à direita, o quadro de votação.

Depois das músicas, Laurita convidou o público e os espectadores a assistir a um filme filmado para a ocasião, feito por Salvador Dalí, intitulado "La España diferente". Foi dedicado aos quatro elementos que compõem a Espanha: terra, ar, água e fogo. Inspirado pelo surrealismo, o filme explorou os temas dos quatro elementos, através de vistas turísticas de paisagens e monumentos espanhóis. Alhambra, em Granada e a Sagrada Família apareceram na tela. O acompanhamento musical foi composto por Luis de Pablo.

Votação[editar | editar código-fonte]

Mais uma vez os países votaram pela mesma ordem à da sua actuação, algo que foi feito aparentemente para acelerar o espetáculo, pois os países a actuar não podiam (nem podem) atribuir pontos a si mesmos, sendo assim poderiam acabar a sua votação a tempo de serem os primeiros a serem chamados. O sistema de votação foi o mesmo utilizado em edições anteriores, em que cada país tinha um júri composto por dez membros, e cada um desses dez jurados atribuía um ponto à sua canção preferida.

O supervisor delegado pela UER foi, mais uma vez, Clifford Brown, acompanhado por dois secretários, que interveio para pedir aos porta-vozes espanhol e monegasco para repetir os votos. O voto foi efetuado sem mais incidentes, mas no final ocorreu um evento totalmente imprevisto. Nada menos do que quatro países empatados em primeiro lugar. A plateia prendeu a respiração e Laurita não sabia quem seria a vencedora. Seguiu-se um diálogo em francês entre a apresentadora e o supervisor, que acabou com Brown a confirmar a vitória dos quatro países. Não havia disposições no regulamento para decidir sobre qualquer empate.

Desempate[editar | editar código-fonte]

Se a regra de desempate implementada em 1991 (onde ocorreu uma situação semelhante) tivesse sido aplicada em 1969, os Países Baixos seriam os vencedores, pois receberam 6 pontos da França, em 2º ficaria o Reino Unido, por ter recebido 5 pontos da Suécia, em 3º ficaria a França, por ter recebido 4 pontos da Irlanda e do Reino Unido e em 4º Espanha. Por outro lado, com a atual regra de desempate em vigor (ou seja, a música que recebeu votos de mais países, então a música que recebeu pontuações mais elevadas em caso de outro empate), a França teria sido a vencedora, com Espanha em 2º lugar. Ambos os países receberam votos de 9 países, mas a França recebeu 4 pontos de 2 países, enquanto a Espanha recebeu 3 pontos como seu maior voto. Em 3º ficaria o Reino Unido, que foi pontuado por 8 países e em 4º os Países Baixos, que foram pontuados por 7 países.

A tabela seguinte apresenta, de forma mais resumida o resultado de acordo com as regras de desempate aplicadas ao longo dos anos.

País Artista Pontos Maior
pontuação
Países que
pontuaram
 Países Baixos Lenny Kuhr 18 6 7 em 15
 Reino Unido Lulu 18 5 8 em 15
 França Frida Boccara 18 4 9 em 15
 Estado espanhol Salomé 18 3 9 em 15

Participações individuais[editar | editar código-fonte]


Participantes[editar | editar código-fonte]

  Países participantes

Entre os representantes mais conhecidos estavam Simone de Oliveira, que voltaria a representar Portugal, com a sua canção de maior sucesso "Desfolhada Portuguesa"; Salomé, representando a Espanha, que usava um vestido de 14 quilos feito de porcelana. Além disso a cantora dançou o que quebrava uma das regras da altura, causando uma onda de protestos em inúmeros países;[3] Jean Jacques Bortolai, que representou o Mónaco, tinha apenas 12 anos, tornando-se um dos artistas mais novos a atuar no palco da Eurovisão, numa altura que não existia nenhuma regra de limite mínimo de idade. Muriel Day, representando a Irlanda, foi a primeira artista feminina e a primeira artista de origem da Irlanda do Norte a representar o seu país; Lenny Kuhr, representado os Países Baixos, escreveu sua própria música. A ideia chegara-lhe a meio da noite. Ela então acordou os seus pais para lhes mostras a sua nova composição;[5] Kirsti Sparboe, representando a Noruega pela terceira vez, causou polémica pelo seu vestido feito de pele de baleia;[6] Frida Boccara, representado a França, não pôde comparecer aos ensaios, pois contraíra uma infecção na garganta que foi curada por injecção, horas antes do início do concurso;[7] Romuald, representando o Luxemburgo, já havia representado o Mónaco no Festival Eurovisão da Canção 1964; finalmente, Siw Malmkvist, representando a Alemanha Ocidental, já havia representado a Suécia no Festival Eurovisão da Canção 1960

A canção representante de Portugal, "Desfolhada Portuguesa", interpretada por Simone de Oliveira, foi uma das músicas que marcou esta edição, sendo mesmo considerada uma das fortes candidatas à vitória, inclusive entre os seus pares. Em Portugal, os teatros chegaram mesmo a mudar a hora dos seus espetáculos para que nenhum acontecesse ao mesmo tempo do certame, tal era a expectativa em volta da canção portuguesa. Contudo, Portugal acabou a votação em 15º e penúltimo lugar, recebendo apenas 4 pontos. Mal acabou a votação, a equipa do Diário de Notícias foi ao camarim de Simone, onde assistiu a dois momentos impressionantes: o primeiro foi quando o ministro da Informação e Turismo espanhol foi pedir desculpa a Simone; depois foi um jornalista espanhol dizer-lhe que era a vencedora moral. "Não é costume pedir desculpa quando não se cometem erros…", conclui o jornal. A cantora estava calma: "que hei de fazer? Sigo cantando", disse ela, que tinha a certeza de ter dado o melhor de si. Com o avançar da conversa, partilhou com o jornalista a desconfiança de ter havido uma irregularidade na votação, porque foi o primeiro empate e logo entre quatro canções. Para além disso, a participação portuguesa esteve em risco, após Simone de Oliveira e uma das coristas terem ido parar ao hospital no dia anterior por intoxicação alimentar. Chegou-se mesmo a falar em sabotagem.[8] Estas situações provocaram uma grande manifestação de apoio à nossa intérprete na estação de Santa Apolónia. Quando Simone de Oliveira chegou, foi recebida em festa pelos milhares de populares, na maior recepção a um artista português jamais feita em Portugal, só repetida pela receção a Salvador e Luísa Sobral 48 anos mais tarde, quando Portugal venceu o Festival Eurovisão da Canção 2017.[9] Esta edição foi especialmente recordada na série da RTP1 "Conta-me como Foi", nalguns episódios da 2ª temporada.[10][11]

País Título original da Canção Artista Processo Data da Selecção
Tradução em Português Idiomas de Interpretação
 Alemanha "Primaballerina" Siw Malmkvist Ein Lied Für Madrid 1969 22 de fevereiro de de 1969
Primaballerina Alemão
 Bélgica "Jennifer Jennings" Louis Neefs Nationale finale Songfestival 1969 22 de fevereiro de 1969
Jennifer Jennings Holandês
 Espanha "Vivo cantando" Salomé Preselección de Eurovision 1969 22 de fevereiro de 1969
Vivo a cantar Castelhano
 Finlândia "Kuin silloin ennen" Jarkko & Laura Euroviisut 1969 22 de fevereiro de de 1969
Como naqueles tempos Finlandês
 França "Un jour, un enfant" Frida Boccara Sélection française 1969 -
Um dia, uma criança Francês
 Irlanda "The Wages of Love" Muriel Day Irish Final 1969 16 de fevereiro de 1969
Os Salários do Amor Inglês
 Itália "Due grosse lacrime bianche" Iva Zanicchi Seleção Interna -
Duas grandes lágrimas brancas Italiano
 Iugoslávia "Pozdrav svijetu" (Поздрав свијету) Ivan & 4M Pjesma Eurovizije 1969 15 de fevereiro de 1969
Olá mundo Servo-croata
 Luxemburgo "Catherine" Romuald Selecção Interna -
Catherine Francês
 Mónaco "Maman, Maman" Jean Jacques Selecção Interna -
Mãe, mãe Francês
 Noruega "Oj, Oj, Oj, så glad jeg skal bli" Kirsti Sparboe Melodi Grand-Prix 1969 1 de março de 1969
Uau, Uau, Uau, como estarei feliz Norueguês
 Países Baixos "De troubadour" Lenny Kuhr Nationaal Songfestival 1969 26 de fevereiro de 1969
O trovador Holandês
 Portugal "Desfolhada portuguesa" Simone de Oliveira Grande Prémio TV da Canção Portuguesa 1969 24 de fevereiro de 1969
Desfolhada portuguesa Português
 Reino Unido "Boom Bang-a-Bang" Lulu A Song For Europe 1969 22 de fevereiro de 1969
Boom Bang-a-Bang Inglês
 Suécia "Judy, min vän" Tommy Körberg Melodifestivalen 1969 1 de março de 1969
Judy, minha amiga Sueco
 Suíça "Bonjour, Bonjour" Paola del Medico Seleção interna -
Bom dia, Bom dia Alemão

Festival[editar | editar código-fonte]

# País Idioma Artista Canção Tradução Lugar Pontos
 Iugoslávia Servo-croata Ivan & 3M "Pozdrav svijetu" (Поздрав свијету) Olá mundo 13º 5
 Luxemburgo Francês Romauld "Catherine" Catherine 11º 7
 Estado espanhol Castelhano Salomé "Vivo cantando" Vivo a cantar 18
 Mónaco Francês Jean Jacques "Maman, Maman" Mamã 11
 Irlanda Inglês Muriel Day "The Wages of Love" Os Salários do Amor 10
 Itália Italiano Iva Zanicchi "Due grosse lacrime bianche" Duas grandes lágrimas brancas 13º 5
 Reino Unido Inglês Lulu "Boom Bang-a-Bang" Boom Bang-a-Bang 18
 Países Baixos Holandês Lenny Kuhr "De troubadour" O trovador 18
 Suécia Sueco Tommy Körberg "Judy, min vän" Judy, minha amiga 8
10º  Bélgica Holandês Louis Neefs "Jennifer Jennings" Jennifer Jennings 10
11º  Suíça Alemão Paola del Medico "Bonjour, Bonjour" Bom dia, Bom dia 13
12º  Noruega Norueguês Kirsti Sparboe "Oj, Oj, Oj, så glad jeg skal bli" Uau, Uau, Uau, como estarei feliz 16º 1
13º  Alemanha Alemão Siw Malmkvist "Primaballerina" Primaballerina 8
14º  França Francês Frida Boccara "Un jour, un enfant" Um dia, uma criança 18
15º  Portugal Português Simone de Oliveira "Desfolhada Portuguesa" Desfolhada Portuguesa 15º 4
16º  Finlândia Finlandês Jarkko & Laura "Kuin silloin ennen" Como naqueles tempos 12º 6

Resultados[editar | editar código-fonte]

A ordem de votação no Festival Eurovisão da Canção 1969, foi a seguinte:[12]

  Vencedores
Países Votantes Países Pontuados
República Socialista Federativa da Iugoslávia Luxemburgo Espanha Mónaco República da Irlanda Itália Reino Unido Países Baixos Suécia Bélgica Suíça Noruega Alemanha França Portugal Finlândia
 Iugoslávia 1 1 1 1 2 3
 Luxemburgo 2 4 2 1 1
 Estado espanhol 1 2 2 2 2 1
 Mónaco 3 3 1 1 2
 Irlanda 1 1 3 3 1
 Itália 4 3 3
 Reino Unido 1 3 1 4
 Países Baixos 1 2 1 1 1 1 2 1
 Suécia 2 1 5 1 1
 Bélgica 1 1 3 1 1 1 1 1
 Suíça 3 4 2 1
 Noruega 1 1 3 2 1 1 1
 Alemanha 1 3 1 1 2 1 1
 França 2 6 1 1
 Portugal 3 2 1 1 1 2
 Finlândia 3 1 1 3 2
Total 5 7 18 11 10 5 18 18 8 10 13 1 8 18 4 6
Lugar 13º 11º 13º 16º 15º 12º
Países Votantes República Socialista Federativa da Iugoslávia Luxemburgo Espanha Mónaco República da Irlanda Itália Reino Unido Países Baixos Suécia Bélgica Suíça Noruega Alemanha França Portugal Finlândia
Países Pontuados
Resultados acumulados
Países Votantes Países Pontuados
República Socialista Federativa da Iugoslávia Luxemburgo Espanha Mónaco República da Irlanda Itália Reino Unido Países Baixos Suécia Bélgica Suíça Noruega Alemanha França Portugal Finlândia
 Iugoslávia 0 1 1 0 0 1 2 0 0 0 2 0 3 0 0 0
 Luxemburgo 0 1 3 0 0 1 6 2 0 0 2 0 3 1 0 1
 Estado espanhol 1 1 3 2 0 1 6 2 0 2 2 0 5 1 2 2
 Mónaco 1 4 6 2 0 2 6 3 0 2 2 0 5 3 1 2
 Irlanda 1 4 7 2 0 3 6 3 0 2 5 0 5 7 1 3
 Itália 1 4 7 6 0 4 9 6 0 2 5 0 5 7 1 3
 Reino Unido 1 4 7 6 1 4 9 6 0 5 7 0 5 11 1 3
 Países Baixos 1 5 7 8 2 4 10 6 1 6 7 0 5 13 1 4
 Suécia 1 5 7 10 3 4 15 6 1 6 7 1 5 14 1 4
 Bélgica 2 6 10 11 3 4 15 7 1 6 8 1 6 14 3 4
 Suíça 2 6 10 11 6 4 15 11 1 8 8 1 6 15 3 4
 Noruega 2 6 11 11 6 4 15 12 4 10 9 1 7 15 3 5
 Alemanha 2 7 14 11 7 4 16 12 4 10 11 1 7 16 3 6
 França 2 7 16 11 7 4 16 18 4 10 11 1 8 16 4 6
 Portugal 5 7 18 11 7 4 17 18 5 10 11 1 8 18 4 6
 Finlândia 5 7 18 11 10 5 18 18 8 10 13 1 8 18 4 6
Lugar 13º 11º 13º 16º 15º 12º
Países Votantes República Socialista Federativa da Iugoslávia Luxemburgo Espanha Mónaco República da Irlanda Itália Reino Unido Países Baixos Suécia Bélgica Suíça Noruega Alemanha França Portugal Finlândia
Países Pontuados

Maestros[editar | editar código-fonte]

País Maestro
 Iugoslávia Miljenko Prohaska
 Luxemburgo Augusto Algueró
 Estado espanhol
 Mónaco Hervé Roy
 Irlanda Noel Kelehan
 Itália Ezio Leoni
 Reino Unido Johnny Harris
 Países Baixos Frans de Kok
 Suécia Lars Samuelson
 Bélgica Francis Bay
 Suíça Henry Mayer
 Noruega Øivind Bergh
 Alemanha Hans Blum
 França Franck Pourcel
 Portugal Ferrer Trindade
 Finlândia Ossi Runne
Maestro anfitrião Augusto Algueró

Artistas repetentes[editar | editar código-fonte]

Em 1969, os repetentes foram:

País (1969) Foto Artista Ano Anterior País Representado Canção Tradução Pontuação Classificação
 Alemanha Siw Malmkvist.jpg Siw Malmkvist ESC 1960 Suécia "Alla andra får varann" Todos os outros agarram-se uns aos outros 4 10º
 Luxemburgo Silver - replace this image male.svg Romuald ESC 1964 Mónaco "Où sont-elles passées" Onde é que elas têm estado? 15
 Portugal Eurovision Song Contest 1965 - Simone de Oliveira.jpg Simone de Oliveira ESC 1965 Portugal "Sol de Inverno" Sol de Inverno 1 13º
 Noruega Eurovision Song Contest 1965 - Kirsti Sparboe.jpg Kirsti Sparboe ESC 1965 Noruega "Karusell" Carrossel 1 13º
ESC 1967 Noruega "Dukkemann" Boneco 2 14º
 Bélgica Silver - replace this image male.svg Louis Neefs ESC 1967 Bélgica "Ik Heb Zorgen" Eu tenho preocupações 8

Transmissão do Festival[editar | editar código-fonte]

Países participantes[editar | editar código-fonte]

País Canal Comentador(es) Porta-voz
 Iugoslávia Televizija Beograd Miloje Orlović Gordana Bonetti
Televizija Zagreb Mladen Delić
Televizija Ljubljana Tomaž Terček
 Luxemburgo Télé-Luxembourg Jacques Navadic TBC
 Espanha TVE1 José Luis Uribarri Ramón Rivera
Primer Programa RNE Miguel de los Santos
 Mónaco Télé Monte Carlo Pierre Tchernia TBC
 Irlanda RTÉ Television Gay Byrne John Skehan
Radio Éireann Kevin Roche
 Itália Secondo Programma Renato Tagliani Mike Bongiorno
 Reino Unido BBC1 David Gell[13] and Michael Aspel[14][15] Colin-Ward Lewis
BBC Radio 1 Pete Murray[16]
 Países Baixos Nederland 1 Pim Jacobs[17] Leo Nelissen
 Suécia Sveriges Radio-TV
SR P3
Christina Hansegård[18] Edvard Matz[19]
 Bélgica BRT Herman Verelst Ward Bogaert
RTB Paule Herreman
 Suíça TV DRS Theodor Haller Alexandre Burger
TSR Georges Hardy
TSI Giovanni Bertini
 Noruega NRK Sverre Christophersen Janka Polanyi
NRK P1 Erik Heyerdahl
 Alemanha ARD Deutsches Fernsehen Hans-Joachim Rauschenbach[20] Hans-Otto Grünefeldt
 França Deuxième Chaîne ORTF[21] Pierre Tchernia Jean-Claude Massoulier[22]
 Portugal I Programa Henrique Mendes Maria Manuela Furtado
 Finlândia TV-ohjelma 1
Yleisohjelma
Aarno Walli Aarre Elo

Países não participantes[editar | editar código-fonte]

País Canal Comentador(es)
 Áustria ORF Willy Kralik
 Brasil TV Tupi TBC
 Chile Canal 9 TBC
 Checoslováquia Československá televize TBC
 Alemanha Oriental Deutscher Fernsehfunk TBC
Hungria Hungria MTV TBC
Marrocos Marrocos SNRT TBC
 Polónia TVP TBC
Romênia Roménia TVR TBC
 União Soviética CT USSR TBC
 Tunísia ERTT TBC

Referências

  1. a b c d «Eurovision Song Contest 1969». EBU. Consultado em 16 de junho de 2012 
  2. O'Connor, John Kennedy (2005). The Eurovision Song Contest: The Official History. [S.l.: s.n.] 
  3. a b KENNEDY O’CONNOR John, op.cit., p.37.
  4. «Cultural Institutions: Teatro Real». esMADRID.com. Consultado em 3 de setembro de 2009. Arquivado do original em 7 de setembro de 2009 
  5. FEDDERSEN Jan & LYTTLE Ivor, op.cit., p.6.
  6. KENNEDY O’CONNOR John, op.cit., p.39.
  7. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome fedlyt7
  8. https://cronicaseurofestivais.blogspot.com/2013/09/a-eurovisao-e-o-festival-da-cancao-na_28.html
  9. «Cópia arquivada». Consultado em 28 de fevereiro de 2009. Cópia arquivada em 28 de fevereiro de 2009 
  10. http://programas.rtp.pt/programas-rtp/index.php?p_id=20133&e_id=16&c_id=3&dif=tv&hora=18:45&dia=20-07-2009[ligação inativa]
  11. http://programas.rtp.pt/programas-rtp/index.php?p_id=20133&e_id=19&c_id=3&dif=tv&hora=18:45&dia=23-07-2009[ligação inativa]
  12. A ordem de votação foi efectuada através da visualização de vídeos da edição do festival, à semelhança de outras secções deste artigo
  13. Roxburgh, Gordon (2012). Songs For Europe The United Kingdom at The Eurovision Song Contest Volume One: The 1950s and 1960s. UK: Telos. p. 483. ISBN 978-1-84583-065-6 
  14. «Eurovision Song Contest, Grand Final: 1969». BBC. 29 de março de 1969. Consultado em 10 de agosto de 2012 
  15. «Eurovision 1969». Songs4europe.com. 29 de março de 1969. Consultado em 10 de agosto de 2012 
  16. Eurovision Song Contest 1968 Arquivado em 4 de março de 2016, no Wayback Machine. Songs4Europe.com
  17. «Nederlandse televisiecommentatoren bij het Eurovisie Songfestival». Eurovision Artists (em Dutch) 
  18. Leif Thorsson. Melodifestivalen genom tiderna ["Melodifestivalen through time"] (2006), p. 80. Stockholm: Premium Publishing AB. ISBN 91-89136-29-2
  19. «Infosajten.com». Infosajten.com. Consultado em 10 de agosto de 2012. Arquivado do original em 18 de julho de 2012 
  20. Rau, Oliver (OGAE Germany)
  21. Christian Masson. «1969 – Madrid». Songcontest.free.fr. Consultado em 10 de agosto de 2012 
  22. Tchernia, Pierre et al. (29 de março de 1969). 14ème Concours Eurovision de la Chanson 1969 [14th Eurovision Song Contest 1969] (Television production). Spain: TVE, ORTF (commentary) 

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Os mapas presentes neste artigo, respeitam as fronteiras geográficas estabelecidas na altura em que o festival ocorreu.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Festival Eurovisão da Canção 1969