Veado-mão-curta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Mazama nana)
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaVeado-mão-curta[1]
Mazama nana 2.jpg

Estado de conservação
Status none DD.svgDados deficientes (IUCN 3.1) [2]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Cervidae
Género: Mazama
Espécie: M. nana
Nome binomial
Mazama nana
(Hensel, 1872)
Distribuição geográfica
Distribuição geográfica do veado-mão-curta.  Presente   Possivelmente presente
Distribuição geográfica do veado-mão-curta.
  Presente   Possivelmente presente

O veado-mão-curta (nome científico: Mazama nana), também conhecido por veado-anão, veado-poca, veado-cambuta, veado-bororó, veado-bororó-do-sul ou cambucica[3] é uma espécie de cervídeo sul-americano de pequeno porte, do gênero Mazama.[1] Já foi considerado subespécie de Mazama rufina, mas atualmente é uma espécie separada.[1] É o cervídeo brasileiro menos conhecido pela ciência, e o que se sabe sobre esta espécie muitas vezes se resume a dados de distribuição geográfica, taxonomia e genética.[4] Ocorre no sudeste do Brasil, nordeste da Argentina e leste do Paraguai, mas ainda há discussão quanto a isso. Esse cervídeo habita principalmente áreas com densa vegetação, e sua presença está fortemente associada à Mata de Araucárias, e formações adjacentes.[4]

Dificilmente ultrapassa 15 kg e os 45 cm de altura.[4] A coloração é muito semelhante a do veado-mateiro (Mazama americana), mas ela é mais homogênea, e quase não possui partes esbranquiçadas, sendo totalmente marrom-avermelhada.[4] As pernas são proporcionalmente curtas, o que deu um dos nomes populares em português, veado-mão-curta.[4] Não se tem informações a cerca da ecologia e comportamento do veado-mão-curta, mas presume-se que seja uma espécie de hábitos solitários e noturna, dado ser muito difícil de ser avistada e detectada.[4]

Habita região com alto grau de alteração pelo homem, e embora não se tenha estudos aprofundados sobre sua distribuição geográfica atual, é provável que esteja extinto em grande parte de sua ocorrência original. Ocorre em algumas unidades de conservação do sul do Brasil, como o Parque Nacional do Iguaçu, o Parque Estadual das Lauráceas, na Área de Proteção Ambiental de Guaratuba, no Paraná; no Parque das Nascentes, próximo a Blumenau, em Santa Catarina; na Floresta Nacional de São Francisco de Paula, no Rio Grande do Sul.[4] Provavelmente, está extinto no estado de São Paulo, mas a lista de espécies ameaçadas do estado o considera como "criticamente em perigo".[4][5] Aparentemente, ainda ocorre nas florestas da província de Misiones, na Argentina, e as populações parecem estáveis.[2] No Paraguai, ocorre no Parque Nacional San Rafael, mas é uma área sujeita à exploração ilegal.[2] Além da perda do habitat, e da caça, uma das ameças ao veado-mão-curta é a predação por cães, como observado em Santa Catarina.[4] Não existe dados populacionais da espécie na natureza, e em cativeiro, são contabilizados apenas 24 indivíduos, a maior parte em instituições dentro de sua área de ocorrência.[4]

O IBAMA lista a espécie como "vulnerável", mas ela não consta na lista da CITES, e a IUCN. Depois de muito tempo considerando como de "baixo risco", passou a considerá-la como uma espécie com "dados insuficientes" na lista de 2008.[2][4]

Referências

  1. a b c Grubb, P. (2005). Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.), ed. Mammal Species of the World. Baltimore: Johns Hopkins University Press. pp. 637–722. ISBN 978-0-8018-8221-0. OCLC 62265494  Parâmetro desconhecido |edção= ignorado (ajuda)
  2. a b c d Abril, V.V. & Duarte, J.M.B. (2008). Mazama nana (em Inglês). IUCN 2013. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2013 Versão 2. Página visitada em 25 de janeiro de 2014.
  3. Duarte, J.M.; et al. (2012). «Avaliação do risco de extinção do Veado-mão-curta Mazama nana Hensel, 1872, no Brasil». Biodiversidade Brasileira. 3: 59-67 
  4. a b c d e f g h i j k Duarte, J.M.B.; Piovezan, U.; Zanetti, E.S.; Ramos, H.G.C. (2012). «Espécies de Cervídeos Brasileiros com Preocupações de Conservação». In: Duarte, J.M.B.; Reis, M.L. Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Cervídeos Ameaçados de Extinção (PDF). Brasília: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. pp. 27–77 
  5. Percequillo, A. R.; Kierulff, M.C.M. (2009). «Mamíferos». In: Bressan, P.M.; Kierulff, M.C.M.; Sugieda, A.M. Livro Vermelho da Fauna Ameaçada de Extinção no Estado de São Paulo (PDF). São Paulo, SP: Fundação Parque Zoológico de São Paulo: Secretaria do Meio Ambiente. pp. 31–87. ISBN 978-85-63001-00-9