Cariacu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma caixa taxonómicaCariacu[1]
Macho

Macho
Fêmea
Fêmea
Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante (IUCN 3.1) [2]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Cervidae
Género: Odocoileus
Espécie: O. virginianus
Nome binomial
Odocoileus virginianus
Zimmermann, 1780
Distribuição geográfica
Mapa de distribuição
Mapa de distribuição
Subespécies
38, Ver texto

O cariacu, veado-da-virgínia ou veado-de-cauda-branca (Odocoileus virginianus) é uma espécie de veado encontrado do sul do Canadá ao norte do Brasil. Tais animais chegam a medir até 2 metros de comprimento e 1 metro de altura, com pelagem dorsal avermelhada, garganta e barriga brancas e chifres ramificados.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Veado agitando sua cauda branca.

Até recentemente, alguns autores tentaram dividir O. virginianus em várias subespécies, baseando-se em caracteres morfológicos. Estudos moleculares, entretanto, sugerem que há menos subespécies do que é proposto. Nos Estados Unidos, O. virginianus virginianus é a subespécie mais difundida. A variabilidade genética é muito grande dentro da espécie e ela é adaptável a vários ambientes. Várias populações locais, especialmente em estados do sul, são descendentes de animais translocados de várias localidades do leste da Divisória Continental da América do Norte.

Macho no Kansas

A América Central e Sul possuem um complexo número de subespécies de cariacu, que ocorrem desde a Guatemala até o Peru. A lista de subespécies é maior do que das que ocorrem na América do Norte e essa quantidade também é questionável. Entretanto, as populações de cariacu são difíceis de estudar, devido à caça excessiva. Algumas áreas já não possuem mais populações da espécie, o que dificulta o estabelecimento de estudos genéticos.

Subespécies[editar | editar código-fonte]

O. v. truei, fêmea, Costa Rica
Três O. v. borealis, New Hampshire

Algumas subespécies:[1]

  • O. v. virginianus – ocorre na Virgínia
  • O. v. acapulcensis – (sul do México)
  • O. v. borealis – Ocorre ao norte dos Estados Unidos (maior e mais escura subespécie)
  • O. v. cariacou – (Guiana Francesa e norte do Brasil)
  • O. v. carminis
  • O. v. chiriquensis – Panamá
  • O. v. clavium – Florida Keys
  • O. v. couesi – Arizona
  • O. v. curassavicus – Curaçao
  • O. v. dacotensis – [[Dakota]
  • O. v. goudotii – (Colômbia (Andes) e oeste da Venezuela)
  • O. v. gymnotis – norte da Venezuela, incluindo os Llanos
  • O. v. hiltonensis
  • O. v. idahoensis – oeste do Canada, Idaho, leste de Washington)[3]
  • O. v. leucurus – Oregon e costa oeste dos Estados Unidos
  • O. v. macrourus – Kansas
  • O. v. margaritae – ilha de Margarita
  • O. v. mcilhennyi – Louisiana
  • O. v. mexicanus – centro do México
  • O. v. miquihuanensis – centro do México
  • O. v. nelsoni – sul do México e Guatemala
  • O. v. nemoralis – América Central, desde o golfo do México até o Suriname
  • O. v. nigribarbis
  • O. v. oaxacensis – sul do México
  • O. v. ochrourus –
  • O. v. osceola – litoral da Flórida
  • O. v. peruvianus – sul do Peru e possivelmente, Bolívia)
  • O. v. rothschildi – ilha Coiba
  • O. v. seminolus – Flórida
  • O. v. sinaloae – meio-oeste do México
  • O. v. taurinsulae
  • O. v. texanus – Texas
  • O. v. truei – Costa Rica, Nicarágua
  • O. v. thomasi
  • O. v. toltecus - sul do México)
  • O. v. tropicalis – Peru eEquador (possivelmente Colômbia)
  • O. v. ustus – Equador (possivelmente sul da Colômbia e norte do Peru)
  • O. v. venatorius –
  • O. v. veraecrucis – norte de Vera Cruz
  • O. v. yucatanensis – península de Yucatán
Mapa das subespécies
América do Norte
Américas Central e do Sul

Descrição[editar | editar código-fonte]

O pêlo deste cervídeo muda de cor e espessura de acordo com as estações do ano. Apresenta pernas fortes que o permitem correr a altas velocidades. Somente os machos apresentam hastes que caem e mudam todos os anos. Apresenta uma cauda branca, que eleva quando pressente algum perigo para poder sinalizar alarme, daí também ser conhecido por veado-de-cauda-branca.

Veado-da-vírginia macho

Estes animais são, por natureza, assustados e estão constantemente em alerta para qualquer perigo que possa haver. Felizmente a sua capacidade de correr a alta velocidade torna-o um alvo difícil para qualquer predador esfomeado, como os lobos.

Os veados-da-virgínia passam a maior parte do tempo à procura de alimento e a pastar e têm por hábito criar grupos familiares (compostos por fêmeas e crias de diferentes idades). Os machos levam uma vida solitário, apesar de ocasionalmente poderem formar pequenos grupos. As pequenas unidades reúnem-se no Inverno.

A época de acasalamento pode ser violenta, pois os machos competem entre si pelo direito de acasalar com as fêmeas.

Os recém-nascidos são capazes de se levantar após algumas horas e de correr após três semanas. Os jovens são desmamados quatro semanas depois, mesmo assim, as crias ficam com a progenitora durante dois ou mais anos. Durante o dia as progenitoras, deixam os seus filhos sozinhos para evitar de chamar a atenção dos predadores.

Dieta[editar | editar código-fonte]

A dieta destes animais é composta por diversos tipos de vegetais. Os que vivem nas florestas mais a Leste preferem ervas, cogumelos e, também, rebentos e ramos de árvores. Em condições desérticas mais rigorosas, sobrevivem com plantas mais duras, tais como cactos, iúcas e arbustos. Durante os meses de Inverno, quando as fontes de alimentos são difíceis de encontrar, o veado come ramos e folhas coníferas.

Distribuição[editar | editar código-fonte]

O veado-da-virgínia vive numa série de hábitats diferentes, desde montanhas a semi-desertos, de pradarias a florestas temperadas e coníferas. A sua distribuição estende-se do Sul do Canadá ao Nordeste Brasileiro, passando pelos EUA e pelo México.

Referências

  1. a b Grubb, P. (2005). Wilson, D.E.; Reeder, D.M. (eds.), : . Mammal Species of the World (Baltimore: Johns Hopkins University Press). pp. 637–722. ISBN 978-0-8018-8221-0. OCLC 62265494.  Parâmetro desconhecido |edção= ignorado (Ajuda)
  2. Gallina, S. & Lopez Arevalo, H. (2008). Odocoileus virginianus (em Inglês). IUCN 2013. Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da IUCN de 2013 Versão 2. Página visitada em 02 de fevereiro de 2014.
  3. http://wdfw.wa.gov/living/deer.html#species.  Falta o |titulo= (Ajuda)
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Cariacu
Ícone de esboço Este artigo sobre artiodáctilos, integrado no Projeto Mamíferos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.