Théodore Chassériau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Théodore Chassériau
Nascimento 20 de setembro de 1819
El Limón
Morte 8 de outubro de 1856 (37 anos)
Paris
Sepultamento Cemitério de Montmartre
Cidadania França
Progenitores
  • Benoît Chassériau
  • Marie Madeleine Chassériau
Irmão(s) Aline Chassériau, Adèle Chassériau, Frédéric Chassériau, Ernest Chassériau
Alma mater
  • Escola Nacional Superior das Belas-Artes
Ocupação pintor,
Prêmios
  • Cavaleiro da Legião de Honra (1849)
Obras destacadas Venus of the sea, The Toilette of Esther, Aline Chassériau
Movimento estético romantismo

Théodore Chassériau (20 de setembro de 1819 - 8 de outubro de 1856) foi um pintor romântico francês de origem dominicana conhecido por seus retratos, pinturas históricas e religiosas, murais alegóricos e imagens orientalistas inspiradas em suas viagens à Argélia. No início de sua carreira pintou em um estilo neoclássico próximo ao de seu professor Jean-Auguste-Dominique Ingres, mas em suas obras posteriores foi fortemente influenciado pelo estilo romântico de Eugène Delacroix. Ele era um desenhista prolífico, e fez uma série de estampas para ilustrar Otelo de Shakespeare. O retrato que pintou aos 15 anos de Próspero Marilhat, faz de Théodore Chassériau o pintor mais jovem exposto no museu do Louvre.[1]

Vida e trabalho[editar | editar código-fonte]

The Toilette of Esther, 1841, óleo sobre tela, 45,5 x 35,5 cm, Paris, Louvre

Chassériau nasceu em El Limón, Samaná, na colônia espanhola de Santo Domingo (atual República Dominicana). Seu pai Benoît Chassériau foi um aventureiro francês que chegou a Santo Domingo em 1802 para assumir um cargo administrativo no que foi até 1808 uma colônia francesa. A mãe de Teodoro, Maria Magdalena Couret de la Blagniére, era filha de um fazendeiro mulato nascido em Saint-Domingue (hoje Haiti). Em dezembro de 1820 a família partiu de Santo Domingo para Paris, onde o jovem Chassériau logo demonstrou precoce habilidade para o desenho. Ele foi aceito no estúdio de Jean-Auguste-Dominique Ingres em 1830, aos onze anos, tornou-se o aluno predileto do grande classicista, que o considerava seu discípulo mais verdadeiro. (Um relato que pode ser apócrifo mostra Ingres declarando "Venham, senhores, venham ver, esta criança será o Napoleão da pintura.")[2][3][4][5]

Estátua do pintor Théodore Chassériau localizada em Santa Bárbara de Samaná

Depois que Ingres deixou Paris em 1834 para se tornar diretor da Academia Francesa em Roma, Chassériau caiu sob a influência de Eugène Delacroix, cuja marca de colorismo pictórico era um anátema para Ingres. A arte de Chassériau tem sido frequentemente caracterizada como uma tentativa de conciliar o classicismo de Ingres com o romantismo de Delacroix. Ele expôs pela primeira vez no Salão de Paris em 1836, e foi premiado com uma medalha de terceiro lugar na categoria de pintura histórica. Em 1840, Chassériau viajou para Roma e se encontrou com Ingres, cuja amargura pela direção do trabalho de seu aluno levou a uma ruptura decisiva. Enquanto na Itália, Chassériau fez esboços de paisagens e estudou afrescos do Renascimento.[6][7][8]

Vénus marine dite Vénus Anadyomène, 1838, Paris, Louvre
Vénus marine dite Vénus Anadyomène, 1838, Paris, Louvre
Estudo de um homem (1832) - Musée de Montauban
Macbeth e Banquo Encontrando as Bruxas na Charneca, 1855. Um exemplo de uma das muitas obras de Chassériau inspiradas em Shakespeare
As Duas Irmãs, 1843, Paris, Louvre
Retrato do Reverendo Padre Henri-Dominique Lacordaire, 1840, Paris, Louvre
Retrato de Alexis de Tocqueville, 1850

Entre as principais obras de sua maturidade precoce estão Susanna and the Elders e Venus Anadyomene (ambos em 1839), Diana Surprised by Actaeon (1840), Andromeda Chained to the Rock by the Nereids (1840) e The Toilette of Esther (1841), tudo isso revelando um ideal muito pessoal ao retratar o nu feminino. As principais pinturas religiosas de Chassériau desses anos, Cristo no Monte das Oliveiras (um assunto que ele tratou em 1840 e novamente em 1844) e A Descida da Cruz (1842), receberam críticas mistas dos críticos; entre os campeões do artista estava Théophile Gautier. Em 1843, Chassériau pintou murais retratando a vida de Santa Maria do Egito na Igreja de Saint-Merri em Paris, o primeiro de várias encomendas que recebeu para decorar edifícios públicos em Paris.[6][9]

Os retratos desse período incluem o Retrato do Reverendo Padre Dominique Lacordaire, da Ordem dos Frades Predicantes (1840), e As Duas Irmãs (1843), que retrata as irmãs de Chassériau, Adèle e Aline.

Ao longo de sua vida, ele foi um desenhista prolífico; seus muitos desenhos de retratos executados com um lápis de grafite de ponta fina são semelhantes em estilo aos de Ingres. Ele também criado um corpo de 29 impressões, incluindo um grupo de dezoito entalhes de sujeitos de Otelo de Shakespeare em 1844.[10][11]

Ele exibiu o retrato colossal Ali-Ben-Hamet, califa de Constantino e chefe dos Haractas, seguido por sua escolta no salão de 1845, onde recebeu críticas equívocas. Em 1846, Chassériau fez sua primeira viagem à Argélia. A partir de esboços feitos nesta e nas viagens subsequentes, ele pintou temas como Chefes árabes visitando seus vassalos e Mulheres judias em uma varanda (ambos em 1849, agora no Louvre). Uma importante obra tardia, The Tepidarium (1853, no Musée d'Orsay), retrata um grande grupo de mulheres se secando após o banho, em um ambiente arquitetônico inspirado na viagem do artista em 1840 a Pompéia. Seu trabalho mais monumental foi a decoração da grande escadaria da Cour des Comptes, encomendada pelo estado em 1844 e concluída em 1848. Ele seguiu o exemplo de Delacroix ao executar este trabalho em óleo sobre gesso, ao invés de fresco. Esta obra foi fortemente danificada em maio de 1871 por um incêndio durante a Comuna, e apenas fragmentos puderam ser recuperados; estes são preservados no Louvre.[6]

Após um período de saúde agravado por seu exaustivo trabalho de encomendas de murais para decorar as Igrejas de Saint-Roch e Saint-Philippe-du-Roule, Chassériau morreu aos 37 anos em Paris, em 8 de outubro de 1856. Ele está enterrado no cemitério de Montmartre.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Jean-Baptiste Nouvion, Chassériau Correspondance oubliée, preface by Marianne de Tolentino, Paris, Les Amis de Théodore Chassériau, 2014
  2. Guégan et al. 2002, pp. 60, 168.
  3. Guégan et al. 2002, p. 168.
  4. Guégan et al. 2002, pp. 58, 163.
  5. Guégan et al. 2002, p. 163.
  6. a b c Rosenthal.
  7. Guégan et al. 2002, p. 170.
  8. Rosenblum 1989, p. 32.
  9. Guégan et al. 2002, p. 53.
  10. Fisher 1979, p. 13.
  11. Prat 1989, p. 5.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Fisher, Jay M. (1979). Théodore Chassériau: Illustrations for Othello. Baltimore: The Baltimore Museum of Art. ISBN 0-912298-50-2.
  • Guégan, Stéphane; Pomarède, Vincent; Prat, Louis-Antoine (2002). Théodore Chassériau, 1819-1856: The Unknown Romantic. New Haven and London: Yale University Press. ISBN 1-58839-067-5.
  • Miller, Peter Benson (2004). "By the Sword and the Plow: Théodore Chassériau's Cour des Comptes Murals and Algeria," The Art Bulletin vol. 86, no. 4 (Dec. 2004), pp. 690–718.
  • Prat, Louis-Antoine. n.d. Theodore Chassériau, 1819-1856: dessins conserves en dehors du Louvre. Paris: Galerie de Bayser [1989?]. OCLC 800724906.
  • Rosenblum, Robert (1989). Paintings in the Musée d'Orsay. New York: Stewart, Tabori & Chang. ISBN 1-55670-099-7.
  • Rosenthal, Donald A. "Chassériau, Théodore". Grove Art Online. Oxford Art Online. Oxford University Press. Web.

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • Bénédite, Léonce (1931). Théodore Chassériau: sa vie et son œuvre, Paris: Les Éditions Braun. OCLC 929584128.
  • Bouvenne, Aglaus (1884). Théodore Chassériau: Souvenirs et Indiscrétions, A. Detaille, Paris.
  • Bouvenne, Aglaus. Théodore Chassériau : Souvenirs et Indiscrétions (1884), new edition by Les Amis de Théodore Chassériau, 2012 (French language), 2013 (Spanish language).
  • Chevillard, Valbert (1893). Un peintre romantique: Théodore Chassériau, Paris.
  • Chevillard, Valbert (1898). "Théodore Chassériau" in Revue de l'art ancien et moderne, no. 3, March 10, 1898.
  • La Chronique des arts et de la curiosité, no. 9, February 27, 1897.
  • Focillon, Henri (1927). "La peinture au XIXe: Le retour à l'antique" in Le Romanticisme, Paris.
  • Gautier, Théophile. "L'Atelier de feu Théodore Chassériau" in L'Artiste, no. 14, March 15, 1857.
  • Goodrich, Lloyd (1928). "Théodore Chassériau", The Arts 14.
  • d'Hérouville, Xavier (2016). L'Idéal moderne selon Charles Baudelaire & Théodore Chassériau, L'Harmattan, Paris.
  • Jingaoka, Megumi; Pomarède, Vincent; Nouvion, Jean-Baptiste; Guégan, Stéphane; Okasaka, Sakurako; Nakatsumi, Yuko (2017). Théodore Chassériau : Parfum exotique, [exhibition catalogue], The National Museum of Western Art (Japan).
  • Laran, Jean (1913, 1921). Théodore Chassériau, Paris.
  • Montesquiou, Robert de (1898). Alice et Aline, une peinture de Théodore Chassériau, Ed. Charpentier et Fasquelle, Paris.
  • Nouvion, André-Pierre (2007). Trois familles en Périgord-Limousin dans la tourmente de la Révolution et de L'Empire : Nouvion, Besse-Soutet-Dupuy et Chassériau, Paris.
  • Nouvion, Jean-Baptiste; Marianne de Tolentino (2014). Chassériau Correspondance oubliée. Les Amis de Théodore Chassériau edition, Paris.
  • Peltre, Christine (2001). Théodore Chassériau. Paris: Gallimard. ISBN 207011564X.
  • Prat, Louis-Antoine (1988). Dessins de Théodore Chassériau: 1819–1856. Paris: Ministère de la culture et de la communication, Editions de la Réunion des musées nationaux. ISBN 2711821382.
  • Renan, Ary (1897). Les Peintres orientalistes, Galerie Durand-Ruel.
  • Sandoz, Marc (1974). Théodore Chassériau 1819–1856: catalogue raisonné des peintures et estampes. Paris : Arts et Métiers Graphiques. ISBN 2700400038.
  • Teupser, Werner. Theodore Chasseriau, Zeitschrift für Kunst.
  • Vaillat, Léandre (August 1913). "L'Œuvre de Théodore Chassériau", Les Arts.
  • Vaillat, Léandre (1907). "Chassériau", L'Art et les Artistes.

Links externos[editar | editar código-fonte]

Media relacionados com Théodore Chassériau no Wikimedia Commons Media relacionados com Paintings by Théodore Chassériau no Wikimedia Commons


Ícone de esboço Este artigo sobre arte ou história da arte é um esboço relacionado ao Projeto Arte. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.