A Noite em que Gwen Stacy Morreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de The Night Gwen Stacy Died)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Night Gwen Stacy Died
Asm121-2.jpg
Para manter a surpresa da morte, o título da história só foi revelado no painel final.
País de origem  Estados Unidos
Língua de origem inglês
Editora(s) Marvel Comics
Fascículos The Amazing Spider-Man #121-122
Periodicidade mensal
Primeira publicação Junho - julho de 1973
Género(s) superaventura
Argumento Gerry Conway
Desenho Gil Kane
Colorista(s) David Hunt
Letrista(s) Artie Simek
Arte-finalista(s) John Romita
Tony Mortellaro
Personagens principais Homem-Aranha
Gwen Stacy
Duende Verde

A Noite em que Gwen Stacy Morreu (The Night Gwen Stacy Died no original) é um arco de histórias em quadrinhos do título The Amazing Spider-Man #121-122 (junho–julho de 1973), da Marvel Comics, que se tornou um acontecimento marcante na vida do super-herói Homem-Aranha, um dos heróis mais reconhecidos na cultura popular.

As duas edições da história, escrita por Gerry Conway, com desenhos de Gil Kane e arte-final por John Romita Sr.[1] e Tony Mortellaro, mostra a luta do Homem-Aranha contra o seu inimigo, o Duende Verde, que sequestra a namorada do Aranha, Gwen Stacy; durante a sua batalha, ela cai de uma ponte e morre, apesar de o Homem-Aranha conseguir apanhá-la antes de atingir o solo.

A Noite em que Gwen Stacy Morreu é apontada em diversas listas como uma das mais importantes histórias do personagem em todos os tempos, seu impacto foi tamanho que é considerada um marco do fim da Era de prata das histórias em quadrinhos americanas.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Antes deste arco, Norman Osborn tinha sido o Duende Verde, mas devido à amnésia, ele teve a sua identidade como o supervilão suspensa e esqueceu que o Homem-Aranha é Peter Parker. Além disso, Harry Osborn, melhor amigo de Parker e filho de Norman, tornou-se dependente de drogas e foi sequestrado na casa dos Osborn para a desintoxicação. A dor de Norman, combinado com pressão financeira, desencadeou uma ruptura, resultando em Norman Osborn lembrando de sua identidade como Duende Verde, e novamente, indo lutar contra o Homem-Aranha e atacar seus entes queridos.

O Duende Verde sequestra a namorada de Parker, Gwen Stacy, e leva o Homem-Aranha para uma torre da Ponte do Brooklyn (como representado na arte) ou a Ponte George Washington (conforme indicado no texto).[2][3] O Duende e Homem-Aranha lutam, e o Duende atira Gwen da ponte. Homem-aranha lança sua teia em suas pernas e pega-la. Quando ele a puxa para cima, ele acha que á salvou. No entanto, ele rapidamente percebe que ela está morta. O seu pescoço foi quebrado devido a parada súbita d ou já tinham sido quebrado pelo Duende antes da sua queda, e Peter se culpa por sua morte. Uma nota nas páginas de carta em The Amazing Spider-Man #125 afirma: "entristece-nos a dizer que o efeito da parada súbita que ela sofreu quando Aranha a parou tão de repente, foi, na verdade, o que a matou."[2]

O Duende Verde escapa, e Homem-Aranha chora no cadáver de Stacy e jura vingança. Na edição seguinte, o Homem-Aranha luta com o Duende Verde num depósito e ganhar dele, mas não consegue matá-lo. O Duende usa a oportunidade para enviar seu planador para atingir o Aranha por trás. Advertido pelo seu senso aranha, Homem-Aranha esquiva-se e o planador atinge o Duende Verde, aparentemente matando-o. Mais tarde, um Parker devastado, novamente em casa, encontra uma igualmente chocada e entristecida Mary Jane Watson, que perdeu sua amiga Stacy, e os dois tentam consolar uns aos outros, na esteira de sua perda.

Relevância[editar | editar código-fonte]

  • A morte de Gwen Stacy chocou a comunidade de quadrinhos americana. Anteriormente, era impensável matar um personagem importante, a namorada do personagem-título, com uma grande base de fãs. Geralmente, um super-herói não falha de maneira desastrosa, a menos que ele era parte de sua história. Esse arco de história tem sido proposto como um marcador do final da era de Prata dos Quadrinhos, e o início da mais sombria e corajosa Era de Bronze.[4]
  • A frequente tendência para as esposas e namoradas de homens super-heróis acabarem com um destino triste ficou conhecida como "A Síndrome de Gwen Stacy " pelo Comics Buyer's Guide.[5]
  • A Noite em que Gwen Stacy Morreu é frequentemente citada em listas das melhores e mais importantes histórias do personagem em todos os tempos.[6][7]
  • O romance de Sarah Bruni, A Noite em que Gwen Stacy Morreu, é sobre um casal que se referem a si mesmos como Peter Parker e Gwen Stacy.[8]

Referências

  1. Codespoti, Sérgio (19 de setembro de 2007). «10 razões por que A Morte de Gwen Stacy é a história mais importante do Homem-Aranha». Universo HQ. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  2. a b Saffel, Steve (2007). Spider-Man the Icon: The Life and Times of a Pop Culture Phenomenon. [S.l.]: Titan Books. ISBN 9781845763244 
  3. Sanderson, Peter. Marvel Universe: The Complete Encyclopedia of Marvel's Greatest Characters. [S.l.: s.n.] 
  4. Ramone, Marcus (7 de janeiro de 2015). «Que Era que era?». Universo HQ. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  5. «How not to end a relationship» (em inglês). 22 de fevereiro de 2006. Arquivado do original em 3 de junho de 2008 
  6. «The 25 greatest Spider-Man stories». IGN (em inglês). 19 de junho de 2012. Consultado em 17 de novembro de 2018 
  7. Cronin, Brian (4 de maio de 2013). «50 Greatest Spider-Man Stories Master List». CBR (em inglês). Consultado em 17 de novembro de 2018 
  8. «The Night Gwen Stacy Died». PublishersWeekly.com