Guerra Civil (Marvel Comics)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Guerra Civil
Civil War 7.jpg
Capa de Civil War 7 (Jan 2007). Arte de Steve McNiven.
Língua de origem inglês
Editora(s) Marvel Comics
Formato de publicação Série limitada, crossover
Lançada em julho de 2006
Terminou em janeiro de 2007
Edições 7
Argumento Mark Millar
Desenho Steve McNiven
Colorista(s) Morry Hollowell
Arte-finalista(s) Dexter Vines
Personagens principais Heróis e Vilões do Universo Marvel

Guerra Civil (no original: Civil War) é uma minissérie de banda desenhada da editora Marvel Comics, escrita por Mark Millar e desenhada por Steve McNiven. Foi publicada em sete partes entre os anos 2006/2007, além de se espalhar por quase todas as revistas Marvel no período. O evento ocorre após as sagas Vingadores: A Queda, Guerra Secreta e Dinastia M.[1]

O enredo gira em torno da discussão a respeito da Lei de Registro de Super-Humanos, imposta pelo governo após um trágico acidente causado por um grupo de heróis, obrigando que todos os heróis uniformizados revelem suas identidades e passem a serem supervisionados pelo Estado. Com isso, a comunidade super-heroica divide-se entre aqueles que apoiam a Lei, liderados por Tony Stark; e os que são contra, liderados pelo Capitão América.

O arco é considerado um dos melhores da sua década,[2] e serviu como base para o terceiro filme do Capitão América.[3] Uma sequência, intitulada Guerra Civil II, foi lançada em 2016.[4]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Esta se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Primeira publicação[editar | editar código-fonte]

Tudo começa quando os Novos Guerreiros, tentam ganhar audiência para seu reality show enfrentando quatro vilões fugitivos da rebelião ocorrida na Balsa (Impiedosa, Homem de Cobalto, Speedfreek e Nitro), confiante de si, Speedball parte pra cima de Speedfreek, Micróbio enferruja o Homem de Cobalto, Ronin e Namorita lutam contra Impiedosa, quando quase todos são derrotados, Nitro quase escapando é pego por Namorita perto de uma escola.

O que não esperavam era a enorme explosão causada por Nitro. Centenas de pessoas morrem, incluindo os Novos Guerreiros, o produtor e o câmera do programa e dezenas de crianças que estavam na escola ao lado. Apenas Speedball, dos Novos Guerreiros, sobreviveu, graças aos seus poderes.

Após esse desastre, os Vingadores, X-Men e o Quarteto Fantástico e todos os super-humanos se juntaram para ajudar no salvamento. Diante dessa tragédia, um importante debate foi levado ao Congresso Nacional Norte-Americano: A Lei de Registro de Super-Humanos. A lei determina que os heróis devem se registrar junto ao governo e ter sua atuação regulada por ele. Além disso, os heróis devem revelar suas identidades secretas. Após ser agredido numa missa em homenagem as vítimas pela mãe de uma criança que estava na escola de Stamford, Tony Stark viu que agora, mais do que nunca, ele deveria apoiar a iminente lei.

Após ter tentado entrar numa boate sem esperar na enorme fila de entrada, o Tocha Humana é agredido pelo público que ali estava. Isso faz com que o Sr. Fantástico pensasse seriamente sobre sua atuação diante dos meta-humanos.

O Capitão América conversa com Maria Hill, chefe da S.H.I.E.L.D, em um dos enormes porta-aviões que ficam acima da cidade de Nova York. Ela tenta recrutar Steve ao seu lado, mas este não atende ao pedido. Depois de uma intensa luta, o Capitão foge, assim se tornando um foragido.

Depois dos eventos que exigem uma iniciativa, Homem de Ferro, Reed Richards e Jaqueta Amarela vão até o Congresso Nacional para votar a favor do registro, prometendo levar o Capitão a aceitar o registro.

Segunda publicação[editar | editar código-fonte]

Depois do sumiço do Capitão América, vilões começam a ser presos. Abutre, assim como outros vilões perigosos, são capturados pelo Capitão e seu grupo que agora entrou para a clandestinidade, e atua em um lugar cedido por Nick Fury . Patriota, dos Jovens Vingadores, é perseguido por agentes da SHIELD, que o flagram impedindo um assalto; isso resultou na sua fuga e perseguição. Depois de algum tempo, ele é capturado, assim como os seus companheiros de equipe. Porém, Capitão América e Falcão estão disfarçados para tirá-los dali ,depois de outra perseguição, chegando ao lugar cedido por Fury (que também estava na clandestinidade), eles encontram outros refugiados, como o Demolidor e Cable.

Enquanto isso, Reed Richards trabalha em um projeto com Tony Stark e Hank Pym, chamada de número quarenta e dois. Se trata de uma prisão para os super-humanos e vilões.

Em um pronunciamento pró-registro transmitido em rede nacional, Stark pede que o Homem-Aranha aparecesse para falar em público, onde até JJ Jameson assistia no momento. O Homem-Aranha então durante o seu discurso revela sua identidade secreta, retirando sua máscara perante a todos, dizendo a seguinte frase: "Meu nome é Peter Parker e eu sou o Homem-Aranha desde os quinze anos".

Terceira publicação[editar | editar código-fonte]

Enquanto o Capitão América, o Demolidor, o Hércules e o Golias Negro se disfarçam (com a ajuda de Nick Fury), o Homem de Ferro, o Sr. Fantástico e o Jaqueta Amarela, junto com a Vespa, vão procurar reforços para a Iniciativa. Tony conversa com Emma Frost. Ele pede que os X-Men ajudem o governo. Emma não aceita e anuncia neutralidade. Tony sai sem conseguir exatamente o que queria (o apoio de todo o grupo), mas antes de ir embora, é interrompido por Bishop, que entra para a Iniciativa.

O Sr. Fantástico procura o Pantera Negra, mas o monarca de Wakanda recusa. Ele diz que os americanos não estavam em seus assuntos, portanto, ele não iria interferir. Enquanto isso, Vespa vai atrás do Dr. Estranho. Seu ajudante, Wong, avisa-lhes que o mesmo havia ido aos pólos, para jejuar por seus companheiros durante quarenta noites.

Os "Vingadores Secretos", como são chamados o grupo do Capitão América, recebem a informação que pessoas haviam se ferido numa explosão de uma fábrica. Chegando lá, Cable, ao ver uma placa de Tony Stark, percebe que era apenas uma armadilha. Porém, ao tentar avisar, Manto e Wiccano são sedados, impedindo o teleporte. A Iniciativa aparece. O Homem de Ferro tenta persuadir o Capitão América, porém os dois lados começam a batalhar. O Jaqueta Amarela ataca o Golias Negro. Os Jovens Vingadores e Cable lutam contra o Coisa e a Mulher-Hulk. O Dr. Samson ataca o Hércules e o Homem-Aranha luta em particular com o Capitão América, mas o Homem de Ferro o surpreende pelas costas.

Quando Hércules tenta salvá-lo, o campo de batalha é dilacerado por um enorme raio, os heróis então procuram o causador disso apenas para descobrir que Thor havia retornado.

Quarta publicação[editar | editar código-fonte]

Thor reaparece e ataca a resistência quando todos pensavam que ele estava morto. O Homem de Ferro usa uma arma sônica, deixando todos atordoados. Hércules luta contra o Homem de Ferro e a arma sônica é destruída. Quando os demais se levantam para lutar, Thor ataca ferozmente o Golias Negro, e o mata. Isso fez com que todos ficassem chocados, pois aquela não seria uma atitude típica de Thor (posteriormente, foi revelado que tratava-se de um clone de Thor, criado secretamente por Reed Richards e Tony Stark para ser usado como arma). A resistência escapa com a ajuda de Susan Storm (a Mulher Invisível).

Todos se perguntam se estão do lado certo. O Homem-Aranha também fica abalado e começa a questionar a decisão de entrar para a Iniciativa.

Depois do enterro de Bill, Reed estranha as ações de Peter e desconfia de que ele esteja do lado dos "Vingadores Secretos" da resistência, ainda depois disso, Sue e Johnny Storm abandonam Reed e decidem entrar para a resistência. Stark revela um de seus trunfos para derrotar a resistência, os Novos Thunderbolts.

Quinta publicação[editar | editar código-fonte]

Johnny e Sue Storm são perseguidos pelos céus de Nova York. Eles conseguem fugir e encontram outros heróis da resistência.

Depois da Morte de Golias, o Homem-Aranha decide abandonar a Iniciativa. Ele enfrenta o Homem de Ferro, porém, a SHIELD intervém e ele consegue escapar. Maria Hill decide tomar medidas extremas: Enviar uma força minima dos Novos Thunderbolts para caçá-lo. Polichinelo e Halloween vão à caça de Peter e espancam o cabeça de teia nos esgotos, mas acabam sendo mortos pelo Justiceiro, que leva Peter até o QG da Resistência.

Os Vingadores Secretos se reúnem para criar um plano de entrar no Edifício Baxter para salvar seus amigos da prisão. Logo depois, Justiceiro entra, carregando Peter ensanguentado nos braços, pedindo por um médico. É revelado que Tigresa era uma agente infiltrada espionando para Stark.

Tony Stark prende o Demolidor e tenta fazer que o mesmo se una à Iniciativa, mas Demolidor lhe dá uma moeda de prata e diz " Durma bem... Judas..."

Sexta publicação[editar | editar código-fonte]

Maria Hill os novos heróis de Tony Stark, enquanto Frank Castle invade o Edifício Baxter, para obter a planta da prisão na Zona Negativa. Enquanto isso, a Mulher Invisível tenta convencer Namor a se juntar aos Vingadores Secretos, mas este não parece interessado.

O Justiceiro é banido da equipe por matar dois vilões que iam se aliar ao grupo do Capitão, o Escaravelho Dourado e o Saqueador. Na Zona Negativa é mostrado que o Pantera Negra e Tempestade se uniram aos Vingadores Secretos.

A batalha final entre a Iniciativa e os Vingadores Secretos se inicia na Zona Negativa, onde se revela a traição de Tigresa e que o Dr. Hank Pym havia sido substituído pelo Hulkling desde a manhã do dia. Eles liberam todos os presos, incluindo o Demolidor, Manto e Adaga, equilibrando fortemente as forças dos dois lados.

Começa a Batalha Final...

Sétima publicação[editar | editar código-fonte]

Personagens principais:

Os Vingadores Secretos atacam a Iniciativa então uma guerra intensa começa. Pantera Negra e Adaga descobrem que havia um plano para prender todos os rebeldes e pedem para Manto retirar todos de lá, então ele teleporta todos para o centro de Nova York.

Capitão América luta com Lady Letal, Mercenário e Venom, quando Namor chega e o salva, Treinador tenta atingir a Mulher Invisível com um tiro quando o Sr. Fantástico a protege, assim sendo atingido, Mulher Invisível esmaga o Treinador contra o chão fazendo com que ele ficasse desacordado. Depois de Hércules destruir o clone do Thor, os Vingadores Secretos estão vencendo a batalha, mas Capitão América se vê lutando não por uma causa que acreditava, mas sim apenas causando destruição, isso faz com que ele se rendesse, dando a vitória para a Iniciativa.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Em outras mídias[editar | editar código-fonte]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Captain America: Civil War

A adaptação produzida pelo Marvel Studios saiu em 28 de abril de 2016 e recebeu diversas críticas positivas,[5] embora tenha muitas diferenças em relação ao enredo do quadrinho.[6] O filme se tornou um dos grandes sucessos de bilheteria do ano.[7]

Literatura[editar | editar código-fonte]

A história também foi transposta para o formato literário romance, pelo escritor Stuart Moore.[8]

Jogos eletrônicos[editar | editar código-fonte]

A saga foi adaptada no jogo eletrônico Marvel Ultimate Alliance 2, lançado para diversas plataformas em 2009.[9]

Títulos derivados[editar | editar código-fonte]

Rumo à Guerra Civil

Civil War #1

Civil War #2

Civil War #3

Civil War #4

Civil War #5

Civil War #6

Civil War #7

Civil War - Epílogos

Publicação no Brasil[editar | editar código-fonte]

A minissérie foi publicada originalmente no Brasil em sete partes (assim como nos EUA) pela Panini Comics. Para divulgar o evento, a editora lançou nas bancas o Clarim Diário, jornal fictício do universo Marvel, cobrindo os acontecimentos da saga. O primeiro número foi publicado em julho de 2007.[10]

Em 2010, a editora publicou a minissérie completa em formato de luxo.[11] Em 2014, a história foi republicada na Coleção Oficial de Graphic Novels da Marvel.[12]

Referências

  1. «Sagas Marvel | Guerra Civil». Plano Crítico. 22 de abril de 2016. Consultado em 12 de setembro de 2016 
  2. «The Best Comic Book Events». IGN (em inglês). 30 de maio de 2011. Consultado em 6 de outubro de 2017 
  3. Rossi, Jones (27 de abril de 2016). «O que você precisa saber para entender a "Guerra Civil" da Marvel». Gazeta do Povo. Consultado em 6 de outubro de 2017 
  4. Jacobs, Guilherme (7 de dezembro de 2015). «Marvel confirma Guerra Civil 2 nos quadrinhos». Jovem Nerd. Consultado em 6 de outubro de 2017 
  5. «'Capitão América: Guerra civil' é o melhor filme da Marvel, dizem críticos». G1. 15 de abril de 2016. Consultado em 30 de agosto de 2016 
  6. Domingos, Diego (12 de janeiro de 2016). «Diretores de 'Capitão América' voltam a dizer: "Da HQ só tiramos o conceito da Guerra Civil"». Cine Pop. Consultado em 6 de outubro de 2017 
  7. Sousa, Camila (6 de janeiro de 2017). «Capitão América: Guerra Civil é o filme com a maior bilheteria mundial de 2016». Omelete. Consultado em 6 de outubro de 2017 
  8. Bridi, Natália (4 de abril de 2016). «Guerra Civil e outras versões romanceadas de clássicos da Marvel». Omelete. Consultado em 6 de outubro de 2017 
  9. Silva, Bruno (18 de julho de 2016). «Marvel Ultimate Alliance 2 pode ser remasterizado para o PlayStation 4». The Enemy. Omelete Group. Consultado em 12 de setembro de 2016 
  10. Borgo, Érico (4 de julho de 2007). «Finalmente! Guerra Civil da Marvel chega ao Brasil». Omelete. Consultado em 6 de outubro de 2017 
  11. Sollitto, André (1 de outubro de 2010). «Guerra Civil». Universo HQ. Consultado em 6 de outubro de 2017 
  12. «COLEÇÃO DE GRAPHIC NOVELS MARVEL, A - VOL.50: GUERRA CIVIL». HQ Maniacs. 8 de maio de 2014. Consultado em 6 de outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]