Assassin's Creed IV: Black Flag

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Assassin's Creed IV: Black Flag
Desenvolvedora Ubisoft Montreal[1] [2] [3]
Publicadora(s) Ubisoft
Distribuidora Ubisoft
Produtor Sylvain Trottier
Escritor(es) Darby McDevitt
Compositor(es) Brian Tyler, Olivier Derivière (Freedom Cry)[4]
Motor AnvilNext[5]
Plataforma(s) Xbox 360
PlayStation 3
PlayStation 4[6]
Wii U
Microsoft Windows[7]
Xbox One[8]
Série Assassin's Creed
Data(s) de lançamento
Gênero(s) Acção-aventura, Stealth, Mundo-aberto,
Modos de jogo Um jogador, multijogador[9]
Mídia Disco óptico, formato digital

Assassin's Creed IV: Black Flag é um videojogo de ação-aventura com elementos de stealth, jogado na terceira pessoa num mundo aberto desenvolvido pela Ubisoft Montreal, juntamente com sete outros estúdios da Ubisoft. Black Flag é o sexto jogo principal da série Assassin's Creed e uma sequela da história moderna de Assassin's Creed III e uma analepse para a sua história ancestral. Foi editado durante os meses de Outubro e Novembro de 2013 pela Ubisoft para Microsoft Windows, PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox One, Xbox 360 e Wii U.

Assassin's Creed IV: Black Flag começa em 1715 e conta a história de Edward Kenway, um notável pirata e corsário que viveu na Época Dourada da Pirataria, pai de Haytham Kenway e avô de Ratonhnhaké:ton (Connor Kenway), os personagens jogáveis ​​de Assassin's Creed III, que se vê no meio do eterno conflito entre Assassinos e Templários. Ao contrário dos jogos anteriores, em Black Flag o foco do jogo é mais dirigido à exploração naval, mas mantendo o combate e aventuras em terra em várias ilhas das Caraíbas. O jogo também inclui uma componente multijogador, apesar de só ser jogado em missões e cenários em-terra.

Assassin's Creed IV: Black Flag foi muito bem recebido pelos críticos com os sites de críticas agregadas GameRankings e Metacritic a darem à versão PlayStation 3 88.47% e 88/100 e à versão Xbox 360 85.00% e 86/100, respectivamente. As análises elogiaram sobretudo o mundo aberto, as missões secundárias, os gráficos e o combate naval. O enredo teve uma recepção variada, enquanto que as críticas foram mais dirigidas às missões da história consideradas por vezes repetitivas.

Um sucesso comercial com mais de 10 milhões de cópias vendidas,[10] Black Flag recebeu diversos prémios incluindo "Melhor Jogo de Acção/Aventura" nos Spike VGX, "Jogo do Ano para Consola" pela Kotaku, "Jogo do Ano" para PlayStation 4 e Xbox One pela GameSpot, "Melhor Jogo de Aventura" da Hardcore Gamer e "Jogo do Ano" para Xbox One atribuído pela IGN.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

O jogo tem três cidades principais; Havana, capital de Cuba, descrita como a cidade mais europeia do jogo de influencia espanhola; Kingston, uma cidade britânica, cercada por plantações de tabaco; e Nassau, base dos Bucaneiros das Bahamas, a zona mais tradicionalmente pirata do jogo.[6] [11] Também tem outras cinquenta localizações para explorar, como grutas cheias de piratas e ladrões, pequenas vilas piscatórias onde o jogador pode fazer missões secundárias, plantações ricas de tabaco com missões de objectivos piratas, os tradicionais fortes da série, ruínas Maias, ilhas desertas de coqueiros onde se pode encontrar homens abandonados para a tripulação e densas áreas de florestas para explorar, para além do Mar das Caraíbas, com um balanço de 60/40 de exploração terrestre para batalhas navais e viagem.[5] [6] [11]

Novo na série, em Black Flag o jogador poder fazer exploração submarina.[6] [11]

Assassin's Creed IV tem uma melhor sensação de mundo aberto, com missões similares às encontradas em Assassin's Creed, bem como há menos restrições para o jogador. O mundo desbloqueia mais cedo durante o jogo, ao contrário de Assassin's Creed III, que tinha missões que não davam liberdade ao jogador até pelo menos chegar ao fim do primeiro acto.[12] [13] [14] O mundo foi construído para permitir dar aos jogadores mais liberdade, como por exemplo, permitir que os jogadores se envolvam, vão a bordo, e capturem outros navios e nadar para as praias nas proximidades de uma maneira contínua.[5] [9] Em adição, o sistema de caça mantém-se, permitindo caçar em terra, ou baleias no mar com harpão.[5] [6] [11]

Um novo aspecto do jogo é o navio comandado por Edward, o Jackdaw. Jackdaw pode ser actualizado durante o jogo, e o jogador pode ter acesso ao navio quando é necessário.[12] Também é possível a exploração submarina. Kenway pode explorar destroços submersos cheios de tesouros, que se encontram no fundo do oceano.[6] [11] A bordo do navio o jogador pode usar uma luneta para analisar outros navios nas redondezas, anotar o saque a bordo (medido pela quantidade de rum, ouro, roupas e outros itens especiais) e planear um ataque, ou ver se uma ilha tem animais para caçar, tesouros ou pontos altos para escalar. Uma forma de sistema de recrutamento, similar a Assassin's Creed: Brotherhood, regressará para este jogo.[6] [11]

O tempo é dinâmico podendo mudar o tom de uma batalha naval. Tempestades podem aparecer no ambiente, e o jogador poderá escolher evitá-las ou não. Navios inimigos também serão afectados pelo clima, permitindo-lhe ganhar uma vantagem táctica.[15] A ondulação do mar também pode servir como forma de protecção.[15]

No presente, nos escritórios da Abstergo Entertainment — uma subsidiária da Abstergo Industries — em Montreal, Quebeque, os jogadores podem explorar os escritórios da Abstergo, utilizando escutas e infiltrações informáticas, sem combate. Também há jogos de "hacking", similar aos anteriores puzzles de glifo ou cluster, que servem para descobrir segredos sobre a Abstergo.[16] [17]

O jogo também tem uma componente multijogador online, num novo cenário e com novos modos de jogo. No entanto será apenas jogado em terra.[6] [11]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Personagens[editar | editar código-fonte]

O personagem principal do jogo é Edward Kenway (Matt Ryan), um galês que se tornou pirata, eventual membro da Ordem dos Assassinos, pai de Haytham Kenway e avô de Ratonhnhaké:ton (Connor Kenway), os personagens jogáveis ​​de Assassin's Creed III. Os jogadores irão se cruzar com vários personagens históricos daquela época como os piratas Benjamin Hornigold, Charles Vane, Calico Jack, Anne Bonny e Edward "Blackbeard" Thatch,[nota 1] [18] bem como fazer parte de eventos históricos como o assalto aos 42 navios portugueses, o naufrágio do ouro maciço da armada espanhola na costa da Flórida ou o abanondono de Charles Vane numa ilha deserta.[6]

Cenário[editar | editar código-fonte]

Tal como nos jogos anteriores de Assassin's Creed, a história está dividida em duas partes interligadas, uma no presente, e outra num cenário histórico. O final de Assassin's Creed III revela que a Abstergo pode ver as memórias genéticas apenas por ver as sequências de ADN. Como tal, a personagem do jogador é contratada pela Abstergo Entertainment para investigar um protagonista ancestral de Desmond Miles, o Assassino Edward Kenway, um notável pirata e corsário que viveu durante a Era Dourada da Pirataria. A história de Edward começa em 1715 e foca-se nas Caraíbas, misturando mundo aberto, exploração, combates em navio e aventuras em terra em várias ilhas e cidades da região,[1] como Havana, Kingston e Nassau, em adição a cinquenta outras localizações incluindo a zona sul da Flórida.[6]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Assassin's Creed
(Cronologia Fictícia)

Altaïr's Chronicles
Assassin's Creed
Bloodlines
Assassin's Creed II
Discovery
Assassin's Creed II (continua)
Brotherhood
Revelations
IV: Black Flag
Assassin's Creed III
III: Liberation

Amostras retiradas do corpo de Desmond Miles, momentos após a sua morte, permitiram à Abstergo Industries continuar a explorar as suas memórias genéticas utilizando o Animus, com novas características de computação em nuvem. O personagem do jogador, não identificado, é contratado pela Abstergo Entertainment para vasculhar as memórias de Edward Kenway, um pirata do século XVIII, o pai de Haytham Kenway e avô de Connor Kenway (os personagens principais ​​de Assassin's Creed III). Aparentemente, seria para reunir material para um filme interactivo alimentado por Animus, mas na realidade a Abstergo (Templários actuais) está procurando o Observatório, usando as memórias de Edward Kenway para encontrá-lo.[19]

Como Kenway, o jogador deve desvendar uma conspiração entre os Templários de alta patente dentro dos impérios britânico e espanhol, que, sob o pretexto de limpar a pirataria nas Caraíbas, usaram as suas posições para localizar o sábio - mais tarde identificado como Bartholomew Roberts - o único homem que pode levá-los ao Observatório, usando-o para espionar líderes mundiais. Kenway torna-se um jogador inconsciente na sua trama, quando ele mata um Assassino desonesto, Duncan Walpole. Walpole quer trair os Assassinos para fazer parte da Ordem dos Templários, ele estava a caminho de Havana para conhecer Laureano de Torres, o governador de Havana e também o chefe dos Templários. O Governador Torres deveria dar a Walpole uma recompensa para deixar os Assassinos. Kenway, então, tenta fingir ser Walpole e conhece Torres para ganhar o dinheiro da recompensa. Sua imprudência coloca em risco toda a Ordem dos Assassinos, o que levou-o a prosseguir o Sábio e os conspiradores da Península de Yucatán até Príncipe e na costa Africana.[19]

Enquanto isso, um bando de notórios piratas - incluindo Edward "Blackbeard" Thatch, Benjamin Hornigold e Charles Vane, entre outros - sonham com um estado em que o homem é livre para viver fora do alcance dos reis e governantes. Como egoísta e ignorante como Kenway é, ele ainda se importa com seus companheiros piratas e quer fazer da República Pirata um sucesso. Kenway quer encontrar o Observatório para se tornar rico e poderoso, mesmo que isso signifique que sua equipa iria perder a sua fé nele, por causa das suas fantasias. Eventualmente, Kenway e Roberts descobrem a localização do Observatório e recuperam o artefacto para ligá-lo, mas Kenway é traído no último momento. Após um breve período na prisão pelos crimes de pirataria, Edward foge com a ajuda de Ah Tabai, o Assassino Mentor, e elege para integrar a sua Ordem. Perseguindo Roberts e os conspiradores Templários, Kenway recupera o artefacto e retorna para o Observatório, selando-o para sempre. Ele é deixado enfrentando um futuro incerto com suas recém convicções recém até que recebe uma carta informando-o da morte de sua esposa e da chegada iminente da sua filha até então desconhecida, Jennifer Scott.[19]

Nos dias actuais, o jogador é contactado por John, gerente de tecnologia da informação da Abstergo Entertainment. John convence o jogador de que seu empregador sabe mais do que eles estão dizendo, e encoraja-o a investigar com mais detalhes. Ele organiza uma maneira do jogador aceder ao núcleo do Animus, altura em que Juno se materializa numa forma incorpórea. Ela revela que, embora fosse necessário abrir o seu templo para evitar um desastre, o mundo não estava pronto para ela, e ela não é capaz de afetá-lo ou possuir o personagem do jogador como os seus agentes pretendiam. John é desmascarado como a forma reencarnada do Sábio e seguem-se tentativas de assassinar o jogador para encobrir a tentativa fracassada de ressuscitar Juno, mas é morto pelos segurança da Abstergo antes que ele possa fazê-lo. Conforme Roberts, o Sábio admite a Kenway que ele não deve nenhuma lealdade aos Assassinos ou os Templários e em vez disso usa quem ele acha que representa a sua melhor chance de alcançar seus fins. Com o Sábio morto, o jogador é contactado pelos assassinos para continuarem a sua infiltração em Abstergo, mas nenhum dos lados é capaz de explicar a presença do Sábio ou identificar os seus seguidores.[19]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A 7 de Fevereiro de 2013, Yves Guillemot, CEO da Ubisoft, disse em entrevista que um novo videojogo da série estava em produção, seria editado durante esse ano financeiro e que teria um "herói totalmente novo, com uma nova equipe e período de tempo".[20]

Publicidade a Black Flag no Japão.

Dias depois a Kotaku revelou imagens de um poster promocional do jogo. O poster intitulado Assassin's Creed IV: Black Flag, mostra piratas num dos lados e no seu reverso tinha um mapa das Caraíbas em 1715.[21] [22]

A 28 de Fevereiro de 2013, a Ubisoft colocou a sua primeira imagem promocional e capa do seu próximo jogo da série, anunciando o título do jogo como sendo Assassin's Creed IV: Black Flag e mostrava uma personagem que segura uma flintlock e uma espada com uma bandeira negra ao fundo com o desenho do símbolo dos Assassinos juntamente com uma caveira.[2] [23] [24]

Um pequeno erro na página oficial de Assassin's Creed IV sugeria que o jogo iria ser lançado nas consolas da próxima geração e que 29 de Outubro de 2013 seria a data do seu lançamento.[25] Tal viria a verificar-se no primeiro vídeo do jogo, narrado por Black Beard, que vazou para a Internet a 2 de Março de 2013, mas imediatamente retirado pela Ubisoft, vídeo esse que dias mais tarde veio a confirmar-se como oficial.[26] [27]

Assassin's Creed IV: Black Flag, foi anunciado oficialmente a 4 de Março de 2013 com um vídeo cinemático.[27] A produção começou em meados de 2011 na Ubisoft Montreal, após Assassin's Creed: Revelations e por uma equipa separada daquela de Assassin's Creed III, com trabalho adicional da Ubisoft Annecy, Bucharest, Kiev, Montpellier, Quebec, Singapore e Sofia.[3]

O director de conteúdos Carsten Myhill, quis afastar a opinião de que Black Flag deveria ter sido um "spin-off" na mesma ideia de Assassin's Creed: Brotherhood ou Assassin's Creed: Revelations, dadas as semelhanças aparentes com Assassin's Creed III. Myhill afirmou "Todo o ambiente do jogo é completamente fresco e novo. Vai ser muito diferente de Assassin's Creed III. Eu acho que justifica o 'IV' em Assassin's Creed, não só pelo novo nome e definição, mas pela atitude e o tom da experiência."[28] [29] Assassin's Creed IV é o primeiro título numerado da série com um sufixo, uma decisão que Myhill diz ser para distinguir claramente o tema de piratas do resto da série.[28] [29]

Ao utilizar o motor AnvilNext, a equipa de produção consegue assim trabalhar com um motor que permite fazer versões do jogo para a actual geração como para a próxima geração de hardware, porque o AnvilNext foi desenhado com as capacidades da próxima geração em mente, enquanto ainda trabalha nos sistema actuais.[5] Em adição, cada sistema terá os seus próprios meandros e conjuntos de recursos, com suporte para os diferente controladores e ao mesmo tempo utilizando características específicas para cada consola.[5] A versão para PC suporta TXAA da Nvidia.[30]

Música[editar | editar código-fonte]

Assassin's Creed IV: Black Flag (Original Game Soundtrack)
Banda sonora de Brian Tyler
Lançamento 14 de Outubro de 2013 (2013-10-14)
Gênero(s) Banda sonora de videojogos
Duração 1:41:33
Gravadora(s) Ubisoft Music

Assassin's Creed IV: Black Flag (Original Game Soundtrack) foi composta por o compositor Brian Tyler, que também tinha criado a banda sonora do jogo Far Cry 3. A banda sonora foi lançada em Amazon MP3 e no iTunes a 14 de Outubro de 2013.[31] Foram lançadas mais duas bandas sonoras:

  • Assassin's Creed IV: Black Flag (Game Soundtrack - Sea Shanty Edition), uma segunda banda sonora que contém 16 canções por vários artistas, editada na Amazon MP3 e iTunes a 29 de Outubro de 2013.[32]
  • Assassin's Creed IV: Black Flag (Game Soundtrack - The Complete Edition), uma edição completa que inclui as duas anteriores assim como a música da componente multijogador, escrita por Joe Henson e Alexis Smith, lançada no Amazon MP3 e iTunes a 2 de Dezembro de 2013.[33]

A música da expansão Freedom Cry foi criada pelo compositor francês Olivier Deriviere. Foi gravada nos estúdios Avatar Studios em Novo Iorque, juntamente com La Troupe Makandal, um grupo de música tradicional haitiana, e nos Galaxy Studios na Bélgica com a Orquestra Filarmónica de Bruxelas.[4]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Assassin's Creed IV: Black Flag foi editado para PlayStation 3, Xbox 360 e Wii U a 29 de Outubro de 2013.[34] [35] Em Setembro de 2013 foi anunciado que a versão para Microsoft Windows seria editada a 19 de Novembro de 2013 na América do Norte e a 22 de Novembro de 2013 na Europa.[36] [37] [38] Foi confirmado que Black Flag seria um título de lançamento para PlayStation 4 e Xbox One, com a versão PlayStation 4 a ser editada a 15 de Novembro de 2013 na América do Norte e a 29 de Novembro de 2013 na Europa[39] e a versão para Xbox One a 22 de Novembro de 2013.[36]

Bónus de pré-reserva[editar | editar código-fonte]

A 25 de Março de 2013 a Ubisoft detalhou os vários bónus de pré-reserva e as edições especiais de Assassin's Creed IV: Black Flag. Na América do Norte, os clientes que fizerem a pré-reserva de Assassin's Creed IV: Black Flag na GameStop recebem o pacote The Black Island. O pacote contém uma missão extra de caça ao tesouro na Black Island (Ilha Negra), acesso ao Black Ship (Navio Negro), duas pistolas flintlock de prata usadas pelo Capitão Morgan, itens adicionais do Capitão Morgan para usar no multijogador e um poster desenhado pelo artista de banda desenhada Todd McFarlane.[40]

A Ubisoft anuciou que o Uplay Passport seria removido de Assassin's Creed IV e de todos os seus futuros jogos. O Uplay Passport vinha com todas as cópias do jogo e era necessário para aceder ao multijogador e ao mini-jogo Edward's Fleet. Antes da remoção, os possuidores de jogos usados poderiam fazer a transferência do Uplay Passport através de um pagamento antecipado.[41] [42]

A Ubisoft criou de novo uma parceria com a Sony para incluir conteúdo exclusivo para as versões PlayStation 3 e PlayStation 4.[7] [43] O conteúdo exclusivo vai incluir três missões com a protagonista do jogo Assassin's Creed III: Liberation, Aveline de Grandpré. O conteúdo Aveline, escrito por Jill Murray escritor de Liberation, começa depois da conclusão de Liberation.[44]

Conteúdo adicional[editar | editar código-fonte]

Em Junho de 2013 a Ubisoft confirmou o "Season Pass" de Assassin's Creed IV: Black Flag para todas as plataformas, excepto Wii U.[45] [46] O Season Pass inclui o pacote Kraken Ship Pack com mais opções de personalização para o Jackdaw, missões para a campanha, armas, skins, coleccionáveis e personagens para o modo multijogador. A "Season Pass" também inclui o conteúdo Freedom Cry em que os jogadores irão jogar com Adewale, um assassino e braço direito de Edward Kenway. A história, escrita por Jill Murray que também escreveu Liberation e o conteúdo Aveline de Black Flag,[47] acontece quinze anos depois da campanha principal, em que Adewale se encontra naufragado em Saint-Domingue sem armas nem tripulação. Freedom Cry inclui uma nova localização, Port-au-Prince, no Haiti, e coloca o jogador num mundo dominado pela escravatura.[48] [49] O conteúdo Freedom Cry ficou disponível a 17 de Dezembro de 2013.[50]

Em Janeiro de 2014, através do Ubisoft Blog, foi revelado o pacote Illustrious Pirates, que adiciona conteúdo que era exclusivo apenas para compras no retalho, como missões para a campanha, fatos e melhorias para o Jackdaw. Illustrious Pirates está disponível para PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 3, Xbox 360 e PC, e é gratuito para os possuidores do "Season Pass".[51]

Edições especiais[editar | editar código-fonte]

Conteúdo da "Black Chest Edition".

Foram anunciadas quatro edições adicionais de Assassin's Creed IV: Black Flag, a Special Edition, Skull Edition, Buccaneer Edition e a Black Chest Edition:[40] Por forma a melhorar todas as edições de retalho, a Amazon ofereceu a Assassin's Creed IV: Black Flag Lethal Pirate Edition, uma edição centrada em redor do pirata Black Bart. O pacote inclui uma figura de Black Bart, o conteúdo Hidden Mistery e um wallpaper digital desenhado por Todd McFarlane.[52]

Em Março de 2014 foi anunciada a Jackdaw Edition, disponível apenas para PC, PlayStation 4 e Xbox One e inclui todo o conteúdo da "Season Pass".[53]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Criticas Profissionais[editar | editar código-fonte]

Assassin's Creed IV: Black Flag foi muito bem recebido pelos críticos. As análises elogiaram sobretudo o mundo aberto, as missões secundárias, os gráficos e o combate naval. O enredo teve uma recepção variada, enquanto que as críticas foram mais dirigidas às missões da história consideradas por vezes repetitivas. Os sites de críticas agregadas GameRankings e Metacritic a darem à versão PlayStation 3 88.47% e 88/100[71] [74] e à versão Xbox 360 85.00% e 86/100,[73] [76] respectivamente.

Black Flag foi considerado no geral superior ao seu antecessor, Assassin's Creed III,[64] [70] com Joe Juba da Game Informer a fazer notar que a Ubisoft respondeu às críticas do jogo anterior, rectificando-as.[60] Matt Gilman da Computer and Video Games chamou ao jogo "o regresso à boa forma da série",[55] enquanto que Mikel Reparaz da Official Xbox Magazine disse que "Black Flag é exactamente aquilo que Assassin's Creed necessitava."[65] Dias após o seu lançamento, Assassin's Creed IV: Black Flag foi colocado em 2º lugar na lista da IGN "Os Melhores Jogos Assassin's Creed", atrás de Assassin's Creed II.[77]

Muitos analistas dirigiram enorme aclamação à estrutura em mundo aberto do jogo, com a Edge a declarar que Black Flag "marca uma nova referencia não apenas para a série da Ubisoft mas para todos os jogos em mundo aberto."[56] Tom Bramwell da Eurogamer chamou à jogabilidade em mundo aberto "uma surpreendente lufada de ar fresco,"[78] enquanto Gilman afirmou que "revitaliza a série."[55]

O tamanho enorme do mapa também foi muito elogiado. Marty Sliva da IGN refere que "passadas 50 horas a jogar ainda estou a descobrir novas ilhas para explorar e túmulos para descobrir",[63] e Greg Tito da The Escapist a dizer que o jogo "dá-te todas as Caraíbas".[79] Os colecionáveis e as missões secundárias também foram elogiadas,[55] porque encorajam activamente o jogador a explorar todo o mundo,[63] [78] com Shaun McInnis da GameSpot a dizer que "Black Flag "apresenta um mundo cheio de aventura e oportunidades [e] cheio de razões para ser explorado."[59] De acordo com as análises, no geral as missões secundárias são superiores às principais,[57] [60] com Marty Sliva a afirmar que "Black Flag está ao seu melhor [quando tu] vais em busca do teu próprio divertimento."[63] As missões secundárias de assassinatos foram particularmente elogiadas.[60] [80] A exploração fluída entre o navio, terra, e mar sem tempos de carregamento também foi objecto de muitos elogios.[59] [80]

A GameSpot deu a pontuação 9/10, elogiando o mundo vibrante e bonito, o combate naval, o sistema de progressão, a história de piratas e a exploração fluída sem tempos de carregamento.[59] A IGN deu 8.5/10 afirmando que "Assassin's Creed IV: Black Flag é uma lindíssima, e fantástica sequela que te dá a liberdade de criar o teu próprio divertimento."[63]

Os gráficos receberam aclamação crítica. A Edge diz que "de um ponto de vista gráfico, o mundo de Black Flag foi feito para ser admirado independentemente da plataforma onde se é jogado".[56] Os analistas elogiaram o mundo aberto como "bonito" e "lindíssimo";"[55] [59] Sliva chamou a Black Flag "um dos jogos mais bonitos de 2013."[63] O nível de detalhe também foi elogiado,[57] com a água, a chuva e o oceano, a serem citados como "incríveis" para olhar.[55] [60]

O sistema de combate naval também recebeu elogios. Foi dito que o combate naval de Assassin's Creed III era o melhor do jogo, e consequentemente elogiando Black Flag por o ter melhorado.[56] Tito explicou que as missões navais de Assassin's Creed III eram lineares e limitadas, em Black Flag ao jogador é-lhe oferecido mais liberdade para explorar, lutar ou navegar para onde quiser.[79] McInnis disse que o jogo "dá mais ênfase ao combate naval," e afirma que "construído sobre o lado naval deACIII, para criar uma experiência tanto ou mais importante que as missões em terra."[59] O combate naval recebeu elogio pela possibilidade de entrar noutros navios e em fortes costeiros,[79] assim como a jogabilidade sem interrupções e fluída entre navios e combate de espada,[59] [80] com Tito a dizer "um sistema duplo que tanto recompensa a perícia em combate naval e acção pirata."[79]

A história recebeu uma resposta variada dos críticos. Reparaz elogiou-a como sendo "viciante" e uma das melhores da série. Reparaz e McInnis também complementaram sobre os personagens, e elogiaram a história que explora o lado humano dos piratas.[59] [65] Bramwell sentiu que a história "desabrocha," elogiando particularmnte os personagens secundários.[78] Joel Gregory da Official PlayStation Magazine sentiu que a história de Black Flag não era nada de único na série, apesar de elogiar os personagens "bem mais interessantes, agradáveis, e variados" que em jogos anteriores.[81] Enquanto elogiou a primeira metade do enredo, Gilman foi mais crítico na segunda parte, dizendo que a fluidez com alguns erros na estrutura fazem com que o jogador se sinta apático em relação aos protagonistas.[55] tanto Sliva como Juba criticaram a história principal,[63] com Juba a queixar-se da falta de propósito, ou de um antagonista competente, sentido que a maior parte dos personagens secundários estão subdesenvolvidos.[60]

As missões da história também tiveram uma resposta variada. Reparaz, que deu ao jogo muito elogios sentiu que as missões da história eram o ponto mais fraco de Black Flag.[65] Juba e Steven Burns da VideoGamer, ambos sentiram que a maior parte das missões eram repetitivas e aborrecidas.[60] [70] Tito, no entanto, disse que eram variadas, e que os bocados mais frustrantes compensavam por serem desafiantes.[79] Um aspecto particular que recebeu muita crítica por muitos dos analisats foram as missões de escuta e de perseguição,[56] [59] [60] [65] [70] [78] [79] com muitos a fazerem notar que tais problemas deviam ter sido arranjados e retirados por inteiro da série.[55] [81] As missões de perseguição também foram estendidas para as missões no mar, com os analisas a criticarem esta forma de acção furtiva (stealth) naval.[56] [64] O ritmo do jogo e o seu começo foram elogiados, porque introduzem o mundo pirata sem necessidade de grandes tutoriais,[57] [63] [80] com Juba a notar que é uma melhoria sobre Assassin's Creed III.[60]

Alguns críticos apelidaram Black Flag ao dizer que é mais um jogo sobre piratas do que propriamente um Assassin's Creed, porque dá muito foco à jogabilidade pirata, à sua história e personagens.[56] [64] [80] [81] Os críticos disseram que tal favorece o jogo; elogiaram Black Flag por ser mais brando e leve em tom do que jogos anteriores,[56] [63] [70] [80] Gilman afirmou que "Black Flag é melhor jogo de piratas que um jogo sobre assassinos,"[55] com Tom Senior da revista PC Gamer a dizer que "Black Flag não quer ser um jogo Assassin's Creed, e [...] tal é uma jogada bem vinda."[80] Reparaz disse que foi o melhor jogo de piratas que jogou,[65] enquanto Ray Carsillo da Electronic Gaming Monthly declarou Black Flag como "provavelmente o melhor simulador de piratas da história dos jogos."[57] Tito disse que a jogabilidade de Black Flag era como se fosse uma versão 3D de Sid Meier's Pirates!.[79] A personagem de Edward Kenway como um pirata auto-motivado, mais que um Assassino, foi muito elogiado.[59] [63] [70] [78] Sliva acredita que a personagem de Edward foi "uma mudança fresca na série, que se estava a tornar demasiado séria,"[63] e tanto ele como Gilman afirmaram que Edward é mais "vivo", "saboroso" e "simpático" que Connor, o protagonista principal de Assassin's Creed III.[55] [63]

Vendas[editar | editar código-fonte]

Durante a primeira semana de vendas no Reino Unido, Assassin's Creed IV: Black Flag tornou-se no jogo mais vendido em todos os formatos, à frente de Battlefield 4.[82] No entanto, as vendas nas semanas inicias foram 60% mais baixas que Assassin's Creed III. A Ubisoft queixou-se devido à falta de certezas sobre a transições entre gerações de consolas.[83] de acordo com NPD Group, Assassin's Creed IV: Black Flag foi o terceiro jogo mais vendido em Novembro de 2013 nos Estados Unidos, atrás de Call of Duty: Ghosts e Battlefield 4.[84] Em Fevereiro de 2014, a Ubisoft anunciou que no fim de 2013, o jogo já tinha vendido 10 milhões de cópias.[10]

Prémios e Honras[editar | editar código-fonte]

Dias após o seu lançamento, Assassin's Creed IV: Black Flag foi colocado em 2º lugar na lista da IGN "Os Melhores Jogos Assassin's Creed".[77] Em Novembro de 2013, a Hardcore Gamer colocou o jogo na posição 70 na lista "Top 100 Jogos desta Geração".[85]

Assassin's Creed IV: Black Flag recebeu nomeações para Jogo do Ano incluindo da Cheat Code Central,[86] GameSpot,[87] da Inside Gaming Awards,[88] [89] e Kotaku.[90] Ganhou o prémio Spike VGX para Melhor Jogo de Acção Aventura,[91] o prémio Jogo do Ano para Consola da Kotaku,[92] e os prémios da GameSpot para Jogo do Ano para PlayStation 4 e Xbox One.[93] [94]

Lista de prémios e nomeações para Assassin's Creed IV: Black Flag
Ano Prémio Categoria Resultado Ref.
2013 5th Annual Inside Gaming Awards Jogo do Ano Indicado [88] [89]
Melhor História Indicado
Escolha dos Jogadores Indicado
Cheat Code Central's 7th Annual Cody Awards Jogo do Ano vice-campeão [86]
Estúdio do Ano (Ubisoft Montreal) Indicado [95] [96]
Melhores Gráficos Indicado [97] [98]
Melhor Jogo de Acção/Aventura vice-campeão [99]
Spike VGX 2013 Melhor Jogo de Acção/Aventura Venceu [91]
Kotaku Awards 2013 Jogo do Ano vice-campeão [90]
Jogo do Ano para Consola Venceu [92]
Maior Surpresa do Ano vice-campeão [100]
GameSpot's Game of the Year 2013 Awards Jogo do Ano Indicado [87]
Jogo do Ano - PS3 Indicado [101]
Jogo do Ano - PS4 Venceu [93]
Jogo do Ano - Xbox 360 Indicado [102]
Jogo do Ano - Xbox One Venceu [94]
Hardcore Gamer's Game of the Year Awards 2013 Jogo do Ano Indicado [103]
Melhor Jogo Multiplataforma Indicado [104]
Melhor Jogo de Aventura Venceu [105]
Melhor Multijogador Indicado [106]
Melhor Novo Personagem (Edward Kenway) Indicado [107]
Melhores Gráficos Técnicas Indicado [108]
A Sequela das Sequelas Venceu [109]
Destructoid's Best of 2013 Melhor Jogo Multiplataforma Indicado [110]
Melhor Jogo de Acção Indicado [111]
Melhor Jogo Competitivo Indicado [112]
2014 IGN's Best of 2013 Melhor Jogo de Acção-Aventura - Geral Indicado [113]
Melhor Música - Geral Indicado [114]
Melhor Jogo de Acção-Aventura - PC Indicado [115]
Melhor Jogo de Acção-Aventura - PS3 Indicado [116]
Melhor Som - PS3 Indicado [117]
Melhor História - PS3 Indicado [118]
Jogo do Ano - PS4 Indicado [119]
Melhor Jogo Multijogador - PS4 Venceu [120]
Melhor Jogo de Acção-Aventura - Xbox 360 Indicado [121]
Melhor Som - Xbox 360 Indicado [122]
Melhor História - Xbox 360 Indicado [123]
Jogo do Ano - Xbox One Venceu [124]
Melhor Jogo de Acção-Aventura - Xbox One Venceu [125]
Melhor Som - Xbox One Indicado [126]
Melhor História - Xbox One Venceu [127]
Jogo do Ano - Wii U Indicado [128]
Melhor Jogo de Acção-Aventura - Wii U Venceu [129]
Melhor Jogo Multijogador - Wii U Indicado [130]
Melhor Som - Wii U Venceu [131]
Melhor Música - Wii U Indicado [132]
Game Developers Choice Awards 2013 Melhor Tecnologia Pendente [133]
17th Annual D.I.C.E. Awards Jogo do Ano Indicado [134]
Jogo do Ano de Aventura Indicado
Prémio Excelência em Animação Indicado
Prémio Excelência em Engenharia Visual Indicado
Prémio Excelência em Engenharia Jogabilidade Indicado
BAFTA Awards 2014 Melhor Jogo Indicado [135]
Ação e Aventura Indicado
Game Design Indicado
Música Indicado

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

Após o anuncio do jogo em Março de 2013, um porta-voz da People for the Ethical Treatment of Animals (inglês para: Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) (PETA), manifestou o seu desagrado com a possibilidade de caçar baleias em Black Flag afirmando: "Caçar baleias – isto é, disparar arpões contra baleias e deixá-las em sofrimento uma hora ou mais antes de morrerem ou serem cortadas aos bocados enquanto ainda estão vivas, pode parecer algo saído dos livros de história, mas esta indústria sangrenta ainda continua a fazer este tipo de coisas na cara de condenação internacional, e é uma desgraça para qualquer jogo glorificá-lo. A PETA encoraja as companhias de videojogos a criar jogos que celebrem os animais – não jogos que promovam a sua morte e sofrimento."[136] [137] [138] [139]

Em resposta a esta crítica, a Ubisoft tornou público uma declaração onde diz que: "A história é a nossa base para a série Assassin's Creed. Assassin's Creed IV: Black Flag é um trabalho de ficção que descreve eventos reais que aconteceram durante a Era Dourada dos Piratas. Nós não toleramos a caça ilegal de baleias, assim como também não toleramos um estilo de vida pirata com má higiene, pilhagens, sequestro de navios e o deboche alcoólico ilegal sem limites."[139]

Notas

  1. O personagem neste jogo é referido como "Thatch", ao invés do mais comum "Teach". "Thatch" é uma das muitas variações conhecidas que existiram do nome de Blackbeard. Para mais informações consulte Barba Negra#Origens.[18]

Referências

  1. a b Assassin’s Creed IV: Black Flag Is The Next Assassin’s Creed, Ubisoft Confirms. Now, About That.... Kotaku (2013-02-28).
  2. a b Jorge Loureiro (28-2-2013). Ubisoft confirma Assassin's Creed IV: Black Flag. Eurogamer. Página visitada em 28-2-2013.
  3. a b Jorge Loureiro (4-3-2013). Oito estúdios a trabalhar em Assassin's Creed IV: Black Flag. Eurogamer. Página visitada em 4-3-2013.
  4. a b Usher, William (17-12-2013). Assassin's Creed 4 Interview: Olivier Deriviere Talks Freedom Cry. Gaming Blend. Cinema Blend. Página visitada em 18-12-2013.
  5. a b c d e f Assassin's Creed IV: Black Flag - Game Reveal Interview. IGN.com (4-3-2013). Página visitada em 4-3-2013.
  6. a b c d e f g h i j Hamza CTZ Aziz (4-3-2013). Assassin's Creed IV's promise of a seamless, open world - Telling the real stories behind the pirate myths. Destructoid. Página visitada em 4-3-2013.
  7. a b Assassin's Creed 4: Black Flag hoists new hero onto PS3, 360, Wii U, PC (28-2-2013). Página visitada em 28-2-2013.
  8. Matt Bertz. The Official List Of Confirmed Xbox One Games. Game Informer. Página visitada em 22-5-2013.
  9. a b Vore, Bryan (4-3-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag. Gameinformer.com. Página visitada em 4-3-2013.
  10. a b Pereira, Chris (10-2-2014). Assassin's Creed 4: Black Flag Shipments Reach 10 Million. IGN. Página visitada em 20-2-2014.
  11. a b c d e f g Tom Phillips (4-3-2013). Assassin's Creed 4: Black Flag preview: how Ubisoft plans to hook you back in. Eurogamer. Página visitada em 4-3-2013.
  12. a b Hanson, Ben (4-3-2013). Exploring The Open World Of Assassin's Creed IV: Black Flag. Gameinformer.com. Página visitada em 4-3-2013.
  13. Assassin's Creed III Review. PC Gamer. Página visitada em 4-12-2012.
  14. Assassin's Creed 3 Review. Official Xbox Magazine. Página visitada em 30-10-2012.
  15. a b UniverseMatrix (13-3-2013). Detalhes do Combate Naval de Assassin's Creed 4. GameVicio. Página visitada em 13-3-2013.
  16. Lakha, Parvez (2-8- 2013). Assassin's Creed IV Black Flag - Present Day Q&A. Ubisoft Ubiblog. Página visitada em 3-8-2013.
  17. Jorge Loureiro (8-10-2013). Vão poder visitar a Abstergo Entertainment em Assassin's Creed IV: Black Flag. Eurogamer. Página visitada em 8-10-2013.
  18. a b McDevitt, Darby (25-3- 2013). PS: We are using "Ed Thatch" for Blackbeard, not the more common but probably incorrect "Teach." Ask Colin Woodard why..... Twitter. Página visitada em 8-7- 2013.
  19. a b c d Assassin's Creed IV: Black Flag. Assassin's Creed Wikia. Página visitada em 11-3-2014.
  20. Novo Assassin’s Creed a caminho. BGamer (7-2-2013). Página visitada em 28-2-2013.
  21. Jason Schreier (26-2-2013). Assassin’s Creed IV Is All About Pirates, According To This Poster. Kotaku. Página visitada em 28-2-2013.
  22. Luke Plunkett (26-2-2013). The Other Side of that Supposed Assassin’s Creed IV Poster is a Map. Kotaku. Página visitada em 28-2-2013.
  23. ATUALIZAÇÃO: Assassin’s Creed IV Black Flag revelado?. BGamer (28-2-2013). Página visitada em 28-2-2013.
  24. Ubisoft Facebook. Recuperado 2013-02-28.
  25. Tom Phillips (2-3-2013). Assassin's Creed 4: Black Flag release date, next-gen launch leaked. Eurogamer. Página visitada em 4-3-2013.
  26. Jordan Mallory (2-3-2013). Assassin's Creed 4: Black Flag debut trailer leaks [Update: It's gone!]. Joystiq. Página visitada em 4-3-2013.
  27. a b Assassin's Creed IV: Black Flag - Debut Trailer. IGN.com (4-3-2013). Página visitada em 4-3-2013.
  28. a b Jorge Loureiro (4-3-2013). Ubisoft justifica o "IV" no novo Assassin's Creed. Eurogamer. Página visitada em 4-3-2013.
  29. a b Hussain, Tamoor (4-3-2013). Assassin's Creed 4 moniker 'completely warranted,' insists Ubisoft dev. Página visitada em 5-3-2013.
  30. Lavaris, Romeo (17-6-2013). E3 2013- Prepare For Adventure With Assassin’s Creed IV: Black Flag. Geforce. Página visitada em 30-8-2013.
  31. Assassin's Creed 4: Black Flag (Original Game Soundtrack). iTunes/Apple Inc.. Página visitada em 20-12-2013.
  32. Assassin's Creed 4: Black Flag (Sea Shanty Edition) [Original Game Soundtrack]. iTunes/Apple Inc.. Página visitada em 20-12-2013.
  33. Assassin's Creed 4: Black Flag (The Complete Edition) [Original Game Soundtrack]. iTunes/Apple Inc.. Página visitada em 20-12-2013.
  34. Jorge Loureiro. Assassin's Creed IV confirmado para as consolas de próxima geração. Eurogamer. Página visitada em 1-3-2013.
  35. Martin Gaston (15-10-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag release date pushed forward in Europe: Assassin's Creed IV: Black Flag gets a global release date on 360 and PS3. GameSpot. Página visitada em 15-10-2013.
  36. a b Eddie Makuch (30-9-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag PC out November 19. GameSpot. Página visitada em 1-10-2013.
  37. Jorge Soares (30-9-2013). Assassin's Creed 4 PC chega mais tarde. Eurogamer. Página visitada em 1-10-2013.
  38. Jorge Loureiro. Assassin's Creed IV: Black Flag mais tarde no PC. Eurogamer. Página visitada em 21-6-2013.
  39. Assassin's Creed (20-8-2013). PlayStation®4 Release Dates. Facebook. Página visitada em 21-8-2013.
  40. a b c Martin Gaston (26-3-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag preorder bonuses and special editions detailed. GameSpot. Página visitada em 26-3-2013.
  41. Steinman, Gary (31-10-2013). Assassin´s Creed IV Black Flag and Uplay Passport. Ubiblog. Ubisoft. Página visitada em 1-11-2013.
  42. Yin-Poole, Wesley (1-11-2013). Ubisoft ditches Uplay Passport after Assassin's Creed 4 furore. Eurogamer. Gamer Network. Página visitada em 1-11-2013.
  43. a b Hamza CTZ Aziz. Assassin's Creed IV will have exclusive content on PS4. Destructoid. Página visitada em 4-3-2013.
  44. Assassin's Creed IV Black Flag – Aveline Returns. Ubisoft Ubiblog (29-7-2013). Página visitada em 3-8-2013.
  45. Ana Branquinho (21-6-2013). Confirmado Season Pass de Assassins Creed IV: Black Flag. Eurogamer. Página visitada em 21-6-2013.
  46. Eddie Makuch (9-10-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag DLC skipping Wii U. GameSpot. Página visitada em 11-10-2013.
  47. Steinman, Gary (12-12-2013). ASSASSIN’S CREED IV BLACK FLAG – FREEDOM CRY DLC RELEASE DATE & STORY. Ubiblog. Ubisoft. Página visitada em 18-12-2013.
  48. Martin Gaston (8-10-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag DLC and season pass detailed. GameSpot. Página visitada em 9-10-2013.
  49. Jorge Loureiro (8-10-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag com Season Pass. Eurogamer. Página visitada em 9-10-2013.
  50. Gabriel Graziani (16-12-2013). Assassin’s Creed IV: Freedom Cry Out Tomorrow. PlayStation.Blog. Página visitada em 17-12-2013.
  51. Luke Karmali (8-1-2014). Assassin's Creed 4: Illustrious Pirates DLC Revealed. IGN. Página visitada em 8-1-2014.
  52. Eddie Makuch (1-10-2013). Amazon gets Assassin's Creed IV: Black Flag Lethal Pirate Edition. GameSpot. Página visitada em 2-10-2013.
  53. Jorge Loureiro (10-3-2014). Assassin's Creed 4: Black Flag GOTY Edition anunciada. Eurogamer. Página visitada em 10-3-2014.
  54. a b c d e Jorge Loureiro (26-3-2013). As edições especiais de Assassin's Creed IV: Black Flag. Eurogamer. Página visitada em 26-3-2013.
  55. a b c d e f g h i j Matt Gilman (29-10-2013). Review: Assassin's Creed IV: Black Flag marks a return to form for the franchise. Computer and Video Games. Página visitada em 29-10-2013.
  56. a b c d e f g h Edge Staff (29-10-2013). Assassin’s Creed IV: Black Flag review. Edge. Página visitada em 29-10-2013.
  57. a b c d e Ray Carsillo (29-10-2013). EGM Review: Assassin’s Creed IV: Black Flag (Next-Gen). Electronic Gaming Monthly. Página visitada em 29-10-2013.
  58. Aníbal Gonçalves (29-10-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag - Análise. Eurogamer. Página visitada em 29-10-2013.
  59. a b c d e f g h i j Shaun McInnis (29-10-2013). Assassin’s Creed IV: Black Flag review. GameSpot. Página visitada em 29-10-2013.
  60. a b c d e f g h i Joe Juba (29-10-2013). Assassin’s Creed IV: Black Flag review - Pursuing The Root Of All Evil. Game Informer. Página visitada em 29-10-2013.
  61. Andy Hartup (29-10-2013). Assassin’s Creed IV: Black Flag review. GamesRadar. Página visitada em 29-10-2013.
  62. Alex Navarro (3-12-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag Review. Giant Bomb. Página visitada em 10-12-2013.
  63. a b c d e f g h i j k l Marty Sliva (29-10-2013). Assassin’s Creed IV: Black Flag review - THE GOLDEN AGE OF PIRACY. IGN. Página visitada em 29-10-2013.
  64. a b c d Ludwig Kietzmann (29-10-2013). Assassin's Creed 4: Black Flag PS4 review: Avast, conspiracy ahead. Joystiq. Página visitada em 30-10-2013.
  65. a b c d e f Mikel Reparaz (29-10-2013). Assassin's Creed IV Black Flag review. Official Xbox Magazine. Página visitada em 31-10-2013.
  66. Anthony Severino (29-10-2013). Assassin’s Creed IV: Black Flag Review (PS3). PlayStation LifeStyle. Página visitada em 31-10-2013.
  67. 29-10-2013 (29-10-2013). Assassin’s Creed IV: Black Flag Review - Shore Leave. Polygon. Página visitada em 29-10-2013.
  68. Tara Long (29-10-2013). ASSASSIN'S CREED 4: BLACK FLAG REVIEW!. Rev3Games. Página visitada em 29-10-2013.
  69. Simon Parkin (29-10-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag review - plenty of plunder in store. The Guardian. Página visitada em 30-10-2013.
  70. a b c d e f Burns, Steven (29-10-2013). Assassin's Creed 4: Black Flag Review. VideoGamer.com. Página visitada em 9-12-2013.
  71. a b Assassin's Creed IV: Black Flag - PlayStation 3 - Reviews. GameRankings. Página visitada em 30-10-2013.
  72. Assassin's Creed IV: Black Flag - PlayStation 4 - Reviews. GameRankings. Página visitada em 30-10-2013.
  73. a b Assassin's Creed IV: Black Flag - Xbox 360 - Reviews. GameRankings. Página visitada em 30-10-2013.
  74. a b Assassin's Creed IV: Black Flag - PlayStation 3 - Reviews. Metacritic. Página visitada em 30-10-2013.
  75. Assassin's Creed IV: Black Flag - PlayStation 4 - Reviews. Metacritic. Página visitada em 30-10-2013.
  76. a b Assassin's Creed IV: Black Flag - Xbox 360 - Reviews. Metacritic. Página visitada em 30-10-2013.
  77. a b Davis, Justin (31 de outubro de 2013). The Best Assassin's Creed Games. IGN. Página visitada em 10 de dezembro de 2013.
  78. a b c d e Bramwell, Tom (29 de outubro de 2013). Assassin's Creed 4: Black Flag review. Eurogamer. Página visitada em 9 de dezembro de 2013.
  79. a b c d e f g Tito, Greg (29-10-2013). Assassin's Creed IV: Black Flag Review - Pirate this Game!. The Escapist. Página visitada em 9-12-2013.
  80. a b c d e f g Senior, Tom (27-11-2013). Assassin's Creed 4: Black Flag review. PC Gamer. Página visitada em 29-11-2013.
  81. a b c Gregory, Joel (29-10-2013). Assassin’s Creed 4: Black Flag PS4 review Official PlayStation Magazine. Página visitada em 29-11-2013.
  82. Scammell, David (7--11-2013). Assassin's Creed sales down 60% year-on-year, Battlefield 4 down 69% on Battlefield 3. VideoGamer.com. Página visitada em 20-12-2013.
  83. Scammell, David (13-11-2013). Assassin's Creed 4 sales slump attributed to next-gen launch. VideoGamer.com. Página visitada em 20-12-2013.
  84. Conditt, Jessica (12-12-2013). November NPD: PS4 is 'top-selling' console, Xbox One is 'fastest-selling' [Update: Nintendo boasts big numbers, too]. Joystiq. Página visitada em 20-12-2013.
  85. HG Staff (5-11-2013). Top 100 Games of the Generation: 70-61. Hardcore Gamer. Página visitada em 10-12-2013.
  86. a b Game of the Year Winner 2013. Cheat Code Central (7-12-2013). Página visitada em 15-12-2013.
  87. a b Overall Game of the Year 2013 Winner. GameSpot (19-12-2013). Página visitada em 19-12-2013.
  88. a b Smith, Rob (21-11-2013). Inside Gaming Awards 2013 Nominees Announced. Machinima.com. Página visitada em 5-12-2013.
  89. a b P Rubin, Brian (4-12- 2013). Winners of the 5th Annual Inside Gaming Awards Announced. Machinima.com. Página visitada em 5-12-2013.
  90. a b Serrels, Mark (13-12-2013). Kotaku Awards 2013: Game Of The Year. Kotaku. Página visitada em 13-12- 2013.
  91. a b Dane, Patrick (7-12- 2013). ‘Grand Theft Auto V’ Tops Spike VGX 2013 Award Winners List. Game Rant. Página visitada em 7-12-2013.
  92. a b Serrels, Mark (13-12-2013). Kotaku Awards 2013: Console Game Of The Year. Kotaku. Página visitada em 13-12-2013.
  93. a b PS4 Game of the Year 2013 Winner. GameSpot (13-12-2013). Página visitada em 13-12-2013.
  94. a b Xbox One Game of the Year 2013 Winner. GameSpot (16-12-2013). Página visitada em 16-12-2013.
  95. Studio of the Year Nominees 2013. Cheat Code Central. Página visitada em 15-12-2013.
  96. Studio of the Year Winner 2013. Cheat Code Central (7-12-2013). Página visitada em 15-12-2013.
  97. Best Graphics Nominees 2013. Cheat Code Central. Página visitada em 15-12-2013.
  98. Best Graphics Winner 2013. Cheat Code Central (7-12-2013). Página visitada em 15-12-2013.
  99. Best Action/Adventure Winner 2013. Cheat Code Central (7-12-2013). Página visitada em 15-12-2013.
  100. Serrels, Mark (11-12-2013). Kotaku Award 2013: Biggest Surprise Of The Year. Kotaku. Página visitada em 13-12-2013.
  101. PS3 Game of the Year 2013 Winner. GameSpot (13-12-2013). Página visitada em 13-12-2013.
  102. Xbox 360 Game of the Year 2013 Winner. GameSpot (13-12-2013). Página visitada em 13-12-2013.
  103. Top 10 Games of the Year. Hardcore Gamer. Página visitada em 10-3-2014.
  104. 2013 Best Multiplatform Game. Hardcore Gamer. Página visitada em 10-3-2014.
  105. 2013 Best Adventure Game. Hardcore Gamer. Página visitada em 10-3-2014.
  106. 2013 Best Multiplayer Game. Hardcore Gamer. Página visitada em 10-3-2014.
  107. 2013 Best New Character. Hardcore Gamer. Página visitada em 10-3-2014.
  108. 2013 Best Technical Graphics. Hardcore Gamer. Página visitada em 10-3-2014.
  109. 2013 The Sequel of Sequels. Hardcore Gamer. Página visitada em 10-3-2014.
  110. The winner of Destructoid's best 2013 multiplatform game. Destructoid. Página visitada em 10-3-2014.
  111. The winner of Destructoid's best of 2013 action game. Destructoid. Página visitada em 10-3-2014.
  112. The winner of Destructoid's best of 2013 competitive game. Destructoid. Página visitada em 10-3-2014.
  113. Best Overall Action-Adventure Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  114. Best Overall Music - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  115. Best PC Action-Adventure Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  116. Best PS3 Action-Adventure Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  117. Best PS3 Sound - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  118. Best PS3 Story - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  119. Best PS4 Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  120. Best PS4 Multiplayer Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  121. Best Xbox 360 Action-Adventure Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  122. Best Xbox 360 Sound - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  123. Best Xbox 360 Story - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  124. Best Xbox One Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  125. Best Xbox One Action Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  126. Best Xbox One Sound - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  127. Best Xbox One Story - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  128. Best Wii U Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  129. Best Wii U Action-Adventure Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  130. Best Wii U Multiplayer Game - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  131. Best Wii U Sound - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  132. Best Wii U Music - IGN's Best of 2013. IGN. Página visitada em 10-3-2014.
  133. Revelados os nomeados para os GDC Awards Eurogamer (10-1-2014). Página visitada em 10-1-2014.
  134. Aníbal Gonçalves (7-2-2014). The Last of Us limpa prémios DICE. Eurogamer. Página visitada em 7-2-2014.
  135. Jorge Loureiro (13-3-2014). The Last of Us considerado o melhor jogo nos BAFTA. Eurogamer. Página visitada em 13-3-2014.
  136. Jason Dunning (4-3-2013). PETA Responds to the Whale Hunting in Assassin’s Creed IV: Black Flag, “It’s Disgraceful for any Game to Glorify it”. PlayStationLifeStyle.net. Página visitada em 4-3-2013.
  137. Assassin’s Creed Black Flag criticado pela PETA. BGamer. Página visitada em 5-3-2013.
  138. Jeffrey Grubb (4-3-2013). PETA: It’s ‘disgraceful’ for Assassin’s Creed IV: Black Flag to ‘glorify’ whaling. Venture Beat. Página visitada em 4-3-2013.
  139. a b Reilly, Luke (6-3-2013). PETA Condemns Assassin's Creed 4's Whaling as "Disgraceful". Página visitada em 5 -3-2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Assassin's Creed IV: Black Flag