Economia do Egito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Economia do Egipto)
Ir para: navegação, pesquisa
Economia do Egito
Cairo, vista a partir da Cairo Tower.
Moeda Libra egípcia
Blocos comerciais OMC
Banco Central Banco Central do Egito
Estatísticas
PIB 537,8 mil milhões (2012) (27º lugar)
Variação do PIB 2% (2012)
PIB per capita 6 600 dólares (2012)
PIB por setor agricultura 14,7%, indústria 37,4%, serviços 47,9% (2012)
Inflação (IPC) 8,5% (2012)
População
abaixo da linha de pobreza
20% (2005)
Coeficiente de Gini 34,4 (2001)
Força de trabalho total 27,24 milhões (2012)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura 32%, indústria 17%, serviços 51% (2001)
Desemprego 12,5% (2012)
Principais indústrias têxteis, processamento de alimentos, turismo, produtos químicos, produtos farmacêuticos, hidrocarbonetos, construção civil, cimento, metais, manufaturas leves
Exterior
Exportações 28,37 mil milhões (2012)
Produtos exportados petróleo bruto e produtos petrolíferos, algodão, têxteis, produtos de metal, produtos químicos, alimentos processados
Principais parceiros de exportação Itália 8,7%, Índia 7,3%, Arábia Saudita 6,1%, EUA 5,2%, Turquia 4,9%, Espanha 4,2%, França 4,2% (2011)
Importações 58,76 mil milhões (2012)
Produtos importados máquinas e equipamentos, alimentos, produtos químicos, produtos de madeira, combustíveis
Principais parceiros de importação EUA 10,7%, República Popular da China 9,1%, Alemanha 6,3%, Itália 5,1%, Kuwait 4,7%, Turquia 4,4%, Arábia Saudita 4,3% (2011)
Dívida externa bruta 34,88 mil milhões (2012)
Finanças públicas
Receitas 56,64 mil milhões (2012)
Despesas 83,24 mil milhões (2012)
Fonte principal: [[1] CIA World Fact Book]
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

A economia do Egito tinha em 2012 um PIB de mais 500 bilhões de dólares, segundo o método PPC[1] . O Egito tem quatro principais fontes econômicas, em primeiro lugar vem o turismo, que tem como atrações as pirâmides, e o litoral do Mar Mediterrâneo. Em segundo lugar vem a extração e a exportação de petróleo, que gera emprego e lucros para o governo. Em seguida vem os impostos e as taxas alfandegárias que são cobradas sobre os navios que passam pelo canal de Suez, e em último vem as ajudas que são arremetidas por egípcios que vão para outros países e mandam dinheiro para suas famílias. No tempo antigo, a economia do Egito era à base de trocas.

História da economia[editar | editar código-fonte]

Economia é toda baseada na agricultura, com o método de produção asiático. O faraó era o dono de todas as terras do país, organizando todo trabalho agrícola. Também administrava as construções, e minas

No Egito predominava o regime de servidão coletiva, onde todos eram obrigados a trabalhar para sustentar o faraó, ou pagavam tributos na forma de bens para o estado.

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

Na agricultura destacaram-se no cultivo cevada, faziam cerveja, bebida, e, finalmente o papiro natural do delta do Nilo, servia para fabricar cordas, sandálias, barcos e principalmente papel (papiro), muito usado até a Idade Média.E assim surgiram os colonos.

Pecuária[editar | editar código-fonte]

No Egito se criavam: bois, carneiros, cabras, porcos, aves e asnos. A criação de cavalos só começou no Egito quando os hicsos invadiram o país em 1750 a.C., que usaram os cavalos contra o exército egípcio, que copiou a estratégia depois da invasão. A carne era um alimento de luxo, só os ricos podiam desfrutar dos prazeres das carnes. A população pobre só comia carne em ocasiões festivas e especiais.

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Metalurgia[editar | editar código-fonte]

Os egípcios primitivos aprenderam a usar o cobre e o ouro. Forjavam ferramentas, armas e jóias. Depois começaram a fabricar bronze mais duro de cobre e estanho em fornalha. Já no novo Império, inventaram foles que eram operados com o pé. O metal derretido era despejado em formas.

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Comércio[editar | editar código-fonte]

O comércio no Egito funcionava a base de trocas, pois não conheciam o dinheiro naquela época. Essa prática se tornou mais intensa no novo Império, quando as importações e exportações se intensificaram com os contatos comercias com a ilha de Creta, a Palestina, Fenícia e a Síria.

Além disso, desenvolveram uma indústria bastante artesanal, com produção de armas, barcos, cerâmica, tijolos, tecidos, objetos de vidro, couro e metais. Todos esses produtos que eram produzidos pelos artesãos eram exportados. Os produtos mais importados pelos egípcios eram o marfim, peles de animais, perfumes e outros utensílios usados pelos ricos.

Transportes[editar | editar código-fonte]

Com as construções das pirâmides era necessário transportar as pedras de navio. Durante as cheias do Nilo, os egípcios faziam as pedras flutuar até a orla do deserto. Esses navios eram construídos de madeira do Líbano.

Esses navios eram dirigidos com a ajuda de grandes remos, presos à popa. Os egípcios foram os primeiros a usar velas. Mas, para atravessar o Nilo, os homens comuns do Egito utilizavam barcos de junco para pescar e caçar.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b CIA. The World Factbook. Consultado em 28 de março de 2013

[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

  1. http://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Economia_do_Egito