Faustina, a Jovem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Faustina, a Jovem
Imperatriz-consorte romana
Faustine la Jeune 01.JPG
Busto de Faustina.
Governo
Reinado 7 de março de 161-175
Consorte Marco Aurélio
Antecessor Faustina, a Velha
Sucessor Brútia Crispina
Dinastia Nerva-antonina
Vida
Nome completo Annia Galeria Faustina Minor
Nascimento 16 de fevereiro, entre 125 e 130
Roma
Morte 175 (entre 45 e 50 anos)
Halala, nos montes Tauro, na Capadócia
Sepultamento Mausoléu de Adriano, Roma
Filhos Ânia Aurélia Galéria Faustina
Gêmelo Lucila
Ânia Aurélia Galéria Lucila
Tito Élio Antonino
Tito Élio Aurélio
Adriano
Domícia Faustina
Ânia Aurélia Fadila
Ânia Cornifícia Faustina Menor
Tito Aurélio Fúlvio Antonino
Lúcio Aurélio Cômodo Antonino
Marco Ânio Vero César
Víbia Aurélia Sabina
Pai Antonino Pio
Mãe Faustina, a Velha

Faustina, a Jovem (em latim: Annia Galeria Faustina Minor), também chamada de Faustina Menor (em latim: minor - "a jovem"), foi uma imperatriz-consorte romana, esposa do imperador Marco Aurélio. Ela era filha do imperador Antonino Pio e sua esposa Faustina Maior e, por isso, além de esposa era também prima pelo lado materno de Marco Aurélio. Embora as fontes romanas geralmente apresentem uma visão negativa sobre ela, Faustina era tida em alta estima pela soldadesca e pelo marido, sendo deificada depois de morta.

História[editar | editar código-fonte]

Faustina, batizada em homenagem à mãe, era a segunda dos quatro filhos dos pais e também a mais jovem; além disso, foi a única a alcançar a idade adulta. Ela nasceu e foi criada em Roma.

Seu tio-avô, o imperador Adriano, havia combinado com o pai dela de casar Faustina com Lúcio Vero. Em 25 de fevereiro de 138, ambos ficaram noivos. Lúcio Élio, o pai do noivo, era o primeiro filho adotivo de Adriano e seu herdeiro aparente; porém, quando Lúcio morreu, Adriano escolheu o pai de Faustina - o futuro imperador Antonino Pio - como seu segundo filho adotivo e, eventualmente, ele é que se tornou o herdeiro do velho imperador. O pai de Faustina então desfez o acordo de casamento dela com Vero e combinou um noivado com o primo dela pelo lado da mãe, Marco Aurélio, que também foi adotado por ele. Em 13 de maio de 145, Faustina e Marco Aurélio se casaram e, quando o pai dela morreu, em 7 de março de 161, ele e Lúcio Vero se tornaram co-imperadores. Faustina recebeu o título de augusta e se tornou imperatriz.

Infelizmente, pouco sobreviveu nas fontes sobre a vida de Faustina, mas o que chegou até nossos tempos não apresenta um retrato positivo. Dião Cássio e a Historia Augusta acusam Faustina de ordenar assassinatos por envenenamento e execuções; ela também foi acusada de instigar a revolta de Avídio Cássio contra o marido. A Historia Augusta menciona adultério com marinheiros, gladiadores e homens poderosos; porém, Faustina e Aurélio parecem ter sido muito próximos e devotados um ao outro.

Morte[editar | editar código-fonte]

Faustina acompanhava o marido em campanhas militares e recebia o carinho e a reverência dos soldados romanos. Aurélio deu-lhe o título de mater castrorum ("mão do acampamento [do exército]") e ela tentava o melhor para tornar o acampamento do exército sua casa. Entre 170 e 174 ela estava em campanha no norte e, em 175, ela acompanhou o marido até o oriente; porém, estas experiências cobraram o preço sobre a saúde de FAustina, que terminou morrendo no inverno de 175 depois de um acidente num campo militar em Halala (uma cidade nos montes Tauro, na Capadócia).

Aurélio lamentou muito a perda da esposa e a sepultou no Mausoléu de Adriano em Roma. Ela foi também deificada: sua estátua foi colocada no Templo de Vênus, na capital, e um outro templo foi dedicado em sua homenagem. A cidade de Halala teve seu nome alterado para "Faustinópolis" e Aurélio fundou escolas para auxiliar garotas órfãs chamadas de Puellae Faustinianae ("Garotas de Faustina")[1] . Os Banhos de Faustina, em Mileto, foram batizados em sua homenagem.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Em seus trinta anos de casamento, Faustina e Marco Aurélio tiveram treze filhos:


Ver também[editar | editar código-fonte]

Faustina, a Jovem
Nascimento: 125/130 Morte: 175
Títulos reais
Precedido por:
Faustina, a Velha
Imperatriz-consorte romana
161–175
com Lucila (164–169)
Sucedido por:
Brútia Crispina

Referências

  1. Historia Augusta, Life of Marcus Aurelius 26.4–9.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Scriptores Historiae Augustae, Julius Capitolinus, Marcus Antoninis xix.1–9, xxvi.4–5, 7–9, xxix.1–3
  • Priwitzer, Stefan, Faustina minor – Ehefrau eines Idealkaisers und Mutter eines Tyrannen quellenkritische Untersuchungen zum dynastischen Potential, zur Darstellung und zu Handlungsspielräumen von Kaiserfrauen im Prinzipat (Bonn: Dr. Rudolf Habelt, 2008) (Tübinger althistorische Studien, 6).
  • (em francês) Minaud, Gérard, Les vies de 12 femmes d’empereur romain - Devoirs, Intrigues & Voluptés , Paris, L’Harmattan, 2012, ch. 8, La vie de Faustine, femme de Marc-Aurèle, p. 189-210.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Faustina, a Jovem
  • Faustina (em inglês) Livius.org. Página visitada em 27/07/2013.
  • Faustina (em inglês) Britannica (1911). Página visitada em 27/07/2013.
  • Marco Aurélio (em inglês) Roman Emperors. Página visitada em 27/07/2013.
  • Faustina (em inglês) ForumAncientCoins.com. Página visitada em 27/07/2013.
  • Moedas de Faustina (em inglês) ForumAncientCoins.com. Página visitada em 27/07/2013.