Isabel da Baviera, Rainha de França

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Isabel da Baviera (Iluminura do século XV).

Isabel da Baviera ou Elisabeth Wittelsbach-Ingolstad, princesa da Baviera (em francês Isabelle de Bavière ou Isabeau de Bavière), (c. 1370 - 24 de setembro de 1435) foi rainha consorte de França por seu casamento com Carlos VI, o louco.

Era filha de Estêvão III, duque da Baviera-Ingolstadt e de sua esposa, Taddea Visconti, filha do duque de Milão. Esteve implicada na guerra civil entre Armagnacs e Bourguignons.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O duque da Borgonha Filipe II, tutor do rei menor Carlos VI e regente da França, lançou-se em uma política de alianças matrimoniais através de toda a Europa, a fim de assegurar seu próprio poder e recuperar o tesouro real. Em abril de 1385, casa seu filho João sem Medo com Margarida da Baviera, filha de Alberto I, conde de Hainaut, e negocia por conta do rei da França com Estevão III, duque da Baviera que é aliado do duque de Milão graças a uma política de casamentos similar. Barnabé Visconti havia casado seu filho Marco Visconti com Isabel, filha de Frederico II da Baviera-Landshut, e sua filha Taddea Visconti com Estevão III.

Pouco se sabe da infância de Isabel da Baviera. Seu tio,Frederico da Bavaria-Landshut,sugeriu que Isabel se casasse com o rei de França para forjar uma aliança entre a França e o Sacro Império Romano-Germânico contra a Inglaterra[1] . Antes de ser apresentada ao noivo,a jovem foi mandada para Hainaut,onde viveu com seu tio-avô Albert e sua esposa Margaret,para ser ensinada a como se vestir e se comportar de acordo com a etiqueta.Em 13 de julho de 1385,a jovem conheceu seu futuro marido,que muito se deleitou por sua aparência e comportamento reservado.[2]

Ela se casou com cerca de 14 anos, no dia 17 de julho de 1385, em Amiens, com Carlos VI de França (dito "o Bem-Amado" ou "o Louco"), que tinha então 16 anos, e tornou-se rainha da França. Após o casamento,Isabel foi viver na casa da tia-avó de Carlos,Branca,Duquesa d'Orleães,enquanto seu marido estava em campanha militar contra os ingleses.Durante esse tempo,Branca continuou a ensinar as tradições da corte à jovem rainha até ela se mudar para o Castelo de Vincennes. O casal teve doze filhos. Luís de Orléans, irmão de Carlos VI, casa-se com Valentina Visconti, prima em segundo grau de Taddea Visconti. Sua filha Catarina de Valois,casou-se primeiramente com Henrique V de Inglaterra,e tendo tomado por marido Owen Tudor,ela tornou-se ancestral de membros famosos da Casa Tudor,como Henrique VIII e Isabel I de Inglaterra.[3]

O casamento de Isabel da Baviera com Carlos VI não traz nenhum benefício à França. Somente o duque Filipe II da Borgonha tira proveito desses arranjos matrimoniais, visando o Hainaut. Foi por ocasião da festa de casamento de uma de suas damas de companhia, que foi organizado o baile dos ardentes(1393), a partir do qual Carlos VI deu os primeiros sinais de demência.

Miniatura de Froissart (1483,Bruges)

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.