Letícia Spiller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Letícia Spiller
Letícia em evento de moda (2014)
Nome completo Letícia Spiller Pena
Nascimento 19 de junho de 1973 (40 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Ocupação Atriz
Cônjuge Marcello Novaes (1995-2000) -
Lucas Loureiro (2009-atualmente)
IMDb: (inglês) (português)

Letícia Spiller Pena (Rio de Janeiro, 19 de junho de 1973) é uma atriz brasileira. Começou a carreira como atriz em teatro amador em 1985, no Colégio Sagrado Coração de Maria, onde estudou. Cursou "O Tablado", com o professor Bernardo Jablonski e participou do Grupo Pessoal do Tom com Roberto Bomtempo e Roney Vilella. Em 1989 entrou para o programa Xou da Xuxa, da Rede Globo como a paquita Pituxa Pastel. Mais tarde, atuou em muitas novelas da emissora, como Duas Caras, Viver a Vida, Salve Jorge. e atualmente esta no elenco da novela Joia Rara.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou a carreira como atriz em teatro amador em 1985, no Colégio Sagrado Coração de Maria, onde estudou. No mês das artes do colégio, atuou pela primeira vez como roteirista, atriz e diretora de uma peça sobre meninos de rua. Com 14 anos participou de uma montagem no IRB – Instituto de Reseguros do Brasil, chamada “Cidade Grande”, na qual fez um dos papéis principais.

Em 1989 entrou para o programa Xou da Xuxa, produzido pela TV Globo entre 1986 e 1992, fazendo parte da segunda geração de paquitas. Foi escolhida como a nova Pituxa em abril de 1989, substituindo Louise Wischermann, a primeira Pituxa. Liderava o grupo paquitas e recebeu o apelido de Pastel dado pela Xuxa, porque para ganhar tempo fingia que não ouvia a primeira chamada.

Letícia gravou dois discos do grupo Paquitas, o de 1989 e o de 1991. Ela solou canções como “Broto Legal” e cantou outras como “Alegres Paquitas” e “Fada Madrinha” (é tão bom)! Participou como paquita de filmes como Sonho de Verão, Lua de Cristal e Gaúcho Negro.

Ao mesmo tempo em que trabalhou no Xou da Xuxa cursou a escola de teatro O Tablado, com o professor Bernardo Jablonski e participou do “Grupo Pessoal do Tom” com Roberto Bomtempo e Roney Vilella.

Carreira como atriz[editar | editar código-fonte]

Em 1990 começou a participar do Grupo Porão, sediado no Teatro Villa Lobos, onde desenvolveu uma linguagem pessoal através de investigações cênicas, físicas e vocais. Fez parte deste Grupo até 1994, quando começou a gravar a novela "Quatro por Quatro" de Carlos Lombardi.

Após algumas participações especiais em 1992 no humorístico Os Trapalhões, Letícia fez a estréia em telenovelas ao interpretar a personagem Debbie, uma pequena participação, em Despedida de Solteiro. Em seguida, foi cursar a Oficina da Globo.

Após apenas quinze dias após ter iniciado a Oficina, foi convidada a participar da telenovela "Quatro por Quatro", para um papel secundário. Com a desistência da atriz Adriana Esteves, Letícia ganhou o seu primeiro papel principal, em 1994, quando a atriz estreou como Babalu, uma das protagonistas da telenovela das sete Quatro por Quatro. Surpreendendo a todos, a personagem de Letícia, assim como sua interpretação, foram os destaques da novela, transformando a cabeleireira Babalu na personagem mais popular da obra escrita por Carlos Lombardi e uma das mais populares no contexto das telenovelas da década de 90. Seus trejeitos, maneira de andar e roupas eram copiadas pelas meninas da época.

Em 1996 interpretou a personagem Giovanna, na primeira fase da aclamada telenovela O Rei do Gado. Sob a direção de Luiz Fernando Carvalho, Letícia teve a oportunidade de contracenar com grandes atores como Raul Cortez, Antônio Fagundes, Eva Wilma e Vera Fischer, em cenas cujos níveis de concepção e realização aproximam-se do cinema. Nessa época, Letícia estava casada com o ator Marcello Novaes e nos primeiros meses de gravidez do seu filho primogênito. Em 17 de Outubro, nasceu Pedro.

No ano de 1997 atuou em Zazá, como a cozinheira Beatriz, mais uma vez fazendo par com o então marido Marcelo Novaes. Em 1999, Letícia voltou à televisão como a vilã Maria Regina, em Suave Veneno. Foi quando precisou cortar os cabelos e pintá-los de preto, o que deu um bonito contraste com os olhos azuis.

Inicialmente foi muito criticada pelos exageros na interpretação da personagem, mas no decorrer da trama Maria Regina acabou dando a volta por cima e tornando-se o melhor da novela. Sobre isso, José Wilker disse em entrevista: É muito bom o trabalho de Letícia Spiller. Ela foi massacrada pela imprensa e, de repente, surpreendeu-me pela maturidade. Com apenas 25 anos, ouviu tudo com a cabeça erguida e, em seguida, reavaliou o que estava fazendo. Hoje, acho que ela faz um dos melhores trabalhos dessa novela.

Com o sucesso de sua personagem anterior, Letícia foi convidada para protagonizar Esplendor, telenovela exibida no horário das 18h, em 2000. No ano seguinte a atriz precisou recusar o papel de Jade, a protagonista de O Clone - que acabou ficando com Giovanna Antonelli -, porque estava em processo de produção do espetáculo "O Falcão e o Imperador", em que foi responsável pela adaptação do texto, produção, direção e atuação, ao lado da artista Jac Fagundes. Baseado na obra do grego Nikos Kazantzakis e do persa Rumi, o espetáculo foi apresentado em diversas cidades brasileiras e é descrito pela atriz como o trabalho de sua vida. Letícia afastou-se da televisão por um ano porque precisou raspar os cabelos em virtude do personagem "Falcão". Em seguida, fez o espetáculo "A Leve, o próximo nome da Terra", de Hamilton Vaz Pereira.

Voltou à televisão em 2002, quando interpretou mais uma protagonista das 18h, a Diana de Sabor da Paixão. Em 2004 foi convidada por Aguinaldo Silva para participar de Senhora do Destino, trama exibida às 20 horas. Letícia deu vida à Viviane Perón, ambiciosa primeira-dama da Vila de São Miguel e apaixonada esposa de Reginaldo, interpretado por Eduardo Moscovis. Letícia afirmou em uma entrevista que se inspirou em Lady Macbeth de Shakespeare para compor seu papel.[carece de fontes?]

No cinema atuou em Oriundi (1999), ao lado de Anthony Quinn. Anthony e Letícia cultivaram uma estreita amizade e Letícia recebeu muitos ensinamentos. Em 2000 atuou como "Mindinha" a segunda esposa do compositor em Villa-Lobos, uma Vida de Paixão (2000). Em 2002 viveu a personagem-título de A Paixão de Jacobina (2002).

Participou ainda de dois curta-metragens: o premiado O Pulso (1997), de José Pedro Goulart, e O Problema (2004), no qual foi dirigida por Frederico Benedini e repetiu a parceria com Eduardo Moscovis.

Em 2006 a atriz foi convidada pela autora Gloria Perez a integrar o elenco da minissérie Amazônia, de Galvez a Chico Mendes, exibida pela Rede Globo em 2007. Participou como Anália, esposa infiel que contava com o consentimento do marido. Posteriormente, esteve em cartaz com a peça Isadora Duncan, com direção de Bibi Ferreira e texto de Aguinaldo Silva. No fim de 2007, fez parte da novela das 20h, Duas Caras, em que interpretava a Maria Eva Duarte. Depois de um ano longe das novelas, trabalhou pela primeira vez com o autor Manoel Carlos, em Viver a Vida. Letícia interpretou Betina, uma mulher avançada e moderna, às voltas com a infidelidade do marido, que a trai com a própria prima, e o namoro da filha adolescente. Atuou na 19 temporada de Malhação, que foi ao ar de 29 de agosto de 2011 a 10 de agosto de 2012 .

Em 2011, após o nascimento de sua filha Stella, participou a convite "Daquela Companhia de Teatro" do espetáculo “Outside”, baseado na vida de David Bowie. Em “Outside” Letícia viveu a personagem Peggy Gugenheim. A peça é uma das preferidas da atriz.

Fez parte do elenco de Salve Jorge , como Antônia, uma ex-modelo falida, casada com Celso, personagem de Caco Ciocler . Em crise, o casal acaba se divorciando depois que ela resolver retomar a carreira [1] .

Atualmente, vive a dançarina e cantora Lola Gardel da novela das 18 horas Joia Rara de Thelma Guedes e Duca Rachid [2] .

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

A atriz é filha de Vallery Monteiro de Barros Spiller e Mauro Pena. A atriz é descendente de austríacos pelo lado materno, e cresceu ouvindo sua mãe falar alemão, embora não saiba falar o idioma.[carece de fontes?]

Foi casada com o ator Marcello Novaes, com quem tem um filho chamado Pedro, nascido em 1996.

No dia 20 de janeiro de 2011 a atriz deu à luz a menina Stella, filha dela e de marido atual, Lucas Loureiro. Eles estão juntos desde junho de 2009.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título Personagem Notas e prêmios
1989 Xou da Xuxa Pituxa Pastel - (Paquita)
1990
1991
1992
1991 El Show de Xuxa Pituxa Pastel - (Paquita)
1992
Xuxa Park Pituxa Pastel - (Paquita)
Despedida de Solteiro Debbie (participação)
Os Trapalhões Participação
1994 Participação
Quatro por Quatro Babalu (Barbarela Lurdes) Prêmio Contigo de melhor atriz
1996 O Rei do Gado Giovanna Berdinazzi Prêmio Contigo de melhor par romântico (com Leonardo Brício)
1997 Zazá Beatriz Soffer
1998 Mulher Mulher com depressão pós-parto
1999 Suave Veneno Maria Regina Cerqueira Figueira Prêmio Extra de Televisão de melhor atriz

Indicada - Troféu Imprensa de melhor atriz

Zorra Total Ela mesma
Mundo VIP Ela mesma
2000 Esplendor Flávia Cristina
2001 A Grande Família Sofia
Casseta & Planeta, Urgente! Maria Regina
2002 Sabor da Paixão Diana
2003 Xuxa no Mundo da Imaginação Vambrina
Sítio do Picapau Amarelo Gavita
Kubanacan Laura / Adelaide Labarca
2004 A Diarista ela mesma (Aquele do Projac)
Senhora do Destino Vivianne Fontes
2005 Cidade dos Homens Ela mesma
Quem vai ficar com Mário? Diana
2006 Xuxa 20 Anos (especial)
2007 Amazônia Anália
Linha Direta Justiça Sylvia Thibau
Duas Caras Maria Eva Monteiro Duarte
2008 Casos e Acasos Cléo
Nada Fofa Nádia Wolf
2009 Episódio Especial Ela mesma
Viver a Vida Betina
2010 Afinal, o Que Querem as Mulheres? Sophia
2011 Malhação Laura Guimarães
2012 Salve Jorge Antonia Alcântara Vieira
2013 Joia Rara Lola Gardel[4] [5]

Cinema[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Isadora Duncan
  • A leve, o próximo nome da Terra
  • Bodas de Sangue
  • O falcão e o imperador
  • Abelardo e Heloísa
  • Peer Gynt

Discografia[editar | editar código-fonte]

Empresária[editar | editar código-fonte]

Leticia Spiller, além de atriz é também empresária. Possui duas empresas: a Paisagem Filmes e Stella Filmes.

Pela a Paisagem Filmes, produziu o curta "Joãozinho de Carne e Osso", o documentário "Escola da Floresta" e o longa metragem "O Casamento de Gorete".

Em parceria com seu atual marido Lucas Loureiro criaram a Stella Filmes, empresa de aluguel de equipamento para cinema.



Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Letícia Spiller