Caco Ciocler

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde fevereiro de 2013). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes fiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes fiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes fiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Caco Ciocler
Nome completo Carlos Alberto Ciocler
Nascimento 27 de setembro de 1971 (43 anos)
São Paulo, SP
Ocupação ator e diretor
IMDb: (inglês)


Carlos Alberto Ciocler (São Paulo, 27 de setembro de 1971) é um ator brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em uma família de classe média alta, enveredou para o mundo das artes cênicas quando já estava prestes a se formar engenheiro pela Universidade de São Paulo. Dessa forma, matriculou-se em um curso de artes dramáticas. Seus pais não ficaram nada satisfeitos com a opção do filho, embora desde pequeno ele já demonstrasse inclinação para o palco. Bem antes de completar 10 anos de idade, integrou o grupo de teatro amador do clube A Hebraica, que o introduziu à crítica aos 17, com a peça Ecos. [1]

A TV foi uma consequência inesperada, pois era preconceituoso com o veículo. Em 1995, devido ao bom desempenho que apresentou na peça Píramo e Tisbe, recebeu o Prêmio Mambembe de Melhor Ator Coadjuvante e ainda assinou um contrato de dois anos com a Rede Globo.[2] Isso porque, em uma das apresentações do espetáculo, Luiz Fernando Carvalho, o responsável pela direção da novela O Rei do Gado, estava na platéia. Satisfeito com o que viu, rapidamente convidou-o para o elenco do folhetim que marcou sua estréia na TV, em 1996. De início, relutou em aceitar o convite, porque acreditava que atuar na televisão exigia pouco esforço de interpretação do ator. Persuadido, sua participação na história estendeu-se somente em alguns capítulos, mais precisamente, na primeira fase da trama, na qual interpretou o jovem italiano Jeremias Berdinazzi, que depois foi vivido por Raul Cortez. Com a oportunidade, chamou a atenção da crítica especializada e abocanhou o Prêmio APCA, na categoria Revelação Masculina.

Nos quatro anos seguintes, passou praticamente desapercebido na televisão com personagens que pouco repercutiram nas novelas. Nesse intervalo, destacou-se no teatro com a peça Rei Lear pela qual recebeu o Prêmio Qualidade Brasil de Melhor Ator. Também, debutou nas telonas com o filme Caminho dos Sonhos, protagonizado por Taís Araújo e Elliott Gould.

Em 2000, destacou-se na minissérie A Muralha, na pele do cafajeste Bento Coutinho, que mesmo prometido à ingênua Rosália tinha o hábito de deitar-se com as índias. No ano seguinte, despontou na novela Um Anjo Caiu do Céu como Davi, um agente judeu que trabalhava contra uma organização neonazista. Sua função na história era proteger o fotógrafo João Medeiros, que chegou a sofrer um atentado do mesmo grupo em outro país. Foi nesse ano, que participou do elogiado filme Bicho de Sete Cabeças que entrou para a história do cinema brasileiro como sendo o mais premiado nos festivais. Também protagonizou o filme Minha Vida em Suas Mãos no qual interpretou um homem que após ser demitido e ter o fundo de garantia roubado num assalto, envolveu-se no mundo dos crimes, onde conheceu Júlia, a quem faz refém num assalto. Por ela se apaixonou, não sabendo como agir mediante ao sentimento e a necessidade de manter-se nessa vida vazia.

Em 2002, fez-se presente na minissérie O Quinto dos Infernos que narrava a chegada da Família Real ao Brasil. Nesse trabalho, encarnou o papel mais interessante de sua trajetória televisiva até então, o herdeiro da corte D. Miguel, irmão de D. Pedro I e filho da rainha D. Carlota Joaquina. O projeto produzido em comemoração à independência do Brasil não seguiu a risca os registros sobre tal fato histórico. Por exemplo, na produção seu personagem era um sujeito estranho, mimado pela mãe e vivia trancado em casa por horror ao sol. Além disso, nutria uma ácida inveja por seu irmão, que era diametralmente o seu oposto. Na verdade, pela história contada por Carlos Lombardi, Miguel foi um vilão complexo, pesado, preso na escuridão de uma paixão incestuosa que nutria por Pedro I e marcado por um gestual tão esquisito quanto sinistros eram os seus sentimentos.

Também participou do documentário A Guerra dos Paulistas, telefilme produzido para a TV Cultura, que narrou a Revolução de 1932, onde brasileiros confrontaram contra brasileiros na mais violenta guerra bélica já registrada nas Américas do século vinte. E ainda, esteve nas telonas com o filme Lara que contou a história de vida da grande atriz Odete Lara. Posteriormente, caiu de paraquedas literalmente na novela Chocolate com Pimenta. Entrou para o elenco do folhetim quando este já estava na metade de sua exibição para movimentar o núcleo central e desestruturar o romance do casal protagonista Aninha e Danilo. Miguel, era um homem misterioso e chegou na cidade de Ventura dentro de um balão. Através de seus conselhos, Ana Francisca conseguiu se reerguer do golpe que sofreu de sua ex-cunhada Jezebel e recuperar a fábrica de chocolates.

Em 2004, dedicou-se ao cinema. Entre outros trabalhos, rodou o curta Limbo que narra a história de um homem que se vê jogado no limbo a espera do seu julgamento final. O filme participou de vários festivais, entre eles: Festival FAM, VII FIC Brasília, 29° Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, The New York International Film Festival, Cine Curupira, onde venceu o prêmio de Melhor Direção, 4° Mostra Maria Vídeo e Cinema, onde venceu o prêmio de Melhor Fotografia e Gramado Cine Vídeo, onde venceu o prêmio de Melhor Ficção.

Protagonizou também o filme Olga, que foi duramente criticado por ser considerado excessivamente televisivo. Contando com uma trama de amor típica das telenovelas, o roteiro foi considerado superficial, por ter se fixado no aspecto romântico da história de Olga e Prestes sem retratar com muita precisão o período histórico, nem as motivações das personagens nos revoltas comunistas. Alguns críticos julgaram também os diálogos pobres e didáticos. Anita Leocádia Prestes, filha de Olga, comentou que não gostou do final. O longa termina com sua mãe sendo morta na câmera de gás do campo de concentração. Apesar disso, a película ficou entre as maiores bilheterias nacionais daquele ano e foi considerado um verdadeiro marco na carreira da atriz Camila Morgado que viveu a personagem título.

Ainda esteve em circuito nacional nas telonas com o filme Quase Dois Irmãos, em que interpretou um senador que decide reencontrar um antigo amigo de infância que na verdade é um poderoso traficante de drogas, com a intenção de negociar um projeto social nas favelas em que ele lidera. Também esteve em Quanto Vale ou É por Quilo? , que faz uma analogia entre o antigo comércio de escravos e a atual exploração da miséria pelo marketing social, que formam uma solidariedade de fachada, fazendo uma grande crítica às ONGs e suas captações de recursos junto ao governo e empresas privadas.

Avesso desde sempre ao estereótipo de galã, não teve como escapar desse rótulo em América , onde deu vida ao intelectual Ed Talbot. Com o trabalho, o ator que já possuía uma carreira sólida tanto no cinema quanto no teatro firmou o sucesso tambem na telinha e assim conseguiu seu primeiro personagem popular. De início, Ed não teria tanto destaque e seria apenas um rápido envolvimento da protagonista Sol. No entanto, com a audiência da novela em crise a autora Glória Perez tirou proveito da boa aceitação que o intérprete tinha perante ao telespectador e o promoveu a protagonista. Seu caso com a mocinha de Deborah Secco caiu nas graças do público, destronando assim o peão de Murilo Benício, par romântico de Sol no início da trama. [3]

Emendando trabalhos, em 2006, surgiu no vídeo na minissérie JK em que despontou como o bom moço Leonardo Faria. Dançarino de tango em um cabaré, envolveu-se num romance proibido com a jovem Salomé pertencente a uma família de rígidos costumes. A história de amor dos dois, pontuada por desencontros e mágoas, foi bonita de se ver. Em dobradinha, no mesmo ano interpretou o indeciso fotógrafo Renato de Páginas da Vida. Na novela, mesmo casado com Ana Furtado acabou envolvendo-se com Viviane Pasmanter com quem tinha muitas afinidades, entre elas, a paixão por fotografia. Mais uma vez, devido a popularidade em alta do núcleo dos fotógrafos, viu seu personagem crescer, ganhando mais destaque na trama e assim alavancando a audiência do folhetim que vinha instável.

Em 2007, foi alçado protagonista do horário nobre com a novela Duas Caras. No papel do advogado Cláudio disputou o coração de Maria Paula (Marjorie Estiano) junto ao inescrupuloso Marcone Ferraço (Dalton Vigh). Porém, com a redenção de Marcone Ferraço ao longo da história, Cláudio foi jogado para escanteio por Maria Paula. Mas sua solidão durou pouco, pois envolveu-se afetivamente com a patricinha de Sheron Menezes, filha de Juvenal Antena. Logo em seguida, voltou a contracenar com Marjorie na premiada Caminho das Índias, no entanto, dessa vez foram irmãos.

Em 2009, pelo papel principal em O Dia M, ganhou o prêmio de Melhor Curta metragem do Hollywood Brazilian Festival, em Los Angeles. Na película, interpreta um homem comum de 35 anos, que é obrigado a organizar os preparativos de sua morte. O segundo prêmio foi para Trópico de Câncer, que foi eleito o Melhor Filme no Festival do Minuto na categoria Tema Livre. Neste caso, roteirizou, filmou, dirigiu e editou o curta. Essa foi a primeira fez que mandou um filme para um festival e, logo de cara, venceu a disputa em um evento que reúne produções de todo o mundo. [4]

Em 2010, esteve no elenco da série A Cura, protagonizada por Selton Mello e Juca de Oliveira, em que viveu o médico Luis, noivo de Andréia Horta, e filho do prefeito, pertence a família mais rica de Diamantina. Rosângela, é ex namorada do mocinho Dimas. Com o retorno dele a cidade, perceberá assim uma ameaça sentimental e profissional, pois ve sua relação desmoronar. Até então acredita que ele não passa de um assassino, como todos os outros habitantes do vilarejo, porém, através de Rosângela descobre a inocência do rapaz e mesmo tendo perdido sua noiva para ele, torna-se seu aliado.

Em 2011, dedicou-se inteiramente ao teatro protagonizando a montagem de 45 Minutos, no qual interagia com a plateia. A duração é a mesma de um tempo das partidas de futebol, mas, no espetáculo, a platéia participa de forma decisiva. No monólogo, o ator reage a qualquer movimentação do público e vive justamente um intérprete obrigado a entreter as pessoas durante 45 minutos, tempo considerado mínimo para uma peça teatral. Enquanto aparentemente não acontece nada, aos poucos o monólogo atinge seu principal objetivo: discutir a crise que atinge o gosto do público, atualmente mais interessado em entretenimento que reflexão. Simultaneamente, esteve em cartaz com o filme Família Vende Tudo. Apesar do filme ter sido criticado pela narrativa fraca foi bastante premiado nos festivais e rendeu ao ator o prêmio de Melhor Ator no Cine PE.

Recentemente, esteve no ar com a novela Salve Jorge, de Glória Perez. Celso é um homem vazio que não se conforma por viver as sombras do passado de modelo da sua esposa Antônia. Pertenceu a uma família de Classe A que veio a falir. Ao descobrir o caso extraconjugal que sua esposa mantém com um antigo fã, une-se às ex-esposas de Carlos para separá-los.[5] [6] [7] [8]

Sua experiência como diretor também merece menção. Por seu trabalho, "Na Solidão dos Campos de Algodão", venceu o Prêmio Quem na categoria Melhor Diretor de teatro. Simultaneamente, atuou em outra montagem, Casting, uma comédia de costumes que trás o ator na pele de um produtor que tem a missão de escolher o elenco feminino de um show erótico em Cingapura anunciado como uma peça.

É um dos atores mais requisitados dos cinemas, tendo participados de pelo menos seis produções cinematográficas em 2012, seu recorde até então. Entre eles, está o curta Timing, protagonizado por ele, que venceu no 13º Cultura Inglesa Festival na categoria Cinema Digital. Está em cartaz com 2 Coelhos, filme que vem recebendo elogios graças ao seu roteiro bem elaborado, muitos efeitos especiais e pela tentativa de sair do lugar comum do cinema brasileiro. E recentemente, estreou o longa Disparos , no qual interpreta um delegado que não facilitará a vida de um fotógrafo, apreendido acusado de omitir socorro a um grupo de motoqueiros que foram atropelados por um carro desconhecido. Detalhe: esses motoqueiros assaltaram ele e quando foram acidentados estavam em fuga. O filme foi bem recebido pela crítica e rendeu-lhe o prêmio de Melhor Ator no Festival do Rio.

É formado pela Escola de Arte Dramática. Tem um filho chamado Bruno, cuja mãe é a também atriz Lavínia Lorenzon. Ele também foi casado com a videoartista e apresentadora Marina Previato.[9] [10]

Em 2013 atuou na novela Além do Horizonte onde deu vida ao delegado André.

Em 2014 volta as novelas como o Paulo de Boogie Oogie .

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Trabalhos na televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas
1996 O Rei do Gado Jeremias Berdinazzi Primeira Fase
1997 O Amor Está no Ar Davi Coadjuvante
Por Amor Médico Participação Especial
1998 Você Decide ------- Episódio: Um Lar Para Clarice
Você Decide ------- Episódio: Vida
Você Decide ------- Episódio: Verdades e Mentiras
Corpo Dourado Padre Estevão Participação Especial
Pecado Capital Rodrigo Coadjuvante
2000 A Muralha Bento Coutinho Co-antagonista
Esplendor Lázaro Coadjuvante
2001 Um Anjo Caiu do Céu Davi Coadjuvante
2002 O Quinto dos Infernos Dom Miguel Antagonista
A Guerra dos Paulistas ------- TeleFilme
2003 Chocolate com Pimenta Miguel/Martim Coadjuvante
2005 América Edward Talbot (Ed) Co-protagonista
2006 JK Leonardo Faria Co-protagonista
Páginas da Vida Renato Martins Coadjuvante
2007 Duas Caras Dr. Claudius Maciel Co-protagonista
2009 Você Está Aqui ------- Série Canal Brasil
Caminho das Índias Murilo Co-protagonista
2010 A Cura Dr. Luís Camillo Coadjuvante
2011 Cordel Encantado Coronel Pedro Falcão Participação Especial
2012 As Brasileiras Marcelo Episódio: "A Apaixonada de Niterói"
Salve Jorge Celso Alcântara Vieira Coadjuvante
2013 "Além do Horizonte " André
2014 "Boogie Oogie" Paulo

Trabalhos no cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel
1999 Caminho dos Sonhos Rabino Jacó
2001 Bicho de Sete Cabeças Rogério
Minha Vida em Suas Mãos Antônio
O Xangô de Baker Street Miguel
2002 Lara Guima
A Paixão de Jacobina João Lehn
Avassaladoras Miguel
2003 Desmundo Ximeno Dias
Km 0 Ele Mesmo
2004 Quase Dois Irmãos Miguel - Anos 70
Olga Luís Carlos Prestes[11]
Sexo, Amor e Traição Miguel
Limbo -------
2005 Quanto Vale ou É por Quilo? -------
Vinícius -------
2007 Inesquecível Guilherme Quiroga
2008 O Dia M Almeida
Trópico de Cancêr -------
2009 Um Dia de Ontem Pepe
2011 Família Vende Tudo Ivan Cláudio (Jecivandro)
Disparos Inspetor Freire
2012 2 Coelhos Walter
Meu Pé de Laranja Lima José Mauro de Vasconcelos[12]
De Menor Carlos
Timing -------
Gosto do Fel Wanderley

No teatro[editar | editar código-fonte]

Teatro(como Ator)[editar | editar código-fonte]

Ano Título
1988 Ecos
1990 MarY Stuart
1993 Salomé
1995 Pedro Paulo Pedregulho
Píramo e Tisbe
1999 Rei Lear
2003 Senhor das Flores
Os Sete Afluentes do Rio Ota
2006 Antonio e Cleopatra
2007 Aldeotas
2008 Imperador e Galileu
2010 Casting
2011 45 minutos
2012 Amante
A Construção

Teatro(como Diretor)[editar | editar código-fonte]

Ano Título
2010 Na Solidão dos Campos de Algodão

Prêmios & Indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Festival Trabalho Indicado Notas
1995 Melhor Ator Codjuvante Prêmio Mambembe Píramo e Tisbe Venceu
1996 Revelação Masculina Prêmio APCA O Rei do Gado Venceu
2000 Melhor Ator Prêmio Qualidade Brasil Rei Lear Venceu
2001 Melhor Ator Coadjuvante Grande Prêmio Cinema Brasil Bicho de Sete Cabeças Indicado
2004 Melhor Ator Coadjuvante Grande Prêmio BR do Cinema Brasileiro Desmundo Indicado
2004 Melhor Ator Grande Prêmio Cinema Brasil Olga Indicado
2005 Melhor Ator Grande Prêmio Cinema Brasil Quase Dois Irmãos Indicado
Melhor Ator Grande Prêmio Cinema Brasil Quanto Vale Ou É Por Quilo? Indicado
2006 Melhor Ator Melhores do Ano - Domingão do Faustão América Venceu
2009 Melhor Ator Hollywood Brazilian Festival O Dia M Venceu
Melhor Filme Festival do Minuto Trópico de Cancêr Venceu
2010 Melhor Diretor de Teatro Prêmio Quem Na Solidão dos Campos de Algodão Venceu
2011 Melhor Ator Cine PE Família Vende Tudo Venceu
2012 Melhor Ator Coadjuvante Festival do Rio Disparos Venceu

Referências

  1. Perfil de Caco Ciocler na Revista Caras.
  2. Revista TPM - de nov. 2008 - Vol. 7, nº 82 - 128 páginas
  3. Caco Ciocler no .ego, da Globo.
  4. [1]
  5. Caco Ciocler viverá viciado em jogos na novela Salve Jorge medemulher. Visitado em 30 de dezembro de 2012.
  6. Caco Ciocler interpreta personagem falido na novela Salve Jorge Glamurama UOL. Visitado em 30 de dezembro de 2012.
  7. Caco Ciocler estará em Salve Jorge Pioneiro. Visitado em 30 de dezembro de 2012.
  8. Caco Ciocler será Celso em Salve Jorge Rede Globo. Visitado em 30 de dezembro de 2012.
  9. Caco Ciocler: ‘Cheguei a duvidar de Deus’ Estadão.com (1 de novembro de 2010). Visitado em 15 de novembro de 2013.
  10. Odiado por seu papel em 'Salve Jorge', Caco Ciocler fala de traição O Dia Internet Group (4 de maio de 2013). Visitado em 15 de novembro de 2013.
  11. Cinemateca Brasileira Olga [em linha]
  12. Almeida, Carlos Helí de (30 de novembro ed 2012). ‘Meu pé de laranja lima’ emociona plateia do Odeon O Globo. Visitado em 15 de abril de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]