Olga Nikolaevna da Rússia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Olga de Württemberg
Rainha de Württemberg
Grã-Duquesa da Rússia
Rainha de Württemberg
Período 25 de Junho de 1864 - 6 de Outubro de 1891
Predecessor Paulina Teresa de Württemberg
Sucessor Maria de Waldeck e Pyrmont
Coroação 12 de Julho de 1864
Cônjuge Carlos I de Württemberg
Pai Nicolau I da Rússia
Mãe Carlota da Prússia
Nascimento 11 de Setembro de 1822
São Petersburgo, Império Russo
Morte 30 de outubro de 1892 (70 anos)
Friedrichshafen, Reino de Württemberg

Olga Nikolaevna da Rússia, (11 de Setembro de 182230 de Outubro de 1892), depois rainha Olga de Württemberg, foi um membro da Família Imperial Russa que se tornou rainha consorte de Württemberg.

Era a segunda filha do czar Nicolau I da Rússia e da sua esposa, a czarina Alexandra Feodorovna (Carlota da Prússia), sendo, assim, irmã do czar Alexandre II. Casou-se com o rei Carlos I de Württemberg de quem não teve filhos.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

Olga aos dezasseis anos de idade.

A grã-duquesa Olga Nikolaevna da Rússia nasceu no dia 11 de Setembro de 1822, em São Petersburgo. O seu pai era o imperador Nicolau I da Rússia, filho do imperador Paulo I e da imperatriz Maria Feodorovna da Rússia (nascida princesa Sofia Doroteia de Württemberg). A sua mãe era a imperatriz Alexandra Feodorovna da Rússia (nascida princesa Carlota da Prússia), filha do rei Frederico Guilherme III da Prússia e da rainha Luísa da Prússia (nascida princesa Luísa de Mecklemburgo-Strelitz).

Olga cresceu numa família chegada com muitas irmãs e irmãos. Tinha dois irmãos mais velhos: o futuro czar Alexandre II e a grã-duquesa Maria Nikolaevna da Rússia, bem como cinco irmãos mais novos: a grã-duquesa Alexandra Nikolaevna da Rússia, a grã-duquesa Isabel Nikolaevna da Rússia, o grão-duque Constantino Nikolaevich da Rússia, o grão-duque Nicolau Nikolaevich da Rússia e o grão-duque Miguel Nikolaevich da Rússia.

A grã-duquesa era atraente, culta e inteligente, sendo considerada uma das princesas mais elegíveisda Europa. Falava várias línguas e gostava de música e pintura.

Casamento[editar | editar código-fonte]

Olga conheceu o príncipe-herdeiro Carlos de Württemberg no inicio de 1846 em Palermo. Os seus pais queriam que ela contraísse um matrimónio dinástico, especialmente pelo facto de os seus irmãos Alexandre, Maria e Alexandra terem contraído uniões relativamente insignificantes. Já tinham ocorrido vários casamentos entre membros da família imperial russa e a família real de Württemberg (além do casamento entre os avós paternos de Olga): o futuro sogro de Olga, o reiGuilherme I de Württemberg, tinha-se casado com a sua tia, a grã-duquesa Catarina Pavlovna da Rússia e o seu tio paterno, o grão-duque Miguel Pavlovich da Rússia, casou-se com a sobrinha de Guilherme I, a princesa Carlota de Württemberg.

Olga aceitou a proposta de casamento de Carlos depois de poucos encontros, no dia 18 de Janeiro de 1846. O casamento realizou-se com grande esplendor no dia 13 de Julho desse ano em Peterhof, Rússia. O casal chegou a Württemberg no dia 23 de Setembro. Viveram principalmente na Villa Berg, em Estugarda e no Kloster Hofen em Friedrichshafen.

O casal não teve filhos, provavelmente devido ao facto de Carlos ser homossexual. O marido de Olga tornou-se o centro de vários escândalos devido à sua proximidade com vários homens. O mais conhecido destes casos foi com o americano Charles Woodcock, um antigo presidente de câmara que Carlos elevou a barão Savage em 1888. Em 1863, Olga e Carlos adoptaram a sua sobrinha, a grã-duquesa Vera Constantinovna da Rússia, filha do irmão de Olga, o grão-duque Constantino.

No dia 25 de Junho de 1864, após a morte do seu pai, Carlos subiu ao trono e tornou-se no terceiro rei de Württemberg, fazendo de Olga a sua quarta rainha. O novo rei foi oficialmente coroado no dia 12 de Julho de 1864.

Trabalho e influência[editar | editar código-fonte]

Sem filhos seus, Olga dedicou a vida a causas sociais. Interessava-se principalmente pela educação de raparigas e também apoiava os veteranos incapacitados pela guerra. Em 1849, um hospital em Estugarda recebeu o nome de “Olgahospital” em sua honra. Também a ordem das freiras caritativas protestantes de Estugarda foi baptizadas de Olgaschwesternschaft, em 1872. Estas obras de caridade tornaram-na muito popular entre os seus súbditos, ao contrário do marido.

Olga interessava-se muito por ciências naturais e coleccionava minerais. A sua colecção foi doada ao Staatliche Museum für Naturkunde em Estugarda. O museu ainda expõe com orgulho alguns destes minerais de origem real. O seu nome também está ligado a uma formação geológica no Norte da Austrália. Em 1871, para marcar o seu 25º aniversário de casamento, Carlos e Olga elevaram o explorador australiano Ferdinand Mueller, nascido na Alemanha, a “Barão von Muller”. Ele retribuiu o elogio dando o nome da rainha a uma das suas descobertas geológicas.

O seu marido, Carlos I de Württemberg, rei do Reino Alemão de Württemberg, homenageou-a dando o seu nome a uma ordem, Ordem de Olga, em 27 de Junho de 1871.

Últimos anos[editar | editar código-fonte]

fotografia de Olga nos seus últimos anos

Olga destacava-se pela sua dignidade e a sua conduta de rainha. Durante uma visita que o casal fez à Áustria em Julho de 1873, uma dama-de-companhia da imperatriz Isabel da Áustria reparou que "ele é extremamente insignificante. Ela tem um aspecto majestoso (...) a única que é rainha (...)".[1]

Em 1881, Olga escreveu um livro de memórias chamado “Traum der Jugend goldener Stern” (traduzido à letra, “O Sonho Dourado da Minha Juventude”), que descrevia a sua infância na corte russa, a sua dor ao perder a irmã Alexandra e a sua vida como jovem adulta, terminando com o seu casamento com Carlos. O livro foi dedicado às suas sobrinhas, as grã-duquesas Olga e Vera da Rússia.

Quando o seu marido morreu no dia 6 de Outubro de 1891, Olga tornou-se na rainha-viúva de Württemberg. Morreu um ano depois, no dia 30 de Outubro de 1892 em Friedrichshafen, aos setenta anos de idade. Foi enterrada na cripta do Castelo Velho em Estugarda.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Olga Nikolaevna da Rússia em três gerações
Olga Nikolaevna da Rússia Pai:
Nicolau I da Rússia
Avô paterno:
Paulo I da Rússia
Bisavô paterno:
Pedro III da Rússia
Bisavó paterna:
Catarina, a Grande
Avó paterna:
Maria Feodorovna (Sofia Doroteia de Württemberg)
Bisavô paterno:
Frederico II Eugénio de Württemberg
Bisavó paterna:
Sofia Doroteia de Brandemburgo-Schwedt
Mãe:
Alexandra Feodorovna (Carlota da Prússia)
Avô materno:
Frederico Guilherme III da Prússia
Bisavô materno:
Frederico Guilherme II da Prússia
Bisavó materna:
Frederica Luísa de Hesse-Darmstadt
Avó materna:
Luísa de Mecklemburgo-Strelitz
Bisavô materno:
Carlos II de Mecklemburgo-Strelitz
Bisavó materna:
Frederica de Hesse-Darmstadt

Referências

  1. Marie Festetics, página do diário datada de 14 de Julho de 1873, citada em Brigitte Hamann, The Reluctant Empress, (Knopf, 1986, New York, p. 206.)
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Olga Nikolaevna da Rússia