Topónimos romanos em Portugal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Portugal fez parte do Império Romano, província romana da Galécia (e também da Lusitânia), e muitas cidades portuguesas foram criadas durante essa época, outras já existiam antes da época romana e foram então expandidas. Algumas cidades começaram como villas romanas, com um senhor romano e Lusitanos que se fixaram ali para trabalhar para os senhores romanos. Inicialmente o regime era colonial, mais tarde os Romano-lusitanos das cidades ganharam direito latino e tornaram-se cidadãos de Roma, como o resto das cidades da Península Ibérica.

Note-se que muitos topónimos são de origem pré-romana, tratando-se de povoações fundadas antes da romanização. Como exemplo, temos Conímbriga cujo sufixo "briga" é de origem celta ou Olisipo em que "ipo" será de origem fenícia ou ibérica.

Lista de cidades e villae[editar | editar código-fonte]

Nome Romano Nome actual
Emínio Coimbra
Ammaia São Salvador da Aramenha
Acoutínio Alcoutim
Aquae Flaviae Chaves
Arábriga Alenquer
Aranis, talvez Arandis Santa Bárbara de Padrões, Castro Verde
Arécio Alvega
Aruci ou Civitas Arucitana Nova Moura
Alavário Aveiro
Avêntela Arrentela, freguesia da cidade do Seixal
Bésuris; Esuri Castro Marim
Balatucelo Bobadela, Oliveira do Hospital
Balsa Perto de Luz de Tavira
Balto Albufeira
Bevipo Alcácer do Sal
Bracara Augusta Braga
Ceciliana Uma mansio na via romana entre Cetóbriga e Malateca
Cale Vila Nova de Gaia
Cetóbriga Setúbal[1]
Calípolis Vila Viçosa
Castra Leuca Castelo Branco
Cilpes Rocha Branca, Silves
Cinético Jugo Cabo de Sines
Civitas Aravoro Marialva
Civitas Igeditanoro Idanha-a-Velha
Centum Cellae; Centum Celas Colmeal da Torre, Belmonte
Colipo Leiria
Conímbriga Condeixa-a-Velha, Sul de Coimbra
Conistorgis localização desconhecida no Algarve ou Baixo-Alentejo
Dipo Elvas ou Évora Monte
Dúmio Dume
Ebora, Ebora Cerealis, Liberalitas Júlia Évora
Eburobrício Óbidos
Egitânia Idanha-a-Velha
Aquabona Coina, Barreiro
Ipses Alvor
Lacóbriga provavelmente na zona de Lagos
Lancóbriga Fiães, Santa Maria da Feira
Lameco Lamego
Lorica Loriga, Seia
Longóbriga Longroiva, Mêda
Malateca Marateca, Palmela
Métalo Vispascense Mina de Aljustrel
Miróbriga Celticoro, ou Miróbriga próximo de Santiago do Cacém - Localização
Mondóbriga Alter do Chão
Moron próximo de Santarém. Também apontado como Chões de Alpompé.
Mírtilis Mértola
Olisipo Felicitas Julia, Olisipo, Ulissípolis, Felicitas Julia Olisipo, Ulisseia Lisboa
Opidana ou Lância Opidana Guarda
Ossónoba Faro
Pax Júlia, Pax Augusta, Colônia Pacense Beja
Porto Alacer Portalegre
Portus Cale Porto
Portus Hannibalis ou Porto de Aníbal Portimão. Nome associado ao general Aníbal Barca.
Salácia Alcácer do Sal
Sáurio Soure
Escálabis Santarém
Segóbriga Segóvia, Campo Maior
Sélio Tomar
Sirpe Serpa
Talabara Alpedrinha, Fundão
Talábriga Marnel, Águeda
Tongóbriga Marco de Canaveses
Trício Covilhã
Tubucci Aurantes Abrantes
Valécula

Valhelhas

Veniatia Vinhais
Vila Cardílio Torres Novas
Villa Euracini Póvoa de Varzim
Vispasca Aljustrel
Verúrio Viseu

Rios[editar | editar código-fonte]

Fl. Fluvius, R. Rio

Nome Romano Nome actual
Minius Fl. R. Minho
Limia Fl. R. Lima
Nebis Fl. R. Neiva
Avus Fl. R. Ave
Tamaca Fl. R. Tâmega
Durius Fl. R. Douro
Vacua Fl. R. Vouga
Monda Fl. R. Mondego
Tagus Fl. R. Tejo
Calipus Fl. R. Sado
Ana Vel Anas Fl. R. Guadiana
Nabantius Fl. R. Nabão

Relevo[editar | editar código-fonte]

Nome Romano Nome actual
Herminius Mons Serra da Estrela

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Cf. Alarcão, Jorge de (coord.). Nova História de Portugal: vol. I: Portugal: das origens à romanização. Lisboa, Editorial Presença, 1990.ISBN 978-972-23-1313-4.