Peniche

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Peniche
Brasão de Peniche Bandeira de Peniche
Brasão Bandeira
Igreja de São Pedro (Peniche).jpg
Igreja de São Pedro (Peniche)
Localização de Peniche
Gentílico Penicheiro, Penichense
Área 77,55 km²
População 27 753 hab. (INE, 2011)
Densidade populacional 357,87 hab./km²
N.º de freguesias 6
Presidente da
Câmara Municipal
António Correia (PCP-PEV)
Fundação do município
(ou foral)
1609
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Oeste
Distrito Leiria
Antiga província Estremadura
Orago São Pedro
Feriado municipal Segunda-feira após o
primeiro Domingo de
Agosto - Nª Srª da Boa Viagem
Código postal 2520 Peniche
Sítio oficial www.cm-peniche.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg
Doca de Peniche
Jardim junto à Praça-forte
Muralha de Peniche
Cruz dos Remédios, ao fundo as Berlengas
Amigo de Peniche, um bolo típico da cidade

Peniche é uma cidade portuguesa da sub-região do Oeste, região Centro, com cerca de 14.749 habitantes (Censo de 2011).

É sede de município com o mesmo nome que tem 77,55 km² de área e 27.753 habitantes[1] , subdividido em 4 freguesias: Peniche (cidade), Ferrel, Atouguia da Baleia e Serra d'El Rei, (freguesias rurais).

O município é limitado a leste pelo de Óbidos, a sul pelo da Lourinhã e, a oeste e norte, pelo Oceano Atlântico.

A povoação foi elevada a vila em 1609 e a cidade a 1 de Fevereiro de 1988.

Implantação[editar | editar código-fonte]

A cidade de Peniche, a mais ocidental da Europa Continental, está implantada numa península (primitivamente uma ilha), com cerca de dez quilómetros de perímetro, criada por um tômbolo.

O povoado foi construído numa área rochosa considerada por cientistas como única a nível mundial enquanto exemplo da transição do período Triássico, aquando da extinção do Jurássico Inferior. Essa área engloba a orla costeira desde a Papôa ao Cabo Carvoeiro. Essa particularidade marca inequivocamente a grande importância do património geológico de Peniche.[2] [3] [4] [5] [6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Peniche tem praias extensas a norte e a sul da península. A praia norte prolonga-se, ultrapassando o Baleal, a uns três quilómetros, numa extensão de cerca de nove quilómetros até à Foz do Arelho. O ponto mais ocidental da Península de Peniche é o Cabo Carvoeiro.

A oeste do Cabo Carvoeiro, para lá das seis milhas, situa-se o arquipélago das Berlengas. Este arquipélago é hoje uma reserva natural onde se encontram espécies raras de flora, aves e peixes.

História[editar | editar código-fonte]

O concelho de Peniche possui uma longa e rica História. Foi sucessivamente ocupado por populações que, ontem como hoje, fizeram da pesca e da agricultura as suas principais atividades económicas.

A sua especificidade geomorfológica, insular/peninsular, parece ter moldado e condicionado, de um ponto de vista sócio-económico e cultural, as populações que ao longo dos tempos ocuparam este território[7] [8] . Peniche e o seu concelho são palco de importantes acontecimentos históricos de índole nacional e internacional. Perante frequentes assaltos de piratas e ocupações de potências estrangeiras, foi terra defendida por uma construção fortificada, a Praça-forte de Peniche.

Arqueologia[editar | editar código-fonte]

O munícipio de Peniche e a faixa marítima adjacente têm sido objeto, desde os finais do século XIX e em particular nos últimos anos do século XX e na década seguinte, de inúmeros projetos de investigação no campo da arqueologia, com trabalhos em que se tem lentamente reconstituído a sua história e a das suas gentes.

A Furninha (Gruta da Furninha - wikimapia) revela vestígios de presença humana desde a época do Homem-de-neandertal. É o sítio neandertal mais ocidental da Europa e do mundo. Pela sua história e características, a gruta da Furninha é património de considerável importância.[9] [10] [11]

A arqueologia mais recente dá-nos a conhecer ainda o retrato de um território que à época romana assumia uma posição de charneira no contexto de uma navegação comercial inter-regional e acolhia, nos seus fundeadouros e estruturas portuárias, embarcações de grande tonelagem, como parece comprovado pela descoberta na Berlenga de dois cepos de âncora em chumbo com cerca de 2,55 e 2,63 m., com o peso de 423 e 422 kg. respetivamente. Essas embarcações transportavam ânforas com vinho andaluz ou conservas de peixe lusitanas. A integração deste território nesta rede comercial de longo alcance terá favorecido a implantação de uma unidade fabril produtora de preparados piscícolas, apoiada por um precoce complexo oleiro, situado no Morraçal da Ajuda, onde se fabricavam ânforas destinadas ao transporte da sua produção conserveira, realidade que perpetua a memória de uma atividade piscatória e industrial que ainda hoje, cerca de dois milénios depois, continua a pautar a vivência económica e social da gentes de Peniche.

Etnografia[editar | editar código-fonte]

Neste território estremenho, a Natureza parece ter moldado uma vivência marcada pela dicotomia entre a atividade marítima e piscatória na península de Peniche, associada à exploração, transformação e comercialização dos recursos marinhos, e um mundo eminentemente agrícola, no interior do concelho, onde predomina o amanho da terra, que outras vivências criou. Assim, na etnografia local pontificam por um lado tradições, usos e costumes associados à faina da pesca e indústrias adjacentes e, por outro, ao cultivo dos campos e à produção de rendas de bilros. A memória de naufrágios, a arreigada religiosidade das gentes do mar e a típica gastronomia constituem importantes traços de um povo que projeta em gerações vindouras a herança de um longo passado coletivo. Percorrer o concelho de Peniche é pois embarcar numa peculiar viagem pela História.

Economia[editar | editar código-fonte]

Em 2009, segundo dados do INE, o poder de compra, per capita, no concelho de Peniche esteve 13,92% abaixo da média nacional e representou 0,232% do poder de compra português. Só não é mais baixo, segundo o mesmo estudo, devido a fluxos populacionais induzidos pela atividade turística associados à dinâmica comercial (Fator Dinamismo Relativo é positivo: 0,215).[12] . Durante muitos anos, a principal actividade económica deste concelho foi a pesca. O Porto de Peniche, que se encontra situado na costa sul da península, é um dos principais portos de pesca portugueses.

Com a redução da actividade pesqueira, o turismo é tido hoje como essencial para o desenvolvimento económico da cidade e do concelho. Para isto contribui a realização anual, desde 2009, de uma das dez etapas do Circuito Mundial de Surf. Segundo um estudo realizado pelo Grupo de Investigação em Turismo (GITUR) do Instituto Politécnico de Leiria[13] , a edição de 2012 do Rip Curl Pro Portugal gerou um lucro de 7,9 milhões de euros, um impacto fiscal de 926 529 euros e um retorno mediático de 18 milhões de euros (quase mais 10 milhões do que em 2009)[14] . O facto de ser uma das duas provas realizadas em solo europeu, juntamente com o Quicksilver Pro France, faz com que cerca de 1/3 dos 130 mil espectadores sejam estrangeiros, provenientes maioritariamente de Espanha, Reino Unido, Alemanha e França[15] . De 2009 a 2012, o evento já teve um impacto económico acumulado de 26 milhões de euros.[16]

Desporto[editar | editar código-fonte]

Peniche é conhecida internacionalmente pelas condições excepcionais que possui para a prática de desportos náuticos tais como Surf, Bodyboard ou o mergulho.

A praia dos Supertubos (médão grande), palco de inúmeros eventos internacionais relacionados com estas modalidades, é um ex-libris para surfistas de todo o mundo. As suas condições naturais criam ondas perfeitas para essas práticas, independentemente da direcção das ondas e ventos. Outras praias do concelho são, também elas, excelentes para os amantes destas modalidades. Também ela (Praia de Supertubos) palco de uma das etapas do maior evento de surf, em que constam os melhores surfistas do mundo.

Peniche tem ainda uma equipa de futebol, o Grupo Desportivo Peniche e um estádio (Estádio do Grupo Desportivo de Peniche).

Demografia[editar | editar código-fonte]

População do concelho de Peniche (1801 – 2011)
1801 1849 1900 1930 1960 1981 1991 2001 2011
2 460 5 953 8 199 16 019 22 200 25 627 25 880 27 315 27 753

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Património[editar | editar código-fonte]

Praias[editar | editar código-fonte]

  • Supertubos (sul)
  • Consolação (sul)
    Praia de Peniche de Cima
  • Gamboa (norte)
  • Baleal (norte)
  • Peniche de Cima (norte)

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

Temas relacionados[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Peniche na História e na Lenda – Mariano Calado, ed. autor, 1962

Fotos[editar | editar código-fonte]

Filmes[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Concelhos da Região do Oeste Mapa da Região do Oeste
Alcobaça Alenquer Arruda dos Vinhos Bombarral Cadaval Caldas da Rainha Lourinhã Vila do Conde Óbidos Peniche Sobral de Monte Agraço Torres Vedras
Alcobaça Alenquer Arruda dos
Vinhos
Bombarral Cadaval Caldas da
Rainha
Lourinhã Nazaré Óbidos Peniche Sobral de
Monte Agraço
Torres Vedras
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Peniche
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Peniche