Eleições estaduais no Maranhão em 1947

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
‹ 1945 Brasil 1950
Eleições estaduais no  Maranhão em 1947
19 de janeiro de 1947
(Turno único)
Replace this image male.png Replace this image male.png
Candidato Sebastião Archer Lino Machado
Partido PPB PR
Natural de São Luís, MA Buriti, MA
Vice Saturnino Bello Não havia
Votos 36.532 23.181
Porcentagem 48,18% 30,57%


Brasão do Maranhão.png
Governador do Maranhão

As eleições estaduais no Maranhão em 1947 ocorreram em 19 de janeiro como parte das eleições gerais no Distrito Federal, em 20 estados e nos territórios federais do Acre, Amapá, Rondônia e Roraima. Foram eleitos o governador Sebastião Archer (o vice-governador Saturnino Bello foi escolhido posteriormente por via indireta), os senadores Vitorino Freire e José Neiva, além de 36 deputados estaduais.[1][nota 1]

O processo sucessório foi deflagrado após uma cisão no PSD onde os delegados do partido escolheram Genésio Rego como candidato ao Palácio dos Leões à revelia de Vitorino Freire que, em virtude disso, criou o Partido Proletário do Brasil (PPB) onde reuniu seus correligionários.[nota 2] Uma vez apurados os votos o novo partido elegeu o governador Sebastião Archer e os senadores Vitorino Freire e José Neiva de Sousa,[1] além de conquistar quase a metade das cadeiras na Assembleia Legislativa do Maranhão. Com o passar dos anos o grupo vitorinista reingressou no PSD e manteve o controle do estado a exemplo do ocorrido em 1945 e assim permaneceu até que José Sarney tomou as rédeas do poder após o Regime Militar de 1964.

Nascido em São Luís, o governador Sebastião Archer fixou-se em Codó como empresário do setor têxtil e nessa cidade exerceu os mandatos de vereador e prefeito sendo eleito deputado estadual antes do Estado Novo.[2] Seu companheiro de chapa foi Saturnino Bello, eleito vice-governador pela Assembleia Legislativa num procedimento similar ao da escolha de Nereu Ramos como vice-presidente da República.[3][nota 3]

O senador mais votado foi o jornalista Vitorino Freire. Pernambucano nascido em Pedra, viveu no Recife onde assessorou o governo Estácio Coimbra, e no Rio de Janeiro, onde conheceu Eurico Gaspar Dutra e outros políticos que influiriam na vida do país após a Revolução de 1930. Durante a Era Vargas trabalhou nas equipes dos ministros José Américo de Almeida, Juarez Távora, Gustavo Capanema e João de Mendonça Lima,[4] além de assessorar o deputado Antônio Carlos Ribeiro de Andrada, presidente da Câmara dos Deputados. Secretário-geral do Maranhão na interventoria de Antônio Martins de Almeida, ingressou no PSD após o Estado Novo, foi eleito deputado federal em 1945 e senador pelo PPB em 1947 devido à morte de Antônio José Pereira Júnior.[5]

A segunda vaga de senador foi preenchida pelo promotor de justiça e juiz de direito José Neiva de Sousa. Nascido em Nova Iorque e formado à Universidade Federal do Ceará, foi eleito deputado federal pelo PSD em 1945 e como senador chegou a licenciar-se do mandato em favor de Evandro Viana.[6][7]

Resultado da eleição para governador[editar | editar código-fonte]

Os percentuais refletem o total dos votos válidos obtidos pelos candidatos segundo os votos apurados.[1]

Candidato a governador do estado
Candidato a vice-governador Número Coligação Votação Percentual
Sebastião Archer
PPB
Saturnino Bello[nota 3]
PSD
-
PSD, PRP
36.532
48,18%
Lino Machado
PR
Não havia
-
-
PR, PCB
23.181
30,57%
Genésio Rego
PSD
Não havia
-
-
PSD (sem coligação)
13.448
17,74%
Públio de Melo
-
Não havia
-
-
Não disponível
2.659
3,51%
  Eleito

Resultado da eleição para senador[editar | editar código-fonte]

Em virtude do falecimento de Pereira Júnior, o Maranhão elegeria seu substituto e também um outro senador para completar o número previsto na Constituição de 1946 cabendo ao menos votado um mandato de quatro anos.[1][nota 4]

Candidatos a senador da República
Primeiro suplente de senador Número Coligação Votação Percentual
Vitorino Freire
PPB
Lima Campos
PPB
-
PPB, PRP
36.122
25,28%
José Neiva
PPB
Evandro Viana
PPB
-
PPB, PRP
35.909
25,14%
Franklin Ribeiro Viegas
PR
Não disponível
-
-
PR (sem coligação)
17.734
12,41%
Manoel Tavares Neves Filho
PR
Não disponível
-
-
PR (sem coligação)
17.372
12,16%
José Henrique Moreira Lima
PSD
Não disponível
-
-
PSD (sem coligação)
14.892
10,42%
Genésio Rego
PSD
Não disponível
-
-
PSD (sem coligação)
14.748
10,32%
João de Deus Pires Leal
UDN
Não disponível
-
-
UDN (sem coligação)
3.186
2,23%
Antônio Vieira da Silva
UDN
Não disponível
-
-
UDN (sem coligação)
2.912
2,04%
  Eleito

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Foram eleitos trinta e seis deputados estaduais e as bancadas foram assim distribuídas: PPB dezenove, PR oito, UDN quatro, PSD quatro, PTB um.[1][nota 5]

Deputados estaduais eleitos Partido Votação Percentual Cidade onde nasceu Unidade federativa
Eurico da Rocha Santos PPB 1.995 São João dos Patos  Maranhão
Ranulfo Barros PPB 1.886
Ediser de Freitas Diniz PPB 1.875
Torquato Rodrigues Machado PR 1.532
Raimundo Nonato Furtado PR 1.494
Lister Caldas PPB 1.410 Teresina  Piauí
José Ribamar Viana Pereira PPB 1.382
Eduardo Luís dos Reis PPB 1.367
Gonçalo Moreira Lima PPB 1.322
José de Sousa Carvalho Branco PSD 1.314
Costa Rodrigues PPB 1.299 São Luís  Maranhão
Francisco Castelo Branco e Sousa UDN 1.257
José Martins Dourado PPB 1.218
João Pires Ferreira PPB 1.181
Francisco Chagas Araújo PPB 1.113
José Ribamar Carvalho Lago PPB 1.093
Benedito de Oliveira Gomes PPB 1.084
Antenor Freitas de Abreu PR 1.028
Paulo da Silveira Ramos PPB 1.024
Maria Dalva Machado Bacelar PPB 1.019
Benedito Maia Muniz PPB 1.009
Vicente Celestino da Silva PPB 987
Manuel Lages Castelo Branco PR 983
Joel de Barbosa Ribeiro PPB 961
Januário Furtado de Figueiredo PPB 934
Manuel Matias das Neves Neto PR 932
Teoplistes Teixeira PR 861
Colares Moreira PR 876
Maurício Jansen Pereira PR 844
Didácio Coelho dos Santos PSD 810
Fernando Ribamar Viana PSD 791
Flávio Silva UDN 730
José Ribeiro de Sampaio UDN 652
José Franklin da Serra Costa UDN 639
Gumercindo de Araújo Pedrosa PSD 612
César Alexandre Aboud PTB 461

Eleições municipais[editar | editar código-fonte]

Nas eleições municipais de 25 de dezembro de 1947 os aliados do governo se apresentaram sob a legenda do PST e conseguiram 61 das 66 prefeituras em disputa.

Notas

  1. No Distrito Federal não houve eleição para governador, apenas para o Senado Federal, ademais a Constituição de 1946 determinou a eleição de um terço dos senadores e de mais um no caso de existirem vagas em aberto além de suplentes de todos os senadores eleitos a partir de 1945 e também foram eleitos dezenove deputados em sete estados e três territórios federais para completar as bancadas das unidades federativas.
  2. O Centro de Pesquisa e Documentação da Fundação Getúlio Vargas asevera que o Partido Proletário do Brasil (PPB) surgiu em 29 de janeiro de 1946 a partir de uma dissidência no PTB e foi extinto no ano seguinte.
  3. a b Segundo o Art. 1º das Disposições Transitórias a eleição para vice-presidente seria realizada pela Assembleia Nacional Constituinte e dessa forma a Assembleia Legislativa do Maranhão adotou o mesmo ritual para eleger Saturnino Bello uma vez que o cargo de vice-governador não estava em jogo nas eleições estaduais.
  4. Em 1947 houve eleições para preencher um terço do Senado Federal e a eleição de mais um senador nos estados do Maranhão, Piauí, Santa Catarina e São Paulo devido às vacâncias na representação majoritária.
  5. O número de deputados estaduais foi fixado pelo Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição de 1946.

Referências

  1. a b c d e «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral». Consultado em 9 de novembro de 2017. 
  2. «Senado Federal do Brasil: senador Sebastião Archer». Consultado em 1º de março de 2017. 
  3. «BRASIL. Presidência da República: Constituição de 1946». Consultado em 11 de abril de 2014. 
  4. «Senado Federal do Brasil: senador Vitorino Freire». Consultado em 9 de novembro de 2017. 
  5. «Senado Federal do Brasil: senador Pereira Júnior». Consultado em 9 de novembro de 2017. 
  6. «Senado Federal do Brasil: senador José Neiva de Souza». Consultado em 9 de novembro de 2017. 
  7. «Senado Federal do Brasil: senador Evandro Viana». Consultado em 9 de novembro de 2017.