São João dos Patos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
São João dos Patos
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de São João dos Patos
Bandeira
Hino
Apelido(s) "Capital dos Bordados"
"Princesa do Sertão"
"Namorada do Sertão"
"Capital do Médio Sertão Maranhense"
Gentílico patoense
Localização
Localização de São João dos Patos no Maranhão
Localização de São João dos Patos no Maranhão
Mapa de São João dos Patos
Coordenadas 6° 49' 46" S 43° 70' 24" O{{#coordinates:}}: longitude inválida
País Brasil
Unidade federativa Maranhão
Municípios limítrofes Paraibano, Pastos Bons, Passagem Franca, Sucupira do Riachão, Barão de Grajaú, Nova Iorque e Guadalupe (Piauí)
Distância até a capital 540 km
História
Fundação 12 de junho de 1938 (82 anos)
Aniversário 12 de junho
Administração
Prefeito(a) Gilvana Evangelista de Souza (PDT)
Características geográficas
Área total [2] 1 500,631 km²
População total (IBGE, Estimativas da População 2019) 25,929 hab.
Densidade 0 hab./km²
Clima Tropical Semiárido[1] (Aw)
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,615 médio
PIB (IBGE/2011[4]) R$ 110,846 mil
PIB per capita (IBGE/2011[4]) R$ 4 446 81
Website saojoaodospatos.ma.gov.br (Prefeitura)
cmsaojoaodospatos.ma.gov.br (Câmara)

São João dos Patos é um município brasileiro do estado do Maranhão. com uma área de 1.500,661 km2 . Foi a primeira cidade maranhense a ter uma mulher no cargo de prefeita municipal, Joanna da Rocha Santos, a Dona Noca, nomeada em 1934 pelo delegado do governo federal no Maranhão.[5]

Ostenta o título de capital dos bordados no Maranhão, pela qualidade das peças produzidas e por ser a confecção artesanal de bordados uma atividade predominante entre suas mulheres, uma prática hereditária que já faz parte da cultura local.[6]

Por sua relevância socioeconômica, geográfica e política, ocupa a posição de centro de zona na rede urbana maranhense, exercendo influencia sobre diversas cidades da sua região.[7] Na divisão político-administrativa do Estado do Maranhão (em 32 Regiões de Planejamento), a cidade é a sede da Região de Planejamento do Sertão Maranhense, composta por 9 municípios limítrofes.[8]

Está entre os três únicos municípios maranhenses que conquistaram a certificação Selo UNICEF Município Aprovado por quatro vezes consecutivas, em todas as edições do projeto até então (2006, 2008, 2012 e 2016), um reconhecimento internacional pelo resultado dos seus esforços na melhoria da qualidade de vida de crianças e adolescentes.[9]

História[editar | editar código-fonte]

O município de São João dos Patos surgiu na primeira metade do século XIX, com a ocupação da região por criadores e lavradores oriundos do município de Passagem Franca, atraídos pela fertilidade das terras. A aglomeração iniciou-se entre duas lagoas denominadas de "Lagoa de São João" e "Lagoa dos Patos", por esse motivo recebeu seu primeiro nome LAGOAS. Posteriormente, influenciado pela veneração, por parte dos moradores da localidade de São João Batista, que se tornaria o Padroeiro da cidade, e com isso, passou a se denominar a localidade de" Lagoa de São João "mais tarde São João dos Patos".

Teve como prefeita Joana da Rocha Santos, considerada a primeira prefeita do Maranhão, mulher que se tornou lenda na região, por uma visão evolutiva para seu tempo.[10] Durante muitos anos existiu na cidade uma disputa política local por dois grupos, os ``aleixeiros ´´ e os ``xeleléu´´. Na cidade existe desde sua fundação uma família política muito forte e influente a nível de estado, em que já teve deputados estaduais, como Turíbio Rocha Santos, Dona Noca, o ex-prefeito Celso Rocha Santos e seu sobrinho Celso Antonio da Rocha Santos Sobrinho,entre outros. Na época das eleições a nível municipal, a cidade vive um clima bastante quente, pois a disputa é extremamente acirrada.

O Levante de 1951 - A Revolta de Dona Noca[editar | editar código-fonte]

Em meados dos anos 50 o Maranhão vivia dominado pelo coronel Vitorino Freire, na eleição a oposição lançou Saturnino Belo e o atual governador lançou Eugenio Barros, que saiu derrotado, mas o coronel conseguiu anular 16 mil votos através do TSE, o que daria vitória ao governista.Saturnino Belo morre de um infarte fulminante e fica acertado que não haveria eleições suplementares, proclamando Eugenio Barros governador, tendo sua posse adiada para março. Só que Eugenio Barros convocou forças federais para a capital, a fim de garantir sua posse em 28 de fevereiro, descumprindo o acordo.Na capital estouraram levantes contra a arbitrariedade, levando São Luís a ser conhecida como " a ilha rebelde ". Mas não era só a capital que era rebelde, lá no sertão também estourou a revolta das Oposições Aliadas lideradas por Joana da Rocha Santos a "Dona Noca " em São João dos Patos, diz a história que sua casa era o quartel general dos revoltosos. Foi preparada uma reação com um deslocamento de tropas,com cerca de 12 mil homens que iriam rumo à São Luís para derrubar Eugenio Barros. Havia uma senha, que seria o sinal de alerta para estourar a revolta que era: " Adélia será operada dia 18 ", só que as tropas foram derrotadas pelos PM´s, mas Raimundo Bastos, "o comandante Bastos" do Exército da Libertação não foi preso e a revolta foi reprimida.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município de São João dos Patos está localizado a 540 km de São Luís, Capital do Estado do Maranhão, situada na micro região das chapadas do Alto Itapecuru, limita-se com os municípios de Passagem Franca, Nova Iorque, Pastos Bons, Barão de Grajaú, Paraibano e Sucupira do Riachão e Rio Parnaíba. Sua área territorial é de 1.682,5 km² e tem como acidente geográfico importante, a Serra dos Dois Irmãos e a barragem de Boa Esperança no rio Parnaíba.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia é bastante variada se destaca como principal atividade de renda a produção artesã de bordados, a indústria de bebidas e beneficiamento de grãos e frutas. Tem como base na setor agropecuário se destaca na grande produção de arroz, milho, feijão, abóbora, melancia e cana-de-açúcar, criação semi-intensiva de gados e caprinos. Possui um grande potencial para o desenvolvimento de olericultura, criação de suínos, aves e implantar um sistema empresarial de agricultura irrigada ao longo das margens da barragem boa esperança onde encontra-se pouco povoada e explorada e possui hectares de terras inexplorados com planícies e cerrados. Tem um comércio central da região onde hoje é referência para toda a região do Sertão.

Bancos[editar | editar código-fonte]

Principais vias de acesso[editar | editar código-fonte]

  • BR 135 - Trecho não pavimentado - Povoado Dois Irmãos(São João dos Patos) a Guadalupe-PI
  • Tranzamazônica (BR 230) - Pavimentada
  • MA 034 - Trecho Não pavimentado em São João dos Patos, Passagem Franca, Buritibravo e Caxias
  • Acesso Entroncamento MA-230 – Bom Jesus (São João dos Patos) a Sucupira do Riachão

Prefeitos(as)[editar | editar código-fonte]

Nome Partido Início do mandato Término do mandato Vice
1 Joana da Rocha Santos 1956 1961
2 Celso Antônio da Rocha Santos 1961 1966
3 Pompílio José Pereira 1966 1971
- Celso Antônio da Rocha Santos 1971 1973
4 Eduardo Coelho Mendes 1973 1977
5 Leônidas Pereira da Silva 1977 1977
- Celso Antônio da Rocha Santos 1977 1980
- Celso Antônio da Rocha Santos 1981 1984
6 Nílson Noleto de Sá 1984 1986
- Eduardo Coelho Mendes 1986 1989
- Nilson Noleto de Sá PFL 1989 1992
- Eduardo Coelho Mendes 1993 1996
7 Celso Antônio do Rocha Santos Sobrinho PTB 1997 2000 Belchior Gomes Bandeira de Melo
- Celso Antônio da Rocha Santos Sobrinho PTB 2001 2004 Elizamar Lima Sá
8 José Mário Alves de Souza 2005 2008 Aricelli Sá
- José Mário Alves de Souza 2009 2012 Aricelli Sá
9 Waldênio da Silva Sousa PMDB 2013 2016 Elizamar Lima Sá
10 Gilvana Evangelista de Souza PDT 2017 2020 Rilda Lúcia Gomes de Souza Oliveira

Referências

  1. IBGE. «Mapa de Clima do Brasil» (PDF). IBGE. Consultado em 17 de julho de 2014 [ligação inativa]
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 15 de julho de 2014 
  3. «Ranking IDHM Municípios 2010». Ranking IDHM Municípios 2010. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 16 de julho de 2014 
  4. a b «Maranhão São João dos Patos Produto Interno Bruto dos Municípios 2011». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 16 de julho de 2014 
  5. PACHECO, Maria da Glória Costa (2007). «O feminismo "bem comportado": trajetória de conquista do voto feminino no Maranhão (1900-1934)». Consultado em 18 de julho de 2014 
  6. NASCIMENTO, Sandra Maria S.; SEGADILHA, Daniele B. (2014). «Memórias feitas à mão» (PDF). Consultado em 18 de julho de 2014 
  7. IBGE (2008). «Regiões de Influência das Cidades 2007». Consultado em 18 de julho de 2014 [ligação inativa]
  8. SEPLAN/Governo do Maranhão (2007). «Regionalização de Planejamento». Consultado em 18 de julho de 2014 
  9. UNICEF (2014). «Ganhadores do Selo Unicef». Consultado em 18 de julho de 2014. Arquivado do original em 21 de dezembro de 2013 
  10. PACHECO, Maria da Glória Costa (2007). «O feminismo "bem comportado": trajetória de conquista do voto feminino no Maranhão (1900-1934)». Consultado em 18 de julho de 2014