Lago do Junco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lago do Junco
  Município do Brasil  
Hino
Apelido(s) "Junco"
Gentílico juncoense
Localização
Lago do Junco está localizado em: Brasil
Lago do Junco
Localização de Lago do Junco no Brasil
Mapa de Lago do Junco
Coordenadas 4° 36' 32" S 45° 02' 56" O
País Brasil
Unidade federativa Maranhão
Municípios limítrofes Lago da Pedra, São Luís Gonzaga do Maranhão, Igarapé Grande, Lago dos Rodrigues, Poção de Pedras e Bom Lugar
Distância até a capital 316 km
História
Fundação 26 de outubro de 1961 (58 anos)
Aniversário 26 de outubro
Administração
Prefeito(a) Osmar Fonseca dos Santos (PT, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 328,525 km²
População total (IBGE/2015[3]) 10 602 hab.
Densidade 32,3 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 65710-000[1]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,581 baixo
PIB (IBGE/2012[5]) R$ 53 981 mil
PIB per capita (IBGE/2012[5]) R$ 4 492,94

Lago do Junco é um município brasileiro do estado do Maranhão. Sua população estimada para o ano de 2015 foi de 10.602 habitantes (IBGE/2015).

Está ligado aos municípios vizinhos de Lago da Pedra (a oeste) e Lago dos Rodrigues (a leste) pela rodovia MA 119.

Tornou-se conhecido nacionalmente por ser um grande exportador de óleo de babaçu através da agroindústria do extrativismo.

Devido a sua localização centralizada, no âmbito do Médio Mearim, está marcado para o ano de 2016 o início as primeiras aulas do polo regional da Universidade Federal do Maranhão (Plataforma Freire) no município.

É, ainda, considerado município modelo para o Maranhão por ter sido o pioneiro na criação de uma legislação municipal, de cunho social, ambiental e econômico, que tem levado desenvolvimento e melhoria de renda e qualidade de vida às quebradeiras de coco babaçu do município, a Lei 05/1997, ou simplesmente Lei do Babaçu Livre (a Lei 01/2002 é uma atualização e complementação daquela primeira).

História[editar | editar código-fonte]

O povoamento de Lago do Junco foi iniciado em 1918 por Gonçalo Rodrigues, que lá se fixou com o objetivo de trabalhar na agricultura. A partir de 1925, com a chegada de contingentes de migrantes nordestinos, passaram a ser desenvolvidas atividades nos setores do extrativismo e da agropecuária, o que tornou o lugar num centro de comércio e exportação de grande importância na região do Mearim. Esse crescimento econômico e populacional estimulou Hosano Gomes Ferreira, político local de grande prestígio, a lutar pela emancipação de Lago do Junco, o que ocorreria em 26 de outubro de 1961, pela Lei 2151. Foi desmembrado do município de Ipixuna, hoje São Luís Gonzaga do Maranhão.[6]

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município está localizado na parte oeste da Microrregião do Médio Mearim, uma região densamente povoada e composta por muitos municípios, localizada na região central do Maranhão.

Lei do Babaçu Livre[editar | editar código-fonte]

A Lei do Babaçu Livre é considerada um divisor de águas para a cadeia produtiva do babaçu. Foi primeira ferramenta jurídica criada por um ente público (no caso, a o município de Lago do Junco) visando a garantia dos direitos das quebradeiras de coco babaçu. Foi através desta lei que as quebradeiras de coco babaçu tiveram livre acesso às fazendas para a coleta do coco para, posteriormente, extraírem sua amêndoa. Além de garantir o livre acesso, os proprietários de terra ficaram obrigados a respeitar uma determinada cota de derrubada das palmeiras de babaçu, tendo em vista que a espécie é muito comum na região.

Depois de Lago do Junco, a lei foi copiada pelos municípios de Lago dos Rodrigues (Lei 32/1999), Esperantinópolis (Lei 255/1999), São Luís Gonzaga do Maranhão (Lei 319/2001), Imperatriz (Lei 1.084/2003), Lima Campos (Lei 466/2003), São José dos Basílios (Lei 52/2005), Cidelândia (Lei 01/2005) e Pedreiras (Lei 1.137/2005). Há, ainda, projeto de lei em tramitação no legislativo do município de Capinzal do Norte e discussão profunda em Dom Pedro e Governador Archer.

Educação Rural[editar | editar código-fonte]

No município de Lago do Junco existem duas Escolas Famílias Agrícolas (EFAs). A primeira é a Escola Família Agricola Antonio Fontenele, na comunidade São Manoel. A outra é o CEFFA (Centro de Formação Familiar por Alternância) Manoel Monteiro que está localizado cerca de dois quilômetros da comunidade Pau Santo. No CEFFA Manoel Monteiro é oferecido o curso de ensino médio integrado na área agropecuária.

Carnaval[editar | editar código-fonte]

Lago do Junco tem um dos melhores carnavais do Estado do Maranhão, atraindo foliões tanto de cidades vizinhas como daquelas mais distantes e até brincantes oriundos de outros estados, que procuram na cidade, diversão aliada a segurança, boa organização e muita paquera.

Referências

  1. Correios. «Busca CEP - Faixas de CEP». Consultado em 26 de fevereiro de 2015 
  2. IBGE (28 de agosto de 2015). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2015 
  3. «Estimativa Populacional 2015». Estimativa Populacional 2015. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2015. Consultado em 28 de setembro de 2015 [ligação inativa]
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 28 de setembro de 2015 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2012». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 28 de setembro de 2015 
  6. «Lago do Junco - Histórico» (PDF). biblioteca.ibge.gov.br. Consultado em 9 de junho de 2012 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Maranhão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.