Duque Bacelar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde outubro de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Município de Duque Bacelar
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 1 de janeiro
Fundação 1 de janeiro de 1955 (63 anos)
Gentílico bacelarense
Prefeito(a) Jorge Luiz Brito de Oliveira (PCdoB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Duque Bacelar
Localização de Duque Bacelar no Maranhão
Duque Bacelar está localizado em: Brasil
Duque Bacelar
Localização de Duque Bacelar no Brasil
04° 09' 21" S 42° 56' 38" O04° 09' 21" S 42° 56' 38" O
Unidade federativa  Maranhão
Mesorregião Leste Maranhense IBGE/2008[1]
Microrregião Coelho Neto IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Coelho Neto, Chapadinha, Buriti e o estado do Piauí
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 317,924 km² [2]
População 11 015 hab. IBGE/2014[3]
Densidade 34,65 hab./km²
Altitude 35 m
Clima 38
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,54 baixo PNUD/2000[4]
PIB R$ 25 794,704 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 2 409,82 IBGE/2008[5]

Duque Bacelar é um município brasileiro do estado do Maranhão.

Localiza-se na microrregião de Coelho Neto, mesorregião do Leste Maranhense. O município tem cerca de 10 mil habitantes e 310 km². Foi criado em 1 de janeiro de 1955, desmembrado do município de Coelho Neto, de acordo com o Decreto Lei nº 1.294, datado de 7 de dezembro de 1954, pelo Governador do Estado do Maranhão, Dr. Eugênio Barros e publicado no Diário Oficial nº 275, de 10 de dezembro de 1954.

História[editar | editar código-fonte]

De acordo com a “Enciclopédia dos Municípios Brasileiros” volume XV, de autoria do IBGE, a cidade de Duque Bacelar, deu-se exclusivamente a interesse particulares de duas famílias de destaque no município de Coelho Neto.

O clã dos “Bacelar” cuja geração é considerada autóctone, era de maior influência do município. Vindo do Alto Sertão Maranhense, o capitalista José de Ribamar Oliveira com sua família, estabeleceu-se no povoado “Garapa”, durante 15 anos, sem maiores problemas com a família Bacelar.

Com a morte do chefe do clã, o coronel Raimundo de Melo Bacelar, em 1954, começou o desentendimento entre as duas famílias o que veio originar a criação do município de Duque Bacelar, pelo desmembro, os separativistas, visto contar com a influência política e o prestígio de um dos membros que na época era Deputado Estadual.

O topônimo “Duque Bacelar”, foi dado ao novo município em homenagem póstuma ao coronel Raimundo Melo Bacelar, conhecido pela alcunha “Duque Bacelar”.

O referido município vive com os mais complexos problemas administrativos, é Duque Bacelar, um protótipo dos município maranhense fundado sem a menor condição, apenas para satisfazer caprichos político sempre foi formada com base no prestígio familiar havendo sempre maior possibilidade de poder para os de melhor situação econômica.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  3. «Estimativa populacional 2014 IBGE». Estimativa populacional 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 29 de agosto de 2014. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010.