Mirador (Maranhão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mirador
  Município do Brasil  
Hino
Apelido(s) "Mira"
Gentílico miradorense
Localização
Localização de Mirador no Maranhão
Localização de Mirador no Maranhão
Mirador está localizado em: Brasil
Mirador
Localização de Mirador no Brasil
Mapa de Mirador
Coordenadas 6° 22' 15" S 44° 21' 46" O
País Brasil
Unidade federativa Maranhão
Municípios limítrofes Sucupira do Norte,Colinas,São Domingos do Azeitão,Fernando Falcão,Formosa da Serra Negra,São Raimundo das Mangabeiras,Loreto,Sambaíba,São Félix de Balsas,Tuntum.
Distância até a capital 485 km
História
Fundação 29 de março de 1938
Aniversário 29 de março
Administração
Prefeito(a) Rony Pereira de Sousa (PCdoB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total IBGE/2010 [1] 8 521,081 km²
População total (IBGE/2010 [1]) 20,452 hab.
Densidade 0 hab./km²
Clima tropical úmido
Altitude 186 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010 [2]) 0,589 baixo
PIB (IBGE/2010[3]) R$ 131,242 mil
PIB per capita (IBGE/2013[3]) R$ 8 592,49

Mirador é um município brasileiro do estado do Maranhão. Localiza-se a uma latitude 06º22'15" sul e a uma longitude 44º21'47" oeste, estando a uma altitude de 186 metros.A cidade liga o extremo leste do estado, Sua população estimada em 2015 era de 20.596 habitantes. Possui uma área de 8524,94 km².

Foi na cidade de Mirador que nasceu o ex-senador da República e ex-governador do estado Maranhão Edison Lobão , que cresceu e viveu na região do povoado Conceição, onde há uma escola estadual que leva o nome de sua mãe "Orsina Lobão", tendo ainda jovem se deslocado à cidade de Floriano em busca de melhorias na formação estudantil e posteriormente fixou residência em Brasília onde trabalhou como jornalista, tendo logo depois ingressou na vida política retornado ao Maranhão.

Mirador é o 4° maior município do Maranhão em extensão territorial.

História[editar | editar código-fonte]

Na Regência do Príncipe Pedro I, iniciou-se o devassamento do território, com a vinda de portugueses, estabelecidos em Pastos Bons que, desejosos de alargar suas propriedades, fixaram-se num planalto próximo às barrancas do rio Itapecuru por volta do ano de 1815 a 1820. Em homenagem ao Príncipe deram ao lugar o nome de Arraial do Príncipe Regente, denominação posteriormente alterado para Mirador.

Os desbravadores, tendo boa situação econômica, em curto espaço de tempo desenvolveram a povoação, cultivando cana de açúcar e algodão, e explorando a pecuária. Deve-se ressaltar a valiosa colaboração do elemento negro no desbravamento do território.

Em 1839, a povoação foi destruída pelos balaios. Os moradores transferiram-se para as margens do rio Itapecuru; local onde hoje se encontra a cidade, de onde continuaram a trabalhar, na tentativa de fazer a nova povoação crescer.

Quando houve a mudança da povoação, existia pequeno comerciante, estabelecido na margem esquerda do rio Itapecuru que, ao receber dinheiro dos fregueses, era obrigado a olhar bem de perto, por ser míope, razão por que era conhecido por todos como Velho Mirador; daí, a origem do topônimo[4]. Em 1938 por influência política de Francisco Teixeira Raposo, conhecido como Fran Teixeira, nome que dado a um das ruas do município, Mirador foi emancipado politicamente, ganhando a sua referida autonomia.

Formação Administrativa[editar | editar código-fonte]

Elevado à categoria de vila com a denominação de Pastos Bons, pela leis provinciais nºs 386, de 30-06-1855 e 575, de 11-07-1860. Depois pela lei nº 625, de 27-09-1861, a vila é extinta. Elevado novamente à categoria de município com a denominação de Mirador. Pela lei nº 898, de 11-07-1870. Sob a mesma lei transfere a vila de Pastos Bons para a povoação de Mirador. Pela lei provincial nº 1176, de 17-06-1878, é criado o distrito de Mirador. 

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído distrito sede,tendo assim permanecido em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII 1937. Após, a lei estadual nº 269, de 31-12-1948, é criado o distrito de Ibipira e anexado ao município de Mirador.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 2 distritos: Mirador e Ibipira, assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005. 

Transferência de sede Pastos Bons para Mirador alterado pela lei nº 898, de 11-07-1870[5].

Atualmente os principais povoados são, Cocos do Eliodoro, que é o maior, Ibipira, Conceição, Liso, Sanharó, São João, Mosquito, etc.

Economia[editar | editar código-fonte]

A subsistência do município de Mirador, é consequência primordial da atividade agrícola, e ainda da arcaica lavoura familiar. Acontece que, nos últimos anos o município tem experimentado pequenos crescimentos econômicos na atividade comercial. São exemplos disso, as atividades desenvolvidas pelo grupo "Zé do Feira", Supermercado "São José O Baratão", vários postos de Combustível, e microempreendedores que tem alavancado a raquítica economia do município. O município possui uma grande concentração de criadores de gado e alguns produtores de soja, que ajudam a movimentar o comércio da local.

Parque Estadual de Mirador[editar | editar código-fonte]

Por meio do decreto estadual n° 7.641 de 04 de junho de 1980 foi criado o Parque Estadual de Mirador. Segundo decreto em comento, a área de abrangência do Parque de Mirador é de 766.781,00 ha (setecentos e sessenta e seis mil, setecentos e oitenta e um hectares), fazendo limite com alguns municípios do sul do Estado maranhense. Houve uma crescente preocupação na criação desta Unidade de Conservação Ambiental, tendo em vista que existe ativamente o desenvolvimento da atividade agropecuária na região, grande exemplo disso é a empresa Agro Serra, que desenvolve a atividade de plantio de cana-de-açúcar, localizada na cidade de São Raimundo das Mangabeiras, região limítrofe do Parque. Essa preocupação, que teve como principal protagonista o ambientalista Paulo de Tarso, residente em Mirador, acabou por culminar no reconhecimento do dever de preservação da área onde fica localizado a nascente do maior e mais importante rio do Estado do Maranhão, o Itapecuru, que é afluído pelo Rio Alpercatas[6].

Com 1.450 quilômetros desde a nascente, nos contrafortes das serras da Crueira, Itapecuru e Alpercatas, até a desembocadura na baía do Arraial, ao sul da ilha de São Luís, o Itapecuru passa por 55 municípios e favorece uma população de 1.622.875 pessoas, de acordo com o IBGE.Desses municípios, 20 estão totalmente dentro da bacia, e os demais 35 estão parcialmente inseridos no vale – ou seja, parte de seus territórios extrapola os limites da bacia hidrográfica.

A bacia do Itapecuru se estende a leste do estado, ocupando considerável área de sul a norte, em terrenos relativamente baixos e de suaves ondulações. Sua bacia constitui-se num divisor entre as bacias do Parnaíba, a leste, e a do Mearim, a oeste, sendo seus principais afluentes os rios AlpercatasCorrentesPucumã, Santo AmaroItapecuruzinho, Peritoró, TapuioPirapemasGameleiraCodozinhoTimbiras e Coroatá.

Por fim, são as águas do Rio Itapecuru que garantem, por meio de um sistema de capitação de águas- ITALUÍS feito pela companhia responsável, o abastecimento de mais de 65% da população ludovicense, capital do Estado.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Há muitos anos é comemorado em Mirador o Festejo de "São Bento", que é realizado no mês de dezembro, onde atrai muitas pessoas de outras cidades e até de outros estados, tendo como principais atrações os shows que são realizados nesse período com cantores de renome nacional e regionalmente.

Além do mais, já acontece pelo décimo terceiro ano consecutivo a "Festa da Lamparina", que já se tornou uma expressão tradicional no município, acontecendo geralmente nos meses de setembro. Além disso, o Rio Itapecuru acaba sendo um atrativo turístico também, tendo em vista que durante o seu percurso pela zona urbana, suas águas atravessam a cidade.


Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  4. http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/historico.php?lang=&codmun=210670&search=||infogr%E1ficos:-hist%F3rico  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  5. http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/historico.php?lang=&codmun=210670&search=||infogr%E1ficos:-hist%F3rico  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  6. LUCENA, Weveson (20 de Abril de 2017). «Uma breve análise da problemática político-administrativa do Parque Ambiental de Mirador e sua importância para o Estado do Maranhão.». Artigo 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Maranhão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.