Francisco Manuel Barroso da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
O Barão do Amazonas
Nome completo Francisco Manuel Barroso da Silva
Apelido "Almirante Barroso"
Dados pessoais
Nascimento 29 de setembro de 1804 Lisboa, Reino de Portugal Portugal
Morte 8 de agosto de 1882 (77 anos) Montevidéu, Uruguai
Vida militar
Força Armada Imperial Brasileira
Hierarquia Almirante
Batalhas Guerra do Paraguai

Francisco Manuel Barroso da Silva,[1] Barão do Amazonas (Lisboa, 29 de setembro de 1804Montevidéu, 8 de agosto de 1882) foi um militar brasileiro da Armada Imperial Brasileira.

Foi o comandante que conduziu a Armada Brasileira à vitória na Batalha do Riachuelo, durante a Guerra da Tríplice Aliança. Como consequência dessa vitória, houve expressiva redução na capacidade naval paraguaia, tendo aquela nação, a partir de então, passado a adotar estratégias defensivas até ao fim do conflito.

Barroso foi condecorado com a Imperial Ordem do Cruzeiro e recebeu o título nobiliárquico de barão do Amazonas em 1866, em homenagem à nau capitânia que comandava na batalha do Riachuelo.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Fragata a vapor Amazonas, comandada por Barroso durante a Batalha do Riachuelo.
Retrato de Barroso.

Sudeste[editar | editar código-fonte]

No centro do Rio de Janeiro há uma avenida com o seu nome. Na mesma cidade, na Praça Paris, bairro da Glória há um monumento, obra do escultor Correia Lima, em cuja base se encontram os seus restos mortais. No centro da cidade de Niterói, uma das principais ruas se chama "Barão de Amazonas".

Em Peruíbe, há duas ruas com o nome de Barroso, uma delas no centro da cidade. Em Praia Grande, também há uma rua com o nome do almirante, no bairro do Canto do Forte. Na cidade de São Sebastião, existe o Terminal Aquaviário Almirante Barroso (Tebar), que transporta o maior volume de petróleo do país, operado pela Transpetro. Existe ainda uma praça onde esta localizado o clube dos petroleiros, ambos também com seu nome. Na cidade de Limeira, há uma rua em sua homenagem.

Em Vitória, encontra-se a Escola Estadual Almirante Barroso.

Nordeste[editar | editar código-fonte]

No centro da cidade de João Pessoa, uma das principais avenidas também leva o nome de "Almirante Barroso", além de uma escola municipal de ensino fundamental na comunidade do Baliado em Cruz das Armas. Em Campina Grande, há uma avenida com o seu nome.

Em Fortaleza, uma das principais ruas do centro da cidade chama-se Almirante Barroso. Em Salvador, também existe uma rua e um edifício em homenagem ao Almirante Barroso.

Sul[editar | editar código-fonte]

Em Erechim, Porto Alegre, Bagé, Pelotas, Rio Grande e em Foz do Iguaçu existem ruas com seu nome.

Na cidade de Itajaí, existe o Clube Náutico Almirante Barroso, em clara homenagem ao almirante homônimo. Depois de anos com atividades amadoras, o clube voltou ao futebol profissional de Santa Catarina, disputando a elite do Campeonato Catarinense em 2017. Ainda em Santa Catarina, há ruas em homenagem a Barroso nas cidades de Blumenau e de Florianópolis

Norte[editar | editar código-fonte]

Em Belém, a principal avenida de entrada e saída da cidade também possui o nome do almirante. Em São José de Ribamar, há a escultura do busto do almirante na Avenida Beira-Mar. Em Porto Velho, também existe uma avenida que leva o seu nome, ligando a Avenida Jorge Teixeira ao centro da cidade.

Exterior[editar | editar código-fonte]

Em Lisboa, cidade natal de Barroso, há uma rua em sua homenagem e também uma placa na casa onde nasceu. Há uma universidade no Chile, cuja rua se chama Almirante Barroso.


Referências

  1. Pela grafia arcaica, Francisco Manoel Barrozo da Silva.
Ícone de esboço Este artigo sobre a Marinha do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.