Januário Paludo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Januário Paludo
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Procurador do Ministério Público Federal
Principais trabalhos investigador da Operação Lava Jato
Prémios Global Investigations Review 2015

Januário Paludo é um Procurador da República do Ministério Público Federal (MPF), que ganhou notoriedade por integrar a força-tarefa do MPF na Operação Lava Jato, em Curitiba, sendo atualmente colaborador da força-tarefa.[1] É coordenador da unidade descentralizada da corregedoria do Procuradoria Regional da República da 4º Região (PRR4).[2]

Em 27 de agosto de 2019 o portal The Intercept Brasil publicou diálogos entre Procuradores da República que zombavam da morte da esposa do ex-Presidente Luis Inácio Lula da Silva, dentre eles Januário Paludo, que declarou no grupo privado, diante da internação em hospital da ex-primeira dama: "Estão eliminando as testemunhas..."

No mesmo grupo privado, conforme publicou o portal, o Procurador coloca sob suspeita as circunstâncias da morte de Marisa Letícia. "A propósito, sempre tive uma pulga atrás da orelha com esse aneurisma. Não me cheirou bem. E a segunda morte em sequência", disse, sem especificar a qual outra morte se referia.

Em setembro de 2015, foi premiado pelo Global Investigations Review (GIR).[3]


Referências

  1. «Equipe de investigação no Ministério Público Federal - Caso Lava Jato». MPF. Consultado em 5 de dezembro de 2016 
  2. «Quem é quem?». MPF. Consultado em 5 de dezembro de 2016 
  3. «Força-Tarefa da Lava Jato recebe premiação internacional». ANPR. 25 de setembro de 2015. Consultado em 5 de dezembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]