Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Mine Again

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Mine Again"
Canção de Mariah Carey
do álbum The Emancipation of Mimi
Formato(s) Download digital
Gravação 2005;
MSR Studios, Nova Iorque;
Honeywest Studios, Nova Iorque
Gênero(s) Neo soul, soul
Duração 4:01
Gravadora(s) Island Records
Composição Mariah Carey, James Poyser
Produção Mariah Carey, James Poyser
Faixas de The Emancipation of Mimi
"Shake It Off"
(3)
"Say Somethin'"
(5)

"Mine Again" é uma canção gravada pela cantora e compositora estadunidense Mariah Carey para o seu décimo álbum de estúdio, The Emancipation of Mimi (2005). Foi duplamente composta e produzida por Carey em parceria com o colaborador James Poyser. Gravada nos MSR Studios e nos Honeywest Studios, ambos localizados na Cidade de Nova Iorque, é uma balada dos gêneros musicais neo soul e soul cuja letra gira em torno de uma protagonista que deseja ter uma segunda chance num relacionamento que aparenta ter acabado.

Após o lançamento de The Emancipation of Mimi, "Mine Again" estreou na parada musical estadunidense Hot R&B/Hip-Hop Songs ocupando o 82º posto, mais tarde alcançado a sua posição de pico no número 73. Em geral, a canção recebeu críticas positivas de especialistas em música contemporânea, que elogiaram o desempenho vocal da cantora, bem como a produção por Poyser. Em 2006, o tema foi indicado na categoria Best Traditional R&B Performance na cerimônia dos Grammy Awards.

Antecedentes e concepção[editar | editar código-fonte]

Carey durante a turnê promocional do álbum Charmbracelet (2003).

Em 2001, Carey sofreu um colapso físico e emocional, fazendo com que abandonasse a promoção do filme Glitter (2001), bem como a trilha sonora do mesmo.[1] A repercussão do filme atraiu opiniões fortemente negativas dos críticos, todavia, o disco foi visto de uma forma um pouco melhor.[2] Após a ausência da cantora diante dos olhos do público, e também o abandono das aparições promocionais para o filme e trilha sonora, seu contrato de gravação de cinco álbuns de estúdio com a gravadora Virgin Records foi quebrado[3][4] e depois de se recuperar e encerrar seu contrato com a gravadora, Carey começou a gravar o seu "retorno", o álbum Charmbracelet (2002).[5] O disco priorizou a incorporação de várias inspirações e baladas adult contemporary com o objetivo de recapturar a audiência que a artista conquistava ao longo da década de 1990.[6]

Como Glitter tinha sido uma mistura de versões cover de canções dos anos 1980 com um material mais orientado à música dance, foi decidido que Charmbracelet não teria músicas agitadas, e sim temas mais lentos com melodias mais contemporâneas.[6] Em sua análise do álbum, Stephen Thomas Erlewine criticou arduamente o seu conteúdo e também a voz de Carey, descrevendo-a como "aos trapos": "Sempre que ela canta, há um whistle estridente por trás de sua voz fina, e ela estica para conseguir atingir notas ao longo da canção. Ela não consegue arrulhar ou suavemente cantarolar, tampouco pode executar suas corridas vocais que desafiam a gravidade de marca registrada. Sua voz está danificada, e não há um momento em que ela soe forte ou acolhedora."[6] Embora tenha recebido muito atenção da mídia sobre a sua volta à música, assim como seu novo contrato com a Island Records, o álbum só vendeu cinco milhões de cópias no mundo inteiro.[7] Após o lançamento do álbum e de sua turnê, a artista começou a conceituar e trabalhar em um novo projeto, eventualmente intitulado The Emancipation of Mimi. Este viria a ser seu décimo álbum de estúdio.[8] Em novembro de 2004, Carey já havia gravado várias canções para o álbum.[9]

Estrutura musical e gravação[editar | editar código-fonte]

O baixo que é ouvido em "Mine Again" é tocado pelo músico Randy Jackson.

"Mine Again" foi co-escrita e co-produzida por Carey e James Poyser.[10] A canção foi gravada nos MSR Studios e Honeywest Studios, ambos localizados na Cidade de Nova Iorque.[10] Os engenheiros foram Dana Jon Chappelle e Brian Garten, que receberam assistência de Jason Finkel e Leedy Michael.[10] "Mine Again" foi mixada por Phil Tan nos MSR Studios, enquanto a masterização ia sendo configurada por Herb Powers. Sua edição final ocorreu no estúdio The Hit Factory em Nova Iorque.[10]

Uma série de instrumentos musicais foram envolvidos na produção da música, incluindo a trompa por Chops Horns, o saxofone alto por Darryl Dixon, o trompete e o fliscorne por Joe Ramano,o trombone e trombone baixo por Jeff Dieterie, o saxofone tenor e flauta por Rick Brunermer, o baixo por Randy Jackson, o teclado por Poyser, a guitarra por Jeffrey Lee Johnson e a bateria por Charles Drayton.[10]

Musicalmente, "Mine Again" é uma canção de ritmo moderado avaliada como semelhante ao material do gênero soul produzido pela "velha guarda" dos anos 1970"[11] e é considerada uma balada neo soul.[12] A sua letra gira em torno de uma protagonista que deseja ter uma segunda chance em um relacionamento amoroso que aparenta ter chegado ao seu fim.[12] "Mine Again" foi composta na nota de Si bemol menor e é definida no compasso de tempo comum, com uma dança no metrónomo de 66 batidas por minuto (BPM).[13] O alcance vocal de Carey abrange três oitavas, desde a nota baixa de 4 até a nota alta de Fá♯7.[13]

Crítica profissional[editar | editar código-fonte]

Em geral, "Mine Again" foi bem recebida pelos críticos profissionais de música. Stephen Thomas Erlewine, do Allmusic, escreveu que a canção é "deliciosamente elegante" e elogiou a produção por Poyser.[11] Todd Burns, da Stylus Magazine, disse que a música é uma típica canção "exibicionista" de Carey.[14] Sal Cinguemani, em resenha pela Slant Magazine, observou que as músicas que não funcionavam bem em The Emancipation of Mimi eram aquelas em que Carey trabalhava mais próxima do "estilo dos seus sucessores": Usher em "Shake It Off", produzida por Jermaine Dupri; Twista por meio do The Legendary Traxster em "One and Only"; The Neptunes em "To the Floor". No entanto, Cinquemani elogiou a artista por "canalizar um antecessor" em vez de um de seus sucessores, apontando influências de Prince em "Mine Again" e "Joy Ride", descrevendo o resultado como "sublime". Cinquemani também escreveu que "Mine Again", bem como "I Wish You Knew", foram mais exageradas e "iriam explodir nas competições de concursos de talentos da 7ª série".[15]

Na cerimónia dos Grammy Awards de 2006, "Mine Again" havia sido nomeada na categoria Best Traditional R&B Performance, que perdeu para "A House Is Not a Home" de Aretha Franklin.[16]

Alinhamento de faixas[editar | editar código-fonte]

Em The Emancipation of Mimi, "Mine Again" foi inclusa no alinhamento de faixas como a quarta música.

Download digital[17]
N.º Título Duração
1. "Mine Again" (versão do álbum) 4:01

Créditos[editar | editar código-fonte]

Créditos adaptados do encarte de The Emancipation of Mimi:[10]

Desempenho nas paradas musicais[editar | editar código-fonte]

Nos Estados Unidos, "Mine Again" estreou no número 82 da parada musical Hot R&B/Hip-Hop Songs, segundo a publicação de 6 de junho de 2005.[18] Em 13 de agosto seguinte, a canção atingiu o número 77, tendo caído para 89 na semana seguinte.[19] Na semana de 17 de setembro, "Mine Again" alcançou a posição 95.[20] A canção alcançou a sua colocação mais alta no número 73 em 29 de outubro,[21][22] e caiu para 85 na semana seguinte.[21] Ficou em atividade por 14 semanas nesta parada musical.[22]

País - Tabela musical (2005) Melhor
posição
 Estados Unidos - Hot R&B/Hip-Hop Songs (Billboard)[21][22] 73

Referências

  1. Gardner, Elysa (9 de setembro de 2001). «Mystery Shadows Carey's Career, Pressures Linger After Singer's Breakdown». USA Today (em inglês). Gannett Company. Consultado em 16 de junho de 2011 
  2. Pareles, Jon (22 de janeiro de 2002). «Record Label Pays Dearly To Dismiss Mariah Carey». The New York Times (em inglês). The New York Times Company. Consultado em 5 de fevereiro de 2011 
  3. «EMI Drops Mariah Carey». BBC News (em inglês). BBC. 31 de janeiro de 2002. Consultado em 3 de fevereiro de 2011 
  4. Zwecker, Bill (22 de janeiro de 2002). «Mariah Carries On With Record Deal, Recovery». Chicago Sun-Times (em inglês). Sun-Times Media Group. Consultado em 16 de junho de 2011 
  5. «Bands A-Z: Mariah Carey». MTV (em inglês). Viacom. Consultado em 24 de fevereiro de 2011 
  6. a b c Erlewine, Stephen Thomas (13 de dezembro de 2002). «((( Charmbracelet > Overview )))». Allmusic (em inglês). Rovi Corporation. Consultado em 13 de junho de 2011 
  7. Anderson, Joan (6 de fevereiro de 2006). «Carey, On!». The Boston Globe (em inglês). The New York Times Company. Consultado em 13 de maio de 2011 
  8. Meyer, Andre (13 de dezembro de 2005). «Carey On». CBC News (em inglês). Canadian Broadcasting Corporation. Consultado em 24 de fevereiro de 2011 
  9. Vineyard, Jennifer (18 de maio de 2006). «Road To The Grammys: The Story Behind Mariah Carey's 'We Belong Together'». MTV News (em inglês). Viacom. Consultado em 10 de maio de 2011 
  10. a b c d e f (2005) Créditos do álbum The Emancipation of Mimi por Mariah Carey [Compact Disc]. Island Records.
  11. a b Erlewine, Stephen Thomas (12 ade abril dde 2005). «The Emancipation of Mimi - Overview». Allmusic (em inglês). Rovi Corporation. Consultado em 21 de fevereiro de 2010  Verifique data em: |data= (ajuda)
  12. a b Pareles, Jon (11 de abril de 2005). «Reaching for Stratosphere in a Diminished World». The New York Times (em inglês). The New York Times Company. Consultado em 16 de agosto de 2012 
  13. a b «Digital Sheet Music, Mariah Carey 'Mine Again'». Musicnotes.com (em inglês). Peer International Music Publishing. 2005. Consultado em 3 de janeiro de 2013 
  14. Burns, Todd (14 de abril de 2005). «Mariah Carey: The Emancipation of Mimi». Stylus Magazine (em inglês). Consultado em 5 de fevereiro de 2011 
  15. Cinquemani, Sal (5 de abril de 2005). «Mariah Carey: The Emancipation Of Mimi». Slant Magazine (em inglês). Consultado em 21 de fevereiro de 2010 
  16. «Complete list of Grammy Award nominations 2006». USA Today (em inglês). Gannett Company. 8 de dezembro de 2005. Consultado em 20 de junho de 2011 
  17. «'The Emancipation of Mimi' - Mariah Carey». iTunes Store (Great Britain) (em inglês). Apple. 12 de dezembro de 2005. Consultado em 16 de agosto de 2012 
  18. «R&B/Hip-Hop Songs - Week of June 06, 2005». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 6 de junho de 2005. Consultado em 16 de junho de 2012 
  19. «R&B/Hip-Hop Songs - Week of August 13, 2005». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 13 de agosto de 2005. Consultado em 16 de agosto de 2012 
  20. «R&B/Hip-Hop Songs - Week of August 17, 2005». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 17 de setembro de 2005. Consultado em 16 de agosto de 2012 
  21. a b c «R&B/Hip-Hop Songs - Week of October 29, 2005». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 29 de outubro de 2005. Consultado em 16 de agosto de 2012 
  22. a b c «Mariah Carey Chart History - R&B/Hip-hop Songs». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 16 de agosto de 2012