Emulador de videogame

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Um emulador de videogame (português brasileiro) ou emulador de consola de videojogos (português europeu) é um emulador criado para emular um consola de videojogos em um computador.

História[editar | editar código-fonte]

Na metade dos anos 1990, o desempenho crescente dos PCs com a chegada do 486 DX-4 e depois Pentium permitiu que os primeiros emuladores de videogame fossem ser escritos. Os primeiros emuladores tinham muitos defeitos e emulavam com muitas falhas. Em 1994 o primeiro emulador de Atari 2600 atingiu um bom nível e iniciou-se uma corrida para emular consoles mais potentes, principalmente o NES, apesar de muitos jogos desses videogames já podiam ser jogados no PC em sua versão comercial portada pelas próprias produtoras. Street Fighter II e Mortal Kombat por exemplo já tinham versões para PC idênticas aos videogames nessa época.

Em 1995 vários protótipos de emuladores NES foram feitos mas eram injogáveis - mas já era possível ouvir o som e músicas dos jogos o que foi considerado uma grande evolução. A tarefa de emular consoles mais novos era muito difícil pois não se tinha documentação suficiente do hardware o que motivou a muitos a usar engenharia reversa, um ato ilegal mas necessário para progredir. Nesse ano emuladores de Commodore 64, MSX e ZX Spectrum se tornaram funcionais levando muitos jogos dessas plataformas ao PC.

Em 1996 os primeiros emuladores jogáveis de NES surgiram. Começou-se então a difundir ROMs pela Internet. ROMs de Mega Man e Super Mario Bros. 3 eram facilmente encontradas em FTPs. Muitas dessas ROMs era jogos em japonês que nunca foram lançados no Ocidente. Isso propiciou a muita gente jogar esses jogos pela primeira vez.

1997 é o ano chave da emulação de jogos. Pentium já estava difundido com clocks de 200Mhz e instruções MMX que permitiram um grande avanço. Logo no início do ano a Bloodlust lançou o NESticle, um emulador que impressionava pela perfeição em que rodava os jogos, tornando o PC um videogame NES funcional. Iniciou-se uma corrida para emular outros consoles, entre eles o Master System que também nesse ano recebeu um emulador funcional. No meio do ano surgiram os primeiros emuladores protótipos de Super Nintendo, Mega Drive e Neo-Geo. No final do ano a Bloodlust surpreendeu mais uma vez lançando o Genecyst um emulador perfeito de Mega Drive mas que exigia uma boa máquina para rodar. No final do ano ainda surgiram projetos de emular os fliperamas através do MAME - era promissor pois os fliperamas custavam dinheiro para jogar tornando a emulação uma grande economia além de um sonho para muitos ter uma máquina dessas em casa - mas apenas alguns poucos jogos eram emulados no início.

Em 1998 os emuladores se consolidaram. Emuladores de Super Nintendo como Snes9x e ZSNES atingiram um nível muito próximo de perfeição com 90% dos jogos perfeitamente jogáveis. Nesse ano os emuladores de fliperama progrediram muito com grandes clássicos emulados como Final Fight (Callus), Shinobi (System16) e Art of Fighting (RAGE). A emulação de Neo-Geo precisava de 32 MB de RAM e impressionou muita gente.

O tempo passava e no final de 1999 a maioria dos jogos 8 bits e 16 bits eram emulados com perfeição incluindo o Neo-Geo onde era possível jogar o fliperama The King of Fighters 99 no PC no mesmo em que foi lançado e sem gastar com fichas. Isso começou a incomodar muitas produtoras de jogos que começaram a mover processos contra os programadores. Nesse ano também surgiu na Internet o primeiro emulador comercial, o VGS que permitia jogar PlayStation nos Macintoshs mais atuais. O emulador foi portado para PC e provou que emular sistemas atuais como PlayStation, Sega Saturn e Nintendo 64 era possível. A empresa foi processada pela Sony e fechou as portas mas muitos emuladores alternativos surgiram progredindo gradativamente ao longo dos anos 2000 e 2001. Em 2002 ja era possível jogar não só a maioria dos jogos de PSX e N64 no PC bem como muitos feliperamas em 3D. Muitos videogames antigos e pouco conhecidos também começaram a ser emulados, como 3DO, Jaguar, PC Engine, Neo-Geo CD. Com o destravamento do Xbox dezenas desses emuladores foram portados para o console por ter uma arquitetura muito similar ao PC. Isso propiciava emular os jogos com o mesmo visual original das TVs entrelaçadas criando um feeling real de jogar outro videogame.

Em 2003 já se questionava se era possível emular o Dreamcast. Era um grande desafio, alguns emuladores foram lançados mas nenhum deles cumpriu a tarefa. Também nesse ano se popularizaram muitos filtros gráficos de interpolação como 2xSAI, Super Eagle, hq3x. Esses filtros melhoravam bastante o aspectos dos jogos que feitos para TVs entrelaçadas ficavam com qualidade ruim em monitores de computador (que são progressivos). Nesse ano surgiram protótipos de emuladores de PlayStation 2, Gamecube e Xbox. Em 2004 um único jogo de Gamecube foi emulado com perfeição, o puzzle Bust-a-Move rodando a 60 fps mostrava que a emulação dele era possível. Nesse ano a Microsoft perseguiu vários projetos de rodar o Xbox em PCs apenas convertendo os executáveis do jogo sem necessidade de emulação. Os projetos foram todos abandonados e a emulação do console nunca teve progresso devido a muitos jogos do console sairem também para PC. Mas o Xbox se firmou como uma grande plataforma de emulação levando muitos fãs de emuladores e comprar o console para apreciar milhares de jogos emulados nele.

A partir 2006 os emuladores de Dreamcast mostraram grande progresso, com Chankast e nullDC com grande compatibilidade e muitos jogos rodando a 30 fps incluindo os maiores sucesso do console como Sonic Adventure e Soul Calibur. Em 2007 a emulação do PlayStation 2 também deu um grande salto mas com uma pequena parte dos jogos emulados - muitos clássicos ainda não funcionam e é preciso um PC de ponta para jogar satisfatoriamente.

Em Wii em 2008 teve grandes avanços na emulação, podendo usar o Wiimote diretamente no PC e com muitos clássicos jogáveis. A emulação é feita pelo Dolphin (originamente um emulador de GameCube) que ganhou versões x64 para aprimorar o desempenho.

Xbox 360 e PlayStation 3 não são emulados e não há protótipos conhecidos mas a história mostra que tem grandes chances de serem emulados no futuro.

Portáteis[editar | editar código-fonte]

A emulação de minigames com tela de cristal líquido e um unico jogo começou em 1993 onde o usuário baixava um rascunho do visor em bitmap e carregava a rom com os movimentos. Devido ao pequeno tamanho de tais jogos, era possível baixar milhares deles num único arquivo zip de alguns megabytes. Apesar de pouco divulgados esses aparelhos foram relativamente fáceis de emular, com a maioria deles portados também para MSX.

A emulação de videogames portáteis começou em 1999 com o NO$GBA emulando Gameboy e Color. Alguns emuladores de Master System também já emulavam Game Gear. Logo que saiu em 2001 o Gameboy Advance também foi emulado.

Arcade[editar | editar código-fonte]

Consoles[editar | editar código-fonte]

Geração 4 Bits[editar | editar código-fonte]

Geração 8 Bits[editar | editar código-fonte]

Geração 16 Bits[editar | editar código-fonte]

O Kega Fusion é um emulador do console Mega Drive, e é um dos poucos emuladores de Mega Drive que contém SOFT RESET, reset este que não apaga dicas feitas no game.

Geração 32 Bits[editar | editar código-fonte]

Lançado em 1999, o Virtual Game Station (VGS) foi um emulador de Playstation desenvolvido pela Connectix originalmente para Macintosh e posteriormente portado para PC. A Connectix sofreu ações judiciais por parte da Sony, desenvolvedora do Playstation. Após algum tempo de batalhas judiciais, o emulador foi adquirido pela Sony e descontinuado. A empresa encerrou suas atividades em 2003.

Também lançado em 1999, o bleem! foi um emulador comercial de Playstation para PC desenvolvido pela bleem Company. Posteriormente ganhou uma versão para Dreamcast, chamada de bleemcast!. A Sony também moveu ações judicias contra a bleem Company. Apesar da Sony não ter vencido nenhum dos processos judiciais, os custos advocatícios, o surgimento de emuladores gratuitos e o encerramento na produção do Dreamcast fizeram com que a bleem Company terminasse suas atividades em 2001.

Geração 64 Bits[editar | editar código-fonte]

Gerações posteriores[editar | editar código-fonte]

A Microsoft utiliza emulação em seu console de nova geração, o Xbox 360, para executar jogos de seu console anterior, o Xbox.

Originalmente a Sony pretendia que o Playstation 3 utilizasse emulação via software para executar jogos de Playstation 2 e Playstation. Entretanto, devido à dificuldades técnicas que surgiram em estágios finais do desenvolvimento do console, seu projeto foi reestruturado e o chip EE+GS foi integrado ao sistema. Desta maneira a primeira revisão do Playstation 3 garante a retrocompatibilidade com o sistema anterior via hardware, embora a Sony não descarte a possibilidade da remoção do chip e utilização da emulação em revisões posteriores.

A Nintendo também utiliza emulação em seu novo console, chamado Wii, para emular seus consoles anteriores. O sistema também emula o Sega Mega Drive e o PC Engine/Turbografx 16, da NEC. Batizada de Virtual Console, você pode comprar jogos dos sistemas antigos citados acima, e baixá-la para a memória interna do console, sendo possível, deletar o jogo e baixá-lo novamente mais tarde, grátis.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.