Guarantã do Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Guarantã do Norte
"'Cidade das águas'"
Bandeira de Guarantã do Norte
Brasão de Guarantã do Norte
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 2 de junho (32 anos)
Fundação 2 de junho de 1981
Gentílico guarantãensse
Lema Desenvolvimento é o nosso foco
Prefeito(a) Sandra Martins (DEM)
(2013–2016)
Localização
Localização de Guarantã do Norte
Localização de Guarantã do Norte no/em Mato Grosso
Guarantã do Norte está localizado em: Brasil
Guarantã do Norte
Localização de Guarantã do Norte no Brasil
09° 47' 16" S 54° 54' 36" O09° 47' 16" S 54° 54' 36" O
Unidade federativa Mato Grosso
Mesorregião Norte Mato-grossense IBGE/2008 [1]
Microrregião Colíder IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Matupá, Novo Mundo e Sul do Pará
Distância até a capital 745 km
Características geográficas
Área 4 713,043 km² [2]
População 33 326 hab. Censo IBGE/2013[3]
Densidade 7,07 hab./km²
Altitude 345 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,810 muito alto PNUD/2013 [4]
PIB R$ 319 307,736 mil IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 9 931,80 IBGE/2010[5]
Página oficial

Guarantã do Norte é um município brasileiro do estado de Mato Grosso. Localiza-se a uma latitude 09º47'15" sul e a uma longitude 54º54'36" oeste, estando a uma altitude de 345 metros. Sua população estimada em 2005 era de 32.940 habitantes.

Localizado a 725 quilômetros de Cuiabá, o município de Guarantã do Norte, nome escolhido por existir na região uma espécie de árvore conhecida por esse nome, nasceu de um assentamento agrário pelo Incra e pela Cooperativa Triticula.

História[editar | editar código-fonte]

A abertura da BR-163, na década de 70, proporcionou a penetração e abertura de todo o norte mato-grossense. Guarantã do Norte nasceu do assentamento agrário realizado pela Cooperativa Tritícula de Erechim Ltda e Incra. Em 1980 chegaram as primeiras famílias vindas do Rio Grande do Sul que formaram a Vila Cotrel, logo em seguida chegaram os brasiguaios.

Em 2 de junho de 1982 moradores da região e autoridades representativas de órgãos estaduais lavraram a ata de fundação e em 1984 a vila foi elevada a categoria de distrito de Colíder. No dia 13 de maio de 1986 Guarantã do Norte transformou-se em município. O nome foi escolhido por existirem em abundância nas matas da região uma espécie de árvore popularmente conhecida por este nome, o norte foi acrescentado para diferenciar de um homônimo existente no estado de São Paulo . O município está crescendo e conta hoje com uma população estimada em 32.950 habitantes. O município nasceu com um ideal agropecuário e hoje fortalece cada vez mais este setor, principalmente com a preocupação de preservação do meio ambiente.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Guarantã tem origem tupi, sendo formada por “gwa’rá (de yby’rá)”, significando madeira, e “ã’tã”, que significa dura, resistente: madeira dura (LCT).

Economia[editar | editar código-fonte]

Sua economia está diversificada tendo bases fortes na pecuária com cerca de 300 mil cabeças de bovinos, incluindo uma das maiores bacias leiteiras da região com uma produção de cerca de 22 milhões de litros de leite por ano, e a agricultura, tem na cultura do arroz sua maior expressividade registrando em 2004 mais de 120 mil toneladas, a produção agrícola segue com as culturas de milho, feijão e em escalas menores, destaca-se também a fruticultura. Estão implantados no município 02 cooperativas e 3 laticínios com industrialização de leite e derivados, além de uma fábrica de polpa de frutas que absorve a produção local.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

A bacia hídrica é formada por vários rios,sendo os principais Rio Braço Norte e Rio Braço Sul e diversas nascentes garantindo a viabilidade da exploração do solo em atividades comerciais.

Clima[editar | editar código-fonte]

O período das chuvas ocorre de setembro a abril com uma precipitação pluviométrica anual de mais de 2.000mm, a temperatura média anual fica entre 25°C mínima e 33°C máxima. O clima é fator importante e completa o quadro favorável ao desenvolvimento de atividades agropastoris.

Infraestrutura e serviços[editar | editar código-fonte]

Por estar localizada as margens da BR-163 que liga Cuiabá a Santarém, destaca-se como pólo na prestação de serviços, com 5 agências bancárias, 2 emissora de TV e 2 de Rádio local, escritórios contábeis, de planejamento, engenharia, entre outros atendendo municípios vizinhos e até mesmo na região sul do Pará. A maior parte das indústrias se desenvolvem em torno do aproveitamento de manufaturados locais, como laminadoras, serrarias e fábrica de móveis, foram implantadas indústrias no setor de construção civil, como pré-moldados e artefatos de cimento e da agro indústrias, a exemplo da fábrica de ração e sal mineral. O município possui uma estação de tratamento de água, com capacidade para distribuir 01 milhão e meio de litros por dia, com condições de atender 100% das residências. Outro ponto positivo para o desenvolvimento da indústria e do comércio é a rede de energia elétrica resultante de 03 usinas hidroelétricas em pleno funcionamento e mais uma em construção.

Educação[editar | editar código-fonte]

A educação conta com mais de 8.530 alunos distribuídos em creches, ensino fundamental e médio. No nível superior conta com 1 faculdade particular com 4 cursos e 1 curso pela UFMT.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Na área da saúde há um hospital particular, além de clínicas especializadas, um hospital público e 7 postos de saúde da família, 1 Centro de Reabilitação, 01 Centro de Atenção Psicossocial e 1 Centro de Saúde.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Guarantã do Norte respeita seus recursos naturais com desenvolvimento sustentável, por isso as inúmeras riquezas naturais são preservadas. Para quem gosta de aventuras, os rios, cachoeiras e corredeiras com águas cristalinas são convite irrecusável, sem contar a pesca esportiva que tem como principal troféu dentre muitas espécies de peixes a matrinchã, o município abriga um sitio arqueológico com inscrições rupestres que permitem pesquisas e explorações históricas. O ecossistema local é bastante diversificado tanto na fauna quanto na flora.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.