Pontes e Lacerda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Pontes e Lacerda
"A princesinha do Vale do Guaporé"
Trevo de Pontes e Lacerda

Trevo de Pontes e Lacerda
Brasão de Pontes e Lacerda
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 6 de agosto
Fundação 29 de dezembro de 1979
Gentílico pontes-lacerdense, lacerdense
Prefeito(a) Donizete Barbosa do Nascimento (Donizete da Len) (PPS)
(2013–2016)
Localização
Localização de Pontes e Lacerda
Localização de Pontes e Lacerda no Mato Grosso
Pontes e Lacerda está localizado em: Brasil
Pontes e Lacerda
Localização de Pontes e Lacerda no Brasil
15° 13' 33" S 59° 20' 06" O15° 13' 33" S 59° 20' 06" O
Unidade federativa  Mato Grosso
Mesorregião Sudoeste Mato-Grossense IBGE/2008 [1]
Microrregião Alto Guaporé IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Vila Bela da Santíssima Trindade, Conquista D'Oeste,Vale de São Domingos, Porto Esperidião.
Distância até a capital 450 km
Características geográficas
Área 8 423,347 km² [2]
População 42,605 Estimativa IBGE 2 013 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 4,52 hab/km²
Altitude 254 m
Clima Tropical úmido
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,753 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ R$ 598,529 mil IBGE/2009[5]
PIB per capita R$ R$ 14,048 32 IBGE/2011[5]
Página oficial

Pontes e Lacerda é um município brasileiro do Estado de Mato Grosso. Localiza-se a 450 km de Cuiabá, a uma latitude 15º13'34" Sul e a uma longitude 59º20'07" Oeste, estando a uma altitude de 254 metros. Sua população em 2010 era de 41.741 habitantes IBGE 2010. Possui uma área de 8.423 km².

História[editar | editar código-fonte]

A região onde hoje situa-se o município de Pontes e Lacerda era inicialmente habitada por índios, representados pelos Nambikwara[6] . Foram praticamente dizimados pelas sucessivas incursões dos bandeirantes paulistas na região (século XVIII) e pelo ciclo do garimpo (séculos XVIII-XIX), que acompanhou a exploração aurífera de Vila Bela da Santíssima Trindade. Já no século XX, sofreram com a exploração da madeira, dos seringueiros e a disputa de terras com fazendeiros e grileiros estabelecidos na região em meados da década de 70. Receberam guarida do padre jesuíta Antônio Iasi Júnior, que lutou pela criação da Terra Indígena Sararé, uma área de 67.420 hectares onde vivem atualmente cerca de 71 índios[7] .

A origem do nome remete ao ano de 1784, quando dois cartógrafos e astrônomos formados pela Universidade de Coimbra, Portugal, desenharam os primeiros esboços da carta geográfica dos rios das bacias Amazônica e do Prata. Eram Antonio Pires da Silva Pontes, um mineiro, e Francisco José de Lacerda e Almeida, um paulista[8] .

Em 1906, foi construído o Posto Telegráfico de Pontes e Lacerda (hoje restaurado[9] ), na ocasião do levantamento etnológico, cartográfico geográfico e biológico iniciado no ano seguinte pela Comissão de Linhas Telegráficas e Estratégicas de Mato Grosso ao Amazonas. Liderada pelo Marechal Cândido Rondon, a Comissão Rondon, como era conhecida, esquadrinhou milhares de quilômetros de terras, rios e coordenadas geográficas até o Amazonas, e logo depois até o Acre[10] . Os trabalhos foram concluídos em 1915. Em 19 de Julho de 1909 o então governador do Estado Sr. Pedro Celestino Correa da Costa através do Decreto 227, reserva uma área de 3.600 has., para futura povoação na margem esquerda do Rio Guaporé, tendo como referência a Estação Telegráfica. Somente em 1947 é que chega para a localidade o Sr. Mariano Pires de Campos, sertanista mato-grossense acompanhado de alguns índios da etnia Pareci, a procura de Poaia (Cephaelis Ipecacuanha)e permanece em um barraco por ele construído ao lado da "Estação Telegráfica".

Em 1954 a serviço da Companhia Sul do Brasil que vendia terras no vale do Guaporé/Jauru chega à localidade o engenheiro Ariel acompanhado do picadeiro Jorge Lemes que após concluídos os trabalhos, permanece residindo próximo a Estação Telegráfica. Em 1960 com a construção da estrada de rodagem rodovia BR 174, chega na localidade uma equipe do DNER com as respectivas máquinas e veículos, e acampa nas proximidades da Estação Telegráfica para a necessária comunicação com Cáceres e Cuiabá. Ao término da construção, o Chefe de Máquinas Sr. Dorvalino e o Cozinheiro Sr. Manoel Basão, permanecem morando na localidade, dando inicio a um pequeno povoado que começava receber migrantes de outras partes do Estado e outras localidades do Brasil.

Em 1963 chegam as famílias Freitas Azambuja e Fagundes da Costa e em 1965 as famílias Barbosa e Lemos, para "abertura das matas" e formação de fazendas para criação de bovinos e cultivo de lavouras para sustento das famílias e suas propriedades. Em 1967 a Família Podolan oriunda de Campo Mourão no Estado do Paraná instala uma serraria de grande porte e constrói cerca de 50 casas para os funcionários da empresa, além das construções para abrigo dos departamentos administrativos, máquinas, caminhões e demais equipamentos, fazendo surgir um novo núcleo populacional ha cerca de 02 km da estação telegráfica. Nesse período também chegam as famílias de Timóteo Rodriguez vinda de Cáceres-MT, Bronski Afonso, vinda de Campo Mourão-PR, Moreira e Dias, vindas do leste de Minas Gerais.

Nos anos seguintes, continua a migração de pessoas de outras regiões do Estado e do Brasil, para a localidade de Pontes e Lacerda, ocupando-se das diversas atividades regionais; Extração da madeira, formação de fazendas, serrarias, pequenos estabelecimentos comerciais, mão-de-obra qualificada de serviços gerais etc. Em 1971 a extinta CODEMAT - Companhia Desenvolvimento do Estado de Mato Grosso, instala escritório no povoado para regularização fundiária do que seria a parte urbana e rural, no entorno desta, tendo como responsável pelo estabelecimento o Sr. Moacir Ferreira da Silva.

Entre 1973 e 1977 chegam as famílias Venâncio da Silva, Bento Neto, Rodriguez, Queiróz da Silva, Rodrigues de Souza, Maldonado Roman, Gaspar, Ramos da Silva, Meira, Moura da Silva, Moralles, Alencar, Reis de Lima, Andrade, Rodrigues de Freitas, Garbim, Bezerra de Souza, Rangel Rolim, Souza Leandro, Batista, Euclides Chaves, Nogueira de Abreu, Rosa de Queiróz, Mazetti, Justino do Nascimento, Fernandes de Lima, Andrelino de Souza, Soares Dias, Reverdito, Antunes de Moraes, Carneiro, entre muitas outras, aumentando significativamente a população local. Em 1978 é construído e inaugurado o hospital da Fundação Médica Assistencial do Trabalhador Rural de Pontes e Lacerda, chegando para nele trabalhar os médicos Dr. José Inácio Ribeiro e Dr. Gustavo Henrique Alves e as auxiliares de enfermagem Maria do Socorro e Maria dos Remédios.

Até 1976, Pontes e Lacerda era um aglomerado pertencente à cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade, tornando-se um distrito desta àquele ano, através da Lei Estadual 3.813. Finalmente em 1979, através da lei estadual 4.167, foi criado o município de Pontes e Lacerda, desmembrando para si parte do território pertencente à Vila Bela da Santíssima Trindade.

Em 1977 é inaugurada a primeira agencia bancaria do extinto Banco Financial, tendo como gerente o Senhor Sebastião Procópio, chegando a cidade com esposa e família.

Política[editar | editar código-fonte]

O primeiro prefeito de Pontes e Lacerda, Gercino Rodrigues de Souza é conduzido ao cargo através de nomeação, em 14 de fevereiro de 1981. Em 1982 o primeiro prefeito eleito é Dionir de Freitas Queiroz para o mandato de 6 anos. No ano de 1988 Dr. Dauri Alves Mariano é eleito para o mandato de 4 anos. Em 1992 Dionir é novamente eleito. Em sequência, Dr. Décio Cipriano em 1996, o vice-prefeito João Bento Neto, de 1999 a 2000, em outubro do mesmo ano é eleito Nelson Miura, em 2005 o ex-prefeito Newton de Freitas Miotto começa o seu mandato e é reeleito em 2008 permanecendo até o final do mandato. Em 07 de outubro de 2012, foi eleito Donizete Barbosa do Nascimento. Donizete iniciou seus trabalhos no dia 01 de janeiro de 2013.

Pontes e Lacerda deu origem a dois novos municípios no ano de 1999, sendo eles Conquista do Oeste e Vale do São Domingos.

Executivo[editar | editar código-fonte]

A gestão "Pontes e Lacerda melhor para todos" (2013–2016) tem como prefeito Donizete Barbosa do Nascimento tem como vice-prefeito José Nogueira de Menezes Filho.[11]

Secretaria Atual Secretário(a) Orçamento

em 2012
(em milhões de reais)

Gabinete do Prefeito Paulo Morais 1,73
Administração Lucimar de Andrade 4,04
Fazenda e Planejamento João Batista de Carvalho Filho 3,24
Educação Florisvaldo Gonçalves da Cruz 16,97
Saúde José Ricardo Porfírio da Rocha 13,29
Assistência Social e Trabalho Joana D'Arc Antonelli do Nascimento 4,58
Desporto e Lazer Lorivaldo Rodrigues Morais 1,84
Meio Ambiente e Turismo João Carolos da Silva Martins 0,52
Fomento a Agropecuária, Indústria e Comércio Alcino Barcelos 1,25
Infraestrutura e Serviços Públicos Paulo Roberto Araujo 15,46
Cultura Silvia Maria Franceschi de Fazio 2,68

Legislativo[editar | editar código-fonte]

Gestão 2013–2016[12]

Vereador(a) Partido
Anderson Barbosa PP
Claudio Justiniano Távora “Italiano” PMDB
Gidelson Cassiano Chaves PRB
Ivanildo Amaral de Queiroz PSD
José Pereira Sobrinho “Zé Pereira” PSD
Natalícia Inácia da Silva PP
Pedro Vieira “Pedro da Pecuária” PT
Romes Ferreira de Amurim PP
Wancley Charles Rodrigues de Carvalho PV
Weber de Jesus Moreira da Silva “Hebinho” PRTB
Wyldo Pereira da Silva “Guelo” PDT

Educação[editar | editar código-fonte]

O município recebe os serviços de educação superior por três universidades públicas e diversas particulares. As universidade pública são a UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso, UFMT Universidade Federal de Mato Grosso, que não apresenta Campus na cidade mas presta serviços através da UAB, a UAB é mantida pelo governo federal com cursos prestados pela UNEMAT, UFMT e IFMT. o IFMT Instituto Federal de Educação e Tecnologia, apresenta unidade em Pontes e Lacerda oferecendo os cursos de técnico integrado em física, meio ambiente, informática, subsequente e PROEJA em técnico em edificações além de licenciatura plena em física. A UNEMAT foi a primeira universidade a se instalar em Pontes e Lacerda, apresenta uma grande campus com área total de 150 ha, sendo mais de 10 mil m² de área construída, apresentando laboratório de solos credenciado pela Embrapa, dispõe dos cursos de Letras e zootecnia, sendo o curso de zootecnia o primeiro a ser instalado no estado de MT.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Pontes e Lacerda faz divisa com as cidades de Conquista D'Oeste (norte), Vale de São Domingos (norte e leste), Vila Bela da Santíssima Trindade (sul e oeste) e Porto Esperidião (sul e leste).

O quadro geomorfológico do município é composto por planícies, pelo Planalto do Parecis, pela Depressão do Guaporé e pelo Pantanal do Alto Guaporé, que compõem o Vale do Guaporé, área de transição entre a Floresta Amazônica e o Cerrado. O solos predominantes são o latossolo e o podizólico. A formação vegetal típica da região é representada em grande parte de Floresta Estacional Semidecidual e Cerrado[13] . A intensa exploração do garimpo marca o relevo até hoje.

O município abriga também a maior parte do Parque Estadual Serra de Santa Bárbara onde se situa a Serra do Monte Cristo com o ponto mais alto do estado de Mato Grosso.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima predominante é o tropical úmido, que compreende a estação chuvosa e no inverno a estação seca. A temperatura média anual é de 25°C. A precipitação média anual é de 1500 mm. O Rio Guaporé, que passa pela cidade, está inserido na Bacia Amazônica, na sub-bacia do Alto Guaporé[14] .

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia de Pontes e Lacerda no principio da colonização, esteve ligada à extração da poaia e pele de animais silvestres. A partir do final da década de 60 e durante as décadas de 70 e 80 do século XX, a extração e desdobramento da madeira foi o principal fator de renda da população, principalmente das essências mogno e cerejeira cuja região era abundadante, quando alguns madeireiros se tornaram ricos proprietários de terras, bovinos e prédios comerciais e residenciais. Ainda no final da década de 80 e princípios da década de 90 do século passado, o garimpo do ouro foi muito fluente no município, aquecendo sobremaneira a economia local e movimentando toda a região. Hoje, a economia está baseada na produção de bovinos de leite e de corte, se colocando em quarto lugar no Estado de Mato Grosso, com mais de 700.000 cabeças, é um dos maiores exportadores de carne do estado, sendo detentor das primeiras colocações no ranking de qualidade genética do Brasil, e de produção de látex de seringueira (heveicultura), com processamento do produto in natura. No município possuem 02 frigoríficos para abate de bovinos, 03 laticínios em pleno funcionamento e uma usina de biodiesel a ser implantada. A ovinocultura também é fator preponderante da economia Pontes-lacerdense seguida da piscicultura.

Expoeste[editar | editar código-fonte]

Pontes e Lacerda é uma cidade de economia forte, que se destaca no agronegócio Brasileiro. Ocupa o quarto lugar na produção de bovino de leite e de corte no estado de Mato Grosso. É uma das maiores exportadoras de carne do Estado, e está entre as primeiras colocações no ranking de genética bovina do Brasil.Em meio ao agronegócio Pontes e Lacerda possui uma grande tradição: A Expoeste, maior evento social da cidade. Palco de grandes emoções e de grande reconhecimento nacional, o que dá o título ao município de “Capital do rodeio mato-grossense”.

Canais de TV[editar | editar código-fonte]

  • TV Cidade Verde - Band - Canal 4 (Sem programação local)
  • TV Centro Oeste - SBT - Canal 6
  • TV Guaporeí - Rede Record - Canal 8
  • TV Centro América - Rede Globo - Canal 10 (Sem programação local)
  • TV Santa Catarina - RedeTV! - Canal 12
  • Rede 21 - Igreja Mundial - Canal 31

Emissoras de Rádio[editar | editar código-fonte]

  • Continental FM de Pontes e Lacerda - 95,9
  • Rádio Comunitária Cidade FM - 104,90
  • Rádio Jornal AM - 930

Operadoras de telefonia celular[editar | editar código-fonte]

  • VIVO
  • TIM
  • Claro
  • Oi

Agências bancárias[editar | editar código-fonte]

  • Caixa Econômica Federal
  • Bradesco
  • Banco do Brasil
  • HSBC
  • Sicredi

Hino de Pontes e Lacerda[editar | editar código-fonte]

Letra: Professor Antônio Gomes[15]


No interior do Estado de Mato Grosso

À margem esquerda do Rio Guaporé

Está situada nossa Pontes e Lacerda

A princesinha do Vale do Guaporé


Pontes e Lacerda, cidade progresso

Terra fértil e de muito sucesso

Os teus filhos de ti se orgulham

Pois aqui é lugar de fartura


Pontes e Lacerda, cidade querida

Um pedaço de nossa nação

De ti jamais me esquecerei

Pois tu moras em meu coração


Sua fauna e flora não há outra igual

Seu perfil é de cidade imortal

O teu povo por ti lutará

Um lugar bom como esse não há


Sua economia de base primária

Destacando agricultura e pecuária

Seu turismo não perde jamais

Com tantas belezas naturais


Estribilho

Os bandeirantes das selvas, Rondon

Força viva da raça feliz

O teu nome enaltece este solo

Grande solo que eleva o país


O teu futuro o Cruzeiro ilumina

Abençoa o teu povo viril

Os teus filhos te cobrem de glória

Muito orgulho tu dás ao Brasil

Ver também[editar | editar código-fonte]

Parque Estadual Serra de Santa Bárbara

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Página da prefeitura

Pontes e Lacerda no Wikimapia

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b [www.ibge.gov.br/Organizacao/Divisao_Territorial/2008/DTB_2008.zip Divisão Territorial do Brasil]. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. Senhores da Memória. História no universo dos Nambiquara do Cerrado.
  7. Terra Indígena de Sararé.
  8. = 5543 Salomé viabiliza verbas para Pontes e Lacerda. Notícias.
  9. = 0&sid = 13&cid = 27723&parent = 13&totalRows_Outras = 20637 Posto telegráfico de Porto Esperidião começa a ser revitalizado. Notícias.
  10. = 1&sid = 13&cid = 29727&parent = 0&totalRows_Outras = 21583 Comemoração do centenário da Comissão Rondon começa em março. Notícias.
  11. http://www.ponteselacerda.mt.gov.br/Equipe-de-Governo/ | Equipe de Governo
  12. http://www.camaraponteselacerda.mt.gov.br/vereadores/
  13. O Estado do Mato Grosso. Monitoramento por satélite.
  14. Águas. Fórum Regional de Desenvolvimento Sustentável.
  15. http://www.ponteselacerda.mt.gov.br/Hino-Bandeira-e-Brasao