Tangará da Serra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Tangará da Serra
"TGA", "Capital do Médio Norte", "Tangará"
Colagem Tangará da Serra.jpg

Bandeira de Tangará da Serra
Brasão de Tangará da Serra
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 13 de maio de 1976 (38 anos)
Gentílico tangaraense
Prefeito(a) José Pereira Filho (PT)
(2013–2016)
Localização
Localização de Tangará da Serra
Localização de Tangará da Serra no Mato Grosso
Tangará da Serra está localizado em: Brasil
Tangará da Serra
Localização de Tangará da Serra no Brasil
14° 37' 08" S 57° 29' 09" O14° 37' 08" S 57° 29' 09" O
Unidade federativa  Mato Grosso
Mesorregião Sudoeste Mato-Grossense IBGE/2008 [1]
Microrregião Tangará da Serra IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Campo Novo do Parecis, Pontes e Lacerda, Barra do Bugres, Nova Olímpia, Santo Afonso, Nova Marilândia, Sapezal, Campos de Júlio, Denise, Diamantino, Reserva do Cabaçal e Conquista d'Oeste
Distância até a capital 240 km
Características geográficas
Área 11 565,976 km² (BR: 114º)[2]
Distritos Progresso, São Joaquim, Triângulo e São Jorge
População 92 298 MT 5º hab. Estimativa IBGE/2014[3]
Densidade 12,318 hab/km²
Altitude 423 m
Clima Tropical Úmido
Fuso horário UTC−4
Indicadores
IDH-M 0,821 muito alto PNUD/2008 [4]
PIB R$ Aumento1 304 639,542 mil IBGE/2010[5]
PIB per capita R$ 15 889,83 IBGE/2008[5]
Página oficial

Tangará da Serra é um município brasileiro do estado de Mato Grosso, do qual é o quinto mais populoso, com população de 90.252 habitantes, conforme a estimativa do IBGE, em 2013.[6] Criado em 13 de maio de 1976, é consideravelmente novo e destaca-se pelo seu rápido crescimento populacional e econômico, além de ser um dos mais progressistas do interior do estado. A distância até Cuiabá, capital administrativa estadual, é de 240 quilômetros.

Sua área é de 11.565,976 km².

História[editar | editar código-fonte]

Origens e Pioneirismo[editar | editar código-fonte]

Inicialmente, a área que hoje constitui o município de Tangará da Serra ficou por um longo tempo povoada apenas pelas tribos de indígenas Nhambiquara e Parecí. Os primeiros contatos com "homens brancos" se deram apenas no início do Século XX, quando a Comissão Rondon, liderada por Marechal Cândido Rondon, palmilhava a região em 1913, com o auxílio dos índios Parecis e Nhambiquaras, implantando-se o telégrafo e estudando a flora e a fauna presentes, para fornecer subsídios que seriam utilizados no futuro. Rondon abriu a rodovia que sobe os chapadões dos Parecis, cujas marcas ainda estão presentes: a exemplo de sua casa, localizada no Assentamento Antônio Conselheiro e uma ponte construída sobre o Rio Sepotuba, no interior do Município de Tangará da Serra, ainda preservadas. Em seguida, chegaram os extrativistas, atraídos pela mata de poaia, planta com propriedades medicinais, que cobria as encostas da Chapada dos Parecis, onde os tributários do Rio Paraguai têm suas nascentes. Em seu projeto inicial, a área de Tangará da Serra deveria formar uma comunidade japonesa, o que não teve êxito devidos às más relações do Japão no cenário mundial, que também influía o Brasil, durante a Segunda Guerra Mundial. Assim, apenas as glebas de brasileiros ganharam liberação para colonização, a partir de 1954. Em 1959, a Companhia de Terras instala-se em Tangará da Serra a fins de implantar uma colônia de terras e o cultivo de café, arroz, milho e feijão. A intensa propaganda fez com que várias famílias migrassem de outros estados para a região, com o anseio de possuírem terras bem maiores em relação às que já possuíam onde viviam. Os senhores Júlio Martinez, Dr. Fábio Licere e Joaquim Oléa fundaram a SITA - Sociedade Imobiliária Tupã para a Agricultura uma vez atraídos pela excelente condição de clima e solo fértil, implantaram o loteamento Tangará da Serra, privilegiado no exuberante divisor das águas das bacias Amazônica e do Prata, emergente do antigo povoado surgido pelo loteamento das glebas Santa Fé, Esmeralda e Juntinho, localizadas no município de Barra do Bugres. Logo após chegaram os madeireiros, devastando a região para ceder lugar aos colonos que exploraram o cerrado e se iniciaram na agropecuária, atividade ainda tão presente no município, base forte da economia tangaraense. Nos primeiros tempos, a cafeicultura teve presença marcante na economia de Tangará da Serra. [7]

Formação Administrativa e Etimologia[editar | editar código-fonte]

Com o sucesso do loteamento Tangará da Serra, elevado a categoria de distrito, nasce o sentimento de emancipação, já na década de 60, mas ainda não havia motivação para a criação de novos municípios, o que logo fez a Comunidade Local pressionar o Governo Federal e Estadual. Houve ainda a tentativa de José Armando Barbosa Mota, então prefeito de Barra do Bugres, ao qual pertencera Tangará da Serra, propondo a transferência da sede do município para a região além da Serra Tapirapuã.[8] Sequencialmente, o município de Cuiabá deu origem a Cáceres, que deu origem a Barra do Bugres, que também foi desmembrado dando origem à Tangará da Serra, que só consegue sua emancipação política em 13 de maio de 1976, quando o então cenário do estado favorecia e incentivava a criação e povoação de novos municípios. Nesta época, Mato Grosso vivia o auge de sua divisão, resultando na desmembração e criação do estado de Mato Grosso do Sul, em 1977. O lugar recebeu a atual denominação através de seus pioneiros, inspirados pelo canto macio, cheio, vivo e sonoro do pássaro Tangará, uma das aves brasileiras mais famosas, avistado pelos primeiros visitantes da região, que aliaram o nome do gracioso pássaro à majestosa Serra de Itapirapuã e batizaram a localidade como Tangará da Serra.

Após a Emancipação[editar | editar código-fonte]

Desde a emancipação, a cidade assumiu uma importante posição de pólo regional, sendo um dos principais municípios do interior de Mato Grosso. Sua história econômica que esteve por muito tempo ligada à cafeicultura passou a diversificar-se cada vez mais. A migração, tão marcante na história do município, se acentuou ainda mais após a emancipação. Em poucos anos, Tangará da Serra se fortaleceu e cresceu rapidamente, superando, inclusive, o município de origem, Barra do Bugres, bem como outros municípios já constituídos há muito tempo na região. [9]

O desenvolvimento urbano exigiu melhorias na infraestrutura, aliadas com Planejamento Urbano e a criação de um Plano Diretor Municipal, além de investimentos significativos em diversos setores.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O município possui uma área de 11.565,976 km². Localiza-se a uma latitude 14º37'10" sul e a uma longitude 57º29'09" oeste. O Fuso Horário em vigor é uma hora menor em relação ao Horário de Brasília, sendo que o Horário de Verão é adotado entre os meses de outubro e fevereiro do ano seguinte.

Clima[editar | editar código-fonte]

Dia chuvoso na Avenida Brasil. A precipitação aumenta, geralmente, entre os meses da primavera e do verão.

O clima do município é o tropical chuvoso quente e úmido, dividido em dois períodos bem definidos: chuvas entre setembro e abril, e estiagem entre maio e agosto. Com temperaturas médias entre 16 e 36 graus, variando de acordo com a época do ano, é considerada uma cidade quente. No inverno, Tangará da Serra costuma ficar entre as cidades que registram as menores temperaturas no estado. Em julho de 2013, os termômetros chegaram a marcar 7,4 graus, batendo o recorde anual. [10]

Temperatura média em Tangará da Serra [11]
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Máxima temperatura média °C 32,1 31,7 31,7 33,6 32,1 30,9 31,7 33,4 32,7 32,9 33,7 33,2 32,4
Mínima temperatura média °C 21,3 22 20,9 20,6 18,6 15,9 15,7 17,5 19,3 21,2 21,8 21,3 19,6
Precipitação média mm 312,4 271,6 231,2 148,7 47,4 18,2 11,1 12,7 59,1 138,6 196,7 278 1448,2

Relevo e vegetação[editar | editar código-fonte]

Pássaro Tangará, que inspirou o nome do município.

O relevo tangaraense é caracterizado pela topografia plana (95%), enquanto, topografias suavemente onduladas e montanhosas formam 5% do relevo. A localização de Tangará da Serra entre as serras de Tapirapuã e dos Parecis delimita dois ecossistemas importantes no território brasileiro: o Pantanal (Sul) e o Chapadão do Parecis (Norte). A Serra dos Parecis é o divisor de águas entre as bacias do Amazonas (Norte) e do Paraguai-Paraná (Sul). O solo é de formação basáltica, que data, aproximadamente, 120 milhões de anos. As características marcantes deste solo são o basalto chumbo-cinzento e diabásios intercalados, que propiciam a ocorrência de inúmeras nascentes de rios e águas cristalinas, cachoeiras e matas abundantes. Quanto à vegetação, Tangará da Serra possui matas densas nas encostas e no alto da Serra Tapirapuã, e cerrado no alto da Serra dos Parecis.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Segundo a estimativa do IBGE, publicada em agosto de 2011, a população era de 87.945 habitantes. Já em 2013, a população estava estimada em 90.252 habitantes e em 2014 com 92.298. Tangará da Serra é a principal cidade da Mesorregião do Sudoeste Mato-Grossense e corresponde a 3% da população de Mato Grosso. Cerca de 90% da população vive na Zona Urbana do município, sendo 50,2% homens e 49,8% mulheres. Já os jovens com menos de 20 anos formam 38% da população total.[12] A migração caracteriza o perfil demográfico do município, que atrai pessoas de diferentes estados do país. O município é considerado uma área de povoação recente, tendo em vista que seu início data a década de 60, com um grande número de migrantes, vindos, principalmente, dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Paraná e alguns estados do Nordeste. A partir da década de 1980, mais migrantes da Região Sul passaram a compor a população de Tangará da Serra.

População (1980-2013) [13] [14]
Ano Habitantes
1980 31.293
1992 39.848
1996 50.138
2000 58.840
2007 76.657
2010 83.431
2012 87.945
2013 90.252
2014 92.298

Crescimento Populacional[editar | editar código-fonte]

Desde a década de 90 a cidade tem experimentado um crescimento populacional expressivo, chegando a uma média de crescimento de 20% a cada cinco anos. Nos últimos anos, a cidade teve um crescimento relativamente alto, sendo este notado com o número elevado de casas em construção nos bairros do setor norte da cidade, juntamente com o surgimento de outros loteamentos de grande porte.

Religião[editar | editar código-fonte]

Conforme dados do Censo de 2010, realizado pelo IBGE, a população tangaraense é formada por católicos apostólicos romanos (64,03%), evangélicos (23,86%), sem religião (6,82%), tradições indígenas (1,50%), espíritas (1,02%), testemunhas de Jeová (0,62%), umbanda e Candomblé (0,17%), ateus (0,16%), católicos apostólicos brasileiros (0,10%, budistas (0,07%), Tradições Esotéricas (0,03%), espiritualistas (0,01%) e católicos ortodoxos (0,01%). [15]

Desenvolvimento Humano[editar | editar código-fonte]

No período 1991-2000, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Tangará da Serra cresceu 14,87%, passando de 0,679 em 1991 para 0,780 em 2000. A dimensão que mais contribuiu para este crescimento foi a Educação, com 41,3%, seguida pela Longevidade, com 34,7% e pela Renda, com 24,1%. Neste período, o hiato de desenvolvimento humano (a distância entre o IDH do município e o limite máximo do IDH, ou seja, 1 - IDH) foi reduzido em 31,5%.

Se mantivesse esta taxa de crescimento do IDH-M, o município levaria 10,2 anos para alcançar São Caetano do Sul (SP), o município com o melhor IDH-M do Brasil (0,919), e 3,4 anos para alcançar Sorriso (MT), o município com o melhor IDH-M do estado (0,824).

Em 2000, o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal de Tangará da Serra é 0,780. Segundo a classificação do PNUD, o município está entre as regiões consideradas de médio desenvolvimento humano (IDH entre 0,5 e 0,8).

Em relação aos outros municípios do Brasil, Tangará da Serra apresenta uma situação boa: ocupa a 758ª posição, sendo que 757 municípios (13,6%) estão em situação melhor e 4812 municípios (86,3%) estão em situação pior ou igual.

Atualmente no Brasil existem 5570 municípios.

Em relação aos outros municípios do Estado, Tangará da Serra apresenta uma situação boa: ocupa a 14ª posição, sendo que 13 municípios (9,15%) estão em situação melhor e 129 municípios (90,8%) estão em situação pior ou igual.

O índice de seu IDH é superior à média estadual, que é de 0,796. Posteriormente supera também a média nacional, que é de 0,718.

Economia[editar | editar código-fonte]

O Produto Interno Bruto (PIB) de Tangará da Serra vem evoluindo, representando cerca de 2,1% na participação do estado, sendo o 11º maior de Mato Grosso, destacando-se na agricultura, agropecuária, indústria e prestação de serviços. Os setores do agronegócio e prestação de serviços são os que mais geram emprego e renda no município. [16] .

Filial da Lojas Americanas, inaugurada em novembro de 2011, no Tangará Shopping.

Setor primário[editar | editar código-fonte]

A agropecuária é um setor econômico importante na economia tangaraense. De todo o PIB do município, 224 057 reais é o valor adicionado bruto da agropecuária. [17] Segundo o IBGE, em 2012, o município possuía 229 668 bovinos, 2 017 equinos, 254 345 galinhas, 2 584 657 galos, frangos e pintinhos, 2 500 codornas. 9 720 suínos e 210 caprinos. No mesmo ano, o município produziu 7 306 litros de leite de vaca, 59 000 dúzias de ovos de codorna, 5 246 dúzias de ovos de galinha e 5 310 quilos de mel-de-abelha. [18] Na lavoura temporária são produzidos principalmente a Cana-de-açúcar (1 132 013 toneladas), soja (190 800 toneladas), algodão (31 194 toneladas), arroz 6 978 (toneladas) e girassol (1 961 toneladas). [19] O município produz ainda, em menor escala, café, melancia, mandioca, abacaxi, tomate, banana, feijão, milho, coco, limão e maracujá.

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

A indústria é, atualmente, o segundo setor mais relevante para a economia do município. De acordo com os dados do IBGE, divulgados em 2012, 342 278 reais é o valor adicionado bruto da indústria. [20] A Indústria Alimentícia tem maior destaque. Tangará da Serra conta com um Plano de Incentivo a novas empresas, que tem atraído alguns investimentos importantes (Lei nº 2168/2004 de 23 de junho de 2004, alterada pelas leis nº 2371/2005 e nº 2424/2005). O Plano oferece incentivo para a instalação de Indústrias no município como a doação de terreno, a terraplanagem, energia elétrica no local (no padrão), isenção dos impostos municipais, e o PRODEI (através do Governo do estado - isenção de ICMS). Ressaltamos a Anhambi Alimentos Norte Ltda., que conta com 165 aviários em sistema de integração e abate 80 mil aves/dia, com potencial de ampliação para 120 mil aves/dia, e possui, também, de 07 à 10 postos de trabalho com 950 funcionários. O Marfrig Ltda abate hoje 1.100 bovinos/dia, com capacidade instalada de 1.500 cabeças/dia, abastecendo, também o comércio exterior. A empresa possui 21 postos de trabalho com 1.050 funcionários. Há indústrias de Etanol com pretensões de investir 3 Bilhões em Tangará da Serra.

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Prédio da Associação Comercial e Empresarial de Tangará da Serra, situado à Avenida Presidente Tancredo Neves, região central da cidade.

O setor terciário é o maior destaque da economia tangaraense. A prestação de serviços rende 864 792 reais ao valor PIB municipal. [21] Neste setor, Tangará da Serra apresenta um grande potencial e crescimento expressivo, despertando a atenção de investidores de diversas regiões do país. O comércio local atrai pessoas de diversas cidades vizinhas e é considerado um dos mais fortes do interior do estado, o que consolida a cidade como prestadora de serviços na região. De acordo com o IBGE, a cidade possuía, em 2011, 2 882 unidades locais, 2 792 empresas e estabelecimentos comerciais atuantes e 36 804 trabalhadores, sendo 20 158 pessoal ocupado total e 16 646 pessoal ocupado assalariado. Salários, juntamente com outras remunerações somavam 271 574 reais e o salário médio mensal era de 2,2 salários mínimos. [22] Referência em Mato Grosso, a cidade hoje recebe mensalmente inúmeros consumidores e é o maior centro de compras e lazer da região. Nos últimos anos, grandes franquias e empresas se instalaram na cidade, como a Novo Mundo, Clube Turismo, Lojas Americanas, O Boticário, Cacau Show, Subway e Casas Bahia. No turismo, conta com diversas agências, além da CVC Turismo. Outras grandes lojas varejistas instaladas são: Gabriela Calçados, Tecelagem Avenida e Stuzio Z, as três com grandes lojas espalhadas por Mato Grosso. O potencial econômico de Tangará da Serra também despertou a atenção da rede de lojas de departamentos Havan, que instalará a quinta filial mato-grossense na cidade. [23] A região central concentra uma parcela expressiva do comércio e da prestação de serviços, com escritórios contábeis, oficinas mecânicas, escritórios de advocacia, cabeleireiros, clínicas de estética, escolas de idiomas, comércio varejista de vestuário e acessórios, comércio popular, artesãos, lojas de variedades, farmácias, sorveterias e fornecimento de alimentos para consumo domiciliar, pet shops, relojoarias, além de grandes empresas varejistas de eletrodomésticos, materiais para construção e artigos para o lar. A cidade possui diversas galerias, um centro comercial e um shopping center, além de centros de eventos e casas noturnas.

Política[editar | editar código-fonte]

De acordo com a Constituição de 1988, Tangará da Serra está localizada em uma república federativa presidencialista. A administração municipal se dá pelo Poder executivo e Poder legislativo.

O Poder legislativo é constituído pela câmara municipal, composta por 14 vereadores eleitos para quatro anos de mandato. [24]

O município é regido por Lei Orgânica. A cidade é ainda a sede de uma Comarca. [25] .

Em 2006, de acordo com o TRE, havia um total de 47 065 eleitores no município, [26] número que apresentou crescimento, chegando a 61 300 eleitores aptos em março de 2014, sendo o quinto eleitorado de Mato Grosso. [27]

Lista de prefeitos[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato
Thaís Bergo Duarte Barbosa 1976 a 1981
Antônio Porfírio de Brito 1982 a 1988
Manoel Ferreira de Andrade 1989 a 1992
Saturnino Masson 1993 a 1996
Jaime Luiz Muraro 1997 a 2000
Jaime Luiz Muraro 2001 a 2004
Júlio Cézar Davoli Ladeia 2005 a 2008
Júlio Cézar Davoli Ladeia 2009 a 2011
Saturnino Masson 1 de outubro de 2011 a 31 de dezembro de 2012
Fabio Martins Junqueira* 1 de janeiro de 2013 a 21 de maio de 2014
José Pereira Filho 22 de maio de 2014 a 31 de dezembro de 2016

Em 2011, a Câmara Municipal de Tangará da Serra cassou os mandatos do prefeito Júlio Cézar Ladeia (PR), o vice, José Jaconias (PT), além de cinco vereadores. O grupo foi acusado de desonestidade política e irregularidades na Saúde do município. Assim, o presidente da Câmara, Miguel Ramanhuk (DEM) assumiu o cargo de prefeito interino. Já em 1 de outubro, Saturnino Masson assume a prefeitura [28] , após ser eleito através de eleição indireta, decidida pelos vereadores em exercício. Desta forma, Tangará da Serra se tornou a primeira cidade a realizar eleição indireta após o fim da Ditadura militar. [29] . Em 21 de maio de 2014 a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Tangará da Serra publicou o Decreto 0675/2014, que declarou extinto o mandato do prefeito Fábio Martins Junqueira (PMDB), a extinção do cargo deu-se em virtude de sentença condenatória de suspensão dos direitos políticos, transitada em julgado de Fábio Martins Junqueira, no mesmo ato a Câmara notificou ao vice-prefeito José Pereira Filho, o “Zé Pequeno”, (PT) para tomar posse, o que ocorreu em 22 de maio de 2014.[30]

Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]

Vista panorâmica de Tangará da Serra a partir da Avenida da Paz, em janeiro de 2013.

Saúde[editar | editar código-fonte]

Em 2009, conforme o IBGE, o município possuía 50 estabelecimentos de saúde, sendo 9 deles federais, 17 municipais e 24 privados. Na rede pública, o município conta com uma Unidade Mista de Saúde, Postos de Saúde (PSFs) distribuídos em alguns bairros e também com o atendimento do SAMU. Na rede privada, há hospitais, clínicas e serviços odontológicos.

Educação[editar | editar código-fonte]

Segundo dados de 2010, a rede municipal de ensino era composta por quatro creches, com 802 alunos matriculados e 29 escolas de ensino fundamental, com um total de 9.053 alunos. Na rede estadual, haviam 12.419 alunos matriculados nas 16 escolas. Ainda em 2010, haviam cerca de 260 alunos matriculados na Escola Especial Raio de Sol - APAE de Tangará da Serra.[31] Nas 11 escolas particulares, havia um total de 1.828 alunos.[32] Entretanto, os dados divulgados pelo IBGE em 2012 apontam o crescimento desses números. Ainda assim, a demanda no município é muito grande, por isso novas creches e escolas estão em fases de licitação e construção, acompanhando o crescendo populacional.

Logo da UNEMAT.

Existe também uma grande oferta de cursos técnicos em instituições públicas e particulares, sendo que está em fase de implantação um campus do Instituto Federal de Mato Grosso, o IFMT. Em um levantamento feito nas escolas, haviam mais de 50 cursos em diversas áreas de atuação.

O município tem características de cidade universitária por possuir diversas instituições de ensino superior, sendo que em 2011 haviam cerca de 3.775 alunos matriculados no Ensino Superior. [33] No ensino público, destaca-se a atuação do campus da UNEMAT que oferta oito cursos de graduação. [34] No ensino privado, a cidade conta com instituições particulares como a Universidade de Cuiabá que oferta cerca de dez cursos, FAEST-UNISERRA (Faculdade de Educação de Tangará da Serra-Unidade de Educação Superior de Tangará da Serra), especializada no curso de Pedagogia e também com as instituições de ensino à distância: UNOPAR, UNIGRAN, Anhanguera e Instituto Tayano de Educação (ITE).

Educação de Tangará da Serra em números [35]
Nível Matrículas Docentes Escolas (total)
Ensino pré-escolar 2 081 281 26
Ensino fundamental 12 643 645 46
Ensino médio 4 528 107 14

Criminalidade e Segurança[editar | editar código-fonte]

Como acontece na maioria dos municípios brasileiros, a criminalidade ainda é um grande problema em Tangará da Serra. Por força da Constituição Federal do Brasil, Tangará da Serra possui uma guarda municipal, além da presença da Polícia civil e Polícia militar. Em 2012, foram instalados pontos de monitoramento para abrigarem 15 câmeras de segurança, que auxiliarão no monitoramento e policiamento nos locais de maior fluxo de pessoas e veículos e também nas principais praças da cidade.[36]

Saneamento básico[editar | editar código-fonte]

Estação de Tratamento de Água do SAMAE, no interior do município.

O Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto de Tangará da Serra (SAMAE) é uma autarquia responsável pelo abastecimento de água, rede de esgoto e também pela coleta de lixo. Em 2011, segundo o próprio SAMAE, 99% das residências tinham acesso à água encanada e 98% à coleta de lixo. Seis poços garantem o abastecimento de água em toda a área urbana nos 400 km de extensão de rede subterrânea. A água que abastece a população é oriunda do Rio Queima Pé, que tem como adutores os córregos Cristalino, Figueira e Tapera. Em 2013, haviam aproximadamente 28 000 ligações de água no município. [37] A rede de esgoto tem 7 km de rede subterrânea. A produção diária de lixo gira em torno de 65 toneladas.[38] . Em 2010, Tangará da Serra tornou-se a primeira cidade do estado a cobrir todos os bairros com o serviço de Coleta seletiva.[39]

Trânsito[editar | editar código-fonte]

Avenida Brasil, principal via pública na região central da cidade. Nos últimos anos, percebeu-se um crescimento expressivo da frota de veículos em circulação na área urbana do município.

Segundo o DETRAN-MT, a frota de veículos em circulação cadastrados no município em 2012 era de 46.577 veículos.[40] O trânsito da cidade já foi considerado modelo, mas ao longo dos últimos anos, com o crescimento da frota de veículos, o município vem perdendo uma posição de destaque devido ao aumento de mortes, acidentes e infrações no trânsito. O sistema de faixa de segurança funciona bem, mas carece de melhorias na sinalização e no planejamento.[41] No Transporte público urbano, ônibus fazem linhas que atendem algumas regiões da cidade.

Transporte Aeroviário[editar | editar código-fonte]

O Aeroporto de Tangará da Serra possui pista pavimentada e estacionamento para aeronaves de pequeno e grande porte. Atualmente, o aeroporto não realiza voos comerciais e necessita de adequações.

Transporte Rodoviário[editar | editar código-fonte]

A rodovia MT-358 liga a cidade de Tangará da Serra aos municípios de Campo Novo do Parecis, Nova Olímpia, Barra do Bugres, Jangada e dá acesso à capital, Cuiabá, enquanto a MT-480 liga a cidade ao distrito de Deciolândia, no município de Diamantino.[42] A BR-364 não corta o município e apenas faz limite entre Tangará da Serra e o município de Campo Novo do Parecis. O Terminal Rodoviário de Tangará da Serra é a principal estação de transporte intermunicipal e interestadual da cidade.

Habitação, serviços e comunicação[editar | editar código-fonte]

Rua 24, ao lado do Centro Cultural.

Cerca de 65% das famílias tangaraenses residem em imóveis próprios ou quitados.[43] . O mercado imobiliário está em plena ascensão, o que beneficia a construção civil e a mantém sempre aquecida. Novos loteamentos são inaugurados frequentemente e há uma procura intensa por residências, apartamentos e salas comerciais. Grande parte do município conta com água tratada, energia elétrica, limpeza urbana, telefonia fixa, telefonia celular e internet. O fornecimento de energia elétrica é feito pela empresa Rede Cemat (Centrais Elétricas Matogrossenses), cuja sede se localiza em Cuiabá. Na Rede Bancária, a população conta com as agências do Banco da Amazônia, Banco do Brasil, Bradesco, Banco Itaú, Banco Santander, Caixa Econômica Federal, HSBC, Sicredi e Unicred. Os habitantes e turistas de Tangará da Serra também contam com diversas opções de supermercados, restaurantes, bares, lanchonetes, franquias especializadas, locadora de imóveis, opções de entretenimento e uma crescente rede de hotéis. Na região urbana, há a cobertura das operadoras de celular Claro, Oi, TIM e Vivo e também o acesso 3G. O código de área de discagem direta a distância (DDD) é 65 e o Código de Endereçamento Postal (CEP) é 78.300-000. Existem diversos jornais impressos em circulação, como o Diário da Serra, O Jornal, O Tangaraense, Guia de Negócios e o Jornal de Domingo. Também circulam jornais de outras cidades do estado. Ainda na mídia impressa, a cidade conta com as seguintes revistas: Revista Imagem, Revista Styllo Mato Grosso/ Styllo Vip e Revista Vejaki. Dentre as rádios, destacam-se a Radio Tangará AM (640 kHz), Radio Pioneira AM (560 kHz), Serra FM 104.9 MHz e Band FM 92.1 MHz, legalizadas pela ANATEL. Além dessas estações de Tangará da Serra, em alguns pontos da cidade é possível captar o áudio das rádios: Canavial FM (Denise) (96.9), Regional FM (Arenápolis) (98.1) e Difusora AM e FM (Cáceres) (820-AM / 102.3-FM). Há canais de Televisão nas faixas Very High Frequency (VHF) e em Ultra High Frequency (UHF), sendo que os principais são emissoras afiliadas de redes nacionais como a TV Centro América (Rede Globo), TV Vale (Rede Record), TV Cidade Verde (Tangará da Serra) (Band) e TV Tangará (SBT). Foi a primeira cidade do interior de Mato Grosso a receber o sinal digital em alta definição, através da TV Centro América, afiliada da Rede Globo. [44]

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Além do distrito-sede, o município encontra-se atualmente dividido em quatro distritos: Progresso, São Joaquim, Triângulo e São Jorge. A cidade também está dividida em cerca de 100 bairros, loteamentos e residenciais. Na área rural, grande parte do território do Assentamento Antônio Conselheiro, considerado o maior da América Latina, está localizada dentro da área do município.

Área urbana[editar | editar código-fonte]

A jovem cidade de Tangará da Serra foi organizada seguindo alguns critérios urbanísticos, possuindo, na maior parte de sua área urbana, traçado regular, com ruas largas e áreas verdes. O projeto arquitetônico da cidade foi criado pelo arquiteto Américo Carnevali. [45] As principais ruas e avenidas de Tangará da Serra levam nomes de pioneiros e personalidades que contribuíram para com o desenvolvimento do município, enquanto outras levam o nome de estados e cidades brasileiras, embora em algumas localidades a antiga nomenclatura por número ainda seja popular. A rotatória no cruzamento da Avenida Brasil com a Avenida Presidente Tancredo Neves possui um belo jardim e marca a divisão da cidade em quatro setores: Norte (N), Sul (S), Leste (L) e Oeste (W), representados pela sigla em inglês.

Bairros e residenciais[editar | editar código-fonte]


  • 001 - Centro
  • 002 - Cidade Universitária
  • 003 - Jardim 13 de Maio
  • 004 - Jardim Acácia
  • 005 - Jardim Acapulco
  • 006 - Jardim Aeroporto
  • 007 - Jardim Alto Alegre
  • 008 - Jardim Amélia
  • 009 - Jardim América
  • 010 - Jardim Angola
  • 011 - Jardim Atlântida
  • 012 - Jardim Balneário
  • 013 - Jardim Califórnia
  • 014 - Jardim Cristo Rei
  • 015 - Jardim Dias
  • 016 - Jardim do Amor
  • 017 - Jardim do Lago
  • 018 - Jardim do Lago II
  • 019 - Jardim do Sul
  • 020 - Jardim do Sul II'
  • 021 - Jardim dos Ipês
  • 022 - Jardim Eldorado
  • 023 - Jardim Europa
  • 024 - Jardim Itália
  • 025 - Jardim Itapirapuã
  • 026 - Jardim Maringá
  • 027 - Jardim Mirante
  • 028 - Jardim Mirante II
  • 029 - Jardim Olímpico
  • 030 - Jardim Paraíso


  • 031 - Jardim Parati
  • 032 - Jardim Paulista
  • 033 - Jardim Planalto
  • 034 - Jardim Pomares
  • 035 - Jardim Presidente
  • 036 - Jardim Primavera
  • 037 - Jardim Rio Preto
  • 038 - Jardim Rosalino
  • 039 - Jardim San Diego
  • 040 - Jardim San Diego II
  • 041 - Jardim Santa Amália
  • 042 - Jardim Santa Izabel
  • 043 - Jardim Santa Lúcia
  • 044 - Jardim Santa Luzia
  • 045 - Jardim Santa Marta
  • 046 - Jardim Santiago
  • 047 - Jardim São Cristóvão
  • 048 - Jardim São Domingos
  • 049 - Jardim São José
  • 050 - Loteamento Porto Seguro
  • 051 - Jardim São Marcos
  • 052 - Jardim Shangrilá
  • 053 - Jardim Talismã
  • 054 - Jardim Tanaka
  • 055 - Jardim Tangará
  • 056 - Jardim Tangará II
  • 057 - Jardim Tarumã
  • 058 - Jardim Uirapurú
  • 059 - Jardim Uirapurú II
  • 060 - Monte Líbano


  • 061 - Nossa Senhora Aparecida
  • 062 - Novo Tarumã
  • 063 - Parque das Mansões
  • 064 - Parque Nações Unidas
  • 065 - Residencial Alto da Boa Vista
  • 066 - Residencial Dona Júlia
  • 067 - Residencial Horizonte
  • 068 - Royal Parque
  • 069 - Cidade Alta
  • 070 - Cidade Alta II
  • 071 - Cidade Alta III
  • 072 - Cidade Alta IV
  • 073 - Vila Araputanga
  • 074 - Vila Esmeralda
  • 075 - Vila Esmeralda II
  • 076 - Vila Goiás
  • 077 - Vila Horizonte
  • 078 - Vila Londrina
  • 079 - Vila Nazaré
  • 080 - Vila Olímpica
  • 081 - Vila Portuguesa
  • 082 - Vila Real
  • 083 - Vila Santa Fé
  • 084 - Vila Santa Inês
  • 085 - Vila Santa Terezinha
  • 086 - Vila Santo Antônio
  • 087 - Vila São Pedro
  • 088 - Jardim Industriário
  • 089 - Jardim Balneário II
  • 090 - Jardim Bela Vista


  • 091 - Jardim Parati
  • 092 - Jardim Morada do Sol
  • 093 - Jardim San Rafael
  • 094 - Jardim Tarumã II
  • 095 - Jardim Vitória
  • 096 - Altos do Tarumã
  • 097 - Condomínio Godoy
  • 098 - Jardim São Paulo
  • 099 - Residencial Dona Júlia II
  • 100 - Cidade Alta V
  • 101 - Jardim Duas Pontes
  • 102 - Loteamento Vale do Sol
  • 103 - Jardim Coelho
  • 104 - Jardim San Diego II
  • 105 - Jardim Porto Seguro
  • 106 - Mané Garrincha
  • 107 - Residencial Paris
  • 108 - Parque Tarumã
  • 109 - Residencial Barcelona
  • 110 - Jardim Buritis

Principais vias públicas[editar | editar código-fonte]


  • Avenida Brasil
  • Avenida Presidente Tancredo de Almeida Neves
  • Avenida Ismael José do Nascimento
  • Avenida Lions Internacional
  • Avenida Vereador Nilo Torres
  • Avenida Mato Grosso
  • Avenida Paraná
  • Avenida Cuiabá
  • Avenida Brasília
  • Avenida Tangará
  • Avenida Ramon Sanches Marques


  • Rua Antônio Hortolani
  • Rua Júlio Martinez Benevides
  • Rua Deputado Hitler Sansão
  • Rua Celso Rosa Lima
  • Rua Sebastião Barreto
  • Rua São Paulo
  • Rua Manoel Dionísio Sobrinho
  • Rua José Corsino
  • Rua Olívio de Lima
  • Rua João do Prado Arantes




  • Rodovia MT-358
  • Rodovia MT-480

Principais logradouros públicos[editar | editar código-fonte]


  • Praça da Bíblia
  • Praça dos Pioneiros
  • Memorial dos Pioneiros
  • Bosque Municipal


  • Estádio Mané Garrincha
  • Ginásio Vicente Serafim de Almeida - Módulo Esportivo
  • Ginásio de Esportes Douglas Poyane - Vila Olímpica Rei Pelé


Cultura, Lazer e Turismo[editar | editar código-fonte]

A Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SEMEC) é a responsável pelo planejamento e organização cultural do município, visando a criação de projetos, programas e atividades que fortaleçam o desenvolvimento educacional e cultural. A cidade é palco de diversos eventos ao longo do ano. Frequentemente são realizados shows, festas, desfiles, competições, exposições, cavalgadas, bailes, feiras, dentre outros. A população também conta com casas noturnas, barzinhos e centros de eventos. Há também o Centro de Tradições Gaúchas (CTG) - "Aliança da Serra" e o Centro de Tradições Nordestinas (CTN) - "Gonzagão".


Memorial dos Pioneiros, inaugurado em 2011. A obra é uma homenagem "aos que deram os primeiros passos do desenvolvimento do município".
Memorial dos Pioneiros, inaugurado em 2011. A obra é uma homenagem "aos que deram os primeiros passos do desenvolvimento do município".
Bonecos de Neve, feitos com Garrafas PET, em 2012. A decoração natalina da cidade é bem peculiar.
Bonecos de Neve, feitos com Garrafas PET, em 2012. A decoração natalina da cidade é bem peculiar.
Parque Natural Ilto Ferreira Coutinho, mais conhecido como Bosque Municipal, localizado no Centro da cidade. O parque é a maior reserva ambiental localizada dentro da área urbana do município.
Parque Natural Ilto Ferreira Coutinho, mais conhecido como Bosque Municipal, localizado no Centro da cidade. O parque é a maior reserva ambiental localizada dentro da área urbana do município.
Rio Queima Pé, um dos afluentes do Rio Sepotuba.
Rio Queima Pé, um dos afluentes do Rio Sepotuba.

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

O município é privilegiado com muitos pontos turísticos, de beleza surpreendente, colocando os turistas em contato direto com a natureza. Dentre eles, estão: [46] :

  • Cachoeira Salto das Nuvens
  • Pousada e Pesqueiro Piracema
  • Estância Amazonas
  • Cachoeira Salto Maciel
  • Cachoeira e Aldeia do Formoso
  • Recanto Haras JJ
  • Recanto do Paraíso
  • Cachoeira Queima-Pé
  • Cachoeira da Paraíso
  • Estância Modelo
  • Estância Mato Grosso
  • Cachoeira Cortina da Onça
  • Recanto Touro Ventania
  • Balneário Biquinha
  • Pedra Solteira
  • Casa de Rondon
  • Cachoeiras do Juba

Exposerra[editar | editar código-fonte]

A Exposerra é uma grande feira agropecuária onde pequenas e grandes empresas expõem seus produtos e serviços. Durante o evento há também uma festa de peão (rodeio), além de shows de cantores e bandas famosas. O público estimado em todas as edições ultrapassa 100 mil pessoas. Já foi realizada no mês de maio, junto ao aniversário do município, e desde 2007 é realizada anualmente no mês de setembro.

Esporte[editar | editar código-fonte]

  • Associação Atlética Serra
  • Estádio: Mané Garrincha - 4.000 Pessoas[47]
  • Associação de Automobilismo
  • Associação Ciclística da Serra
  • Associação Tangaraense de Handebol
  • Liga Esportiva de Tangará da Serra
  • Associação Tangaraense de Atletismo
  • Associação Esportiva Tangaraense
  • Associação Tangaraense de Beisebol
  • Associação de Ciclismo Tangaraense
  • Associação Tangaraense de Futebol Americano
  • Associação Tangaraense de Xadrez

Feriados[editar | editar código-fonte]

Além dos Feriados Nacionais, o município reconhece outras duas datas anuais como sendo feriado decretado: o dia 13 de maio, por ser a data de aniversário do município; e 20 de novembro, o Dia da Consciência Negra, que é feriado estadual em Mato Grosso, conforme a Lei Estadual Nº 7879 de 27.12.2002. [48] De acordo com a lei federal nº 9.093 de 12 de setembro de 1995, os municípios podem ter no máximo quatro feriados municipais, já incluída a Sexta-Feira Santa.[49] [50]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Título não preenchido, favor adicionar Estimativa Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Página visitada em 23 de março de 2013.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2013). Página visitada em 11 de abril de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2012-2013 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 abr. 2013.
  6. IBGE 2013 - DOU
  7. Prefeitura. História de Tangará da Serra. Página visitada em 18 de dezembro de 2013 2012.
  8. Milton Rozeira, Tangará da Serra, Sua Terra, Sua Gente (Campo Mourão: Polvo Distribuidora de Livros, 1999), p. 34-35
  9. OLIVEIRA, C. E. Famílias e Natureza. As relações entre famílias e ambiente na colonização de Tangará da Serra - MT (Tangará da Serra: Sanches Ltda, 2004)
  10. Temperatura cai, e cerca de 120 cidades batem recorde de frio do ano.
  11. Tempo Agora - Climatologia.
  12. Perfil Demográfico de Tangará da Serra
  13. Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística - IBGE. [1]
  14. Crescimento Demográfico de Tangará da Serra
  15. Censo 2010 - Lista municípios e religiões, Exibir Registro [ Id: 5308 ] (2010). Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  16. Perfil Econômico de Tangará da Serra
  17. Cidades@ - IBGE (2012). Painel Economia 2012. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  18. Cidades@ - IBGE (2012). Pecuária 2012. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  19. Cidades@ - IBGE (2008). Lavoura Temporária 2012. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  20. Cidades@ - IBGE (2012). Painel Economia 2012. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  21. Cidades@ - IBGE (2012). Painel Economia 2012. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  22. Cidades@ - IBGE (2011). Estatísticas do Cadastro Central de Empresas 2011. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  23. Havan poderá gerar 200 empregos diretos em Tangará
  24. Só Notícias. Título não preenchido, favor adicionar. Página visitada em 18 de dezembro de 2013.
  25. de Mato Grosso]
  26. Gerais de Tangará da Serra
  27. Rádio Pioneira (22). Tangará da Serra passa a ser o quinto eleitorado de Mato Grosso (web) (em Português) 1 pp.. Página visitada em 23 de março de 2014.
  28. Saturnino Masson é o novo prefeito de Tangará da Serra
  29. Tangará da Serra é a primeira cidade a realizar eleição indireta na era pós-ditadura militar
  30. [2]
  31. Educação Especial em Tangará da Serra
  32. Alunos matriculados por nível escolar em Tangará da Serra
  33. Alunos matriculados no Ensino Superior
  34. Dados da UNEMAT - Campus de Tangará da Serra
  35. Cidades@ - IBGE (2012). Ensino, matrículas, docentes e rede escolar 2012 (em Português). Página visitada em 11 de dezembro de 2012.
  36. Pontos que abrigarão câmeras de segurança começam a ser instalados
  37. SAMAE - Água
  38. Saneamento Básico em Tangará da Serra
  39. Tangará da Serra é a primeira cidade do estado a cobrir todos os bairros com a Coleta Seletiva.
  40. Frota de Veículos em Mato Grosso - 2012
  41. Trânsito Modelo, Tangará da Serra tem excesso de mortes e acidentes
  42. Principais Rodovias de Tangará da Serra
  43. Perfil demográfico
  44. Luciana Menoli. Tangará da Serra é o primeiro município do interior de MT a receber sinal de tevê em HD (PDF) (em português) O Jornal MT. Página visitada em 08 de fevereiro de 2014.
  45. SEMEC
  46. Guia Tangará:Turismo. Página visitada em 6 de fevereiro de 2013.
  47. Cadastro Nacional de Estádios de Futebol
  48. com feriado no Dia da Consciência Negra] acesso em 08 de dezembro de 2013
  49. Sérgio Ferreira Pantaleão. Carnaval - é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual (em português) Guia Trabalhista. Página visitada em 28 de dezembro de 2013.
  50. Presidência da República. Lei Nº 9.093, de 12 de setembro de 1995. Página visitada em 28 de dezembro de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.