Hércules (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Hércules (Disney))
Ir para: navegação, pesquisa
Hercules
Hércules (PT/BR)
Pôster original
 Estados Unidos
1997 • cor • 92 min 
Direção Ron Clements
John Musker
Roteiro Ron Clements
Barry Johnson
Don McEnery
Irene Mecchi
John Musker
Bob Shaw
Elenco Tate Donovan
Danny DeVito
James Woods
Susan Egan
Bob Goldthwait
Samantha Eggar
Hal Holbrook
Amanda Plummer
Charlton Heston
Género Animação
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Hércules é um filme de animação norte-americano de 1997 da Walt Disney Pictures baseado no mito da mitologia grega de Hércules, filho de Zeus. É o trigésimo-quinto longa de animação dos estúdios Disney.

A animação foi dirigida por Ron Clements e John Musker e dublado na versão original por Tate Donovan, Danny DeVito, James Woods e Rip Torn e teve sua estreia nos cinemas dos EUA em 27 de Junho de 1997.

Hercules teve uma prequela lançada em vídeo intitulada de Hercules: Zero to Hero, que serviu como uma sequencia para a série de televisão de mesmo nome que mostra Hércules na academia de Prometheu.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Muito tempo depois de Zeus, governante dos deuses do Monte Olimpo, derrotar os Titãs e trancafiá-los nas profundezas da terra, ele e sua esposa Hera dão à luz um filho, Hércules. Todos os deuses do Monte Olimpo comemoram o nascimento de Hércules, exceto o irmão ciumento de Zeus, Hades, que foi obrigado por Zeus a trabalhar como Deus dos Mortos no Mundo Inferior, e procura derrubar seu irmão. Hades aprende a partir das Parcas que em 18 anos, o alinhamento planetário irá revelar a localização de onde os Titãs estão presos, permitindo-lhe libertá-los e tomar o Olimpo, mas somente se Hércules não interferir. Hades manda seus asseclas Agonia e Pânico para sequestrar Hércules, trazê-lo para a Terra, e matá-lo depois de lhe dar uma poção que irá transformá-lo em mortal. No entanto, devido à interrupção de um fazendeiro e sua esposa, Agonia e Pânico são incapazes de dar à Hércules a poção inteira, fazendo que, ao mesmo tempo que ele se torna mortal, ele mantenha sua força divina. Hércules é então encontrado pelo fazendeiro e sua esposa, que o levam com eles e o adotam, criando-o como seu próprio filho.

Dezesseis anos depois, Hércules cresce um desajustado social, sua força sendo vista como um incômodo para todos os moradores. Depois de ser rejeitado pela população quando ele acidentalmente destrói o mercado, Hércules se questiona de onde ele realmente pertence. Seus pais adotivos revelam como eles o descobriram com um medalhão com o símbolo dos deuses, fazendo Hércules viajar para o Templo de Zeus, onde a estátua do deus todo-poderoso ganha vida e revela sua verdadeira origem. Zeus explica que Hércules pode se tornar um deus novamente e retornar ao Olimpo, se ele pode se tornar um verdadeiro herói, então ele parte com seu velho amigo de infância Pegasus para encontrar o sátiro Filoctetes - "Phil" para os mais íntimos - um treinador de heróis. Phil se aposentou há muito tempo depois de não conseguir treinar um herói bem sucedido, um explícito exemplo sendo Aquiles, mas é convencido a treinar Hércules.

Depois de seu treinamento estar completo, Hércules parte com Phil e Pegasus para a cidade de Tebas para provar seu valor e criar uma reputação. Ao longo do caminho, Hércules salva uma mulher chamada Mégara - "Meg" para os amigos - de ser abusada intimamente pelo centauro Nessus, e sente-se atraído por ela. Porém, sem o conhecimento de Hércules, Meg está em conluio com Hades depois de vender sua alma para salvar um homem que ela amou uma vez, mas a deixou por outra mulher. Descobrindo que Hércules ainda está vivo, Hades cria uma armadilha para ele fora de Tebas, onde ele é forçado a lutar contra a Hidra. No entanto, Hércules consegue derrotar a Hidra, e é elogiado por todos de Tebas como um herói. Hércules é tratado como uma verdadeira celebridade, mas Zeus informa que ele não é um verdadeiro herói ainda. A informação disto frustra Hércules, ansioso para retornar ao Olimpo e sentindo que nada que ele realizou como herói tenha valido a pena.

Frustado pelas derrotas consecutivas por Hércules, como mandar a Medusa e o Leão de Nemeia atrás dele, Hades encarrega Meg de procurar a fraqueza de Hércules, mas ela se apaixona por ele, em vez disso. Uma noite, Phil descobre que Meg está trabalhando para Hades, embora relutantemente, e tenta avisar Hércules, mas o abandona depois de uma discussão que se segue. Percebendo que Meg é a fraqueza de Hércules, Hades usa-à como moeda de barganha para fazer um acordo com Hércules, em que ele deve desistir de seus poderes por um dia inteiro em troca da segurança de Meg, usando este tempo para libertar os Titãs e tomar o Olimpo, enquanto Hércules é desiludido pelo amor falso de Meg e perde a vontade de lutar. Um dos Titãs, o Cíclope, é enviado para Tebas para eliminar Hércules enquanto o resto prossegue para o Olimpo. Meg convence Phil para retornar à Tebas, motivando Hércules a lutar e derrotar o Ciclope através da improvisação. No entanto, Meg é mortalmente ferida ao salvar Hércules de uma coluna caindo em cima dele, quebrando o acordo de Hades de Meg não ser ferida e restaurando os poderes de Hércules, permitindo-o a voltar ao Olimpo derrotar os Titãs. Infelizmente, ele retorna tarde demais para salvar Meg, e ela sucumbe à morte, com Hades tomando-a como um 'prêmio de consolação'.

Hercules confronta Hades no Mundo Inferior e oferece sua alma em troca da de Meg. Hades aceita, mas só se Hercules puder recuperá-la no Rio Estígio, que gradualmente suga a força vital de uma pessoa com o tempo em que ela nada. No entanto, sua vontade de sacrificar sua vida por Meg classifica Hercules como um verdadeiro herói e restaura seu status como um deus imortal. Hércules com sucesso recupera a alma de Meg e golpeia Hades para o rio Estígio, onde ele é arrastado para as profundezas por almas vingativas. Hércules retorna a alma Meg para seu corpo e a traz de volta à vida, e é levado para o Olimpo onde os deuses o recebem de volta para sua antiga casa. No entanto, Hércules não é capaz de viver longe de Meg, e Zeus lhe permite permanecer na Terra como um mortal para ficar com aquela que ele ama. Zeus cria uma constelação de Hércules no céu à noite, permitindo que o mundo o saúda como um verdadeiro herói.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Dobragem/Dublagem[editar | editar código-fonte]

Dobragem/Dublagem
Personagem EUA Brasil Portugal
Hércules adulto Tate Donovan Ettore Zuim Miguel Ângelo
Hércules adolescente Josh Keaton (diálogos)
Roger Bart (canções)
Oberdan Júnior (diálogos)
Marcus Menna (canções)
Pedro Oliveira (diálogos)
Carlos Coincas (canções)
Filoctetes Danny DeVito Isaac Bardavid (diálogos)
Mauro Ramos (canções)
José Raposo (diálogos)
Hades James Woods Márcio Simões Fernando Luís
Hera Samantha Eggar Dolores Machado Luísa Salgueiro
Mégara Susan Egan Renata Lima (diálogos)
Kika Tristão (canções)
Carla de Sá
Agonia Bob Goldthwait Marco Antônio Costa Manuel Cavaco
Pânico Matt Frewer Isaac Schneider André Maia
Zeus Rip Torn Domício Costa Pedro Pinheiro
Alcmena Barbara Barrie Sônia de Moraes Informação não disponível
Anfitrião Hal Holbrook Francisco José Jorge Sousa e Costa
Cloto Amanda Plummer Selma Lopes Margarida Rosa Rodrigues
Láquesis Carole Shelley Elza Martins Luísa Salgueiro
Átropos Paddi Edwards Nelly Amaral Cucha Carvalheiro
Hermes Paul Shaffer Júlio Chaves Carlos Freixo
Calíope Lillias White Kacau Gomes Sara Tavares
Clio Vanéese Y. Thomas Kiara Sasso Sandra Fidalgo
Melpômene Cheryl Freeman Marya Bravo Ana Paula Oliveira
Terpsícore LaChanze Informação não disponível Informação não disponível
Tália Roz Ryan Rosa Marya Colin Rita Guerra
Pégaso Frank Welker Frank Welker Frank Welker
Narrador Charlton Heston Ênio Santos António Marques

Créditos da dublagem brasileira:
Estúdio: Double Sound, RJ
Direção: Mônica Rossi
Tradução: Renato Rosenberg
Direção Musical: Marcelo Coutinho
Versão musical: Renato Rosenberg
Supervisão criativa: Garcia Júnior

Créditos da dobragem portuguesa:
Estúdio: Matinha Estúdios Som S.A.
Direcção: Carlos Freixo
Tradução e adaptação de letras: Miguel Ângelo

Produção[editar | editar código-fonte]

A produção do filme ocorreu de 1994 até o inicio de 1997.

Animação[editar | editar código-fonte]

Música[editar | editar código-fonte]

Trilha/Banda sonora[editar | editar código-fonte]

Hercules: An Original Walt Disney Records Soundtrack
Trilha/Banda sonora
Lançamento Estados Unidos 27 de Maio de 1997
Gênero(s) Pop, Gospel, R&B, Soul
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD
Gravadora(s) Walt Disney

Hercules: An Original Walt Disney Records Soundtrack é a trilha/banda sonora original do filme, ela foi lançada em 27 de Maio de 1997 nos EUA e foi produzida por Alan Menken e David Zippel com músicas interpretadas por Lillias White, LaChanze, Roz Ryan, Roger Bart, Danny DeVito e Susan Egan juntamente com o single de sucesso "Go the Distance" do cantor Michael Bolton. Para a versão em espanhol, Ricky Martin reescreveu "Go the Distance" e lançou com o nome de "No Importa La Distancia" que também fez muito sucesso dentro e fora dos EUA.

"Go the Distance" foi indicado ao Oscar de melhor canção original e ao Globo de Ouro de melhor canção original, mas perdeu para o grande sucesso de Celine Dion "My Heart Will Go On" do filme Titanic.

Faixas:

  1. "Long Ago..." - Charlton Heston
  2. "The Gospel Truth/Main Title" - Lillias White, LaChanze, Roz Ryan, Cheryl Freeman, Vanéese Y. Thomas
  3. "The Gospel Truth II" - Roz Ryan
  4. "The Gospel Truth III" - Lillias White, LaChanze, Roz Ryan, Cheryl Freeman, Vanéese Y. Thomas
  5. "Go the Distance" - Roger Bart
  6. "Oh Mighty Zeus"
  7. "Go the Distance (Reprise)" - Roger Bart
  8. "One Last Hope" - Danny DeVito
  9. "Zero to Hero" - Tawatha Agee, Lillias White, LaChanze, Roz Ryan, Cheryl Freeman, Vanéese Y. Thomas
  10. "I Won't Say (I'm in Love)" - Susan Egan, Lillias White, LaChanze, Roz Ryan, Cheryl Freeman, Vanéese Y. Thomas
  11. "A Star Is Born" - Lillias White, LaChanze, Roz Ryan, Cheryl Freeman, Vanéese Y. Thomas
  12. "Go the Distance" - Michael Bolton
  13. "The Big Olive"
  14. "The Prophecy"
  15. "Destruction of the Agora"
  16. "Phil's Island"
  17. "Rodeo"
  18. "Speak of the Devil"
  19. "The Hydra Battle"
  20. "Meg's Garden"
  21. "Hercules' Villa"
  22. "All Time Chump"
  23. "Cutting the Thread"
  24. "A True Hero/A Star Is Born (End Title)" - Lillias White, LaChanze, Roz Ryan, Cheryl Freeman, Vanéese Y. Thomas

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Hércules foi lançado em circuito limitado nos EUA em 15 de Junho de 1997 e em circuito espandido em 27 de Junho do mesmo ano. No Brasil, foi lançado em 4 de Julho de 1997 e em Portugal em 28 de Novembro do mesmo ano.

Em VHS, Hércules foi lançado no Brasil pela Abril Vídeo em 10 de Março de 1998 pela coleção Walt Disney Clássicos.

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Em sua primeira semana de exibição em apenas 1 sala, Hércules arrecadou $249,567; na segunda semana o número de salas aumentou para 2 e arrecadou $852,103. Quando o filme teve o número de salas expandido para 2,621, arrecadou $21,454,451 ficando em segundo lugar na semana atras apenas de A Outra Face.

Hércules arrecadou mundialmente $252,712,101 ($99,112,101 nos EUA e $153,600,000 em outros países).[1]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Oscar 1998 (EUA)

Globo de Ouro 1998 (EUA)

  • A canção Go The Distance recebeu indicação na categoria de melhor canção original.

Prêmio LAFCA 1997 (Los Angeles Film Critics Association Awards, EUA)

  • Indicado na categoria de melhor animação.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
O Corcunda de Notre Dame
Lista de filmes da Disney
1990
Sucedido por
Mulan