Tangled

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2012).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Tangled
Entrelaçados (PT)
Enrolados (BR)
 Estados Unidos
2010 • cor • 100 min 
Direção Nathan Greno
Byron Howard
Produção Roy Conli
John Lasseter
Glen Keane
Roteiro Dan Fogelman
Baseado no conto Rapunzel dos Irmãos Grimm
Narração Zachary Levi
Elenco Mandy Moore
Zachary Levi
Donna Murphy
Género Animação
Musical
Idioma Inglês
Música Alan Menken
Glenn Slater
Edição Tim Mertens
Estúdio Walt Disney Animation Studios
Distribuição Walt Disney Pictures
Lançamento Estados Unidos24 de Novembro de 2010
Portugal16 de Dezembro de 2010
Brasil07 de Janeiro de 2011
Orçamento US$ 260 milhões[1]
Receita US$ 590.721.936[1]
Cronologia
Último
Último
Tangled Ever After
2012
Próximo
Próximo
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Tangled (br: Enrolados / pt: Entrelaçados) é um longa metragem de animação produzido pela Walt Disney Animation Studios e distribuído pela Walt Disney Pictures. O filme é a 50ª animação do estúdio, e é levemente baseado no conto de fadas alemão Rapunzel, dos Irmãos Grimm. Originalmente o filme se chamaria Rapunzel, mas teve o título mudado para Tangled pouco antes do lançamento. Estreou nos cinemas e em cinemas 3D americanos em 24 de novembro de 2010. Até o momento, é o filme de animação mais caro da história, com um orçamento de US $ 260 milhões.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Parte 1[editar | editar código-fonte]

Uma velha e malvada bruxa chamada Gothel é a única a ver uma gota de pura luz do sol atingir o solo, criando uma flor mágica, com a capacidade de curar os doentes e feridos, e ela a utiliza para manter-se jovem quando canta para a Flor. Centenas de anos mais tarde, a rainha de um reino próximo adoece enquanto esperava um filho. Os seus guardas, em busca de uma cura, encontram a flor misteriosa. Eles fazem uma poção com a flor, que cura a rainha e ela dá à luz uma menina chamada Rapunzel. Gothel descobre que cabelo dourado de Rapunzel mantém a habilidade de cura da flor, desde que não seja cortado, por isso ela sequestra a criança e a isola numa torre, criando-a como sua própria filha. Todos os anos no aniversário da Rapunzel, o reino envia milhares de lanternas voadoras no céu na esperança de que um dia a princesa perdida retorne.

Parte 2[editar | editar código-fonte]

Dezoito anos mais tarde, Rapunzel vive na torre com seu camaleão de estimação, Pascal. Rapunzel pede a Gothel para a deixá-la ver as luzes flutuantes no seu aniversário, mas Gothel nega o pedido, dizendo que o mundo está cheio de pessoas que cobiçam as suas habilidades em beneficio próprio. Enquanto isso, os ladrões liderados por Flynn Rider, roubam a coroa da princesa ausente do castelo. Flynn abandona os seus cúmplices e se depara com a torre de Rapunzel, escolhendo-a como um esconderijo. Durante a perseguição, o cavalo da guarda, Maximus, se separa dos outros e continua a busca de Flynn por conta própria. Dentro da torre, Flynn é nocauteado por Rapunzel, que o esconde.

Parte 3[editar | editar código-fonte]

Rapunzel diz a Gothel que quer uma tinta especial para seu aniversário. Gothel concorda, e depois que ela sai, Rapunzel faz um acordo com Flynn - se ele a levar para ver as luzes e traze-la de volta em segurança, ela devolve a coroa. Enquanto Rapunzel está se animando, logo entra em conflito entre sua liberdade e sua culpa da desobediência. Durante a viagem os dois visitam a Taverna Patinho Fofo / Patinho Cheio, que parece estar cheia de bandidos como Gothel alertou Rapunzel, mas todos eles têm seus próprios sonhos, assim como Rapunzel. Os guardas reais continuam a sua busca, e Gothel fica receosa em relação a Rapunzel, retorna para a torre de Rapunzel e a encontra vazia. Os frequentadores da taberna ajudam Flynn e Rapunzel a fugir dos guardas, mas eles acabaram encurralando Flynn numa represa artificial, que Maximus acidentalmente destrói. Presos numa caverna inundando, Rapunzel revela seus poderes para Flynn, e seu cabelo brilha como a flor. Isso os ajuda a escapar com segurança, então Flynn revela seu verdadeiro nome,José bezerra, e a sua razão de ser um ladrão. Enquanto Flynn (que agora é chamado por Rapunzel por seu verdadeiro nome) junta lenha, Gothel se encontra secretamente com Rapunzel. Gothel diz que ele só está com ela por causa da coroa, e diz que ela a devolva para ele como um teste.

Parte 4[editar | editar código-fonte]

Na manhã seguinte, Maximus se enfrenta com José novamente, mas faz descobre que Rapunzel é a princesa e faz amizade com ela e o cavalo viaja com o grupo ao reino real. Naquela noite, Rapunzel devolve a coroa a José, mas ele percebe, sendo iluminado pelas luzes das lanternas, que é Rapunzel que ele quer. Vendo seus cúmplices antigos, ele tenta devolver a coroa a eles, mas a dupla está trabalhando agora com Gothel. Eles fazem parecer que José está a engana-los de novo fazendo com que os guardas lhe prendessem , e Gothel, traindo os ladrões, "resgata" Rapunzel e a leva de volta para a torre. José, condenado a ser enforcado por seus crimes, descobre a traição da capangas capturados. O pessoal da taberna resgata José e ele vai ao encontro de Rapunzel na torre.

Final[editar | editar código-fonte]

Enquanto isso, Rapunzel descobre que ela é a princesa há muito tempo perdida, e ela confronta Gothel com a revelação. José sobe a torre, mas ao entrar, ele vê Rapunzel acorrentada e amordaçada e é esfaqueado por Gothel. Gothel puxa Rapunzel pela corrente até a escada pretendendo tira-la da torre mais Rapunzel vai mais forte. Rapunzel promete permanecer com Gothel sempre se ela deixá-la curá-lo. Gothel concorda, mas antes de Rapunzel curá-lo, José diz que preferia morrer do que tê-la presa para sempre e corta os longos cabelos de Rapunzel, destruindo seu poder de cura. A verdadeira idade de Gothel começa a voltar, e, entre gritos de horror, ela tropeça no cabelo de Rapunzel e cai pela janela da torre, transfomando-se em poeira antes de chegar ao chão. José revela seu amor por Rapunzel, e morre. Inconsolável, ela tenta cantar o encantamento, mas o poder do seu cabelo se foi. De repente, uma lágrima cai no rosto de José e Rapunzel percebe que seu poder estava o tempo todo no seu sangue (que só podia se manifestar por seus cabelos ou por suas lágrimas) e então sua lágrima o cura milagrosamente. Eles retornam ao castelo, onde se juntam a família real. Acontece uma grande celebração em homenagem ao retorno de Rapunzel. Rapunzel e José se casam, vivem felizes para sempre e todos realizam suas aspirações individuais.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco (vozes)[editar | editar código-fonte]

Personagem Voz Original Brasil Portugal
Rapunzel Mandy Moore (adulta)
Delaney Rose Stein (criança)
Sylvia Salustti (adulta)
Fernanda Ribeiro (criança)
Bárbara Lourenço (diálogos)
Anabela Pires (canções)
Flynn Rider
Eugene Fitzherbert
Zachary Levi Luciano Huck (diálogos)
Raphael Rossato (canções)
Pedro Caeiro (diálogos)
Henrique Feist (canções)
Gothel Donna Murphy Gottsha Rita Alagão (diálogos)
Helena Montez (canções)
Gancho Brad Garrett Mauro Ramos  ?
Irmãos Stabbington Ron Perlman Claudio Albuquerque Alexandre Ferreira (diálogos)
José Nobre (canções)
Cap. Da Guarda M. C. Gainey Carlos Gesteira Rui Paulo

Produção[editar | editar código-fonte]

Datas e Equipe[editar | editar código-fonte]

Segundo o Jornal Los Angeles Times, o filme ficou seis anos em produção e custou mais de US $ 260 milhões. O Filme havia sido anunciado inicialmente para 2007, mas com a desistência dos diretores o projeto foi atrasado. Os diretores Dean Wellins e Glen Keane foram substituídos por Byron Howard e Nathan Greno.[3]

Mudança de Título[editar | editar código-fonte]

Quando se iniciou a produção, o filme recebeu o título alternativo de "Unbraided Rapunzel" (Rapunzel sem tranças), que foi depois alterado para Rapunzel.

Seu antecessor, A Princesa e o Sapo, foi muito aclamado pela crítica, mas não obteve o rendimento esperado, tendo alcançando apenas $ 270.000.000 no mundo todo. A Disney manifestou a hipótese de que a ênfase em princesas poderia dissuadir os meninos de assistirem a um filme, por este motivo, a produtora decidiu mudar o título da animação de Rapunzel para Tangled, e deu mais destaque ao protagonista Flynn Rider [4] .

Esta decisão da Disney foi muito criticada e a mudança foi acusada de só levar em consideração os lucros. Os diretores se defenderam alegando que a mudança do título se deu por Rapunzel não ser a única protagonista, de maneira que era necessário um título que representasse o que o filme é de fato: um duo entre Rapunzel e Flynn Rider.[5]

Animação[editar | editar código-fonte]

O filme foi produzido em CGI com visual inspirado em pinturas a óleo sobre tela. Um dos principais objetivos dos animadores foi a de criar movimentos que imitassem a fluidez suave dos desenhos feitos a mão encontrados em filmes mais antigos de animação da Disney. A animação em CGI representou algumas dificuldades, especialmente o cabelo, pois não havia tecnologia suficiente para fazer o efeito desejado. No fim de janeiro de 2010, os diretores ainda não tinham certeza se o cabelo de Rapunzel estava ficando bom. Os problemas foram finalmente resolvidos em Março. Uma versão melhorada de um programa de simulação de cabelo chamado Dynamic Wires, originalmente desenvolvido para o filme Bolt foi usado, além de outras técnicas que tiveram de ser inventadas para tornar tudo possível. Para fazer o cabelo em flutuar de baixo da água, entre outras coisas, foi utilizada a geometria diferencial discreta.[6]

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Tangled Original Soundtrack
Tangled Disney Sondtrack.jpg
Trilha sonora de Alan Menken
Lançamento Estados Unidos16 de Novembro de 2010
Gravação 2010
Gênero(s) Trilha Sonora
Idioma(s) Inglês
Formato(s) CD
Gravadora(s) Walt Disney Records
Produção Alan Menken, Glenn Slater
Cronologia de Cronologia de Walt Disney Animation Studios
Último
Último
The Princess and the Frog: Original Songs and Score
(2009)
Winnie the Pooh
(2011)
Próximo
Próximo


A Trilha Sonora foi composta por Alan Menken, com letras escritas por Glenn Slater. Menken disse que tentou mistura de música medieval com o folk rock dos anos 60 para as novas composições.

# Música Interpretado por
1 When Will My Life Begin Mandy Moore
2 When Will My Life Begin (Reprise 1) Mandy Moore
3 Mother Knows Best Donna Murphy
4 When Will My Life Begin (Reprise 2) Mandy Moore
5 I've Got a Dream Brad Garrett, Jeffrey Tambor, Mandy Moore, Zachary Levi, Company
6 Mother Knows Best (Reprise) Donna Murphy
7 I See the Light Mandy Moore, Zachary Levi
8 Healing Incantation Mandy Moore
9 Flynn Wanted Alan Menken
10 Prologue Donna Murphy
11 Horse with No Rider Alan Menken
12 Escape Route Alan Menken
13 Campfire Alan Menken
14 Kingdom Dance Alan Menken
15 Waiting for the Lights Alan Menken
16 Return to Mother Alan Menken
17 Realization and Escape Alan Menken
18 The Tear Heals Mandy Moore
19 Kingdom Celebration Alan Menken
20 Something That I Want Grace Potter

Diversas canções foram escritas, mas acabaram cortadas do filme final, " When Will My Life Begin" substituiu uma versão anterior chamada " What More Could I Ever Need?". Allan Menken contou que o número de abertura passou por cinco ou seis versões diferentes.[7]

Segundo Allan Menken, havia originalmente uma canção de amor chamada "You Are My Forever" que Gothel cantava para Rapunzel de forma maternal, mas foi reprisado no final do filme por Flynn de uma forma romântica, mas esta ideia foi substituída pelas músicas "Mother Knows Best" e "Healing Incantation".[8]

Edição Brasileira[editar | editar código-fonte]

Enrolados Trilha Sonora Original [9]
Trilha sonora de Alan Menken
Lançamento Brasil Dezembro de 2010
Gravação 2010
Gênero(s) Trilha Sonora
Idioma(s) Português, Inglês
Formato(s) CD
Gravadora(s) Walt Disney Records
Diretor(es) Garcia Jr.
Produção Alan Menken, Glenn Slater


# Música Interpretado por
1 Quando a Minha Vida Vai Começar? (When Will My Life Begin) Sylvia Salustti
2 Quando a Minha Vida Vai Começar? (When Will My Life Begin) - Reprise 1 Sylvia Salustti
3 Sua Mãe Sabe Mais (Mother Knows Best) Gottsha
4 Um Sonho Eu Tenho (I´ve Got a Dream) Mauro Ramos, Renato Rabello, Raphael Rossato, Sylvia Salustti
5 Vejo Enfim a Luz Brilhar (I See the Light) Sylvia Salustti, Raphael Rossato
6 Encanto da Cura (Healing Incantation) Sylvia Salustti
7 When Will My Life Begin Mandy Moore
8 Mother Knows Best Donna Murphy
9 When Will My Life Begin (Reprise 2) Mandy Moore
10 I've Got a Dream Brad Garrett, Jeffrey Tambor, Mandy Moore, Zachary Levi, Company
11 Mother Knows Best (Reprise) Donna Murphy
12 I See the Light Mandy Moore, Zachary Levi
13 Healing Incantation Mandy Moore
14 Something That I Want Grace Potter

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Tangled recebeu críticas positivas. Análise agregada Rotten Tomatoes relata que 90% dos críticos deram ao filme uma crítica positiva com base em 154 avaliações, com uma pontuação média de 8.1/10. Entre os críticos populares dos principais jornais, sites, programas de rádio e televisão, o filme tem uma taxa de aprovação geral de 93%, com base em uma amostra de 28 comentários. Segundo o site: "Embora esteja longe de ser o melhor filme da Disney, Tangled é de um visual deslumbrante, além de entretenimento devido para um clássico de animação cânone do estúdio".[10] A maioria das críticas elogiaram a animação, especificamente a sequência das lanternas (I See the Light), alguns a comparam com a cena do baile em A Bela e a Fera.

Segundo Quentin Tarantino, Tangled é um dos seus cinco filmes favoritos de 2010.[11]

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

O filme foi indicado a nove prêmios. O Hollywood Foreign Press Association nomeou Tangled para dois Globos de Ouro, prêmios de "Melhor longa-metragem animado" e "Melhor Canção Original" por "I See the Light". O filme também recebeu duas indicações ao Broadcast Film Critics Association nas mesmas categorias, bem como indicações para dois Annie Awards, para Melhor Animação Longa-Metragem e para Melhor Adaptação. "Tangled", também foi nomeada a dois Phoenix Film Critics Society Awards, Melhor Animação e Melhor Canção Original por "I've Got A Dream". Por fim, o filme foi ainda indicado ao Oscar, na categoria de Melhor Canção Original por "I See the Light".

Apesar do filme ter sido muito elogiado pelas músicas presentes, a Disney não quis inscrever o filme para concorrer ao Oscar de Melhor Trilha Sonora, preferindo voltar seus esforços para a categoria de Melhor Canção Original. O mesmo aconteceu com o filme Toy Story 3.[12]

Referências

  1. a b Tangled (2010) Box Office Mojo. Página visitada em 9 de Março 2011.
  2. Disney Animation is closing the book on fairy tales.
  3. AintitCool. Glen Keane leaving Disney's RAPUNZEL. Who's stepping up? (em Inglês). Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  4. Los Angeles Times. Disney restyles 'Rapunzel' to appeal to boys. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  5. InsideMovies. How did Rapunzel become 'Tangled'? Directors Nathan Greno and Byron Howard set the record straight Adam Markovitz. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  6. Patricia Cohen. Perfecting Animation, via Science (em Inglês) The New York Times. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  7. Pat Cerasaro. Alan Menken Talks TANGLED, SISTER ACT, LEAP OF FAITH, HUNCHBACK, ALADDIN & More (em Inglês) BroadWayworld. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  8. Tangled (ex-Rapunzel) Animatedviews.
  9. Tangled (em Inglês) Videolar. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  10. Rottentomatoes.. Tangled (2010): Walt Disney. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  11. Tarantino. Quentin’s Favorite Movies of 2010. Página visitada em 9 de outubro de 2012.
  12. Todas as notícias e matérias especiais AdoroCinema. Página visitada em 9 de outubro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]