Disney Channel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde dezembro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Disney Channel
Walt Disney Channel for the World
Disney Channel.png
Tipo Canal de TV por Assinatura
País  Estados Unidos
Fundação 18 de Abril de 1983 (30 anos)
Pertence a Disney-ABC Television Group
(subsidiária da The Walt Disney Company)
Proprietário Família Disney
Cidade de origem Flag of California.svg Burbank, California
Sede Flag of California.svg Burbank, California
Slogan Você Nunca Viu a Disney Assim
Formato de vídeo 480i (SDTV)
1080p (HDTV)
Página oficial www.disneychannel.com
Disponibilidade por satélite
DirecTV
Canal 290 (frequência ao leste)
Canal 291 (frequência ao oeste)
DISH Network
Canal 172 (frequência ao leste)
Canal 173 (frequência ao oeste)
CTBC
Canal 319 (SD)
Canal 919 (HD)
Disponibilidade por cabo
Disponível em várias operadoras de cabo
Veja a listagem local específica para canais
Edifício empresarial do Disney Channel em Burbank.

Disney Channel é um canal de televisão estadunidense especializado em programação infantil, através de suas séries originais e filmes. É introduzido no mercado com a maior finalidade de atrair o público infantil; entretanto, a diversidade dos telespectadores tem diminuído nos últimos anos com uma audiência antiga. Disponível em operadoras de cabo ou satélite, o Disney Channel é parte da Disney-ABC Cable Networks Group, uma divisão da Walt Disney. A sede se localiza em Burbank, California, nos Estados Unidos, tendo uma pequena distância das matrizes da Disney. O Disney Channel começou a exibir as atrações em alta-definição no dia 2 de abril de 2008. A versão do canal em alta-definição é transmitido por muitas operadoras de cabo, assim como a DirecTV e a DISH Network.

História[editar | editar código-fonte]

Anos 1980[editar | editar código-fonte]

A primeira transmissão do Disney Channel foi em 18 de Abril de 1983. Neste tempo, o Disney Channel foi um canal de televisão premiado e somente transmitido dezoito horas por dia. O programa que deu início ao primeiro dia do canal no ar foi um dos episódios de "Mickey Mouse Club" nos anos 1950. As primeiras produções do Disney Channel Series (séries do Disney Channel) exibidas na rede incluíram "Good Morning, Mickey!", "Donald Duck Presents", "Contraption", "Dumbo's Circus", "You and Me Kid", "EPCOT Magazine" e "Welcome to Pooh Corner". O último programa durante a grade original foi"The Adventures of Ozzie and Harriet"; criando o conceito de "Disney Channel Original Series". O Disney Channel recebeu uma citação especial de Ronald Reagan, presidente dos Estados Unidos em 1984. Desde o início, o Disney Channel ia ao ar apenas das 07h00min às 01h00min. Em dezembro de 1986, o Disney Channel entrou no ar durante 24 horas. Durante os primeiros anos, o Disney Channel transmitiu várias atrações estrangeiras, incluindo filmes e séries animadas como "Asterix", "The Raccoons" e "Paddington Bear". O western australiano, "Five Mile Creek", foram exibidos neste período.

Durante os anos 1980, o canal estreou alguns programas que mais tarde se tornaram clássicos e fizeram parte do léxico cultural do gênero. Durante os primeiros anos, em 1984, o sitcom musicalmente orientado "Kids Incorporated" tornou-se um sucesso, que era sobre uma guanue formada por aimgos pré-adolescentes — que mais tarde jovens adultos — que formaram um grupo de música pop, misturando suas situações cotidianas com uma variedade com músicas e vídeos, resultando em um estilo de espectáculos. Durante seus nove anos de duração, a série dá maior inclusão artística, gerando muitas futuras "estrelas", ambos na carreira musical e cinematográfica, sendo entre estes, a mais notável Martika que trabalhou com o nome de Marta Marrero nos programas da primeira temporada. A antiga série também influenciou a participação eventual de Scott Wolf , Jennifer Love Hewitt (como Love Hewitt) e Fergie (como Stacy Ferguson) na série "Party of Five".

No começo de 1989, o Disney Channel passa pelo seu inicio de seu "reinado" na tevê, com "The All-New Mickey Mouse Club", no qual foi um imediato sucesso providenciando a básica variedade da Disney, com uma "fórmula" de programas que ainda estavam presentes em suas obras, diferente da curta renovação no canal nos anos 1970. A versão mais recente continha muitos dos elementos clássicos, de "theme days" (antigo, que significa "temas diários") para "mouseketeer jackets", mas o roteiro e os segmentos musicais foram quadris e atuis. As primeiras temporadas de The Mickey Mouse Club, também conhecida pela sigla "MMC" que se tornou o título oficial na sétima temporada, havia uma oferta exclusiva de números musicais de sucessos recentes, juntamente com o material original. O programa se tornou um elemento de fixação no final da tarde da grade de programação do canal. As principais características do roteiro incluiu a continuação do "show-within-a-show" (show-dentro-de-um-show) "Emerald Cove". Mais tarde, mais integrado em comédia, pequenas peças humorísticas são trabalhadas. O programa se tornou um elemento fixo na grade de programação, ao lado de "Kids Incorporated" na grade. O "MMC" contribuiu para a inclusão nas carreitas de alguns artistas, que se tornaram grandes estrelas do que antes eram; Britney Spears, Christina Aguilera, Ryan Gosling e Justin Timberlake são apenas alguns dos muitos artistas nos quais o canal da Disney contribuiu para seu lançamento e consolidação na mídia.

Anos 1990[editar | editar código-fonte]

Em de 1995, o Disney Channel era visto em mais de oito millhões de casas pelos os Estados Unidos. [1]

Em 1997, o Disney Channel com planos renovados, insere a palavra "The" ("O", em português) no nome do canal, antes do já chamado "Disney Channel" — no entanto, as divulgações muitas vezes se referiam ao canal chamando-o simplesmente "Disney", e muitas vezes omitindo a palavra "Channel", que também era o nome da rede —, e a rede também passa a se dividir em três blocos programação: "Playhouse Disney", composto de atrações que visam atrair crianças em idade pré-escolar; "Vault Disney", apresentando materiais clássicos da Disney como "Zorro", "The Mickey Mouse Club", a antologia de séries televisivas da Disney, programas especiais de televisão antigos, como o "The Love Bug"; e um dos mais distintos programas, sendo apresentando a partir da tarde até à noite, "o Zoog Disney". O novo logotipo do canal — que incluiu uma "era Mickey Mouse" dos anos 1930 sobre um fundo preto em forma de orelha do personagem Mickey — foi introduzido nesses anos. A rede passa a deixar de exibir os intervalos comerciais na programação, mas com divulgações sobre a programação no canal.

Dos três blocos introduzidos em 1997, apenas o "Playhouse Disney" continuou a ser exibido. Como parte da campanha do ano de 2002, em que a rede estava exibindo, o nome da marca "Zoog" foi deixado, e "Vault Disney" também, principalmente para contribuir a construir a nova imagem da rede.

O período Zoog Disney (1998-2002)[editar | editar código-fonte]

Embora o Disney Channel foi movido do status de canal premiado para básico em janeiro de 1996, a maior parte dos designs dos elementos foram mudados três anos depois. Em 1998, o "Zoog Disney" foi introduzido no Disney Channel, o que significa que a rede exibiria fixamente durante a sua programação dois logotipos, o "Mickey Mouse Screen" ("Tela do Mickey Mouse") introduzido em 1997, e o logotipo do "Zoog Disney" — que utilizou o design do "Mickey Mouse Screen" com uma espiral no interior da tela e a palavra "ZOOG" em amarelo digitada poleiradamente sob o par de orelhas do Mickey — em 1998. Os dois logótipos co-existiram de 1998 até 2002, quando "Zoog Disney" foi removido da programação do canal, e então o Disney Channel introduz seu novo logótipo.

A Disney também foi pré-destinada aos jovens e adolescentes até aos 15 anos de idade, e o bloco composto com antropomórficos personagens chamados de "zoogs", que pareceram robôs, sendo estes expressados por vozes humanas. O "Zoog Disney" usou seu website para conectar os telespectadores aos programas de seu bloco, disponibilizando jogos interativos infantis, bate-papo com número de integrantes limitado, e a possibilidade de os comentários ou nomes enviados serem exibidos na tela do canal. Os programas neste bloco incluíram "Even Stevens", "Lizzie McGuire", "Smart Guy", "The Famous Jett Jackson" e "So Weird". Desde 2000, o Disney Channel apresentou uma mudança visível no relacionamento entre o canal e o telespectador, posicionando-se como um canal para pré-adolescentes, em oposição a sua destinação indicada, que é para pessoas de todas as idades.

Também em torno deste tempo, o canal começou a apresentar os especiais músicais "In Concert", que apresentou artistas de música pop, como 'N Sync, Backstreet Boys, Steps, Britney Spears e B*Witched.

De 2000 à 2003, o canal aumenta sua classificação etária com atrações como "Even Stevens", "Maggie e a besta feroz","Putz!A Coisa tá feia(A Série)",(a disney apenas exibiu,mas não produziu), "That's So Raven", "Kim Possible", "Lizzie McGuire" e outros. "Lizzie McGuire" trouxe uma elevada taxa de audiência para o canal. Reexibições de "Lizzie McGuire" continuaram a ser exibidas, incluindo outras séries do Disney Channel em si. Isto levou à extinção do bloco de programação "Vault Disney" e de todos os outros clássicos na programação do canal em setembro de 2002.

Para complementar a mudança, o canal altera seu logótipo em outubro de 2002, logótipo este que foi elaborado também para comemorar os seus vinte anos. A identidade de "Zoog Disney" foi também fundido com o canal. Dentre algumas funções do site, elas se baseiam em conteúdos com jogos, enquetes e outras características especiais que foram encontradas no antigo site do "Zoog Disney", resultando em uma fusão entre o domínio do "Zoog Disney" e o endereço disneychannel.com, em 2002.

Período após o Zoog Disney (2002-2007)[editar | editar código-fonte]

O canal nesse período deixa produzir séries de drama e realidade, dando mais enfase para séries de comédia animadas e de ação. Também nesse período, normalmente, o canal estreava geralmente a cada cerca de dois ou três anos três séries novas próprias, normalmente duas eram séries animadas e uma série era em live-action.

Em 2005, é produzida a primeira chamada "série original do Disney Channel", a série "That's So Raven".

2007-2010[editar | editar código-fonte]

Após a estréia da série "Hannah Montana" em 2006, que a principal estrela era a então iniciante Miley Cyrus, o canal divulga novos outros artistas, como Ashley Tisdale e Vanessa Hudgens.

Em 2008, a revista empresarial Condé Nast Portfolio informa que o canal era sintonizado por um milhão de espectadores por mês durante os últimos cinco anos. [2]

Nessa nova fase vieram grandes sucessos em formatos de séries de TV, que substituíram a saga musical High School Musical. As séries Hannah Montana, Os Feiticeiros de Waverly Place as únicas séries que ganharam vários prémios, Cory na casa branca, Zack e Cody:gemeos em ação, Sunny Entre Estrelas e Jonas L.A. além de sucesso garantido renderam a Disney a divulgação de artistas como Miley Cyrus, Selena Gomez, Demi Lovato e o grupo Jonas Brothers.

2010-2014-atualmente[editar | editar código-fonte]

Sem as grandes estrelas e com as séries de sucesso finalizadas, a Disney Channel tenta apostar em novas séries para conquistar o público que deixou o canal junto com as outras séries, daí vieram Boa Sorte, Charlie!, Shake It Up (série) , Jessie (série de televisão), A.N.T. Farm,Austin & Ally , Stan, o Cão Blogueiro, Phineas e Ferb , Violetta, Liv and Maddie, I Didn't Do It e Jake and Blake mantiveram o sucesso da fase anterior do canal. O atual carro chefe do canal é a série Phineas e Ferb que conquistou também o público adulto.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. J. Alison Bryant. "The Children's Television Community". Lawrence Erlbaum, pág. 149. ISBN 0-805-84996-3.
  2. "How Mickey Got His Groove Back". Condé Nast Portfolio. Visto em 19-01-09.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]