Pólipo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anêmona ao fundo e dois peixes palhaço.

Os pólipos são os indivíduos, geralmente sésseis, dos animais invertebrados do filo Coelenterata ou Cnidaria, que inclui os corais e as anêmonas-do-mar[1] .

Esta forma pode ocorrer no estágio larval, por exemplo, nas medusas, mas também pode corresponder aos indivíduos adultos, como nos tipos referidos acima.

Todos os pólipos possuem células urticantes em seus tentáculos, usadas para imobilizar pequenas presas, têm uma constituição simples, com apenas um abertura, ou boca, e apenas duas camadas de células constituindo a parede de seus corpos.

Coral

Nos corais, cada pólipo constrói uma estrutura calcária onde se aloja e vive em conjunto com uma alga que se chama zooxantela. Esta alga simbiótica é responsável pelas cores que observamos nos corais como verde, amarelo, azul, lilás, castanho e outras.

Quando os pólipos morrem, novos pólipos crescem por cima dos esqueletos de calcário que ficam. Assim, quando vemos um recife de coral, apenas a fina camada superficial é que é constituída por pólipos vivos.

Alguns pólipos chegam a medir 20 cm de diâmetro, tal como o coral cogumelo, e a viver independentemente. No entanto, a maior parte dos pólipos são muito pequenos (menos de um cm de diâmetro) e constituem colónias de muitos pólipos juntos tal como a Acropora ramificada. Um kg de coral pode ter mais de 80.000 pólipos.

Referências