STS-7

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
STS-7
Insígnia da missão
Estatísticas da missão
Espaçonave Challenger
Lançamento 18 de Junho de 1983
7:33:00 a.m. EDT
39-A
Aterrissagem 24 de Junho de 1983
6:56:59 a.m. PDT
-
Órbitas 97
Duração 6 dias, 2 horas, 23 minutos, 59 segundos
Altitude orbital de 160 a 170 milhas náuticas (296 a 315 km)
Inclinação orbital 28.5 graus
Distância percorrida 2 530 567 milhas (4 072 553 km)
Imagem da tripulação
E-D: Ride, Fabian, Crippen, Thagard, Hauck
E-D: Ride, Fabian, Crippen, Thagard, Hauck
Navegação
Último
Último
STS-6 STS-6
STS-8 STS-8 patch.png
Próximo
Próximo

A STS-7 foi uma missão do ônibus espacial Challenger, lançada em 18 de Junho de 1983, a sétima missão com um ônibus espacial e a segunda missão da nave Challenger. Ficou mais conhecida por levar a primeira mulher dos Estados Unidos ao espaço.[1]

Tripulação[editar | editar código-fonte]

Parâmetros da missão[editar | editar código-fonte]

Principais fatos[editar | editar código-fonte]

O segundo vôo da Challenger começou às 7:33 a.m. EST de 18 de Junho de 1983, com uma decolagem no horário planejado. Também foi o primeiro vôo de uma mulher norte-americana no espaço, Sally Ride, e também possuía a maior tripulação em uma única nave espacial até aquela época, com cinco pessoas.

O grupo incluia Robert Crippen como comandante, realizando seu segundo vôo em um ônibus espacial; Frederick Hauck como piloto; Sally Ride, John Fabian e Norman Thagard, todos como especialistas da missão. Thagard conduziu testes médicos de náusea e mal-estar de Síndrome de adaptação ao espaço, frequentemente sentida pelos astronautas durante as fase mais recente de um vôo espacial.

Dois satélites de comunicações, Anik C2 da Telesat do Canadá, e o Palapa B1 para a Indonésia, foram lançados com sucesso durante os dois primeiros dias da missão. A missão também carregou o satélite (SPAS-l) construído por Messerschmitt-Bolkow-Blohm, uma firma aeroespacial da Alemanha Ocidental.

SPAS-l era único pelo fato de ele ter sido desenvolvido para operar no compartimento de carga ou ser liberado pelo braço robótico RMS como um satélite de vôo livre. Ele carregava 10 experimentos sobre a formação de ligas metálicas em microgravidade, a operação de aquecedores, instrumentos para observações remotas, e um grande espectômetro para identificar vários gases no compartimento de carga. Ele foi lançado pelo braço robótico e voou ao lado da Challenger por algumas horas enquanto uma câmera no SPAS-1 tirava fotos das manobras do ônibus espacial. O RMS posteriormente agarrou o satélite e o retornou ao compartimento de carga.

A missão também carregava seis carregamentos que continham uma grande variedade de experimentos, assim como a carga OSTA-2, um carga científica da cooperação Estados Unidos-Alemanha Ocidental. Finalmente, a antena Ku-band do veículo foi capaz de transmitir informação do Tracking and Data Relay Satellite para o controle em terra pela primeira vez.

A STS-7 estava programada para fazer a primeira aterrissagem de um ônibus espacial na pista do Centro Espacial Kennedy. Entretanto, o mal tempo forçou uma mudança para a Pista 23 da Base Aérea de Edwards, da Força Aérea dos EUA. A aterrissagem ocorreu em 24 de Junho de 1983, às 6:57 a.m. PDT. A missão durou 6 dias, 2 horas, 23 minutos, 59 segundos. Ela percorreu 4 072 553 km durante suas 97 órbitas na Terra. A Challenger retornou ao KSC em 29 de Junho.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. NASA. NASA STS-7 (em inglês). Página visitada em 9 de maio de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre STS-7
Precedido por
STS-6
Programa de Ônibus espaciais
Sucedido por
STS-8