Breslávia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Wrocław)
Ir para: navegação, pesquisa
Breslávia
Breslau
Praça central
Praça central
Bandeira de Breslávia
Bandeira
Brasão de armas de Breslávia
Brasão de armas
apelido/alcunha(s) WrocLove
lema Breslávia, o ponto de encontro.
Breslávia está localizado em: Polônia
Breslávia
Posição de Bresláviana Polônia
51° 07' N 17° 02' E
País Polónia
Região Baixa Silésia
Área
 - Total 292,82 km²
Altitude 111 m (364 pés)
População (2010)
 - Total 632,996
    • Densidade 2,2/km2 
Fuso horário CET (UTC+1)
 - Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal 50-041 - 54-612
Código de área +48 71
Sítio www.wroclaw.pl

Breslávia ou Vratislávia[1] (em polaco Loudspeaker.svg? Wrocław; em alemão Breslau) é uma cidade da Baixa Silésia, na Polônia. Tem cerca de 640 000 habitantes, o que a torna a quarta mais populosa cidade da Polônia. Localiza–se nas margens do rio Oder (em polaco Odra), a cerca de 350 km ao sudoeste de Varsóvia.

Breslávia é a capital informal da região histórica da Silésia. Breslávia é também a capital do voivodato da Baixa Silésia e sede de muitas indústrias e instituições de ensino superior, como da Universidade de Breslávia (Uniwersytet Wrocławski), Politécnica de Breslávia (Politechnika Wrocławska), Universidade de Economia (Uniwersytet Ekonomiczny), Academia de Medicina (Akademia Medyczna), Academia de Belas Artes (Akademia Sztuk Pięknych) e da Academia de Educação Física (Akademia Wychowania Fizycznego), possuindo, também, um teatro e uma ópera.

Breslávia foi uma das subsedes do Campeonato Europeu de Futebol de 2012[2] e será a Capital Europeia da Cultura em 2016 ao lado de San Sebastián[3] . Também será sede dos Jogos Mundiais de 2017, o evento que corresponde às Olimpíadas para aqueles esportes/e ou provas que não estão no programa olímpico.[4]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome da cidade foi mencionado pela primeira vez no ano 1000 pela Crônica de Tietmar (em latim, Thietmari Merseburgensis episcopi Chronicon) como Wrotizlawa (conforme descrito pelo Congresso de Gniezno). A junta municipal estabeleceu, pela primeira vez, Sigillum civitatis Wratislavie. Um nome simplificado deu-se em 1175 como Wrezlaw, Prezla ou Breslaw.

A ortografia checa utilizou-se em documentos em latim, como Wratislavia ou Vratislavia. Neste momento, Prezla foi utilizado no alto-alemão médio, que se converteu em Preßlau. Em meados do século XIV, no alto-alemão, a forma Breslau começou a substituir as suas versões anteriores.

Tradicionalmente, imaginava-se que o nome da cidade provinha de Wrocisław (pronunciado vrotsísuav) ou Vratislav, que se imagina que provenha do duque Vratislaus I da Bohemia. Também é possível que tenha sido denominado em homenagem ao duque tribal da Silésia, ou de um antigo governante da cidade chamado Vratislav.

O nome da cidade em outros idiomas estrangeiros é o seguinte: em alemão: Breslau, em húngaro: Boroszló, em latim: Vratislavia ou Budorgis,[5] hebreu, ורוצלב (Vrotsláv); em iídiche: ברעסלוי / Brasloi, em checo: Vratislav, em eslovaco: Vratislav ou Vroclav, em bielorrusso: Уроцлаў (Urocłaŭ), e em alemão silésio, Brassel.

História[editar | editar código-fonte]

A cidade foi fundada no século X e, no ano 1000, foi fundado também o episcopado de Breslávia.

A região da Silésia e a cidade pertenceram à Polónia (990 ao século XIV), ao Reino da Boêmia (hoje República Checa), à Áustria (1526 a 1741), à Prússia (em 1871, o rei da Prússia fundou o Império Alemão. Desde 1945, Wrocław é uma cidade polaca.

No final do século XVII, os dados de nascimento e morte da cidade serviram de base para o cientista Edmond Halley elaborar um estudo que apresentou a primeira tábua de vida elaborada cientificamente.

Da Revolução Industrial à Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Breslávia no século XVII
A cidade vista do leste, tomada entre 1890 e 1900
Wrocław 1945

Na primeira metade do século XIX, iniciou-se um importante desenvolvimento industrial e econômico, que tornou a cidade uma das maiores e mais importantes da Alemanha. Sua população, que era de pouco mais de 90 000 habitantes, saltou para mais de 500 000 habitantes. Esse grande aumento populacionais deu-se graças ao comércio, energia e matérias-primas da Alta Silésia, e também pelo trabalho exercido pelos cidadãos alemães e poloneses.

Após a Primeira Guerra Mundial, Breslávia foi afetada pela obrigação imposta à Alemanha pelos vencedores de ceder a parte com mais recursos de toda a alta Silésia à recém-restituída Polônia. A recuperação, por parte da Polônia, dos territórios da Silésia, provocou consideráveis tensões entre a Alemanha e a Polônia no período compreendido entre as Grandes Guerras. Nas eleições de 5 de março de 1933, o Partido Nazista conquistou 51,7 por cento dos votos da cidade, uma das áreas de maior apoio eleitoral de Hitler.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Breslávia foi inicialmente removida das frentes de guerra e fora do alcance da anglo-americana de bombardeio, o que levou à transferência da população de outras regiões da Alemanha e ao estabelecimento de uma grande indústria bélica. No entanto, o avanço das tropas russas, na última ofensiva soviética, no inverno de 1945, ocupando todo o leste da Alemanha e da Silésia, levou ao cerco da cidade, que tinha sido declarada por Hitler como uma fortaleza e local de defesa de grande importância. Esta decisão levou a um cerco feroz da cidade, que provocou muitas baixas no Exército Vermelho e muitas vítimas entre os habitantes da cidade, a qual foi destruída. Porém o pior veio depois, quando, depois da capitulação da guarnição em 6 de maio de 1945, o Exército Vermelho entrou na cidade e incendiou as ruínas no dia 7, os restos foram saqueados até o ponto em que a Biblioteca da Universidade Leopoldina, para a qual Brahms compôs uma famosa obra, foi saqueada, incendiada e destruída. No dia 15, foi a vez do museu da cidade e das torres gêmeas de Santa Maria Madalena, uma das grandes igrejas góticas construídas em tijolos, voarem pelo ar. Assim, a ideia de que Wroclaw tinha sido completamente destruída durante o cerco foi uma ficção do período pós-guerra.[6]

Do pós-guerra aos dias atuais[editar | editar código-fonte]

Os acordos de Ialta e Potsdam entre os aliados trouxeram, como consequência, que a Polônia obtivesse a cidade e todos da Silésia, e procedesse à deportação de toda a população alemã (cerca de 570 000 pessoas) para o resto da Alemanha. O repovoamento da cidade veio depois da guerra, em grande parte provinda do centro da Polônia, mas também com aqueles que haviam sido deportados de Lwów (atualmente Ucrânia), no final da guerra, onde os poloneses haviam representado o grupo étnico maior, mesmo que muitos (45 por cento), ucranianos, os quais, com documentos poloneses, tenham povoado os novos territórios recém-conquistados.

Autoridades comunistas da Polônia tentaram banir o passado alemão da cidade em todas as suas manifestações e promoveram uma visão histórica segundo a qual Breslau, agora oficialmente Wrocław, e a Silésia sempre fizeram parte da Polônia, habitada por poloneses. Após o término do Guerra Fria, e como resultado da melhoria das relações entre Alemanha e Polônia, os atuais habitantes de Breslávia estão descobrindo o passado de sua cidade e fazendo contatos com ex-habitantes alemães, que, atualmente, visitam a cidade com fins turísticos.

Economicamente, Breslávia tornou-se, na crise de 1989-2008, uma das cidades mais dinâmicas da Polônia.

Esporte[editar | editar código-fonte]

O clube mais famoso da cidade é Śląsk Wrocław, fundado em 1947, tendo sido campeão polonês de futebol em 1977 e 2012.

A Maratona de Breslávia é realizada anualmente.

Entre 21 e 22 de julho de 2012, foi disputada Turniej Wrocław Polish Masters, no Estádio Municipal de Wroclaw, no qual também foram disputadas várias partidas da Eurocopa 2012.

Clima[editar | editar código-fonte]

Breslávia é uma das cidades de clima mais ameno da Polônia. A temperatura média anual é de 9,8 graus centígrados (50 graus Fahrenreit). O mês mais frio é janeiro (temperatura média de −0,5 grau centígrados), a neve é comum no inverno, e o mês mais quente é julho (temperatura média de 19,9 graus centígrados). A temperatura mais alta registrada em Breslávia foi de 39,0 graus centígrados, em 31 de julho de 1994 e a mais baixa registrada foi em 8 de janeiro de 1985 (−30,0 graus centígrados).

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Breslávia, Polônia Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 3,0 4,3 9,0 14,5 20,0 22,8 24,6 24,3 19,9 14,4 7,7 3,9 14,0
Temperatura mínima média (°C) -3,7 -2,8 0,2 5,2 10,0 14,4 15,3 15,2 11,2 5,9 2,3 -2,0 5,9
Precipitação (mm) 34 32 39 38 54 69 75 65 43 38 41 38 566
Fonte: Główny Urząd Statystyczny.[7] agosto de 2012

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Macedo, Vítor. (Primavera de 2013). "Lista de capitais do Código de Redação Interinstitucional". A Folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias (n.º 41): 12. Sítio web da Direcção-Geral da Tradução da Comissão Europeia no portal da União Europeia. ISSN 1830-7809. Página visitada em 23 de maio de 2013.
  2. Rússia goleia República Tcheca e lidera Grupo A da Eurocopa. Folha.com (8 de junho de 2012). Página visitada em 11 de junho de 2012.
  3. San Sebastián é eleita capital europeia da Cultura 2016. Estadão.com (28 de junho de 2011). Página visitada em 11 de junho de 2012.
  4. 2017 Wroclaw (em inglês). theworldgames.org (13 de janeiro de 2012). Página visitada em 11 de junho de 2012.
  5. Johann Georg Theodor. Orbis latinus oder Verzeichniss der lateinischen Benennungen der bekanntesten Städte etc., Meere, Seen, Berge und Flüsse in allen Theilen der Erde nebst einem deutsch-lateinischen Register derselben.. [S.l.]: G. Schönfeld's Buchhandlung (C. A.Werner) (ed.).
  6. Mc Donogh, Giles, Después del Reich, Galaxia Gutemberg, Barcelona, 2007, páginas 104 y ss.
  7. Główny Urząd Statystyczny. (polonês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Breslávia
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Polónia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.