Música, Maestro!

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Make Mine Music
Música, Maestro! (PT/BR)
 Estados Unidos
1946 •  cor •  75 min 
Direção Jack Kinney
Clyde Geronimi
Hamilton Luske
Joshua Meador
Robert Cormack
Roteiro James Bordrero
Homer Brightman
Erwin Graham
Eric Gurney
T. Hee
Sylvia Holland
Dick Huemer
Dick Kelsey
Jesse Marsh
Tom Oreb
Cap Palmer
Erdman Penner
Harry Reeves
Dick Shaw
John Walbridge
Roy Williams
Elenco Nelson Eddy
Dinah Shore
Benny Goodman
The Andrews Sisters
Jerry Colonna
Sterling Holloway
Andy Russel
David Lichine
Tania Riabouchinskaya
The Pied Pipers
The King's Men
The Ken Darby Chorus
Género Animação
Companhia(s) produtora(s) Walt Disney Pictures
Distribuição RKO Radio Pictures
Lançamento Brasil 26 de abril de 1946
Estados Unidos 15 de agosto de 1946
Portugal 8 de abril de 1948
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Música, Maestro![1][2] (em inglês: Make Mine Music) é um filme estadunidense de animação produzido pela Disney em 1946. É o oitavo filme de animação dos estúdios Disney, sendo dirigido por Jack Kinney, Clyde Geronimi, Hamilton Luske, Joshua Meador e Robert Cormack.

É mais um filme da série de longas-metragens compostos por histórias curtas, que marcaram suas produções nos anos 40, com a falta de recursos provocada pela Segunda Guerra Mundial. Música, Maestro! foi uma decepção, para a visão particularmente crítica de Walt Disney e não foi bem recebido pela crítica cinematográfica.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Este filme possui dez segmentos:

A Balada dos Camponeses[editar | editar código-fonte]

Um popular grupo coral do Rádio norte-americano, canta a história do feudo Hatfield-McCoy, que morava nas montanhas. Dois jovens se apaixonam, separados pelo vale entre os montes onde viviam. Este segmento foi, mais tarde, cortado das edições em vídeo, por causa do humor de guerra.

Canção do Lago Azul[editar | editar código-fonte]

Usava de animação e foi originalmente projetado para integrar Fantasia, usando a canção "Clair de Lune" - e que inspirou o nome do restaurante na "New Orleans Square", da Disneylândia.

O Lápis Musical[editar | editar código-fonte]

É um dos segmentos para os quais contribuiu Benny Goodman. Possui uma inovação, com um lápis puxando a ação, mostrando aquilo que acontecia com os jovens na época, através de uma música popular dos anos 40.

Recital de Amor[editar | editar código-fonte]

Balada sobre amor perdido, cantada por Andy Russell.

No Ritmo do Baseball[editar | editar código-fonte]

Realizado por Jerry Colonna, que recita um famoso poema sobre um jogador de baseball arrogante, que julgava ser o centro do mundo.

Sinfonia a Dois[editar | editar código-fonte]

Em live-action com os bailarinos David Lichine e Tania Riabouchinskaya, filmados apenas em sombra, com a cantora Dinah Shore cantando a música-título. Animações ao fundo dão um toque mágico.

Pedro e o Lobo[editar | editar código-fonte]

Talvez o único segmento que teve uma impressão mais duradoura. Sterling Holloway narra esta adaptação da composição de Prokofiev sobre um garotinho russo que sai para caçar um grande lobo mau, junto a um curioso grupo que inclui uma pata, um gato e um pássaro, cada um deles representados por um instrumento da orquestra (violino, flauta, oboé etc.).

A Dança dos Instrumentos[editar | editar código-fonte]

Traz novamente Benny Goodman com sua orquestra, em que quatro instrumentos com formas humanas se divertem.

O Casal de Chapéus[editar | editar código-fonte]

Conta a história, graciosa e cômica, de dois chapéus que se apaixonam na vitrina de uma loja. Quando Alice é vendida, Johnny inicia a busca desesperada de seu amor, até encontrá-la novamente, ambos já bastante esgarçados, como ornamento de pobres cavalos de charrete. O vocal foi feito por The Andrews Sisters.

Uma Baleia na Ópera/Willie: A Baleia Cantora[editar | editar código-fonte]

Conta a história de uma baleia cachalote que possui um Incrível talento musical, e que acalenta apresentar-se na ópera. Mas o ignorante empresário musical Tetti-Tatti acredita simplesmente que ela havia simplesmente engolido os cantores, e a persegue com um arpão. O segmento apresenta o cantor Nelson Eddy fazendo todas as vozes.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Nelson Eddy como Narrador e personagens em The Whale Who Wanted to Sing at the Met
  • Dinah Shore como Cantora em Two Silhouettes
  • David Lichine como Dançarino em Two Silhouettes
  • Tania Riabouchinskaya como Dançarina em Two Silhouettes
  • Benny Goodman como Músico em All the Cats Join In/After You've Gone
  • The Andrews Sisters como Cantoras em Johnnie Fedora and Alice Bluebonnet
  • Jerry Colonna como Narrador em Casey at the Bat
  • Sterling Holloway como Narrador em Peter and the Wolf
  • Andy Russell como Cantor em Without You'
  • The King's Men como Cantores em The Martins and the Coys
  • The Ken Darby Chorus como Cantores em Blue Bayou

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Festival de Cannes 1946 (FRA)[3]

  • O filme venceu na categoria de Melhor Design de Animação.

Referências

  1. Música, Maestro! no SapoMag (Portugal)
  2. Música, Maestro! (em português) no AdoroCinema (Brasil)
  3. «Festival de Cannes: Música Maestro!». festival-cannes.com. Consultado em 3 de janeiro de 2009. 

Links externos[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre personagens, revistas ou outros assuntos da Disney é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Precedido por
The Three Caballeros
Lista de filmes de animação da Disney
1940
Sucedido por
Fun and Fancy Free