Maomé VI de Marrocos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: "Maomé VI" redireciona para este artigo. Para o rei ou emir de Granada do século XIV, veja Maomé VI de Granada.
Maomé VI
Coat of arms of Morocco.svg
Rei de Marrocos
Maomé VI
Reinado 23 de julho de 1999 - (presente) (21 anos e 334 dias)
Consorte Lalla Salma
Antecessor(a) Hassan II
Herdeiro Moulay Hassan
Casa Alaoui
Dinastia Dinastia Alaoui
Nascimento 21 de agosto de 1963 (57 anos)
  Rabat,  Marrocos
Filho(s) Moulay Hassan
Lalla Khadija
Pai Hassan II
Mãe Lalla Latifa Hammou

Maomé ibne Haçane ibne Maomé ibne Iúçufe Alauita[1] (Mohammed ben el-Hassan ben Mohammed ben Youssef el-Alaoui), melhor conhecido como Maomé VI[2] (em árabe: محمد السادس; romaniz.: Mohamed VI) GCAGCIHGColSE (em árabe: محمد السادس, lit. 'Mohammed VI'; Rabat, 21 de agosto de 1963) é rei de Marrocos desde a morte de seu pai Hassan II, em 1999.

Nascimento[editar | editar código-fonte]

Maomé é o filho mais velho do rei Hassan II do Marrocos e sua esposa, Lalla Latifa Hammou, que provinha de importante tribo norte-africana. [3]

Reinado[editar | editar código-fonte]

Foi coroado a 23 de julho de 1999, somente algumas horas depois da morte de seu pai.

É o 23º rei da dinastia alauita, que tem reinado no Marrocos desde 1666 e cujo 350.º aniversário se comemorou em 2016. Também detém, de acordo com a constituição marroquina, o título de miralmuminim (Comandante da Fé ou chefe religioso). [3]

Após assumir, Maomé se tornou conhecido como um modernizador e apoiador da democracia. No entanto, nem todos concordam com os adjetivos. Em 2019, o jornalista Aziz Chahir escreveu no jornal Middle East Eye que "apesar das inúmeras promessas de reforma, o reinado do rei Mohammed VI acabou tomando o caminho de um autoritarismo corporativo, mitigado por tentativas esporádicas de democratização". Ele também escreveu que o governo de Maomé "privilegia a personificação do governo, a concentração de poderes e a dominação política dos oponentes". [3]

Casamento, divórcio e descendentes[editar | editar código-fonte]

Em 21 de março de 2002, desposou Salma Bennani em Rebate, concedendo-lhe o título de princesa consorte. No entanto, o casal se separou inesperadamente no início de 2018. Eram "a imagem da família real perfeita que conseguiu, pela primeira vez em Marrocos, um equilíbrio entre a tradição e a modernidade", escreveu o jornal I Online de Portugal à época. [4] [5]

O rei e Salma tiveram dois filhos: Moulay Hassan, nascido a 8 de maio de 2003 e primeiro na linha de sucessão do trono marroquino, e Lalla Khadija, que nasceu a 28 de fevereiro de 2007.

Maomé também tem um irmão, Moulay Rachid, e três irmãs, as princesas Lalla Meryem, Lalla Asma e Lalla Hasna.

Problemas de saúde[editar | editar código-fonte]

À época da separação do casal, Maomé havia passado por uma cirurgia cardíaca em Paris. [4]

Em meados de 2020, o jornalista Aziz Chahir escreveu no jornal Middle East Eye que Maomé tinha problemas constantes de saúde e que havia passado por nova cirurgia no coração. Ele também levantou a possibilidade do filho de Maomé, Hassan, estar se preparando para assumir o trono. [6]

Títulos e honrarias[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Alves 2014, p. 559; 571; 618.
  2. «Marrocos vai ter o primeiro comboio de alta velocidade de África». 2017 
  3. a b c Chahir, Aziz (29 de agosto de 2019). «Morocco: Ten reasons why Mohammed VI's reign has lasted 20 years». Middle East Eye. Consultado em 25 de abril de 2021 
  4. a b «Mohamed VI do Marrocos e princesa Lalla Salma se divorciaram, diz revista». www.efe.com. Consultado em 25 de abril de 2021 
  5. «Mohammed VI. O rei que quebra tradições». ionline. Consultado em 25 de abril de 2021 
  6. Chahir, Aziz (18 de agosto de 2020). «Morocco's Mohammed VI: Is his son ready for the crown?». Middle East Eye. Consultado em 25 de abril de 2021 
  7. «Cidadãos Estrangeiros Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Rei Mohammed VI". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 18 de fevereiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Agenda de Maomé no website oficial

Precedido por
Hassan II
Coat of arms of Morocco.svg
Rei de Marrocos

1999 — presente
Sucedido por
-

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Alves, Adalberto (2014). Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa. Lisboa: Leya. ISBN 9722721798 
Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.