Política de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Política de São Paulo
Ficha técnica
Governador Geraldo Alckmin (PSDB)
Senadores Aloysio Nunes (PSDB)

José Serra (PSDB)

Marta Suplicy (PMDB)

Deputados federais 70
Deputados estaduais 94
Eleitores 25.655.553 (2002)
Sede do governo
Nome Palácio dos Bandeirantes
Página governamental
Endereço http://www.saopaulo.sp.gov.br

A Política de São Paulo é a direção do território paulista e a determinação dos poderes que compõem sua estrutura de governo.

O estado de São Paulo, assim como em uma república, é governado por três poderes, o executivo, representado pelo governador, o legislativo, representado pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, e o judiciário, representado pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e outros tribunais e juízes. Além dos três poderes, o estado também permite a participação popular nas decisões do governo através de referendos e plebiscitos.

Constituições de São Paulo[editar | editar código-fonte]

A primeira Constituição Política do Estado de São Paulo[1] foi promulgada pelo Congresso Legislativo do Estado de São Paulo em 14 de julho de 1891; a atual foi promulgada em 5 de outubro de 1989[2], acrescida das alterações resultantes de posteriores Emendas Constitucionais.

Poderes[editar | editar código-fonte]

Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do estado.

O Poder Executivo paulista está centralizado no governador do estado, que é eleito em sufrágio universal e voto direto e secreto pela população para mandatos de até quatro anos de duração, podendo ser reeleito para mais um mandato. Sua sede é o Palácio dos Bandeirantes, que desde 1964[3] é sede do governo paulista e residência oficial do governador, no distrito do Morumbi, na zona oeste da cidade.

O Poder Legislativo de São Paulo é unicameral, constituído pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, localizado no Palácio 9 de Julho junto ao Parque do Ibirapuera. Ela é constituída por 94 deputados, que são eleitos a cada 4 anos.

A maior corte do Poder Judiciário paulista é o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, localizada no Palácio da Justiça, no centro de São Paulo.

São Paulo está dividido em 645 municípios. O maior deles é a capital, São Paulo, com 11 milhões de habitantes, sendo a cidade mais rica do estado do país, do hemisfério sul e de toda a lusofonia. Sua região metropolitana possui aproximadamente 20 milhões de habitantes, quase a metade de toda a população do estado.

Ranking da corrupção[editar | editar código-fonte]

Com base em dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral divulgou um balanço, em 4 de outubro de 2009, listando os partidos e os estados com o maior número de parlamentares cassados por corrupção desde o ano 2000. O estado de São Paulo aparece em terceiro lugar na lista, com 56 parlamentares cassados, atrás apenas de Minas Gerais (71 cassações) e Rio Grande do Norte (60 cassações).[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui o
Portal de São Paulo

Referências


Bandeira do estado de São Paulo
São Paulo
História • Política • Geografia • Demografia • Economia • Educação • Cultura • Turismo • Portal • Imagens